(161) – PRINCIPADOS E POTESTADES

PRINCIPADOS E POTESTADES

Que quer dizer principado? É um pequeno estado independente, cujo soberano tem o título de príncipe. E potestade o que é? É a autoridade constituída. Aquele que tem poder para exercer certas funções.

A Bíblia faz referência a dois tipos de potestades. As do Céu e as da Terra. Vejamos as da Terra, na carta de Paulo a Tito: “Admoesta-os a que se sujeitem aos principados e potestades, que lhes obedeçam e estejam preparados para toda a boa obra. Que a ninguém infamem, nem sejam contenciosos, mas modestos, mostrando toda a mansidão para com todos os homens” (Tt. 3:1-2). Na carta aos Romanos, Paulo entra mais fundo no assunto: “Toda a alma esteja sujeita às potestades superiores; porque não há potestade que não venha de Deus; e as potestades que há, foram ordenadas por Deus. Por isso quem resiste à potestade resiste à ordenação de Deus; e os que resistem trarão sobre si mesmos a condenação. Porque os magistrados não são um terror para as boas obras, mas para as más. Queres tu, pois, não temer a potestade. Faze o bem e terás o louvor dela. Porque ela é ministro de Deus para o teu bem. Mas, se fizeres o mal, teme, pois não traz debalde a espada; porque é ministro de Deus e vingador para castigar o que faz mal” (Rm. 13:1-4).

Agora os principados e potestades do céu: “Revesti-vos de toda armadura de Deus, para que possais estar firmes contra as astutas ciladas do diabo. Porque não temos que lutar contra a carne e o sangue, mas sim contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais” (Ef. 6:11-12).

Os principados e potestades da Terra têm domínio sobre os homens, tanto os cristãos como os não cristãos; e Paulo recomenda submissão total como se essas potestades fossem o próprio Deus (Rm. 13:1-4). Em relação aos principados e potestades do céu, (anjos com autoridade e poder), Paulo ordena que coloquemos a armadura espiritual, e entremos em luta mortal com esses principados e potestades. É interessante notar que todos os homens deste mundo estão debaixo da autoridade dos anjos, isto é, principados e potestades. O profeta Daniel faz referência a eles. Havia um príncipe angelical sobre os persas (Dn. 10:13). Havia também um príncipe sobre o governo da Grécia (Dn. 10:20). Os judeus estavam sob a autoridade do arcanjo Miguel (Dn. 10:21; 12:1).

Sendo submissos aos principados e potestades da Terra, os cristãos estão indiretamente submissos aos anjos (principados e potestades), que estão no governo de tal nação  e dirigem as autoridades terrenas. Ora, os anjos estão a serviço de Jeová. “Jeová tem estabelecido o seu trono nos céus e o seu reino domina sobre tudo. Bendizei a Jeová, anjos seus, magníficos em poder, que cumpris as suas ordens, obedecendo a voz da sua palavra” (Sl. 103:11-12). Nabucodonozor, que era um querido servo de Jeová, concluiu o seguinte, quando sarou da sua loucura: “Ao fim daqueles dias, eu, Nabucodonozor, levantei os meus olhos ao céu e tornou-me a vir o meu entendimento e eu bendisse o altíssimo e louvei e glorifiquei ao que vive para sempre, cujo domínio é um domínio sempiterno e cujo reino é de geração a geração. E todos os moradores da Terra são reputados em nada, e segundo a sua vontade ele opera com o exército do céu e com os moradores da terra; não há quem possa estorvar a sua mão e lhe diga: Que fazes?” (Dn. 4:34-35; Jr. 27:5-6).As autoridades celestiais, os principados e potestades, são adversários da Igreja, ou melhor, dos cristãos (Ef. 6:11-12). O diabo é adversário número um da Igreja e no Apocalipse lemos que o diabo e seus anjos batalham contra o povo de Deus (Ap. 12:7-10). Não é difícil perceber que o diabo ou Satanás faz parte dos principados e potestades que estão a serviço de Jeová, conforme o Sl. 103:11-12. O diabo é, com toda certeza, uma potestade ou príncipe estabelecido por Jeová para destruir a Igreja. Paulo disse: “Porque estou certo de que, nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem as potestades, podem nos separar do amor de Deus, que está em Cristo Jesus” (Rm. 8:38-39). E Jesus disse: “O príncipe deste mundo se aproxima e nada tem em mim” (Jo. 14:30). Cristo despojou os principados e potestades: “Havendo riscado a cédula que era contra nós nas suas ordenanças, a qual de alguma maneira nos era contrária, e a tirou do meio de nós, cravando-a na cruz. E, despojando os principados e potestades, os expôs publicamente e deles triunfou em si mesmo” (Cl. 2:14-15).

