(248) – CULTO AOS ANJOS

248 – CULTO AOS ANJOS

 

Paulo na carta aos Colossenses escreve: “Ninguém vos domine a seu bel-prazer com pretexto de humildade e culto dos anjos, metendo-se em coisas que não viu; estando debalde inchado na sua carnal compreensão” (Cl. 2:18). A pergunta é: Existia culto dos anjos naquele tempo? Vejamos. Existia a lei dos anjos, pois está escrito: “Vós, que recebeste a lei por ordenação dos anjos, e não a guardastes ” (At. 7:53).Quem afirmou isto foi Estevão, mas Paulo declarou o mesmo, dizendo: “Para que é a lei? Foi ordenada por causa das transgressões, até que viesse a posteridade a quem a promessa tinha sido feita, e foi posta pelos anjos na mão de um medianeiro” (Gl. 3:19). Havia também o evangelho dos anjos (Gl. 1:8). E também havia língua dos anjos (I Co. 13:1). Com uma manifestação tão intensa dos anjos em relação aos homens, não é de admirar que houvesse culto dos anjos. Examinemos a participação dos anjos desde o início da história do povo hebreu, ou melhor, de Israel.

Jeová apareceu a Moisés numa sarça, no monte Sinai. O texto diz assim: “E apareceu-lhe o anjo de Jeová em uma chama de fogo do meio de uma sarça” (Ex. 3:2). Moisés olhou firmemente para a sarça em fogo, e o texto diz: “E vendo Jeová que se virava para lá a ver, bradou deus a ele do meio da sarça, e disse: Moisés, Moisés” (Ex. 3:4). A pergunta é a seguinte: Era o anjo de Jeová ou era Jeová que lá estava?  Ou Jeová e o anjo são a mesma pessoa? Vamos ver o que  pensam sobre isto os grandes homens da Bíblia. Quando a lei foi dada no monte Sinai, quem a deu? Disse Jeová a Moisés: “Estejam prontos para o terceiro dia; porquanto no terceiro dia Jeová descerá diante dos olhos de todo o povo sobre o monte Sinai” (Ex. 19:11). “E Moisés levou o povo para fora do arraial ao encontro de deus; e puseram-se ao pé do monte. E todo monte do Sinai fumegava porque Jeová descera sobre ele em fogo; e o seu fumo subia como o fumo de um forno, e todo o monte tremia grandemente. E o sonido da buzina ia crescendo em grande maneira; Moisés falava, e deus respondia em voz alta. E, descendo Jeová sobre o monte de Sinai, sobre o cume do monte, chamou Jeová a Moisés” (Ex. 19:17-20). E logo no capítulo vinte, Jeová proclamou em voz alta os dez mandamentos da lei. No livro de Deuteronômio é repetido o evento. E Moisés afirma que foi Jeová em pessoa que proclamou em viva voz os seus dez mandamentos (Dt. 4:10-14; 5:22-24). Se foi Jeová que desceu ao cume do monte para ditar suas leis, por que Estevão, o primeiro mártir da Igreja, declarou que foi um anjo? Estevão afirma que foi um anjo que apareceu na sarça em fogo (At. 7:35). Depois declara que foi um anjo que proclamou a lei, e não Jeová, ou será que Jeová é um anjo (At. 7:38)? Depois repete que a lei foi dada por ordenação dos anjos (At. 7:53). Como se não bastasse as declarações de Estevão, Paulo, a maior autoridade bíblica, também declarou que foram os anjos (Gl. 3:19). Neste texto Paulo afirma que Moisés foi o mediador entre os anjos e Israel, mas quando Jeová o chamou, o constituiu mediador (Ex. 3:1-16; 4:1-12). Na carta aos hebreus também lemos: “Porque, se a palavra falada pelos anjos permaneceu firme, e toda transgressão e desobediência recebeu a justa retribuição, como escaparemos nós, se não atentarmos para uma tão grande salvação, a qual, começando a ser anunciada pelo Senhor (Jesus), foi-nos depois confirmada pelos que a ouviram” (Hb. 2:2-3). De que salvação está falando? Salvação das garras dos anjos, pois deles trata o texto e o contexto (capítulos um e dois).Que anjos foram esses que subjugaram e submeteram os homens a um estado de corrupção tão deplorável, na linguagem de Paulo (Rm. 8:19-22)? Esses anjos são os anjos caídos, principados e potestades, que lutam contra os salvos tentando derrubá-los (Ef. 6:12). E que anjos caídos são esses? Pedro responde: “Porque, se Deus não perdoou os anjos que pecaram, mas havendo-os lançado no inferno, os entregou às cadeias de escuridão, ficando reservados para o juízo” (II Pd. 2:4). A Epístola universal de Judas também registra o fato. “E os anjos que não guardaram o seu principado, mas deixaram a sua própria habitação, reservou na escuridão, e em prisões eternas, até ao juízo daquele grande dia” (Jd. 6). Que juízo é esse, no qual os anjos serão julgados; e quem vai julgar esses anjos? A Igreja vai julgar os anjos. Paulo declara: “Ousa alguém de vós, tendo algum negócio contra o outro, ir a juízo perante os injustos e não perante os santos? Não sabeis vós que os santos hão de julgar o mundo? Ora, se o mundo deve ser julgado por vós, sois porventura indignos de julgar as coisas mínimas? NÃO SABEIS QUE HAVEMOS DE JULGAR OS ANJOS? Quanto mais as coisas pertencentes a esta vida?” (I Co. 6:1-3).

