(316) – GLÓRIA DO ESPÍRITO SANTO – I

GLÓRIA  DO  ESPÍRITO  SANTO  1

            A glória de Deus está no Espírito Santo: “Se pelo nome de Cristo sois vituperados, bem-aventurados sois, porque sobre vós repousa o Espírito da glória de Deus” (I Pd. 4:14). É chamado Espírito da glória porque nele residem: A bondade de Deus, a misericórdia, a caridade e o amor de Deus. No Espírito estão a graça e a providência de Deus; estão a ciência e os atributos de Deus; por isso mesmo Deus é Espírito segundo as palavras do apóstolo João, que diz: “Deus é Espírito, e importa que os que o adoram o adorem em espírito e em verdade” (Jo. 4:24).

Jesus Cristo, antes de receber o Espírito Santo, permaneceu incógnito por trinta anos. Ao completar essa idade, veio da Galiléia ao encontro de João, junto do Jordão para ser batizado por ele(Mt. 3:13). “E, sendo Jesus batizado, saiu logo da água, e eis que se lhe abriram os céus, e viu o Espírito de Deus descendo como pomba e vindo sobre ele. E eis que uma voz dos céus dizia: Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo” (Mt. 3:16-17). O apóstolo Pedro explica o que aconteceu nesse momento: “Porquanto ele recebeu de Deus Pai honra e glória, quando da magnífica glória lhe foi dirigida a seguinte voz: Este é o meu Filho amado, em quem me tenho comprazido” (II Pd. 1:17). É óbvio que a glória de Deus revestiu Jesus quando desceu sobre ele o Espírito Santo. A partir desse momento Jesus saiu do anonimato e deu início ao seu glorioso ministério, curas, libertações e prodígios. No livro de Atos dos Apóstolos, lemos: “Esta palavra, vós bem sabeis, veio por toda a Judéia, começando pela Galiléia, depois do batismo que João pregou. Como Deus ungiu a Jesus de Nazaré com o Espírito Santo e com virtude; o qual andou fazendo o bem, e curando a todos os oprimidos do diabo, porque Deus era com ele” (At. 10:37-38). Sendo assim, se alguém declara que tem o Espírito Santo, mas não se vê na sua vida a glória de Deus, esse tal é mentiroso. O fato é que o mundo tem sido escandalizado por muitos, que dizendo-se cristãos, são carnais e mundanos, andando segundo as suas próprias concupiscências; adúlteros, mercenários e sem amor pelas ovelhas de Jesus. Há uma enorme matilha de lobos que conseguem passar por pastores, e devoram as ovelhas. Paulo se refere a esses tais com as seguintes palavras: “Sabe, porém, isto: que nos últimos dias sobrevirão tempos trabalhosos. Porque haverá homens amantes de si mesmos, avarentos, presunçosos, soberbos, blasfemos, desobedientes a pais e mães, ingratos, profanos, sem afeto natural, irreconciliáveis, caluniadores, incontinentes, cruéis, sem amor para com os bons, traidores, obstinados, orgulhosos, mais amigos dos deleites do que amigos de Deus, tendo aparência de piedade, mas negando a eficácia dela. Destes afasta-te. Porque deste número são os que se introduzem pelas casas, e levam cativas mulheres néscias carregadas de pecados, levadas de várias concupiscências. Que aprendem sempre, e nunca podem chegar ao conhecimento da verdade” (II Tm. 3:1-7).

Mas o fato é que Jesus declara que dá aos cristãos a glória que recebeu do Pai: “E eu dei-lhes a glória que a mim me deste, para que sejam um, como nós somos um” (Jo. 17:22). Que tipo de unidade é esta? É unidade na vida reta e pura, na vida de amor e piedade, na vida de humildade e renúncia, na vida de santidade e testemunho permanente.

Pedro, que ensinava que o cristão cheio do Espírito Santo era cheio da glória de Deus, vendo muitos carnais e mundanos na Igreja, assim se refere a eles: “Porque, que glória é essa, se, pecando, sois esbofeteados e sofreis?” (I Pd. 2:20). Um cristão cheio do Espírito Santo, sendo esbofeteado em público, é a maior humilhação que existe.

