(052) – O CAMINHO DE DEUS

Deus , o Pai, só tem um caminho, e Jesus declara ser esse caminho. “Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida. Ninguém vem ao Pai senão por mim” (Jo. 14:6).  Esta declaração de Jesus equivale a dizer que religião não conduz a Deus, isto é, não é caminho. A lei de Moisés não é caminho para Deus (Rm. 3:20; Hb. 7:18-19). A caridade ou boas obras, também não são caminho para o Pai (Ef. 2:8-10). Nossas justiças nada valem (Tt. 3:4-7). SÓ JESUS CRISTO LEVA O HOMEM A DEUS, POR ISSO ELE É O CAMINHO. Não há outros caminhos.

O que pode deixar o leitor da Bíblia um tanto confuso, é que Jeová afirma ter muitos caminhos. “Porque os meus pensamentos não são os vossos pensamentos, nem os vossos caminhos os meus caminhos, diz Jeová” (Is. 55:8). “E virão muitos povos, e dirão: Vinde e subamos ao monte de Jeová, à casa do Deus de Jacó, para que nos ensine o que concerne aos seus caminhos, e andemos nas suas veredas; porque de Sião sairá a lei…” (Is. 2:3). “Todavia me procuram cada dia, tomam prazer em saber os meus caminhos…” (Is. 58:2).

Se Jesus afirmou que só há um caminho, porque Jeová afirmava serem muitos? Moisés disse: “Ele é a Rocha, cuja obra é perfeita, porque todos os seus caminhos juízo são” (Dt. 32:4).

Jó, o injustamente despojado de tudo, e também dos filhos, nos diz no seu lamento: “Sabeis agora que Jeová é o que me transtornou, e com sua rede me cercou. Eis que clamo: VIOLÊNCIA! Mas não sou ouvido; grito: SOCORRO! Mas não há justiça. O meu caminho ele entrincheirou, e não posso passar; e nas minhas veredas pôs trevas. Da minha honra me despojou, e tirou-me a coroa da minha cabeça. Quebrou-me de todos os lados, e eu me vou; e arrancou a minha esperança, e fez inflamar contra mim a sua ira, e me reputou para consigo como a um de seus inimigos. Juntas vieram as suas tropas, e prepararam contra mim o seu caminho…” (Jó 19:6-12).  Se  Jó, a quem Jeová chamou reto e sincero, e temente a Deus, foi pego na rede de Jeová, sofreu violências, andou em trevas, desonrado, todo quebrado, sem esperança, etc., nós todos estamos perdidos e desgraçados. Alguém dirá: Isso foi no Velho Testamento. Agora é o tempo da graça de Jesus. Nós pensamos: Deus mudou? Era insensível e hoje é amor? (Jó 1:1; I Jo. 4:7-8).

Analisemos o caminho percorrido por Jeová na vida de Davi. Este varão, apesar de ter um coração como o de Jeová, cometeu alguns pecados graves. Seduziu a mulher de um dos seus trinta valentes. Armou um plano diabólico para matar o marido, soldado fiel. Por último, enviou uma carta a Joabe, chefe do exército, com o plano para matar Urias. E quem levou a carta? O próprio Urias. Que crime hediondo! Consumado o crime, Davi foi para a alcova com a mulher de Urias. Davi merecia morrer, como Jeová fazia com outros pecadores (1 Sm. 13:14; 2 Sm. 11:1-17).

