(289) – DRAGÃO – I

DRAGÃO 1

     JEOVÁ declarou: “Abrirei a minha boca numa parábola; proporei enigmas da antiguidade” (Sl. 78:2). E Jeová usava pessoas vivas para formar os enigmas, que constituíam o seu particular tesouro. Suas são as seguintes palavras referentes a Israel, seu povo: “Porque a sua vinha é a vinha de Sodoma e dos campos de Gomorra; as suas uvas são uvas de fel, cachos amargosos tem. O seu vinho é ardente veneno de dragões, e peçonha cruel de víboras. Não está isto encerrado comigo? Selado nos meus tesouros? (Dt. 32:32-34). Selado por que o fato só aconteceria no futuro, oitocentos anos mais tarde, no tempo do profeta Isaías, que disse a Israel da parte de Jeová: “Ouvi a palavra de Jeová, vós, príncipes de Sodoma; prestai ouvidos à lei do nosso deus, vós, povo de Gomorra. De que me serve a mim a multidão dos vossos sacrifícios? Diz Jeová. Já estou farto dos holocaustos de carneiros ” (Is. 1:10-11).

A primeira alegoria ou parábola de Jeová foi a de Adão e Eva. Começa assim: “E formou Jeová Elohim o homem do pó da terra, e soprou em seus narizes o fôlego da vida; e o homem foi feito alma vivente” (Gn. 2:7). A primeira coisa a se notar é que este homem Adão foi criado da morte, pois pó, na linguagem alegórica de Jeová é morte. No Salmo Sl. 22:15, lemos: “A minha força se secou como um caco, e a língua se me pega ao paladar, e me puseste no pó da morte”. E quando Adão foi condenado à morte, Jeová ditou a sentença, dizendo: “No suor do teu rosto comerás o teu pão, até que te tornes a terra; porque dela foste tomado; porquanto és pó, e em pó te tornarás” (Gn. 3:19). Ao ser formado do pó, Adão foi criado mortal. O Salmista diz: “Que é o homem mortal para que dele te lembres?” (Sl. 8:4)“Eu, eu sou aquele que te consola; quem pois és tu, para que temas o homem que é mortal?” (Is. 51:12).

Adão, no paraíso do Édem, não era mortal. Enquanto comesse da árvore da vida viveria. No momento que lhe foi vedada a árvore da vida, morreu, porque era mortal. A vida estava na árvore, não em Adão(Gn. 3:22-23).

Vamos narrar a história de Adão e Eva. As palavras hebraicas  usadas para designar deus no capítulo dois de Gênesis é Jeová Elohim. Jeová é o nome convencionado pelos teólogos para traduzir o tetragrama. Dizemos, “convencionado”, porque o tetragrama, isto é, as quatro consoantes que formam o tetragrama não tem tradução. Fica então Jeová, ou Javé. A outra palavra hebraica é Elohim, que se traduz por deuses, pois está no plural. O singular seria El, ou Eloá. Então, ao pé da letra fica JEOVÁ DEUSES, pois eram muitos. Narremos o episódio: “Jeová Elohim plantou um jardim no Éden da banda do oriente, e pôs ali o homem que tinha formado” (Gn. 2:8). Era um jardim de delícias, onde Jeová Elohim fez brotar a árvore da vida no meio do Jardim, e a árvore do bem e do mal (Gn. 2:9). Era o jardim de Jeová; onde às tardes vinha passear. “E saía um rio do Édem para regar o Jardim; e dali se dividia e se tornava em quatro braços. O nome do primeiro é Pison; este é o que rodeia toda a terra de Havila; onde há ouro. E o ouro dessa terra é bom; e ali há obdélio, e a pedra de sardônica. E o nome do segundo rio é Gion; este é o que rodeia toda a terra de Cusi. E o nome do terceiro rio é o tigre; este é o que vai para a banda do oriente da Assíria. E o quarto rio é o Eufrates” (Gn. 2:10-14). Que jardim maravilhoso. Quatro grandes rios cheios de corredeiras, quedas d’água, terra fértil toda florida e perfumada. O perfume das flores e das frutas atrai e encanta os olhos e os sentidos. O jardim era todo cercado. As águas do Pison brilhavam pelas pepitas de ouro, e das pedras preciosas. Todos os animais do jardim eram mansos. Aves de todo tipo enchendo o ar de melodias e cores (Gn. 2:19). Vendo Adão que todos os animais tinham suas companheiras, sentiu falta da sua companheira (Gn. 2:20).

