(204) – DIFERENÇAS ENTRE JEOVÁ E O PAI

Diferenças entre Jeová e o Pai

 

Uns defendem que Jeová é o Pai de Jesus Cristo, e o fazem com tanta convicção que perseguem, amaldiçoam e condenam ao inferno qualquer que se oponha a esta doutrina. Esses fanáticos afirmam que quem não aceita Jeová como sendo o Pai, não é salvo por Jesus. O que o Novo Testamento ensina claramente é que quem tem o filho tem o Pai. Pelas palavras de Jesus, ninguém conhece o Pai, só se pode ir ao Pai através de Jesus. Mateus, o evangelista, disse: “Todas as coisas me foram entregues por meu Pai; e ninguém conhece o Filho senão o Pai, ninguém conhece o Pai senão o Filho e aquele a quem o filho o quiser revelar” (Mt. 11:27).

Não importa se alguém não crê no Pai, o importante é crer no Filho; e não importa se alguém é inimigo do Pai, pois Cristo o reconcilia com o Pai, por isso Paulo declara: “Por que, se nós, sendo inimigos, fomos reconciliados com Deus pela morte de seu Filho…” (Rm. 5:10). E Paulo repete esta reconciliação em Cl. 1:21.

Outros defendem que Jeová é Jesus Cristo que se revelou no Velho Testamento como Deus criador de todas as coisas, intolerante com o pecado. Se Jeová é Jesus, Deus se disfarçou de manso e humilde no Novo Testamento, e isso é uma forma de mentira. Disfarce é fingimento, dissimulação. É encobrir a verdadeira natureza. Isso é condenável nos homens, e é monstruoso em Deus. O que nós pensamos sobre o assunto, é que Jesus revelou na sua vida a verdadeira natureza de Deus Pai, bondoso, humilde, amoroso e misericordioso, pois só praticava esse tipo de obra, e afirmou: “Quem me vê a mim, vê o Pai” (Jo. 14:7-9).

Vamos focalizar de maneira bíblica e contundente as diferenças entre Jeová e o Pai,  para provar que não são a mesma pessoa.

