(746) – JESUS CONTRA 1

 

Jesus e o Pai são um (Jo.10:30), de maneira que quando Jesus discorda sobre qualquer assunto, o Pai também discorda.

  1. “Ouvistes o que foi dito: Amarás o teu próximo, e aborrecerás o teu inimigo” (Mt.5:43). (Doutrina de Iahweh). “Eu, porém, vos digo: Amai a vossos inimigos, bendizei os que vos maldizem, fazei bem aos que vos odeiam, e orai pelos que vos maltratam e perseguem” (Mt.5:44). Jesus é contra Iahweh, pois manda amar, e Iahweh manda aborrecer.
  2. Iahweh ordena um juramento: “A Iahweh, teu Deus, temerás, e a ele servirás, e pelo seu nome jurarás” (Dt.6:13). “De sorte que aquele que se bendisser na terra será bendito no Deus da verdade; e aquele que jurar na terra, jurará pelo Deus da verdade; porque já estão esquecidas as angústias passadas, e estão encobertas diante dos meus olhos” (Is.65:16). Jesus é contra o juramento: “Eu, porem, vos digo que, de maneira nenhuma jureis: nem pelo céu, porque é o trono de Deus, nem pela terra, porque é o escabelo de seus pés; nem por Jerusalém, porque é a cidade do grande Rei, nem jurarás pela tua cabeça, porque não podes tornar um cabelo branco ou preto. Seja, porém, o vosso falar: Sim, sim; Não, não; porque o que passa disto é de procedência maligna” (Mt.5:34-37).
  3. Iahweh ordena o divórcio: “Quando um homem tomar uma mulher e se casar com ela, então, será que, se não achar graça em seus olhos, por nela achar coisa feia, ele lhe fará escrito de repúdio, e lho dará na sua mão, e a despedirá da sua casa. E se ela, pois, saindo de sua casa, for se casar com outro homem e se este último homem a aborrecer, e lhe fizer escrito de repúdio, e lho der na sua mão, e a despedir da sua casa ou se este último homem, que a tomou para si por mulher, vier a morrer, então, seu primeiro marido, que a despediu, não poderá tornar a tomá-la, para que seja sua mulher, depois que foi contaminada, pois é abominação perante Iahweh; assim não farás pecar a terra que Iahweh, teu Deus, te dá por herança” (Dt.24:1-4). É claro que Iahweh é a favor do divórcio, pois ele também divorciou: “Assim diz Iahweh: Onde está a carta de divórcio de vossa mãe, pela qual eu a repudiei?” (Is.50:1). Iahweh é um Deus sem moral. Ele diz que se um homem não guardar os seus mandamentos, se ele casar com uma mulher, outro homem é que dormirá com ela. Jeremias diz: “Portanto, darei suas mulheres a outros, e as suas herdades a quem as possua; porque, desde o menor até ao maior, cada um deles se dá à avareza; desde o profeta até o sacerdote, cada um deles usa de falsidade” (Jr.8:10). Iahweh semeia prostituição.
  4. Iahweh deu os dez mandamentos. Jesus os mudou: “Um novo mandamento vos dou: que vos ameis uns aos outros; como eu vos amei a vós, que também vós, uns aos outros vos ameis” (Jo.13:34). Este mandamento é tão forte que o apóstolo Paulo diz: “A ninguém devais coisa alguma, a não ser o amor com que vos ameis uns aos outros: porque quem ama aos outros cumpriu a lei” (Rm.13:8). Mas Iahweh aborreceu Israel: “Deus ouviu isto e se indignou, e sobremodo aborreceu a Israel” (Sl.78:59). “E entregou o seu povo à espada, e encolerizou-se contra a sua herança” (Sl.78:62).
  5. Iahweh ordenou as maldições da lei:Todos aqueles, pois, que são das obras da lei estão debaixo da maldição, porque escrito está: Maldito todo aquele que não permanecer em todas as coisas que estão escritas no livro da lei, para fazê-las” (Gl.3:10). Jesus é contra as maldições: “Cristo nos resgatou das maldições da lei, fazendo-se maldição por nós, porque está escrito: Maldito todo aquele que for pendurado no madeiro” (Gl.3:13).
  6. Iahweh estabeleceu o concerto da lei em Ex.24:1-8. Jesus estabeleceu outro concerto: “Dizei-me vós, os que quereis estar debaixo da lei; não ouvis vós a lei? Porque está escrito que Abraão teve dois filhos, um da escrava e outro da livre. Todavia, o que era da escrava nasceu segundo a carne, mas o que era da livre, por promessa, o que se entende por alegoria; porque estes são os dois concertos; um, do monte Sinai, gerando filhos para a escravidão, que é Agar. Ora, esta Agar é Sinai, um monte da Arábia, que corresponde à Jerusalém que agora existe, pois é escrava com seus filhos. Mas a Jerusalém que é de cima é livre; a qual é mãe de todos nós” (Gl.4:21-26). Este é o concerto da graça: “Porque a graça de Deus se há manifestado, trazendo salvação a todos os homens” (Tt.2:11).

 

Autoria: Pr. Olavo Silveira Pereira

Deixe uma resposta