Como os anjos estão a serviço de Jeová, são contra a Igreja, Jeová é contra a Igreja. Alguém se espanta com esta declaração? Pois Jeová foi contra o seu povo Israel como adversário. Aqui vão alguns textos: Is. 63:10; Lm. 2:1-5; 2:17.

Vejamos as potestades e principados terrenos. Eram todos inimigos da Igreja. Nero imperador romano (em 64 d.C), matou milhares de cristãos e entre eles Paulo e Pedro. Domiciano (96 d.C) trucidou outros tantos milhares. Neste reinado João foi exilado para Patmos. Trajano (98 a 117 d.C), continuou a matança, nas suas mãos morreu Simão, irmão do Senhor Jesus, bispo de Jerusalém, e que foi também crucificado em 107 d.C. Inácio, bispo de Antioquia, foi lançado às feras (110d.C). Os romanos exigiam que a pessoa amaldiçoasse a Cristo. Se não o fizesse era esquartejado ou lançado às feras. Foram dezenas de milhares de mártires. Marco Aurélio (161 a 180 d.C), cruel e bárbaro, usava a decapitação como meio mais rápido. Justino, o mártir, morreu sob sua mão. Blandina, uma escrava de porte pequeno, foi supliciada dias e só dizia: “sou cristã”. Sétimo Severo (193 a 211 d.C), os mártires eram diariamente queimados, crucificados ou degolados. Décio (249 a 251 d.C), decidiu exterminar o  cristianismo. Multidões pereceram no seu governo debaixo de cruéis torturas. Valeriano, que sucedeu a Décio no trono, e o superou em crueldade, também tentou extinguir o cristianismo (253 a 260 d.C). Diocleciano, foi o último perseguidor e o mais severo. Foi tão feroz que lhe deram o título de ‘besta apocalíptica’.

Se Deus, o Pai, foi quem estabeleceu os principados e potestades, tanto no céu como na terra e estes principados agem de acordo com a sua vontade, então Deus, o Pai de Jesus é o perseguidor, matador e destruidor dos cristãos. Mas Paulo revela que Deus, o Pai de Jesus quer salvar a todos (I Tm. 2:3-4; 4:10). Pedro confirma essa palavra (II Pd. 3:9). E o apóstolo João afirma que Deus, o Pai, é todo feito de amor (I Jo. 4:7-8).

Já que da mesma fonte não pode jorrar água doce e água amargosa, somos obrigados a crer que Jeová é o adversário cruel da Igreja, e Satanás está a seu serviço, como príncipe reinante em lugar de Jeová. Cremos também que o Pai só pode ser visto em Cristo, não através de Cristo, por isso disse: “Se vós me conhecêsseis a mim também conheceríeis a meu Pai (Jo. 8:19). “Quem me vê a mim, vê o Pai; como dizes: mostra-nos o Pai?” (Jo. 14:9). E João disse: “Deus nunca foi visto por alguém, O Filho unigênito, que está no seio do Pai, esse o fez conhecer” (Jo. 1:18). Por isso Tomé disse: “Senhor meu e Deus meu” (Jo. 20:28). E disse mais: “Este é o verdadeiro Deus e a vida eterna” (I Jo. 5:20) 

 

Autoria: Pastor Olavo Silveira Pereira

6 thoughts on “(161) – PRINCIPADOS E POTESTADES

  1. “Estudos” como este mostra o despregarão dos cristãos, pois falta discernimento para separar autoridade estabelecida de autoridade adquirida.

    Principado, relacionado com governo, foi criado por Deus, ou seja, a autoridade estabelecida, não quem está sobre ela hoje.

    Toda autoridade foi estabelecida por Deus, e quando ele a transfere não a recupera de qualquer jeito.

