(780) – ONIPRESENÇA 2

Dizem que Deus tem três atributos principais: onisciência, onipresença e onipotência.

1. Onipresença: “Esconder-se-ia alguém em esconderijos, de modo que eu não o veja? — diz Iahweh. Porventura, não encho eu os céus e a terra? —  diz o Iahweh” (Jr.23:34). Então, a onipresença coloca Iahweh junto com tudo o que acontece. Quando Bate-Seba se banhava nua em frente ao palácio de Davi, este mandou buscá-la e se deitou com ela. Esse ato de adultério foi feito na presença de Iahweh, porque ele é onipresente (2 Sm.11:2-4).

2. A prova de que Iahweh reprovou o adultério de Davi é que Iahweh matou o filho recém-nascido de Davi (2 Sm.12:19). Quando Davi se deitou com Bate-Seba, Iahweh, o onipresente, estava do lado da cama. Como Iahweh é o Todo-poderoso ‘El Shaddai’, ele poderia impedir tal ato. Como ele não o fez, conclui-se que ele estava aprovando, e é o autor de toda esta tragédia imoral. A onipresença e a onipotência de Iahweh o condenam.

3. Mas, Iahweh não é onisciente, pois não sabia que Israel ia ser infiel a ele durante os quarenta anos da peregrinação no deserto: “E te lembrarás de todo o caminho, pelo qual Iahweh, teu Deus, te guiou no deserto estes quarenta anos, para te humilhar, para te tentar, para saber o que estava no teu coração, se guardarias os seus mandamentos, ou não” (Dt.8:2).

  • Ao condenar o filho de poucos dias, matando-o, cometeu uma grande injustiça, matando o inocente nenê, mas deixando Davi livre. Iahweh não dá valor à vida.
  • Iahweh é co-autor do assassinato de Urias, marido de Bate-Seba, que foi morto a mando de Davi. Deixando Davi livre, Iahweh quebrou a sua própria lei: “Também o homem que adulterar com a mulher do outro, havendo adulterado com a mulher do seu próximo, certamente morrerá o adúltero e a adúltera” (Lv.20:10). Não matando Davi, Iahweh tornou-se cúmplice da morte da criança e da morte de Urias.
  • Bate-Seba deveria morrer, pois, era adúltera. O marido, que era santo, morreu, e Bate-Seba ficou viva. Então, para que Iahweh deu a lei, se ele mesmo não a cumpre? Quando interessa, ele passa por cima da lei, mas quando não interessa, manda apedrejar.
  • Quando Moisés desceu do monte com as tábuas da lei, o povo tinha se corrompido. Então, Moisés quebrou as tábuas da lei, quebrando assim o concerto de Iahweh. Quando Iahweh não cumpriu a lei, Ele desfez o concerto do Velho Testamento. O próprio Iahweh desfez o pacto. Por isso, Cristo é mediador de um novo concerto: “E, por isso, é o mediador de um novo testamento, para que, intervindo a morte para remissão das transgressões que havia debaixo do primeiro testamento, os chamados recebam a promessa da herança eterna” (Hb.9:15). Quando lemos que Cristo é mediador de um novo testamento, isto implica dizer que Ele não é Mediador do Velho Testamento.

4. A morte de Cristo salva pessoas do V. Testamento, porém, não torna legítimo o V. Testamento, porque está escrito que Ele aboliu o V. Testamento: “E não somos como Moisés, que punha um véu sobre a sua face, para que os filhos de Israel não olhassem firmemente para o fim daquilo que era transitório. Mas os seus sentidos foram endurecidos; porque até hoje, o mesmo véu está por levantar, na lição do Velho Testamento, o qual foi por Cristo abolido. E até hoje, quando é lido Moisés, o véu está posto sobre o coração deles. Mas, quando um deles se converte a Jesus, então, o véu se tirará” (2 Co.3:13-16).

Autoria: Pr. Olavo Silveira Pereira

Deixe uma resposta