(124) – PRÍNCIPE DESTE MUNDO

PRÍNCIPE DESTE MUNDO

 

O que é um príncipe? É aquele que pertence a uma família de soberanos. É título de nobreza em algum estado. Príncipe é o filho do rei e herdeiro do trono e do reino. Jesus declara que antes dele encarnar já havia o príncipe deste mundo. “Já não falarei muito convosco, porque se aproxima o príncipe deste mundo, e nada tem em mim”  (Jo. 14:30). Jesus não disse um príncipe, mas o príncipeSe tivesse dito, um príncipe deste mundo, deixaria margem para se concluir que havia diversos príncipes; mas ao dizer o príncipe, deixava claro que este mundo só tem um herdeiro. Ora, Jesus, antes de ser crucificado não era príncipe, pois Deus, o Pai, só o fez príncipe após a ressurreição. “O Deus de nossos pais ressuscitou a Jesus, ao qual vós matastes, suspendendo-o no madeiro, Deus com a sua destra o elevou a príncipe e Salvador, para dar a Israel o arrependimento e remissão dos pecados” (At. 5:30-31). Em Jó 14:30, Jesus revelou que o príncipe herdeiro deste mundo nada tem a ver com Ele, nem com o Pai, e nem com o plano salvador de Jesus. O Senhor disse: “Nada tem em mim”  isto é, o príncipe deste mundo é completamente estranho a Jesus e ao Pai, mas como herdeiro deste mundo é o herdeiro de Jeová, pois Davi, o amado de Jeová, declarou: “DE JEOVÁ É A TERRA E A SUA PLENITUDE, O MUNDO E OS QUE NELE HABITAM” (Sl. 24:1). Moisés também declara o mesmo: “Eis que os céus e os céus dos céus são de Jeová teu deus, a terra e tudo o que nela há” (Dt. 10:14). O próprio Jeová se declara dono deste mundo no Sl. 50:12 – Jeová é também o rei deste mundo. “PORQUE JEOVÁ ALTÍSSIMO É TREMENDO E REI GRANDE SOBRE TODA A TERRA” (Sl. 47:2). Como no Sl. 82:8 está escrito que todas as nações deste mundo lhe pertencem, lemos também no Sl. 47:8 que Jeová reina sobre todas as nações. Sendo assim, Jeová reinava sobre as nações que destruiu no dilúvio. Reinava também em Sodoma e Gomorra, Adina e Zeboim (Dt. 29:23). Reinava sobre as sete nações que Israel recebeu ordem de Jeová para destruir totalmente (Js. 11:20). Agora dá para entender porque Jeová chamava Nabucodonozor de “MEU SERVO” (Jr. 25:9; 43:10). Jeová reinava com Faraó sobre o Egito, e é claro que reinava junto com Osiris, deus dos mortos, com o boi Apis, reinava com Bel e Milita, deuses babilônicos, e reinou no Monte Olimpo dos gregos, juntamente com Júpiter, ou Zeus, que roubou o reino de seu pai Saturno. Damos mais alguns textos provando que Jeová reina sobre este mundo (Sl. 22:28; 99:1; 96:10; Jr. 10:7; I Cr. 16:30-31, etc).

O príncipe deste mundo é o herdeiro dos reinos deste mundo, e toda a glória deles, que o diabo mostrou a Jesus (Lc. 4:5-8). Mas Jesus disse a Pilatos: “Meu reino não é deste mundo”, logo Jesus não é o herdeiro de Jeová (Jo. 18:36). O príncipe deste mundo é o príncipe de Jeová, que existia antes de Jesus ser constituído príncipe pelo Pai. Satanás se apresentou a Jesus como o soberano deste mundo, e declarou que recebeu todos os reinos, e que podia dar a quem quisesse. Jeová foi quem entregou tudo a Satanás como herdeiro legítimo. Ninguém tinha autoridade para dar o mundo de Jeová ao diabo. Jesus disse aos discípulos: “Não são do mundo, como eu não sou do mundo”  (Jo. 17:14). O que surpreende é Jeová ser o dono deste mundo e reinar sobre ele, e Jesus afirmar que não é deste mundo, e também o seu reino não é deste mundo.

Jesus também disse: “Eu sou a luz que vim ao mundo, para que todo aquele que crê em mim não permaneça em trevas” (Jo. 12:46). Os que criam em Jeová estavam em trevas, e os que crêem em Jesus saem das trevas. Israel, o reino particular de Jeová, vivia em trevas até o surgimento de Jesus (Is. 9:2; Mt. 4:12-17). Paulo revela qual a obra de Jesus Cristo: “Abrir os olhos dos cegos, das trevas os converter a luz, e do poder de Satanás a Deus” (At. 26:18). Foi Jeová que cegou o povo (Is. 6:10); foi Jeová que lhes fechou os olhos e os ouvidos; e endureceu o coração; e Jesus liberta do diabo? É estranho !! Jeová afirma que os israelitas são seus filhos, e Jesus fala que os fariseus tinham por pai o diabo? (Jo. 8:44; Dt. 14:1-2; 32:19-20; Is. 1:2; 30:9, etc). Se os judeus adoravam a Jeová, e o serviam, Jesus jamais poderia chamá-los de filhos do diabo, pois hoje, os cristãos são carnais, mundanos, correm atrás de dinheiro e da política, uma grande parte é adúltera, outra é fornicária; existe Igreja gay e ninguém os chama de filhos do diabo. Os fariseus eram zeladores da lei, e Paulo era um deles (Fl. 3:5). Quando Jesus os chama de filhos do diabo, não era por causa dos seus atos, mas porque não conheciam o Pai, e sim Jeová. Jesus lhes disse: “Não me conheceis a mim nem a meu Pai; se vós me conhecêsseis a mim também conheceríeis a meu Pai” (Jo. 8:19; 8:54-55; 15:21).

Jeová falou: “Assim diz o Senhor Jeová: No dia em que escolhi Israel, levantei a minha mão para a descendência da casa de Jacó, e me dei a conhecer a eles na terra do Egito” (Ez. 20:5). Se Jeová afirma que era conhecido, não temos o direito de afirmar que Jeová se deu a conhecer, mas o povo era cego e não conheceu, por isso Jesus disse que não conheciam o Pai (Jo. 8: 19).

Para terminar, anjo caído não é príncipe, e se foi, agora é demônio. Quando lemos que há um príncipe herdeiro de Jeová, devemos crer; mas esse príncipe é o príncipe das potestades do ar, cujo espírito opera nos filhos da desobediência (Ef. 2:2).

Os fariseus acusaram Jesus de expulsar demônios por Belzebu, príncipe dos demônios (Mt. 12:24). Na sua resposta, Jesus declarou que o tal príncipe não era Belzebu, mas Satanás (Mt. 12:25-26). Com esta resposta Jesus revela que Satanás é o príncipe deste mundo.

Jesus foi feito príncipe pelo Pai, mas não deste mundo. Jesus não aceita herdar o inferno. Ele é herdeiro do reino dos céus, e nós, os cristãos, herdaremos com ele ao sermos arrebatados deste abismo (I Ts. 4:16-17).

 

Autoria Pastor Olavo S. Pereira

 

Deixe uma resposta