    1. Entrega Deus a autoridade ao homem.
    2. O homem pelo acordo de obediência ao pecado se subjuga à autoridade de satanás e transfere para ele o governo.
    3. Jesus vem buscar e salvar o que se havia perdido, e pela obediência se assenta acima de todo principado e potestade.
    4. A igreja pela vida de santidade se assenta nos lugares celestiais em Cristo.
    5. No juízo satanás é retirado do principado que roubou e é lançado na terra e pouco tempo lhe resta.
    6. Cristo retorna para estabelecer plenamente seu governo.

    Ou seja Javé entregou a autoridade o homem a entregou e Seu Cristo a recuperou através de um plano brilhante de amor.

    • O homem e o resto da criação não ficou sujeita a vaidade por vontade própria:

      (Hebreus 2:6-9) Mas em certo lugar testificou alguém, dizendo:Que é o homem, para que dele te lembres?Ou o filho do homem, para que o visites?
      Tu o fizeste um pouco menor do que os anjos,De glória e de honra o coroaste,E o constituíste sobre as obras de tuas mãos;
      Todas as coisas lhe sujeitaste debaixo dos pés.Ora, visto que lhe sujeitou todas as coisas, nada deixou que lhe não esteja sujeito. Mas agora ainda não vemos que todas as coisas lhe estejam sujeitas.
      Vemos, porém, coroado de glória e de honra aquele Jesus que fora feito um pouco menor do que os anjos, por causa da paixão da morte, para que, pela graça de Deus, provasse a morte por todos.

      (Romanos 8:20) Porque a criação ficou sujeita à vaidade, não por sua vontade, mas por causa daquele que a sujeitou,

      (Gálatas 4:4-8) Mas, vindo a plenitude dos tempos, Deus enviou seu Filho, nascido de mulher, nascido sob a lei,
      Para remir os que estavam debaixo da lei, a fim de recebermos a adoção de filhos.
      E, porque sois filhos, Deus enviou aos vossos corações o Espírito de seu Filho, que clama: Aba, Pai.
      Assim que já não és mais servo, mas filho; e, se és filho, és também herdeiro de Deus por Cristo.
      Mas, quando não conhecíeis a Deus, servíeis aos que por natureza não são deuses.

      Remir:
      1) Tirar do cativeiro, do poder alheio; resgatar.
      2) Indenizar, compensar, repara, ressarcir
      3) Libertar (Uma propriedade) de um ônus, pagando a importância dela.

      Interessante que Jesus veio nos libertar da lei, o pecado é um problema sério e é o que causa a morte da alma conforme lemos em :
      (Romanos 6:22-23) Mas agora, libertados do pecado, e feitos servos de Deus, tendes o vosso fruto para santificação, e por fim a vida eterna.
      Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna, por Cristo Jesus nosso Senhor.

      Porém o problema vai além do pecado, porque Paulo nos diz na mesma carta aos Romanos que não havendo lei também não há pecado conforme:
      (Romanos 5:13) Porque até à lei estava o pecado no mundo, mas o pecado não é imputado, não havendo lei.
      (Romanos 4:15) Porque a lei opera a ira. Porque onde não há lei também não há transgressão.

      Quando caminhamos mais pelas cartas de Paulo vemos que o pecado é apenas um instrumento da lei:

      (1 Coríntios 15:56-57) Ora, o aguilhão da morte é o pecado, e a força do pecado é a lei.
      Mas graças a Deus que nos dá a vitória por nosso Senhor Jesus Cristo.

      Somos livres da lei apenas pelo corpo de Cristo, e então conseguimos ser livres do pecado:

      (Romanos 7:4-9) Assim, meus irmãos, também vós estais mortos para a lei pelo corpo de Cristo, para que sejais de outro, daquele que ressuscitou dentre os mortos, a fim de que demos fruto para Deus.
      Porque, quando estávamos na carne, as paixões dos pecados, que são pela lei, operavam em nossos membros para darem fruto para a morte.
      Mas agora temos sido libertados da lei, tendo morrido para aquilo em que estávamos retidos; para que sirvamos em novidade de espírito, e não na velhice da letra.
      Que diremos pois? É a lei pecado? De modo nenhum. Mas eu não conheci o pecado senão pela lei; porque eu não conheceria a concupiscência, se a lei não dissesse: Não cobiçarás.
      Mas o pecado, tomando ocasião pelo mandamento, operou em mim toda a concupiscência; porquanto sem a lei estava morto o pecado.
      E eu, nalgum tempo, vivia sem lei, mas, vindo o mandamento, reviveu o pecado, e eu morri.

