13 – Jesus Messias de Israel

JESUS O MESSIAS DE ISRAEL  X  JESUS O MESSIAS DE TODA HUMANIDADE

Cristo nascido no ventre de Maria – Lc. 1: 34 e 35.
Cristo filho do homem Mat. 17: 22.
Vamos descrever o Cristo segundo a carne:
1.        Ele é fraco – II Co 13: 4
2.        Ele é sujeito às tentações Lc. 22: 28 e Hb 4: 15
3.        Ele é segundo as paixões da carne: ira, jactância, etc – João 2: 13 a 15.
4.        Ele é sujeito a pecar  I Ped. 4:1 – Hb. 5: 7.
5.        Ele sentaria no trono de Davi e talvez com descendência carnal At. 2:
29 – 30.
Mas Cristo segundo a carne não pecou, e mostrou o amor do Pai, e fez obras
opostas as obras de Jeová.
O Cristo segundo a carne só pertenceu a Israel, o Cristo crucificado e
ressuscitado pertence a toda humanidade, e é declarado Filho de Deus
somente após a ressurreição.

(Romanos 1:4) – Declarado Filho de Deus em poder, segundo o Espírito de
santificação, pela ressurreição dos mortos, Jesus Cristo, nosso Senhor.

O Cristo segundo a carne foi enviado a casa de Israel.
O Cristo ressuscitado foi enviado a toda humanidade, salvador do mundo.
Segundo Paulo, o Cristo ressuscitado era diferente do Cristo segundo a
carne, por isso:
(II Corintios 5:16) - Assim que daqui por diante a ninguém conhecemos
segundo a carne, e, ainda que também tenhamos conhecido Cristo segundo a
carne, contudo agora já não o conhecemos deste modo.

Cristo precisou vir em carne, para sofrer, ser tentado e morrer.

Se Cristo viesse como Deus ele não poderia
morrer, pois DEUS NÃO MORRE, ele não poderia ser tentado: DEUS NÃO TENTA

(TG 1:13) – Ninguém, sendo tentado, diga: De Deus sou tentado; porque Deus não pode ser tentado pelo mal, e a ninguém tenta.

Logo para darmos frutos para Deus, temos que sair do Velho Testamento, do
Velho Concerto, da Velha Lei, não se coloca Vinho Novo em Odre Velho.

Jesus veio para nos resgatar das maldições da Lei.
Ele precisava de morrer, para anular o Velho Concerto e a Lei, que veio
para a condenação do homem. O que explica Rom. 9: 1 em diante, pois para se unir ao Cristo dos judeus
(ou Cristo de Jeová) precisaria se separar do Cristo de toda humanidade (o
Cristo  em Rom. 1: 4. Por amor aos judeus Paulo precisaria se separar do
Cristo do Pai, mas ele não se separa do Cristo Glorificado, nem por amor
aos judeus. E ainda diz:
(Romanos 7:4) - Assim, meus irmãos, também vós estais mortos para a lei
pelo corpo de Cristo, para que sejais de outro, daquele que ressuscitou
dentre os mortos, a fim de que demos fruto para Deus.
Paulo declara que: por amor aos irmãos judeus, tinha de se separar do
Cristo ressuscitado, para poder ajudá-los, pois as promessas do messias
carnal (o messias de Jeová que regeria as nações com vara de ferro) são
diferentes das promessas do Cristo ressuscitado (cujo Reino não é deste
mundo) (Rom. 9: 3 a 5)

Deixe uma resposta