(140) – O DEUS INVISÍVEL

O DEUS INVISÍVEL

 

Deus, Pai do Senhor Jesus Cristo, é invisível. O apóstolo Paulo no-lo afirma: “Ora, ao rei dos séculos, imortal, invisível, ao único Deus seja honra e glória para todo o sempre. Amém” (I Tm. 1:17).

Visível é aquilo que pode ser visto, mesmo sem corpo físico, como num sonho ou visão. Se Deus se revela numa teofania, deixa de ser invisível, pois invisível é aquilo que jamais pode ser visto. Um átomo não é visível a olho nu, mas pode ser visto com o auxílio de um microscópio.

Deus, porém, é invisível, isto é, não pode ser visto por ninguém, nem pelos anjos. É por isso que o evangelista Mateus diz: “Ninguém conhece o Filho senão o Pai, e ninguém conhece o Pai senão o Filho, e aquele a quem o Filho quiser revelar”. Mat. 11:27. No Velho Testamento deus se tornou visível sem ser através de Jesus, colocando em cheque a declaração do Filho em Mt. 11:27; pois apareceu fisicamente a Abraão em Gn. 17:1, e depois declarou que apareceu a Abrão, a Isaque e a Jacó em Ex. 6:3. Quem vê uma coisa conhece em parte, pois não conhece a essência, e Jeová disse: “Eu apareci a Abraão, a Isaque e a Jacó como o deus todo poderoso, mas não lhes fui perfeitamente conhecido” (Ex. 6:3).

Eu vi uma árvore e alguém me disse: É uma videira. Como não era tempo dos frutos, ela estava seca, e sem folhas. Eu, pela vista conheci a forma da árvore, mas não as folhas e os frutos. Foi assim que Abraão conheceu Jeová. Mas Jeová apareceu para Adão, no Jardim do Édem, e Adão se escondeu, logo aquele deus era visível (Gn. 3:8). Apareceu a Enoque (Gn.5:22-24). Jacó lutou corpo a corpo com um anjo, para receber a bênção de Jeová. Isso está  em Gn 32:22-30. No verso 30 Jacó declara que foi deus que lutou com ele, pois disse: tenho visto a deus face a face. O detalhe deste deus, é que temia a luz, e implorou a Jacó dizendo: “Deixa-me ir, porque já a alva subiu” (Gn. 32:26).

Sobre esta luta de Jacó com o anjo que é também deus, o profeta Oséias revela que Jeová era o anjo vencido por Jacó (Os. 12:4-5). Só de uma feita Jeová apareceu para setenta e quatro pessoas. “E  subiram Moisés e Arão, Nadabe e Abiu, e setenta dos anciãos de Israel. E viram o deus de Israel, e debaixo de seus pés havia como uma pedra safira, e como o parecer do céu na sua claridade (Ex. 24:9-10). Se viram os pés, é porque tinha forma corporal, logo Jeová nunca foi invisível. Uma certa ocasião Moisés fez um pedido a Jeová: “Rogo-te que me mostres a tua Glória. Jeová lhe respondeu, dizendo: ”Não poderás ver a minha face, porquanto homem algum verá a minha face e viverá: Eis aqui um lugar junto a mim: ali te porás sobre a penha. Quando a minha Glória passar, te porei numa fenda da penha, e te cobrirei com a minha mão, e havendo eu tirado a minha mão, me verás pelas costas, mas a minha face não verás (Ex. 33:18-23). Um deus invisível não tem costas, nem mãos, nem rosto. Leiamos o que Jeová declarou sobre o seu servo Moisés: “Ouve agora as minhas palavras: Se entre vós houver profeta, eu, Jeová, em visão a ele me farei conhecer, ou em sonhos falarei com ele. Não é assim com o meu servo Moisés, que é fiel em toda a minha casa. Boca a boca falo com ele, e de vista, e não por figuras, pois ele vê a semelhança de Jeová. (Nm. 12:6- 8).

Jeová continuou aparecendo para muitos. Isaías viu Jeová assentado sobre um sublime trono, e os Serafins com seis asas sobre o trono (Is. 6:1-2). O Deus invisível não poderia ser visto sentado e Ezequiel viu os lombos de Jeová (Ez. 8:2).

A respeito do Deus verdadeiro, o apóstolo Paulo nos revela o seguinte: “Aquele que tem, Ele só a imortalidade, e habita na luz inacessível; a quem nenhum homem viu nem pode ver jamais” (I Tm. 6:16).Paulo não está dizendo que a criatura está proibida de ver o criador, e também que o homem, não pode ver a face de Deus e viver. Paulo está explicando que o invisível jamais pode ser contemplado ou visto. Deus, o Pai, é Espírito, e um Espírito não tem forma visível, pois é invisível.

Alguém dirá: Então jamais veremos a Deus, o nosso Pai é também Pai do Senhor Jesus? O Apóstolo João responde a essa pergunta. “Deus nunca foi visto por alguém. O Filho unigênito, que esta no seio do Pai, esse o fez conhecer” (Jo. 1:18). O Apóstolo do amor está revelando duas coisas:

A)    Todos os que viram a Jeová do Velho Testamento, nunca viram o Deus e Pai de Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.

B)     B) Não é possível ver o Pai fora de Jesus. Quem vê Jesus vê o Pai. Esta foi a resposta de Jesus a Filipe (Jo. 14:8-9). Jesus tentou de todas as maneiras revelar essa grande verdade aos religiosos da sua época, mas eles rechaçaram Jesus, como acontece hoje. “Disseram-lhes eles: Onde está teu Pai? Jesus respondeu: Não me conheceis a mim nem a meu Pai; se vós me conheceis a mim, também conheceríeis a me Pai” (Jo. 8:19). “Vós nunca ouvistes a sua voz, nem vistes o seu parecer” (Jo. 5:37).

Jesus foi explícito ao dizer: “Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém vem ao Pai senão por mim” (Jo. 14:6). Não se vai ao Pai pelos profetas, nem por Moisés, nem pelos anjos. Só por Jesus. E por que? Porque Jesus é a imagem do Deus invisível (Cl. 1:15). Jesus que estava no seio do Pai, e era invisível como o Pai, se tornou visível ao encarnar (Jo. 1:14). Quem olhava para as visões de Jeová ficava aterrorizado como Moisés (Hb. 12:16-21). Mas quem olha para Jesus fica deslumbrado com o amor do Pai(Jo. 3:16-17). Os que viram Jeová contemplaram o ódio e o mal (Jr. 13:14; 18:11; 21:10, 44:27, Am. 3:6 etc). Os que viram Jesus só contemplaram o amor e o bem do Pai (Tg. 1:17). Quem vê Jeová vê a morte(Ex.33:18-23). Quem vê Jesus, contempla a vida e a ressurreição (Jo. 11:25). Arão, o sacerdote de Jeová; viu Jeová matar seus dois filhos sem misericórdia (Lv. 10:1-2). Marta e Marta viram Jesus ressuscitar seu irmão Lázaro (Jo. 11:38-44). Os servos de Saul viram Jeová colocar em Saul um espírito maligno (I Sm. 16:14-15). Os servos de Jesus viram todos os atormentadores serem libertados dos espíritos (Mt. 8:14-17). Quem vê Jeová vê a condenação dos culpados e inocentes (Ez. 21:1-4). Quem vê o Pai em Jesus vê a salvação dos culpados e inocentes (I Tm. 1:15; Mt. 19:13-14). Uma coisa verdadeira, Tiago disse: “De uma mesma fonte não se bebe água doce e amarga” (Tg. 3:10-12).     

 

Autoria: Pastor Olavo S. Pereira

Deixe uma resposta