      Embora Cristo tenha autoridade neste mundo, o reino de Jesus não pertence a este mundo e este mundo continua no maligno:
      (João 18:36) Respondeu Jesus: O meu reino não é deste mundo; se o meu reino fosse deste mundo, pelejariam os meus servos, para que eu não fosse entregue aos judeus; mas agora o meu reino não é daqui.
      (1 João 5:19) Sabemos que somos de Deus, e que todo o mundo está no maligno.
      (1 João 2:15-17) Não ameis o mundo, nem o que no mundo há. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele.
      Porque tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não é do Pai, mas do mundo.
      E o mundo passa, e a sua concupiscência; mas aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre.

      Nem o nosso corpo tem lugar no Reino de Deus por fazer parte deste mundo:

      (1 Coríntios 15:50-52) E agora digo isto, irmãos: que a carne e o sangue não podem herdar o reino de Deus, nem a corrupção herdar a incorrupção.
      Eis aqui vos digo um mistério: Na verdade, nem todos dormiremos, mas todos seremos transformados;
      Num momento, num abrir e fechar de olhos, ante a última trombeta; porque a trombeta soará, e os mortos ressuscitarão incorruptíveis, e nós seremos transformados.

      Portanto:

      (Importante frisar que no lugar de Senhor Deus no original está escrito Jeová Elohim em Gênesis capítulo 2 e 3)
      1. Jeová Elohim formam o homem do pó da terra no Jardim do Éden, depois criam a árvore do bem e do mal e criaram também Satanás ( Serpente ) (Gênesis 3:1).
      2. É colocada a primeira lei para que o homem não desobedeça comendo do fruto da árvore criada pelo mesmo Jeová Elohim que tinham criado tanto a árvore do bem e do mal quanto a Serpente (que é satanás).
      3. O homem era inocente como uma criança ( não tinha noção nem da nudez ) a mulher foi enganada pela serpente que a enganou e induziu a comer do fruto da árvore Criada por Jeová Elohim.
      4. Importante ressaltar que a Serpente foi amaldiçoada assim como o homem e a terra e não tinha o governo do mundo em suas mãos mesmo após o pecado, porém Jeová Elohim amaldiçoaram o homem.
      5. O mundo continua sob o controle de Jeová após o pecado e inclusive Satanás lhe obedece e lhe é submisso (Jó capítulo 1 inteiro)
      (Salmos 24:1-2) Do SENHOR é a terra e a sua plenitude, o mundo e aqueles que nele habitam.
      Porque ele a fundou sobre os mares, e a firmou sobre os rios. ( Importante frisar que no original no lugar de Senhor está Escrito Jeová )
      6. Jesus veio ao mundo enviado pelo Pai na plenitude dos tempos e destruiu o domínio do império da morte que vigorava através da Lei e milagarosamente na sua tentação o mundo e todos os reinos estão na mão de Satanás e Satanás diz que é dele porque foi dado a ele e ele da a quem quer. Está é uma das provas de que Jeová e Satanás estão mancomunados.
      7. Jesus rejeita o trono de Davi e sobe na Cruz acaba com a lei e se torna o Eterno Salvador de todo o mundo e não apenas dos judeus.
      8. Somos salvos através da fé em Cristo Jesus e só através dele que podemos conhecer o Pai verdadeiro:
      (João 1:18) Deus nunca foi visto por alguém. O Filho unigênito, que está no seio do Pai, esse o revelou.
      (João 14:6) Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim.
      (Lucas 10:22) Tudo por meu Pai foi entregue; e ninguém conhece quem é o Filho senão o Pai, nem quem é o Pai senão o Filho, e aquele a quem o Filho o quiser revelar.
      (João 16:25) Disse-vos isto por parábolas; chega, porém, a hora em que não vos falarei mais por parábolas, mas abertamente vos falarei acerca do Pai.
      ( Importante frisar que se Cristo falava por parábolas acerca do Pai, isto quer dizer que o Pai estava oculto e que os próprios discípulos não conheciam o pai porque ainda achavam que Jesus era o messias de Jeová se se sentaria no trono de Davi ).
      (João 14:8-11) Disse-lhe Filipe: Senhor, mostra-nos o Pai, o que nos basta.
      Disse-lhe Jesus: Estou há tanto tempo convosco, e não me tendes conhecido, Filipe? Quem me vê a mim vê o Pai; e como dizes tu: Mostra-nos o Pai?
      Não crês tu que eu estou no Pai, e que o Pai está em mim? As palavras que eu vos digo não as digo de mim mesmo, mas o Pai, que está em mim, é quem faz as obras.
      Crede-me que estou no Pai, e o Pai em mim; crede-me, ao menos, por causa das mesmas obras.

