(715) – NO PRINCÍPIO 2

Há discussão sobre o assunto “Princípio do Tempo”, por que a ciência prova que o mundo não tem só 6.000 anos, como está pela contagem bíblica. O homem está a 12 milhões de anos sobre a face da terra. Mas na contagem fora do tempo, lemos que Cristo foi morto desde a fundação do mundo: “E adoravam-na todos os habitantes sobre a terra, esses cujos nomes não estão escritos no livro da vida do Cordeiro que foi morto desde a fundação do mundo” (Ap.13:8). Então, a história da humanidade se resume em dois períodos: Antes de Cristo e Depois de Cristo: “E ao anjo da igreja que está em Laodicéia escreve: Isto diz o amém, a testemunha fiel e verdadeira, o princípio da criação de Deus” (Ap.3:14).

1)   No primeiro princípio o homem foi formado do pó da terra: “E formou o Senhor Deus o homem do pó da terra, e soprou em seus narizes o fôlego da vida; e o homem foi feito alma vivente” (Gn.2:7). No segundo princípio, o homem veio do céu: “E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, e vimos a sua glória, como a glória do unigênito do Pai, cheio de graça e verdade” (Jo.1:14).

2)   Todos os nascidos da semente do homem do primeiro princípio, nasceram mortos, pois Jesus disse: “E outro de seus discípulos lhe disse: Senhor, permite-me que primeiramente, vá sepultar meu pai. Jesus, respondeu, dizendo: Segue-me e deixa os mortos sepultar os seus mortos” (Mt.8:21-22). Todos os nascidos da semente do último Adão, nascem para a vida eterna, pois Jesus disse: “Eu sou a ressurreição e a vida; quem crê em mim, ainda que esteja morto, viverá; e todo aquele que vive, e crê em mim, nunca morrerá. Crês tu isto?” (Jo.11:25-26).

3)   Todos os homens vindos do primeiro princípio se reproduzem como os animais: “Disse eu no meu coração: É por causa dos filhos dos homens, para que Deus possa prová-los, e eles possam ver que são em si mesmos como animais. Porque o que sucede aos filhos dos homens, isso também sucede aos animais; a mesma coisa lhes sucede; como morre um, assim morre o outro, todos têm o mesmo fôlego; e a vantagem dos homens sobre os animais não é nenhuma, porque todos são vaidade. Todos vão para um lugar; todos são pó, e todos ao pó tornarão. Quem adverte que o fôlego dos filhos dos homens sobe para cima, e que o fôlego dos animais desce para baixo da terra? Assim que tenho visto que não há coisa melhor do que alegrar-se o homem nas suas obras, porque essa é a sua porção; porque quem o fará voltar para ver o que será depois dele?” (Ec.3:18-22). Os homens vindos do segundo princípio, de acordo com as Escrituras Sagradas, nascem de modo diferente: “Sendo de novo gerados, não de semente corruptível, mas da incorruptível, pela palavra de Deus, viva, e que permanece para sempre” (1 Pd.1:23). O apóstolo Pedro diz mais: “Desejai afetuosamente, como meninos novamente nascidos, o leite racional, não falsificado, para que, por ele, vades crescendo” (1 Pd.2:2). “Que, quanto ao trato passado, vos despojeis do velho homem, que se corrompe pelas concupiscências do engano. E vos renoveis no espírito do vosso sentido, e vos revistais do novo homem, que segundo Deus é criado em verdadeira justiça e santidade” (Ef.4:22-24). O apóstolo Paulo diz: “Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é: as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo” (2 Co.5:17). “Até que todos cheguemos à unidade da fé, e ao conhecimento do Filho de Deus, à varão perfeito, à medida completa da estatura de Cristo, para que não sejamos mais meninos inconstantes, levados em roda por todo o vento de doutrina, pelo engano dos homens que, com astúcia, enganam fraudulosamente” (Ef.4:13-14). Todos nós queremos chegar a perfeição cristã e dizer como o apóstolo Paulo: “Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne, vivo-a na fé do Filho de Deus, o qual me amou e se entregou a si mesmo por mim” (Gl.2:20).

Autoria: Pr. Olavo Silveira Pereira

Deixe uma resposta