(698) – O DESERTOR 3

Quando o reino de Israel foi formado por Jeová, o povo era governado por juízes. O último juiz foi Samuel: “E Samuel julgou a Israel todos os dias da sua vida” (1 Sm.7:15). Samuel colocou seus filhos em seu lugar, por já estar velho. Os filhos de Samuel eram maus e o povo foi a Samuel pedir um rei. Samuel consultou a Jeová e ele aprovou a escolha de Saul como rei; Samuel ungiu Saul como rei (1 Sm.10:1). Jeová então, disse a Saul: “Eu me recordei do que fez Amaleque a Israel; como se lhe opôs no caminho, quando subia do Egito. Vai, pois, agora, e fere a Amaleque, e destrói totalmente a tudo o que tiver, e não lhe perdoes; porém matarás desde o homem até a mulher, desde os meninos até aos de peito, desde os bois até as ovelhas, e desde os camelos até aos jumentos” (1 Sm.15:2-3). Jeová mostrou as seguintes falhas de caráter:

1) Quando uma pessoa peca contra Jeová, ele guarda ódio por toda eternidade. Amaleque pecou contra Jeová 500 anos antes, quando o povo de Israel subia do Egito pela mão de Moisés: “E disse: Porquanto jurou Jeová: Haverá guerra de Jeová contra Amaleque de geração em geração” (Ex.17:16).

2) Quando uma pessoa odeia e não esquece mais, é porque não conhece o amor, só o ódio.

3) Quem não conhece o amor, toma vingança nos descendentes, mesmo que tenha passado quinhentos anos.

4) O ódio se propaga de pai para filho, de filho para neto, de neto para bisneto, de bisneto para tataraneto, como se a descendência fosse culpada do pecado do ancestral. Pois Jeová é assim.

5) Saul era bom e perdoou o rei dos amalequitas, Agague, mas, para Jeová, perdoar era pecado mortal. Então Jeová disse: “Eu me arrependo de ter colocado Saul como rei” (1 Sm.15:11). Jeová escolheu outro para reinar em lugar de Saul: “Porém, agora, não subsistirá o teu reino; já tem buscado Jeová para si um homem segundo o seu coração, e já lhe tem ordenado Jeová que seja chefe para o seu povo, porquanto não guardaste o que Jeová te ordenou” (1 Sm.13:14).

6) Jeová decretou a morte de Saul e dos seus filhos pela boca de uma feiticeira: “Então disse Saul aos seus criados: Buscai-me uma mulher que tenha o espírito de uma feiticeira, para que vá a ela e a consulte. E os seus criados lhe disseram: Eis que em En-Dor há uma mulher que tem o espírito de adivinhar” (1 Sm.28:7).

7) A feiticeira falou a Saul, como sendo Samuel falando.

8) Os filisteus, pois, pelejaram contra Israel; e os homens de Israel fugiram de diante dos filisteus e caíram atravessados na montanha de Gilboa. E os filisteus apertaram com Saul e seus filhos e os filisteus mataram a Jônatas e a Abinadabe, e a Malquisua, filhos de Saul (1 Sm.31:1-2). E faleceu também Saul (1 Sm.31:6).

9) Saul reinou quarenta anos. Davi reinou em seu lugar mais quarenta anos. Quando fazia vinte e cinco anos que Davi reinava, “houve três fomes sobre o reino de Israel, e Davi consultou a Jeová, e Jeová lhe disse: É por causa de Saul e da sua casa sanguinária; porque matou os gibeonitas” (2 Sm.21:1).

10)     Jeová havia proibido o convívio, sob pena de morte, com aqueles povos estranhos (Dt.7:1-2). Moisés morreu e Josué entrou em seu lugar. Como Israel tinha vitória sobre todos os povos, os gibeonitas acovardados, vestiram-se de mendigos e enganaram a Josué (Js.9:3-10). Israel, então, fez um juramento com os gibeonitas, de convívio pacífico, contrário ao mandamento de Jeová. Quatrocentos e cinqüenta anos depois, Saul foi eleito rei de Israel, por Jeová. Saul, de acordo com os mandamentos de Jeová (Dt.7:1), mandou destruir os gibeonitas, porque queria ser fiel a Jeová. Saul perdoou Agague, rei dos amalequitas, a quem Jeová havia mandado destruir. Por isso Jeová odiou Saul eternamente, e depois de vinte e cinco anos que Saul estava morto Jeová tomou vingança do defunto Saul. Então, Jeová, se fez amigo dos gibeonitas, para matar o restante da família de Saul. Então, Jeová mandou três anos de fome para matar o que sobrou da descendência de Saul. Se Jeová não tivesse saciado a sua sede de vingança, ele continuaria a trazer fome sobre fome sobre os inocentes de Israel. Davi chamou os gibeonitas, que pediram sete filhos de Saul para os enforcar a Jeová. Davi atendeu ao pedido e os sete filhos foram enforcados. E a ira de Jeová se aplacou para com a terra. Os gibeonitas tinham ódio eterno de Saul, e Jeová também. Portanto, o ódio dos gibeonitas era maligno, e o de Jeová também (2 Sm.21:9). Depois disto, se aplacou o ódio dos gibeonitas e o de Jeová também: “Depois disso, Jeová se aplacou para com a terra” (2 Sm.21:14).

 

Autoria: Pastor Olavo Silveira Pereira

Deixe uma resposta