  2. Só uma observação amigos.

    1 – Primeiro o homem e a mulher não foram criados no Jardim.
    Formou o Senhor Deus o homem do pó da Terra. Deus fez um jardim no Éden e o colocou dentro dele.
    “E formou o Senhor Deus o homem do pó da terra, e soprou em suas narinas o fôlego da vida; e o homem foi feito alma vivente. E plantou o Senhor Deus um jardim no Éden, do lado oriental; e pôs ali o homem que tinha formado.”
    Gênesis 2:7-8
    2 – Depois, no Jardim Deus fez a mulher:
    “E disse o Senhor Deus: Não é bom que o homem esteja só; far-lhe-ei uma ajudadora idônea para ele.”
    Gênesis 2:18
    3 – Outra coisa. O mundo ja tinha governo sim. Satanas ja havia caído
    “Como caíste desde o céu, ó Lúcifer, filho da alva! Como foste cortado por terra, tu que debilitavas as nações!” Isaías 14:12
    “E a sua cauda levou após si a terça parte das estrelas do céu, e lançou-as sobre a terra; e o dragão parou diante da mulher que havia de dar à luz, para que, dando ela à luz, lhe tragasse o filho.” Apocalipse 12:4
    4 – o Homem era puro, mas foi feito à imagem e semelhança de Deus, por isso nunca foi inocente. Porque feito a semelhança de Deus, possuía atributo. Se Deus colocou duas árvores, é porque o homem não era um robô, ele tinha direito de escolha,m ou seja era racional, inteligente.
    Mais puro e santo que Lucifer, e nele foi despertado o mal, imagina o homem.
    Lembre-se de que a Bíblia é feita em muitas metáforas.
    O homem caiu porque desobedeceu a Deus, quando abriu mão de sua autoridade. Ele pecou porque porque desobedeceu a Deus em não dizer não para Eva. Ele era autoridade sobre a mulher.
    Quanto à nudez. O sentido é de que quando o homem encontra-se em pecado ele usa qualquer artifice para cobrir este pecado. Ao matar um animal houve sacrificio. Foi Deus quem matou. Com isso aprendemos que somente pelo sacrificio feito pelo próprio Deus somos capazes de limpar nossos pecados. A nudez é sinal de exposição.
    Bom é isso.
    Obrigada pela oportunidade.
    Pra Sandra

    • (701) – LIVRE ARBÍTRIO

      O homem, no paraíso, não tinha livre arbítrio, pois Deus disse: “De toda a árvore do jardim comerás livremente. Mas da árvore da ciência do bem e do mal, dela não comerás; porque no dia em que dela comeres, certamente morrerás” (Gn.2:16-17). Logo, o homem não tinha livre arbítrio. A serpente sugeriu à mulher, a rebelião. O homem, para poder comer da árvore da vida não pode ter livre arbítrio, pois, quem tem livre arbítrio não dá satisfação de seus atos; e nós damos satisfação a Deus. O homem tem realmente livre arbítrio?

      1) Todo o que tem livre arbítrio faz o que quer, mas o homem não faz o que quer, pois diz o apóstolo Paulo: “Porque o que faço não o bem que quero, mas o mal que não quero, isso faço” (Rm.7:15). Logo, o homem não tem livre arbítrio.

      2) O que tem livre arbítrio, queira ou não queira, obra, ou deixa de obrar, mas isto não é próprio do homem, pois diz o apóstolo Paulo: “Assim, pois, isto não depende do que quer, nem do que corre, mas de Deus, que se compadece” (Rm.9:16). Logo, o homem não tem livre arbítrio.