  1. Jeová foi visto várias vezes por homens. Em Gn. 17:1 lemos que apareceu em forma visível para Abraão, e se declarou ser o Deus Todo Poderoso. E Jeová declara que apareceu para Abraão, Isaque e Jacó (Ex. 6:3). Mais tarde Moisés escreveu que Jeová apareceu para 74 pessoas (Ex. 24:9-11). O próprio Isaías o viu (Is. 6:1). O Pai de Jesus nunca foi visto por ninguém. João declara no seu Evangelho (Jo. 1:18; 4:12). Paulo vai mais longe; afirma que nenhum homem jamais poderá ver o Pai(I Tm. 6:16).
  2. Jeová se manifestou em trevas. Em Dt. 4:11-14, Jeová pronunciou em voz alta os dez mandamentos do meio das trevas. Eles ouviram a voz de Jeová do meio das trevas (Dt. 5:23). E Moisés foi até o meio das trevas onde Jeová estava (Ex. 20:21). O apóstolo João afirma que Deus é luz, e não há nele treva nenhuma (I Jo. 1:5). É obvio que onde há luz, as trevas se dissipam. Sendo assim Jeová não é luz pois falava do meio das trevas, e não havia luz no monte Sinai, logo Jeová e o Pai não são a mesma pessoa.
  3. Jeová tenta e também é tentado. Tentou Abraão em Gn. 22:1. Tentou o seu povo no deserto (Dt. 8:21).O próprio Jeová declara que por dez vezes foi tentado pelos homens (Nm. 14:22). Declara outra vez no Sl. 95:8-9. Jeová foi tentado pelo próprio Satanás e caiu (Jó 1:6-12; 2:1-7). No Novo Testamento lemos que Deus não pode ser tentado pelo mal e a ninguém tenta (Tg. 1:13). Não são a mesma pessoa .
  4. O concerto do Sinai, feito por Jeová com o povo de Israel, quando saíram do Egito, é chamado por Paulo como ministério da morte e condenação (Dt. 9:9-11; II Co. 3:6-9). O concerto de Jesus é o concerto da reconciliação e da vida eterna (Jo. 5:24; II Co. 5:19). E o Pai não condena ninguém, pois quer que todos se salvem (I Tm. 2:3-4; 4:10).
  5. Jeová reina sobre este mundo “Porque Jeová é tremendo e rei grande sobre toda a terra” (Sl. 47:2). “Deus é o rei de toda a terra; cantai louvores com inteligência, Deus reina sobre as nações; Deus se assenta sobre o trono da sua santidade” (Sl. 47:7-8; Jr. 10:7; Sl. 22:28; Sl. 96:10; 99:1; etc.). Quando Jesus chegou a esse mundo mil anos depois, disse: “Se eu expulso demônios pelo Espírito de Deus, é chegado a vós o reino de Deus. Como pode ser? Deus tem dois reinos? Mas Jesus declarou que seu reino não é deste mundo (Jo. 18:36; Mt. 12:28). Como pode Jeová reinar sobre este mundo se o diabo também reinar? (Lc. 4:5-8; Hb. 2:14-15). A verdade  é que Jeová reina sobre as trevas e o Pai na luz futura. Em Ap. 11:15, lemos que o reinos deste mundo só serão de Deus no final deste mundo e ao toque da sétima trombeta. Jeová não é o Pai de Jesus.
  6. Jeová cega o entendimento de seu povo para que não se convertam do mal para o bem e sejam sarados (Is. 6:10). Em contrário a Jeová, Jesus abre os olhos dos cegos para que se convertam e assim sejam sarados (Ef. 1:17-18).
  7. Jeová entrega os justos na mão de Satanás para que sejam oprimidos e assolados, e feridos de enfermidades malignas. Foi o que fez ao sincero e fiel Jó. Lemos isso nos dois primeiros capítulos de Jó. Jesus, em contrário, arranca das mãos de Satanás os que Jeová entregou impiedosamente. Uma mulher ficou 18 anos paralítica e presa por Satanás sob a vista indiferente de Jeová. Jesus a libertou para a glória do Pai (Lc. 13 :16). Em Atos 26:18 lemos que Jesus arranca das trevas e do poder de Satanás para Deus Pai. Jeová é o autor das pestes (Dt. 28:21-22, 27; 28:59-63). Se as pragas, pestes e enfermidades malignas vem todas de Jeová, é esquisito que Jeová leve a culpa. Uma coisa é certa. Jesus livra e cura da mão do diabo e da mão de Jeová.
  8. Jeová coloca o mundo no coração dos homens (Ec. 3:11). No Novo Testamento lemos que todo o mundo está no maligno (I Jo. 5:19). Lemos também que o que há nesse mundo nos afasta de Deus(I Jo. 2:15-17). Lemos que os amigos desse mundo se constituem inimigos de Deus (Tg. 4:4). Se Jeová põe o mundo no coração dos homens, quer afastá-los de Deus. Jeová é inimigo de Deus Pai e amigo do diabo. Felizmente Jesus nos arranca deste mundo (Jo. 8:19; 15:19; 17:16).
  9. No livro da lei de Jeová está escrito que os filhos não morrerão pelos pecados dos pais (Dt. 24:26). Mas Isaías profetizou o juízo de Jeová sobre a Babilônia dizendo: “Preparai a matança dos filhos por causa dos pais” (Is. 14:21). Jeová se contradisse ou sofre de amnésia? Afni e Finéias eram grandes pecadores, e o sacerdote Ely, seu pai, morreu por que eles eram filhos de Belial (I Sm. 2:12; 2:22-25). Sua morte está profetizada e cumprida (I Sm. 3:11-12; 4:18). Não       podemos esquecer que Ely e seus dois filhos eram levitas e predestinados para servir no santuário de Jeová. No Novo Testamento, se o pai é ladrão e os filhos assassinos, se são convertidos à Jesus Cristo, o sacrifício da cruz faz com que todos os pecados sejam perdoados e estão salvos. Lá na lei o mal cometido pelo pai era cobrado no inocente filho. Aqui na graça, todos são feitos inocentes pelo sacrifício de Jesus. Glória a Deus !!!
  10. No Novo Testamento os dons e as bênçãos de Deus são sem arrependimento, ou seja, o que Deus dá não tira mais (Rm. 11:29). Com Jeová a coisa era outra. Jeová se arrepende do bem que cometeu, e forja males no lugar (Jr. 18:10-11). Jeová amaldiçoa as bênçãos prometidas. (Mal. 2:2).Jeová faz um juramento maligno para desfazer outro juramento benigno (Dt. 1:34 e 35).

 

Jeová não é o Pai, pois as diferenças entre ambos é muito grande, e também não é o Filho, pois o Filho e o Pai são idênticos em natureza (Jo. 14:7-11).

Autoria Pastor Olavo S. Pereira

Deixe uma resposta