(592) – OS DOIS MINISTÉRIOS 28

1)   O Velho Testamento era o ministério do terror e o Novo Testamento é o ministério do amor. Jeová deu ordem para Jacó subir a Betel e habitar ali. E Jacó subiu com toda a sua família, e habitou em Betel. E o terror de Deus foi sobre as cidades que estavam ao redor deles, e não seguiram após os filhos de Jacó (Gn.35:1-5). Jeová é o deus do terror. Já imaginaram aquelas cidades sendo aterrorizadas por Jeová a ponto de se afastarem da habitação de Jacó?

Quando o povo de Israel subiu do Egito pela mão de Moisés, havia muitas nações, então Jeová disse: “Neste dia, começarei a pôr um terror e um tremor de ti diante dos povos que estão debaixo de todo o céu; os que ouvirem a tua fama tremerão diante de ti e se angustiarão” (Dt.2:25). Quando Israel passou pelo meio do mar Vermelho, e os exércitos de Faraó sucumbiram sob as águas revoltas, o povo de Israel cantava: “Os povos o ouvirão e estremecerão; apoderar-se-á uma dor dos habitantes da Palestina. Então os príncipes de Edom se pasmarão, dos poderosos dos moabitas apoderar-se-á tremor, derreter-se-ão todos os habitantes de Canaã. Espanto e pavor cairá sobre eles; pela grandeza do teu braço emudecerão como pedra; até que o teu povo haja passado, ó Jeová, até que passe o povo que adquiriste” (Ex.15:14-16). “Ninguém subsistirá diante de vós; Jeová, vosso deus, porá sobre toda a terra que pisardes, o vosso terror e o vosso temor” (Dt.11:25).

2)   Jeová aterrorizou todos os povos, e ficou conhecido como deus do terror. Daí, como ele não conhece o amor de Deus, se virou contra o seu próprio povo: “Portanto, assim diz Jeová dos Exércitos, deus de Israel: Eis que darei a comer alosna a este povo, e lhe darei a beber água de fel, e os espalharei entre nações, que não conheceram, nem eles nem seus pais, e mandarei a espada após eles, até que venha a consumi-los” (Jr.9:15-16). “Assim diz o Jeová: Eis que farei de ti um terror para ti mesmo, e para todos os teus amigos; eles cairão à espada de seus inimigos, e teus olhos o verão; todo o Judá entregarei nas mãos do rei de Babilônia; ele os levará presos a Babilônia, e feri-los-á à espada” (Jr.20:4). “E quanto aos que de vós ficarem meterei tal pavor no seu coração, nas terras dos seus inimigos, que o sonido de uma folha movida os perseguirá; e fugirão como quem foge da espada, e cairão sem ninguém os perseguir” (Lv.26:36).

Vamos ver como Jeová trata os amados: “O meu coração está dorido dentro de mim, e terrores de morte sobre mim caíram. Temor e tremor me sobrevieram; e o horror me cobriu” (Sl.55:4-5). Este é o testemunho de Davi, o amado de Jeová (At.13:22). Jeová não conhece o amor!

Vejamos agora um homem justo de quem Jeová deu o seguinte testemunho: “E disse Jeová a Satanás: Observaste tu a meu servo Jó? Porque ninguém há na terra semelhante a ele, homem sincero e reto, temente a deus, e desviando-se do mal” (Jo.1:8). Vejamos qual o testemunho de Jó a respeito de Jeová: “Porque as flechas do Todo-poderoso estão em mim, e o seu ardente veneno o bebe o meu espírito; os terrores de deus se armam contra mim” (Jo.6:4). Jó declara que Jeová é o rei dos terrores (Jó 16:14).

Vejamos agora o ministério do Novo Testamento:

A imutabilidade é o atributo daquele que é inalterável, que não é suscetível à mudança na mente, na alma, no espírito e vontade. É aquele que não muda o humor e não é sujeito às paixões da alma. É a impassibilidade. Deus não muda, pois é imutável. Diz a escritura: “Deus é AMOR” (I Jo.4:8); e Deus é imutável, logo é sempre amor; o amor é perene, isto é, contínuo, perpétuo, eterno e que não tem fim; é incessante e ininterrupto. São Tiago diz: “Toda boa dádiva, e todo dom perfeito vem do alto, descendo do Pai das luzes, em quem não há mudança nem sombra de variação” (Tg.1:17).

 

Autoria: PASTOR OLAVO SILVEIRA PEREIRA

Deixe uma resposta