      3) Livre arbítrio é moto próprio, logo o que é movido por outro não é livre. Deus move as vontades: “Como ribeiros de águas assim é o coração do rei na mão de Iahweh; a tudo o que quer o inclina” (Pv.21:1). Deus o dirige para onde quer. E Paulo diz: “Porque Deus é o que opera em vós tanto o querer como o efetuar, segundo a sua boa vontade” (Fp.2:13). Logo, o homem não tem livre arbítrio.

      4) Quem tem livre arbítrio é dono dos seus atos, coisa que não está no homem, pois diz: Jeremias: “Eu sei, ó Iahweh, que não é do homem o seu caminho, nem é do homem que caminha, o dirigir os seus passos” (Jr.10:23). Logo, o homem não tem livre arbítrio.

      5) Não está ao nosso alcance, o próprio modo de ser; pois, o homem é produto do meio, logo não tem livre arbítrio. Exemplo: Em Sodoma todos eram sodomitas. Antes do dilúvio todos eram maus: “E viu Iahweh que a maldade do homem se multiplicara sobre a terra, e que toda a imaginação dos pensamentos de seu coração era só má continuamente. Então arrependeu-se Iahweh de ter feito o homem sobre a terra, e pesou-lhe em seu coração. E disse Iahweh: Destruirei de sobre a face da terra, o homem que criei, desde o homem até ao animal, até ao réptil, e até à ave do céu; porque me arrependo de os haver feito” (Gn.6:5-7). Logo, o homem não tem livre arbítrio. Nos nosso dias a moda dita o comportamento: A moda é mini-saia, todas usam. A moda é biquíni, todas usam. A moda é balada, todos vão. A moda é mulher usar roupa de homem, todas usam. Etc.

      6) Os homens são movidos em seu comportamento, ou pelo Espírito de Deus, ou por espíritos das trevas: “Em que, noutro tempo, andastes segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe das potestades do ar, do espírito que, agora, opera nos filhos da desobediência. Entre os quais todos nós também, antes, andávamos nos desejos da nossa carne e dos pensamentos; e éramos por natureza filhos da ira, como os outros também” (Ef.2:1-3). O homem não quer pecar mas peca, logo, não tem livre arbítrio.

      7) O que foi que o diabo deu aos homens? Uma ilusão. O homem pensa que é livre e não é, por isso o diabo é o pai da mentira: “Vós tendes por pai ao diabo, e quereis satisfazer os desejos de vosso pai; ele foi homicida desde o princípio, e não se firmou na verdade, porque não há verdade nele; Quando ele profere mentira, fala do que lhe é próprio, porque é mentiroso e pai da mentira” (Jo.8:44). A Bíblia diz: “Instrui o menino no caminho em que deve andar, e, até quando envelhecer não se desviará dele” (Pv.22:6). Por que? Porque é produto ou de Deus, ou do mundo. Há pais que dizem: meu filho ou minha filha vão provar para escolher. Isto é satânico. Sabem por que Deus é santo? Porque não tem livre arbítrio. Deus não pode mentir: “Em esperança da vida eterna, a qual Deus, que não pode mentir, prometeu antes dos tempos dos séculos” (Tt.1:2).

      Autoria: Pr. Olavo Silveira Pereira

      Link do estudo: http://www.verdadesbiblicas.com.br/?p=1960

      Atenciosamente,
      Pr. Abner Pereira Dancuart.

  3. pastor olavo, concordo que deus tenha feito tudo o que há, mas daí a dizer que deus ordena ao diabo que ele faça o que faz, ou ainda colocar o senhor-todo poderoso contra a igreja e contra os cristãos, francamente… parece me que há falta de um pouco de entendimento aí… ou muito,não consigo definir ao certo,tem que se tomar muito cuidado com essas interpretaçoes…pois se jesus disse que o principe desse mundo vem ai e nada tem com ele, e se deus esta no filho, como pode deus ser “o que persegue a igreja e os cristãos”? por favor…vamos raciocinar e ter um mínimo de bom senço e discernimento, se é que sois ministro de Deus, e não do outro!!!