Só resta uma dificuldade. É que esses anjos caídos foram lançados no inferno (II Pd. 2:4). Mas onde é o inferno? O inferno está debaixo de nossos pés. “Para o entendido, o caminho da vida é para cima, para que ele se desvie do inferno que está em baixo” (Pv. 15:24). Como o inferno é o lugar dos mortos, Israel, para fugir do furor de Jeová, iria cavar até o inferno, mas Jeová afirma que os arrancaria do inferno (Am. 9:3). O profeta Isaías diz: “O inferno desde o profundo se turbou por ti, para te sair ao encontro na tua vinda; despertou por ti os mortos, e todos os príncipes da terra” (Is. 14:9). O profeta Ezequiel diz:“Ao som da tua queda fiz tremer as nações, quando o fiz descer ao inferno com o que descem a cova” (Ez. 31:16). O inferno é aqui na terra, onde estão presos os anjos caídos atormentando e corrompendo os carnais. Este mundo é o inferno, pois só no inferno existem os crimes e as monstruosidades que aqui se cometem. Abuso de poder, exploração dos mais fracos. Escravização do homem pelo homem, guerras, genocídios, taras, prostituição, corrupção de crianças. E Jeová reina sobre este mundo? “Dizei ente as nações: Jeová reina” (Sl. 96:10). “Quem não te temerá a ti, o rei das nações? Pois isto só a ti pertence” (Jr. 10:7). Se Jeová reinava sobre as nações antes de Jesus nascer, reinava sobre o inferno. E se reina hoje, reina sobre o inferno. E se no Novo Testamento lemos que foi anjo, ou anjos, que deram a lei, e no Velho Testamento lemos que foi Jeová, Jeová é anjo. E quem adora a Jeová, adora os anjos, e quem presta culto a Jeová, presta culto aos anjos. E tem mais. Jesus é o Rei dos reis e Senhor dos senhores (I Tm. 6:15). E Jesus só não reinava sobre este mundo (Jo. 18:36). E por que não reinava? Porque este mundo é o inferno, o único lugar onde Jesus não reina. Mas Jeová reinava, logo reinava sobre o inferno(Sl. 47:2-8). E tem mais: Jesus falou que todos estavam mortos antes dele vir ao mundo (Mt. 8:21-22). Estavam mortos os que morriam, e estavam mortos os que os sepultavam, e o lugar onde reina a morte dessa maneira é o inferno. E Jeová reinava sobre os mortos, logo reinava sobre o inferno. E tem mais. O endemoninhado gadareno tinha dois mil demônios (Mc. 5:13). Se um endemoninhado tinha dois mil, o mundo tinha bilhões de demônios. E Jesus disse que o reino de Deus só chega onde saem os demônios(Mt. 12:28). Ora, Jeová reinava sobre um mundo infestado de demônios, e o lugar onde moram os demônios é o inferno, logo Jeová reinava sobre o inferno. O próprio Jeová punha demônios (I Sm. 16:14-15). A salvação de Jesus, a grande salvação, consiste em arrancar os homens do inferno e levá-los ao reino do amor de Deus (Cl. 1:12-13; At. 26:18).

autoria: PASTOR OLAVO SILVEIRA PEREIRA

ABIP – ASSOCIAÇÃO BÍBLICA INTERNACIONAL DE PESQUISA

Deixe uma resposta