(151) – A TRINDADE – I

A TRINDADE – I

 

Que é trindade? É a união de três pessoas: O Pai, o Filho e o Espírito Santo, em uma só divindade. As três são distintas, iguais, e, por conseqüência coeternos e cosubistanciais em uma só natureza individual. Cada uma dessas pessoas é Deus, e no entanto só há um Deus. O vocábulo não se encontra nas Escrituras, mas há textos que indicam sua existência. Jesus, ao ressuscitar, deu a seguinte ordem aos seus discípulos: “Portanto ide, ensinai todas as nações, batizando-as em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo” (Mt. 28:19)“Ora, há diversidade de dons, mas o Espírito é o mesmo. E há diversidade de ministérios, mas o Senhor é o mesmo. E há diversidade de operações, mas é o mesmo Deus que opera tudo em todos” (I Co. 12:4-6)“A graça do Senhor Jesus Cristo, e o amor de Deus, e a comunhão do Espírito Santo seja com todos vós” (II Co. 13:3)“Há um só corpo e um só Espírito, como também fostes chamados em uma só esperança da vossa vocação; um só Senhor, uma só fé, um só batismo; um só Deus e Pai de todos, o qual é sobre todos, e por todos e em todos” (Ef. 4:4-6)“E o seu mandamento é este: Que creiamos no nome de seu Filho Jesus Cristo, e nos amemos uns aos outros, segundo o seu mandamento. E aquele que guarda os seus mandamentos nEle está, e Ele nele. E nisto conhecemos que está em nós; pelo Espírito que nos tem dado” (I Jo. 3:23-24).

Biblicamente, a existência da Trindade é uma realidade. Vamos analisar se a Trindade cristã governa este mundo, pois os cristãos crêem que este mundo foi criado pela Trindade, isto é, o Pai, o Filho e o Espírito Santo, e citam Gn. 1:26, que diz: “No princípio criou deus o céu e a Terra”. A palavra hebraica usada é Eloim, e esta palavra está no plural (deuses), logo é a Trindade. Eloim no singular é EL. Jeová, ou Javé, que vem a ser o mesmo nome, declarou que trabalha só. “Vede agora que eu, eu sou, e mais nenhum deus comigo; eu mato e eu faço viver, eu firo e eu saro; e ninguém há que escape da minha mão” (Dt. 32:39). Quem decidiu e também destruiu a humanidade no dilúvio foi Jeová sozinho (Gn. 6:7). Jesus não estava com ele. Também estava só quando apareceu a Abraão como El Shaday — deus todo poderoso (Gn 17:1).

E só, sem a presença de Jesus, fez o pacto da circuncisão (Gn. 17:7-14). Apareceu a Moisés como anjo de Jeová (Ex. 3:2). Mas Jesus não é anjo. Jeová era servido por um anjo guerreiro (Js. 5:14-15). Pois este anjo de Jeová guiou o povo no deserto por quarenta anos, apareceu a Balaão como Satanás:“E a ira de Eloim acendeu-se porque se ia e o anjo de Jeová pôs-se-lhe no caminho por Satanás” (Nm. 22:22).Nas traduções a palavra Satanás, é traduzida por adversário, mas no original hebraico está escrito SATANÁS. No mesmo capítulo (Nm. 22:32), novamente o anjo de Jeová declara-se Satanás, e não Jesus Cristo.