    • A Paz do Senhor Jesus irmão Rubson,
      (040) – OS ANJOS DE DEUS
      Os anjos todos obedecem ao comando de Jeová: “Vi Jeová assentado sobre o seu trono, e todo o exército do céu estava junto a ele, à sua mão direita e à sua esquerda” (1 Rs.22:19). O texto é claro. Todos os anjos estavam submetidos a Jeová em obediência. “Bendizei a Jeová, anjos seus, magníficos em poder, que cumpris as suas ordens, obedecendo a voz da sua palavra. Bendizei a Jeová, todos os seus exércitos, vós, ministros seus, que executais o seu beneplácito.” Sl. 103: 20-21. Os anjos são ministros de Jeová, e compõem os exércitos dos céus, louvando-o nas alturas permanentemente (Sl.148:1-2).

      O diabo tentou Jesus para se atirar do pináculo do templo, para que os anjos de Jeová O guardassem, conforme o Sl.91:11-12 que diz: “Está escrito: Mandará os seus anjos, acerca de ti, que te guardem, e que te sustentem nas mãos, para que nunca tropeces com o teu pé em pedra”. Se Jesus pulasse e a profecia se cumprisse sobre os anjos, Jesus não seria o autor da salvação (Hb.12:2). Por outro lado, Jeová estaria colaborando com o diabo ao socorrer Jesus, pois o diabo queria que Jesus saltasse, e assim se tornaria submisso ao diabo. Seria uma situação cômica. Jeová guardando quem o diabo derrubou. Mas mudemos o assunto.

      Os anjos de Jeová governam este mundo, governando as nações. O anjo de Israel chama-se Miguel. “Naquele tempo se levantará Miguel, o grande príncipe, que se levanta pelos filhos do teu povo, e haverá um tempo de angústia, qual nunca houve, desde que houve nação até aquele tempo; mas naquele tempo livrar-se-á o teu povo, todo aquele que se achar escrito no livro” (Dn.12:1). Estas palavras foram ditas a Daniel por um homem vestido de linho (Dn.10:5-6). Aquele homem, cujo rosto parecia relâmpago, disse mais: “O príncipe do reino da Pérsia se pôs defronte de mim vinte e um dias, e eis que Miguel, um dos primeiros príncipes, veio para ajudar-me, e eu fiquei ali com os reis da Pérsia” (Dn.10:13). Este príncipe do reino da Pérsia era o anjo que governava a Pérsia. Na Grécia havia outro príncipe (Dn.10:20). Estes príncipes, com os das outras nações formam os principados e potestades que governam este mundo tenebroso sob as ordens de Jeová, conforme Sl.103:20-21. E Paulo diz: “Porque não temos que lutar contra a carne e o sangue, mas sim contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século” (Ef.6:12). Quem governa por traz dos anjos é o próprio Jeová, pois disse Jó: “Na verdade, Deus não procede impiamente, nem o Todo-Poderoso perverte o juízo. Quem lhe entregou o governo da Terra?” (Jó 34:12-13). E nos Salmos: “Jeová Altíssimo é tremendo, e rei grande sobre toda a Terra” (Sl.47:2). “Porque o reino é de Jeová; e ele domina entre as nações” (Sl.22:28). “Quem te não temeria a ti, ó rei das nações?” (Jr.10:7).

      Com estes textos podemos afirmar que Jeová tem seu reino neste mundo tenebroso também, mas Jesus não reina com Jeová neste mundo, conforme Jo.18:36. Os anjos reinam com Jeová e Jesus não, logo, Jesus não está com os anjos, e os anjos não estão com Jesus, pois foram submetidos após a ressurreição. “Pela ressurreição de Jesus Cristo; o qual está à destra de Deus, tendo subido aos céus;havendo-se-lhe sujeitado os anjos, as autoridades e as potências” (Ef.1:20-21; 1 Pe.3:21-22).

      Os anjos que governavam com Jeová sobre este mundo não comunicavam mansidão, mas pavor. A mulher de Manoá, pai de Sansão, viu um anjo, e contou que a visão foi terribilíssima (Jz.13:6). Davi viu um anjo com uma espada na mão e ficou aterrorizado (1 Cr.21:30). Os anjos de Jeová não são mensageiros da paz, mas da guerra, pois são todos guerreiros (2 Rs.6:12-17). E o próprio Jeová se auto denomina: ‘Senhor dos Exércitos’ pois Jeová é homem de guerra e não de paz (Ex.15:3). Davi declara que a guerra é de Jeová (1 Sm.17:45-47). Jeová e seus anjos governavam por meio da atrocidade das guerras fratricidas.