Jesus declarou que nos deu a glória de Deus porque nos batiza com o Espírito Santo, porque nos enche do Espírito Santo, e assim nos enche da glória de Deus, e essa glória não pode ficar retida e escondida. Paulo diz: “Mas todos nós, com cara descoberta, refletindo como um espelho a glória do Senhor, somos transformados de glória em glória na mesma imagem, como pelo Espírito do Senhor” (II Co. 3:18). E se a glória do Espírito Santo está em nós:

1- Então haverá a unidade do Espírito, porque o Espírito sabe quem é de Deus e quem não é (Ef. 4:3).E assim a maledicência desaparece. Onde não está a glória do Espírito Santo, reina a confusão, a maledicência, a fofoca e as divisões.

2- Havendo unidade haverá paz perfeita, por isso Paulo disse: “Procurando guardar a unidade do Espírito pelo vínculo da paz” (Ef. 4:3). Mas a glória do Espírito Santo é tão grande, que é possível ter paz com todos os homens (Rm. 12:18). E a glória resplandece nos céus quando amamos os inimigos, bendizemos os que nos maldizem, fazemos bem aos que nos odeiam, e oramos pelos que nos maltratam e perseguem (Mt. 5:44).

3- Se a glória do Espírito Santo repousa sobre nós, temos sabedoria e revelação de Deus, pois são iluminados os olhos do nosso entendimento, para que saibamos qual é a esperança da nossa vocação, e quais as riquezas da glória da herança de Deus nos santos (Ef. 1:17-18)Quando Deus revela a sua sabedoria, oculta em mistério, e quando revela as coisas que o olho não viu, e o ouvido não ouviu, e não subiram ao coração do homem, isto é, as profundezas de Deus, podemos ver deslumbrados a glória do Espírito Santo repousando sobre a cabeça desse cristão (I Co. 2:7-10).

4- Repousando sobre nós a glória do Espírito Santo, abundarão os dons: “Mas a manifestação do Espírito é dada a cada um, para o que for útil. A um é dada a palavra da sabedoria; a outro a palavra da ciência; a outro é dada a fé (para remover montanhas); a outro, pelo mesmo Espírito, os dons de curar; a outro a operação de maravilhas; a outro é a profecia; e a outro o dom de discernir espíritos; a outro a variedade de línguas; e a outro a interpretação de línguas. Mas um só e o mesmo Espírito opera todas estas coisas” (I Co. 12:7-11).

5- Quando vemos o amor e comunhão reinando entre os irmãos de uma Igreja, vemos ali a glória de Deus, pois o amor é derramado pelo Espírito Santo (Rm. 5:5).

Conheci um cristão, tão cheio de virtude e caridade, tão prestativo e útil a toda a vizinhança de seu bairro, que, sendo obrigado a mudar de cidade por motivos de trabalho, anunciou aos vizinhos o inevitável. Na véspera da mudança, uma multidão de toda aquela rua reuniu-se em frente à casa daquele servo de Deus. Uns eram católicos, outros ateus, outros ainda espíritas, outros adeptos do candomblé. As mulheres choravam dizendo: Doutor, o senhor vai embora, que vai ser de nós? Aquele cristão a todos atendia. Uns nas necessidades, outros na doença, outros nas aflições, outros em acidentes. Bem disse Jesus: “Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam eles as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai, que está nos céus” (Mt. 5:16).

 

Autoria: Pastor Olavo Silveira Pereira

One thought on “(316) – GLÓRIA DO ESPÍRITO SANTO – I

  1. PREZADO IRMÃO – OLAVO PEREIRA…. Este DEUS – o que JESUS representa Nos ensina o que é o VERDADEIRO CRISTÃO – A VERDADEIRA RELIGIÃO – O VERDADEIRO AMOR… e esta prática de AMOR é bém vista diante DE DEUS, pois devemos fazer e praticar o bém sem ver rosto, classe social, religião e etc… Aqui vejo que o VALOR DO SER está acima de tudo… se pratica o AMOR, pois a LEI É O AMOR DO PENSAMENTO DA FONTE então deveremos viver neste principio. Acredito que os PASTORES – SACERDOTES e MINISTROS estão aqui para ensinar o AMOR…e quando falamos em RELIGIÃO é apenas uma identificação da classe que pertence o homem de DEUS. As Igrejas são locais ou casa de orações, pois a LEI não precisa de IGREJA, e até aqui na INTERNET é como sendo um local da IGREJA que se manifesta. JESUS E NÓS SOMOS MAIS IMPORTANTES QUE IGREJAS E RELIGIÕES e sabemos que todos estão submetidos a LEI.

Deixe uma resposta