(225) – PARADOXOS – II

PARADOXOS II

 

A teologia insiste em unir os dois testamentos, isto é, o Velho Testamento de autoria de Jeová, cuja herança é terrena, e o Novo Testamento, cujo autor é Jesus Cristo, e cuja herança não é terrena, mas celestial, isto é,  no céu, pois Jesus disse: “Na casa de meu Pai há muitas moradas; se não fosse assim eu vo-lo teria dito; vou preparar-vos lugar” (Jo. 14:2). Vejamos a declaração do apóstolo Pedro:“Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que, segunda a sua grande misericórdia, nos gerou de novo para uma viva esperança, pela ressurreição de Jesus Cristo, dentre os mortos, para uma herança incorruptível, incontaminável, e que se não pode murchar, guardada nos céus para vós” (I Pd. 1:3-4).Vejamos agora o que o apóstolo Paulo diz: “Porque sabemos que, se a nossa casa terrestre deste tabernáculo se desfizer, temos de Deus um edifício, uma casa não feita por mãos,  eterna, nos céus. E por isso também gememos, desejando ser revestidos da nossa habitação, que é do céu” (II Co. 5:1). E Paulo diz mais: “E o Senhor me livrará de toda a má obra, e guardar-me-á para o seu reino celestial” (II Tm. 4:18). Não dá para misturar as coisas do céu com as da terra, ou as coisas deste mundo. Jesus disse: “Meu reino não é deste mundo”  (Jo. 18:36). E disse mais para os judeus: “Vós sois de baixo, eu sou de cima; vós sois deste mundo, eu não sou deste mundo” (Jo. 8:23). E aos discípulos que o seguiam, Jesus disse: “Dei-lhes a tua palavra, e o mundo os aborreceu, porque não são do mundo; assim como eu não sou do mundo” (Jo. 17:14). As coisas da terra são coisas do mundo físico e material, e as coisas do céu são coisas do mundo invisível e espiritual. São duas dimensões. Para entrar na dimensão celestial o homem tem de sair da carne sensível e corruptível, por isso Paulo diz: “Os que são de Cristo crucificaram a carne com suas paixões e concupiscências” (Gl. 5:24). E diz também: “Já estou crucificado com Cristo, e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim” (Gl. 2:20). É tão penoso sair da carne por causa dos apetites carnais, que Paulo compara a uma crucificação; mas os que conseguem essa façanha mudam de dimensão. Paulo assim se refere a esses gigantes da fé: “Portanto se já ressuscitastes com Cristo, buscai as coisas que são de cima, onde Cristo está assentado a destra de Deus” (Cl. 3:1). Paulo, que saiu da dimensão terrena, foi arrebatado para a dimensão celestial. Ele mesmo nos conta: “Conheço um homem em Cristo que há quatorze anos (se no corpo não sei, se fora do corpo não sei: Deus o sabe) foi arrebatado até o terceiro céu. E sei que o tal homem (se no corpo, se fora do corpo, não sei:  Deus o sabe), foi arrebatado ao paraíso, e ouviu palavras inefáveis, de que ao homem não é lícito falar” (II Co. 12:2-4).

         Ora, o Velho Testamento é deste mundo; a herança de Jeová para Israel é deste mundo, o povo escolhido por Jeová era deste mundo, e o próprio Jeová se declara ser o deus de toda a carne (Jr. 32:27). Misturando os dois testamentos complica. Como as coisas deste mundo são táteis e sensíveis e produzem prazer sensível, e as coisas do céu são futuras e invisíveis, é lógico que, misturando os dois testamentos, o povo de Deus passa a amar este mundo e as coisas desta dimensão temporal, e assim será privado da eterna. Vamos mostrar uma série interminável de paradoxos e contradições entre o Velho e o Novo Testamento, para tentar abrir os olhos de quem os tem.