      Os anjos de Jeová são, portanto, destruidores das almas. Davi, por incitação de Jeová, mandou enumerar o povo, e Jeová, como castigo, mandou um anjo destruidor que matou setenta mil israelitas por meio de uma peste (2 Sm.24:15-16). Acasias, rei de Israel, caiu de uma janela e se feriu. Então mandou consultar Baal-Zebube, deus de Ecrom, sobre sua cura. Jeová mandou Elias dizer ao rei, que morreria, por castigo de não ter consultado Jeová. O rei mandou um capitão e mais cinqüenta soldados buscar o profeta, dizendo: “Homem de Deus, o rei te diz: Desce. Elias respondeu: Se sou homem de Deus desça fogo do céu e te consuma a ti e aos teus cinquenta. E desceu fogo do céu e os consumiu”. O rei mandou outro capitão e mais cinquenta, e novamente o fogo do céu os consumiu (2 Rs.1:1-12). Também o anjo de Jeová destruiu cento e oitenta mil soldados assírios de uma feita (2 Rs.19:35).

      Os anjos de Jeová, além de destruidores, são também acusadores. “Nem ainda no teu pensamento amaldiçoes ao rei, nem tampouco no mais interior da tua recâmara amaldiçoes ao rico, porque as aves do céu levariam a voz, e o que tem asas daria notícia da palavra” (Ec.10:20).

      Os anjos de Jeová são impiedosos e não perdoam ninguém. “Eis que eu envio um anjo diante de ti para que te guarde neste caminho, e te leve ao lugar que te tenho aparelhado. Guarda-te diante dele, e ouve a sua voz, e não o provoques a ira, porque não perdoará a vossa rebelião, porque o meu nome está nele” (Ex.23:20-21).

      Os anjos de Jeová são mensageiros do mal. A palavra mensageiro no hebraico é anjo. São portanto anjos do mal (Sl.78:49).

      O anjo de Jeová manda o povo amaldiçoar: “Amaldiçoai a Meroz, diz o anjo de Jeová, acremente amaldiçoai os seus moradores; porquanto não vieram em socorro de Jeová com os seus valorosos” (Jz.5:23).

      Os anjos de Jeová se transformam em Satanás. “Então o anjo de Jeová disse: Porque já três vezes espancaste a tua jumenta? Eis que eu saí para ser o teu Satanás, porquanto o teu caminho é perverso” (Nm.22:32).

      É por isso que Jesus disse: Meu reino não é deste mundo. Jesus não reina com anjos destruidores e matadores. Jesus só quer perdoar a todos. Jesus é meigo, é manso, e não terribilíssimo. Jesus não acusa ninguém (Jo.5:45). Jesus é o mensageiro da graça, da paz e da salvação para todos. Jesus não manda amaldiçoar, antes nos resgatou das maldições de Jeová. Jesus não pode reinar com anjos que se transformam em Satanás, e ao contrário, veio para libertar do diabo e das trevas (At.26:18).

      Alguém dirá: Então porque os anjos anunciaram o nascimento de Cristo? (Lc.2:8-14). O verso 11 diz que nasceu o Cristo (Messias). O libertador de Israel. Aquele que ia despedaçar as nações como a um vaso de oleiro, e as ia esmigalhar com vara de ferro (Sl.2:8-9). Mas Jesus não abraçou o método de Jeová e seus anjos. Não aceitou reinar sobre este mundo tenebroso. O seu reino é de amor (Cl.1:12-13). O reino de Cristo é celestial e não terreno (2 Tm.4:18).

      E tem mais: No livro de Hebreus lemos que Deus, o Pai, nunca usou os anjos, mas tomou a descendência de Abraão, que é Cristo (Hb.2:16-17). Ora, se o Pai não tomou os anjos a seu serviço, e Jeová só usou os anjos, não são a mesma pessoa. E os anjos de Jeová não participarão do reino de Cristo (Hb.2:5).

      Jesus rejeitou o reino de Jeová para reinar com a Igreja nas regiões celestiais, como Abraão (Hb.11:8-10).

      Autoria: Pastor Olavo S. Pereira

      Link desse estudo: http://www.verdadesbiblicas.com.br/?p=102

      Atenciosamente,
      Pr. Abner Pereira Dancuart.

Deixe uma resposta