O caminho usado por Jeová não foi castigar Davi, mas torturar Davi, pois revelou a Davi que seria o autor de uma série de desgraças sobre sua família. “A espada não se apartará jamais da tua casa” (2 Sm. 12:10).  Jeová levantou Absalão contra seu pai Davi. Davi fugiu para não matar o filho, que, assentado no trono, praticou incesto público com as mulheres do pai (2 Sm. 16:22). Este ato impúdico, foi o caminho de Jeová para castigar Davi. “Assim diz Jeová: Eis que suscitarei da tua mesma casa o mal sobre ti, e tomarei tuas mulheres perante os teus olhos, e as darei ao teu próximo, o qual se deitará com tuas mulheres perante este sol” (2 Sm. 12:11). Jeová também despertou a cobiça de Amnom, primogênito de Davi, por sua irmã Tamar. Este varão, enlouquecido pelo desejo, violentou a própria irmã, que era também irmã de Absalão. Este, ofendido, matou Amnom e depois despojou do trono o próprio pai. Por fim, Joabe, capitão de Davi, matou Absalão. Davi, como fez Jó, acusou Jeová de o ter rejeitado, pois Salomão, o escolhido de Jeová, foi a causa da destruição do reino. Fez parte, portanto, da vingança de Jeová contra Davi. Vamos transcrever a declaração de Davi: “Mas tu rejeitaste e aborreceste; tu te indignaste contra o teu ungido. Abominaste o concerto do teu servo; profanaste a sua coroa, lançando-a por terra. Derribaste todos os seus muros; arruinaste as suas fortificações. Todos os que passam pelo caminho o despojam; tornou-se o opróbrio dos seus vizinhos. Exaltaste a destra dos seus adversários. Também embotaste o fio da sua espada, e não o sustentaste na peleja, deitaste por terra o seu trono” (Sl. 89:38-44).

Citaremos a seguir alguns caminhos de Jeová:

1.  medo e o temor, que segundo Jeová é o princípio da sabedoria (Pv. 9:10; 14:27). Jeová aterroriza para despertar o temor. Aterrorizou Davi (1 Cr. 21:30). Aterrorizou Arão matando seus dois filhos diante de seus olhos (Lv. 10:1-3). Moisés ficou aterrorizado com a visão tenebrosa do monte Sinai (Hb. 12:20-21).

2.  As trevas eram um dos caminhos prediletos de Jeová. Deus é luz, e nele não há trevas (1 Jo. 1:5). Jeová habitava entre seu povo (Nm. 5:3). Como pôde Jeová habitar no meio do seu povo e permanecerem eles em trevas? (Is. 9:2; Sl. 107:6-10). Se Deus é luz e Jeová é deus, como pôde se ocultar nas trevas? (Sl. 18:11). Jeová pôs trevas no caminho de Jó (Jó 19:8). Fez Jeremias andar em trevas e não na luz (Lm. 3:1-2). Jeová cegou o seu povo para que andasse em trevas (Is. 6:10; Is. 59:9-10).

3.  Jeová tem o seu caminho na tormenta e na tempestade (Na. 1:3). Apareceu a Jó do meio de um redemoinho (Jó 38:1). Jeová desceu no monte Sinai. O Sinai fumegava em fogo. O fumo subia como um forno (Ex. 19:18). Do seu nariz sai fogo, da sua boca sai fogo, carvões saem dele (Sl. 18:8; 50:3; Jr. 25:32-33).

4.  Jeová tem seus caminhos no mal. “Porque Jeová dos Exércitos, que te plantou, pronunciou contra ti o mal” (Jr. 11:17) – “Assim diz Jeová: Eis que estou forjando mal contra vós, e projeto um plano contra vós” (Jr. 18:11). “Porque pus o meu rosto contra esta cidade para o mal e não para bem, diz Jeová” (Jr. 21:10). “Eis que eu velarei sobre eles para mal, e não para bem; e serão consumidos todos os homens de Judá; a espada e a fome, até que se acabem de todo” (Jr. 44:27).

5.  Jeová tem seus caminhos nas maldições  (Dt. 28:15-68).

6.  Jeová tem seus caminhos na falta de amor e caridade. Repreendeu Samuel por ter dó de Saul (1 Sm. 16:1). Proibiu Jeremias de orar pelo seu povo (Jr. 11:14). Em outra ocasião proibiu o profeta de orar para bem (Jr. 14:11-12). Como Jeová aborrecia seu povo, exigia que o pobre Jeremias também os aborrecesse (Sl. 78:58-59). Há muitos outros caminhos de Jeová; todos maléficos. 

O Pai é todo feito de amor (1 Jo. 4:7-8). Exige que amemos como ele amou (Mt. 5:43-48). Todo o Dom perfeito e toda boa dádiva procedem do Pai das luzes, em quem não há mudança nem sombra de variação (Tg. 1:17). O Pai amou tanto os perdidos, os pecadores, os cativos de Satã, que enviou seu unigênito Filho. “Porque Deus enviou seu Filho ao mundo, não para que condenasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele” (Jo. 3:17).   

Este é o caminho infalível de Deus: Jesus. 

Autoria: Pr. Olavo Silveira Pereira

Deixe uma resposta