  1. Se o reino de Jesus Cristo não é deste mundo (Jo. 18:36), por que Jeová é o rei deste mundo?“Porque Jeová Altíssimo é tremendo; e Rei grande sobre toda a terra” (Sl. 47:2). “Jeová reina sobre as nações. Deus se assenta sobre o trono da sua santidade” (Sl. 47:8). Jeremias se dirige a Jeová com as seguintes palavras: “Quem te não temeria a ti, ó Rei das nações?” (Jr. 10:7). Davi também: “Porque o reino é de Jeová, e ele domina entre as nações” (Sl. 22:28).
  2. Se o reino de Deus, o Pai, só chegou através de Jesus Cristo: “Veio Jesus para a Galiléia, pregando o Evangelho do reino de Deus, e dizendo: O tempo está cumprido, e o reino de Deus está próximo” (Mc. 1:14-15), e Lucas diz: “A lei e os profetas duraram até João;  desde então é anunciado o reino de Deus” (Lc. 16:16), este texto deixa claro que o reino de Deus não faz parte do Velho Testamento. Por que Jeová, declarando-se deus, implantou o seu reino antes do reino de Deus? (Ex. 19:6; Is. 43:15).
  3. Se Deus, o Pai de Jesus Cristo, é Deus dos vivos e não dos mortos (Mt. 22:32; Lc. 20:38) e a Bíblia afirma que antes de Jesus todos estavam mortos; “Porque, se pela ofensa de um só (Adão), a morte reinou, por esse, muito mais os que recebem a abundância da graça, e do dom da justiça, reinarão em vida por um só – Jesus Cristo” (Rm. 5:17), e, quando um discípulo lhe disse: “Senhor, permite-me que primeiramente vá sepultar o meu pai, Jesus, porém, disse-lhe: Segue-me, e deixa aos mortos sepultarem os seus mortos” (Mt. 8:21-22), se para Jesus e seu Pai não há diferença entre os mortos vivos e os mortos mortos, por que Jeová estabeleceu o seu reino entre os mortos (Ex. 19:6), e por que se dizia rei de um povo que para Jesus estava morto? (Is. 43:15).
  4. Se Satanás é o rei deste mundo, pois declarou isto a Jesus em Lc. 4:5-8, se o próprio Jesus declarou que Satanás é o rei deste mundo, quando os fariseus o acusaram de expulsar demônios por Belzebu, príncipe dos demônios, dizendo: “Todo o reino dividido contra si mesmo é devastado; e toda cidade ou casa dividida contra si mesma não subsistirá. E, se Satanás expulsa Satanás, está dividido contra si mesmo; como subsistirá o seu reino? (Mt. 12:24-26, o reino de Satanás chama-se império da morte (Heb. 2:14), como é possível, que Jeová, dizendo-se deus, fundou o seu reino junto com o reino de Satanás, sendo que, os homens que compunham o seu reino não eram nascidos de novo, e eram todos defuntos? (Jo. 3:3). Jeová reinou e reina sobre os mortos, com Satã!
  5. Se Satanás é o rei deste mundo, e reina sobre todas as nações como em Lc. 4:5-8; I Jo. 5:19; Mt. 12:24-26, como é possível que Jeová se declare rei das nações? “Dizei entre as nações: Jeová reina” (Sl. 96:10). “Jeová reina, tremam as nações” (Sl. 99:1). “Porque o reino é de Jeová, e ele reina entre as nações” (Sl. 22:28; 47:8).
  6. Se o reino eterno de Deus, o Pai de Jesus, não existia no Velho Testamento, e só começou a ser anunciado no Novo Testamento, depois que cessaram a lei e os profetas, conforme Lc. 16:16, por que Jeová fundou um reino, quando não havia o reino de Deus? Logo o reino de Jeová não era o reino de Deus.

Se o reino de Deus, o Pai, só é implantado onde são expulsos os demônios, pois Jesus diz: “Se eu expulso demônio pelo Espírito de Deus, é conseguintemente chegado a vós o reino de Deus” (Mt. 12:28).Como é possível que Jeová, o rei deste mundo e das nações punha os espíritos malignos nas pessoas? Colocou um espírito maligno no rei Saul, para atormentá-lo (I Sm. 16:14-15). Colocou o espírito da mentira na boca dos seus próprios profetas, porque queria matar Acabe (I Rs. 22:23). Jeová derramou um perverso espírito no povo egípcio, para que errassem na sua obra como bêbados (Is. 19:13-14). O espírito da prostituição que dominava Israel foi colocado por Jeová (Os. 5:3-4).

 

Autoria: PASTOR OLAVO SILVEIRA PEREIRA

Deixe uma resposta