Há outros textos do Velho Testamento que revelam que Jeová governava auxiliado pelos anjos.“Jeová tem estabelecido o seu trono nos céus, e o seu reino domina sobre tudo. Bendizei a Jeová, anjos seus, magníficos, em poder, que cumpris as suas ordens, obedecendo a voz das suas ordens” (Sl. 103:19-20). Existe um texto mais claro sobre a forma de governo de Jeová no Velho Testamento. Jeosafá era rei de Judá e Acabe rei de Israel. E Acabe convidou Jeosafá para guerrearem juntos contra o rei da Síria, para recuperar Ramote Gileade. Acabe era perverso, mas Jeosafá era bom rei, e aceitou o convite de Acabe, com a condição de primeiro consultar a Jeová. Feita a consulta, o profeta Micaías respondeu da parte de Jeová, dizendo: “Ouve, pois a palavra de Jeová: Vi Jeová assentado sobre o seu trono , e todo o exército do céu estava junto a ele, à sua mão direita e à sua esquerda. E disse Jeová: Quem induzirá Acabe, a que suba, e caia em Ramote Gileade? E um dizia desta maneira e outro de outra” (I Rs. 22:19-20). Este texto deixa claro que Jeová consultava os anjos nas decisões, e assim não havia governo da Trindade, isto é, do Pai, do Filho e do Espírito Santo. O pior é que, em resposta a pergunta de Jeová, saiu um espírito e disse: “eu irei e serei um espírito de mentira na boca dos profetas”. Jeová usa a mentira para governar (I Rs. 22:21-23). Ora, o Espírito Santo é a verdade, só fala a verdade (I Jo. 5:6; Jo. 16:13). A palavra de Deus, o Pai, é a verdade, e a verdade de Jeová é  a mentira, logo não são a mesma pessoa. “Santifica-os na verdade; a tua palavra é a verdade” (Jo. 17:17). E fica bem claro que Jesus não estava com Jeová no momento daquela mentira, pois declarou: “Eu sou o caminho, e a verdade e a vida. Ninguém vem ao Pai senão por mim” (Jo. 14:6). Quando Jesus foi preso e levado diante de Pilatos, este lhe perguntou: “És tu o rei dos Judeus?” Jesus respondeu: “O meu reino não é deste mundo” (Jo. 18:33, 36). Em outra ocasião Jesus disse aos fariseus: “Vós sois debaixo, eu sou de cima; vós sois deste mundo, eu não sou deste mundo” (Jo. 8:23). Quem estuda a Bíblia pode concluir com precisão, que no Velho Testamento não havia governo e autoridade do Pai, do Filho e do Espírito Santo, mas sim de Jeová e seus anjos guerreiros.

E depois de ressurreição de Jesus Cristo, começou o governo da Trindade? As guerras continuaram como no Velho Testamento. A corrupção de costumes aumentou, segundo a Bíblia. No livro do Apocalipse, lemos a respeito do fim dos tempos: “E levou-me em espírito ao deserto, e vi uma mulher assentada sobre uma besta de cor de escarlata, que estava cheia de nomes de blasfêmia, e tinha sete cabeças e dez chifres. E a mulher estava vestida de púrpura e de escarlata, e adornada com ouro, e pedras preciosas e pérolas; e tinha na sua mão um cálice de ouro cheio das abominações e da imundícia da sua prostituição; e na sua testa estava escrito o nome: mistério, a grande Babilônia, a mãe das prostituições e abominações da Terra. E vi que a mulher estava embriagada do sangue dos santos, e do sangue das testemunhas de Jesus” (Ap. 17:3-6). A Babilônia é a igreja apóstata e corrompida. Se a igreja apostatou é porque não era governada pela Trindade. Por outro lado a igreja apóstata promoveu perseguição atroz contra os fiéis, e os matou cruelmente, logo não há o governo da Trindade neste mundo. No capítulo 13 do Apocalipse a besta fez guerra aos santos e os venceu, logo o governo deste mundo está nas mãos dos poderes tenebrosos (Ap. 13:1-8). O governo deste mundo está nas mãos da besta, isto é, o diabo. E, se a Trindade está governando, o poder da besta é mais forte, o que é absurdo. Pelo próprio livro de Apocalipse o governo deste mundo só passará para as mãos de Jesus, depois da última trombeta (Ap. 11:15). Só no mundo futuro haverá o governo da Trindade.

 

Autoria: Pastor Olavo Silveira Pereira

Deixe uma resposta