Para tornar completa a felicidade do homem, Jeová Elohim fez cair um profundo sono em Adão; enquanto dormia, tomou uma de suas costelas, e cerrou a carne em seu lugar. E da costela formou uma mulher, e trouxe-a a Adão (Gn. 2:21-22). Adão ficou encantado. A mulher era formosa, com seus cabelos esvoaçando pela brisa. Então Adão, realizado disse: “Esta é agora osso dos meus ossos, e carne da minha carne; esta será chamada varoa, porquanto do varão foi tomada” (Gn. 2:23). Que felicidade. Era o céu na terra. Que mais se podia desejar? O casal era totalmente inocente e puro. Não tinham nenhuma malícia nem conheciam a diferença entre o bem e o mal. Eram como duas crianças que precisavam ser cuidadas.

Como dissemos, Jeová costumava passear pelo jardim de delícias pelas tardes amenas (Gn. 3:8).

Havia, entretanto, naquele Jardim de delícias um senão. Jeová Elohin ao criar os animais, criou também a serpente, um animal peçonhento, no meio dos outros animais, e dentro do jardim. Outra coisa inexplicável é que Jeová Elohin saíram do jardim deixando aquelas duas crianças sozinhas na companhia da serpente. A serpente falava, e era astuciosa. Aproveitando-se da ignorância e da inocência do casal, convenceu Eva a comer da árvore da ciência do bem e do mal, que fora proibida por Jeová Elohin (Jeová deuses). A serpente convenceu Eva afirmando que ela não morreria se comesse. Muito pelo contrário; ela se tornaria igual a Elohin. Eva enganada, comeu, e deu o fruto a seu marido, e ele comeu com ela(Gn. 3:1-6). Depois que comeram o fruto proibido, apareceram Jeová Elohin para condená-los, e a condenação para a mulher foi: “Multiplicarei grandemente a tua dor, e a tua conceição; com dor terás filhos; e o teu desejo será para o teu marido, e ele te dominará” (Gn. 3:16).

Para Adão, Jeová Elohin disse: “Maldita é a terra por causa de ti; com dor comerás dela todos os dias da tua vida. Espinhos e cardos também te produzirá, e comerás a erva do campo. No suor do teu rosto comerás o teu pão, até que te tornes à terra; porque dela foste tomado; porquanto és pó, e em pó te tornarás” (Gn. 3:17-19).

Mas, que é a serpente? “E foi precipitado o dragão, a antiga serpente, chamada o diabo, e Satanás, que enganava todo o mundo” (Ap. 12:9). Satanás, o dragão, ou a serpente, foi criado mau e perverso desde o princípio. Lemos isso em João 8:44 e I João 3:8 e Gênesis 3:1-5.

A pergunta que fazemos é: Se nenhum pai humano larga seu filhinho inocente e ignorante nas mãos de um criminoso perverso, como Jeová Elohin abandonou Adão e Eva nas mãos corruptas e enganadoras do dragão, isto é, de Satanás, isto é, da serpente? Certamente queria a queda de Adão e Eva, pois a serpente, ou melhor, satanás, que é o dragão, era astuto e conhecedor do bem e do mal como Jeová (Gn. 3:22). E Adão e Eva eram totalmente cegos e indefesos, pois não conheciam nem o bem nem o mal. Foram lançados na boca do dragão propositalmente, e foram condenados como culpados o que não parece justo. O pior é que toda a descendência foi condenada também (Rm. 5:12).

 

Autoria: Pastor Olavo Silveira Pereira

One thought on “(289) – DRAGÃO – I

  1. BOA TARDE PASTOR OLAVO.
    GOSTO DE ESTUDAR AS SAGRADAS ESCRITURAS E ESTOU ESTUDANDO GÊNESIS 1-2-3, O INÍCIO DE TUDO E FAÇO POR MINHA PRÓPRIA CONTA.
    A INTERNET ESTÁ SENDO DE GRANDE VALIA E RECURSO. É A PRIMEIRA VEZ QUE USEI SEUS CONHECIMENTOS PARA RESPOSTAS DE ALGUMAS DÚVIDAS E ME AGRADEI.
    DEUS O ABENÇOE
    TANIA

Deixe uma resposta