(478) – JEOVÁ E O ABISMO – I

  • JEOVÁ   E   O  ABISMO  1

    Jeová foi quem plantou as árvores do jardim do Éden. Leiamos a Escritura: “E plantou Jeová Elohim um jardim no Éden, da banda do oriente; e pôs ali o homem que tinha formado. E Jeová Elohim fez brotar da terra toda a árvore agradável à vista, e boa para comida; e a árvore da vida no meio do jardim, e a árvore do conhecimento do bem e do mal” (Gn.2:8-9).

    O jardim do Éden com suas árvores são uma pálida figura das nações e reinos futuros que Jeová formou e estabeleceu na história, desde Gênesis, capítulo dois, até os dias de hoje. É por isso que Jeová, sendo Deus só do povo de Israel, é também Deus de todas as nações. Ezequiel, o profeta, revela essa verdade: “Eis que a Assíria era um cedro no Líbano, de ramos formosos, de sombrosa ramagem e de alta estatura, e o seu topo estava entre os ramos espessos. As águas o fizeram crescer, o abismo o exalçou; as suas correntes corriam em torno da sua plantação, e ela enviava os seus regatos a todas as árvores do campo” (Ez.31:3-4). A Assíria era uma árvore no Líbano, e as outras árvores eram outras nações, pois Ezequiel diz: “Os cedros não o podiam escurecer no jardim de Deus; as faias não igualavam os seus ramos, e os castanheiros não eram como os seus renovos; nenhuma árvore no jardim de Deus se assemelhou a ele na sua formosura. Formoso o fiz com a multidão dos seus ramos; e todas as árvores do Éden, que estavam no jardim de Deus, tiveram inveja dele” (Ez.31:8-9). Jeová é quem declara: “Formoso o fiz com a multidão dos seus ramos”. Sendo Jeová Deus quem formou o reino assírico, por que está escrito que foi o abismo que o exaltou? (verso 4)

    Jeová é o autor do abismo; vejamos: “Lançou os fundamentos da terra, para que não vacile em tempo algum. Tu a cobres com o abismo como com um vestido; as águas estavam sobre os céus” (Sl. 104:5-6). Salomão confirma esta verdade: “Ainda ele não tinha feito a terra, nem os campos, nem sequer o princípio do pó do mundo. Quando ele preparava os céus, aí estava eu; quando compassava ao redor a face do abismo, quando firmava as nuvens de cima, quando fortificava as fontes do abismo” (Pv.8:26-28). Por este texto, o abismo tem fontes poderosas. Sendo, pois, o abismo, este mundo em que vivemos, isto é, a terra, todas as nações e povos, e raças, vivem num abismo medonho, por isto a história dos homens é feita de guerras, tirania, morticínios, genocídios, ódios, cobiças, traições, taras, anormais, paranóias, loucuras e ilusões falsas.

    A Escritura revela que, antes da narrativa da criação já existia o abismo: “A terra porém era sem forma e vazia; e havia trevas sobre a face do abismo; e o Espírito de Deus se movia sobre a face das águas” (Gn.1:2). Salomão falou que Jeová compassava ao redor a face do abismo(Pv.8:27). E em Gn.1:2 lemos que havia trevas sobre a face do abismo. Unindo todos os pontos, concluímos: As trevas que estão sobre a face do abismo são potestades malignas, ou melhor, anjos caídos, chefiados por Satanás; tudo obra de Jeová. Antes de Cristo, Jeová governava este mundo através dos anjos: “Jeová tem estabelecido o seu trono nos céus, e o seu reino domina sobre tudo. Bendizei a Jeová, anjos seus, magníficos em poder, que cumpris as suas ordens, obedecendo a ordem da sua palavra” (Sl. 103:19-20). Paulo declara que os anjos que governam o mundo da parte de Jeová, são perversos: “Em que noutro tempo andastes segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe das potestades do ar, do espírito que agora opera nos filhos da desobediência” (Ef.2:2-3). E Paulo declara que devemos dar graças ao Pai, que nos fez idôneos para participar a herança dos santos na luz; o qual nos tirou da potestade das trevas, e nos transportou para o reino do Filho do seu amor (Cl.1:12-13).

    Ora, no Velho Testamento lemos: “Porque o reino é de Jeová, e ele governa entre as nações” (Sl.22:28). “Jeová reina; tremam as nações” (Sl.99:1). “Quem te não temeria a ti, ó rei das nações? pois isto só a ti pertence” (Jr.10:7).

    Como o monarca absoluto deste mundo, que é o abismo, Jeová estabelece reis e também os depõe. Jeová deu todos os reinos na mão de Nabucodonosor, inclusive o reino de Judá, que é o trono de Jeová (Jr. 27:5-8, 12-13)“Esta sentença é por decreto dos vigiadores, e esta ordem é por mandado dos santos; a fim de que conheçam os viventes que o Altíssimo tem domínio sobre o reino dos homens, e os dá a quem quer, e até ao mais baixo dos homens constitui sobre eles” (Dn.4:17). É Jeová quem estabelece os tiranos deste mundo. Foi Jeová que levantou Nabucodonosor e foi Jeová quem o depôs do trono (Dn. 4:30-31). Jeová é quem tira a vida e a dá (I Sm.2:6; Dt.32:39). E ele disse: “Moabe está destruída, os seus mancebos escolhidos desceram à matança, diz o rei, cujo nome é Jeová dos Exércitos” (Jr.48:15). Como este mundo em que vivemos é o abismo medonho, Jeová é o rei do abismo, e é o deus do abismo.

 

Autoria: Pastor Olavo Silveira Pereira

Deixe uma resposta