(191) – A VERDADE – I

A VERDADE  1

 

Jesus disse: “Conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará” (Jo. 8:32). Os Judeus sabiam de cor a lei, os salmos, e os profetas, e Jesus insinua que não conheciam a verdade? Conhecendo de cor a lei de Jeová, eles tinham certeza de conhecer a verdade, pois o salmista diz: “A tua justiça é uma justiça eterna, e a tua lei é a verdade” (Sl. 119:142). O salmista declara que a lei de Jeová é a verdade, mas o apóstolo João diz: “Porque a lei foi dada por Moisés; a graça e a verdade vieram por Jesus Cristo” (Jo. 1:17). Aqui, João deixa claro que na lei não há verdade, pois se Moisés deu a lei e Cristo deu a verdade, Moisés não deu a verdade quando deu a lei. Analisemos o assunto comparando a lei com a verdade:

  1. A lei de Jeová não opera a justiça de Deus. “E de tudo o que, pela lei de Moisés não pudestes ser justificados, por Jesus é justificado todo aquele que crê” (At. 13:39). “Mas agora se manifestou sem a lei a justiça de Deus, tendo o testemunho da lei e dos profetas” (Rm. 3:21). “Concluímos pois que o homem é justificado pela fé sem as obras da lei” (Rm. 3:28). O apóstolo Paulo arremata o assunto, dizendo:“Porque, se dada fosse uma lei que pudesse vivificar, a justiça, na verdade, teria sido pela lei” (Gl. 3:21).
  2. A lei anula a graça de Deus, isto é, a salvação. Na epístola aos Gálatas, Paulo diz: “Estai pois firmes na liberdade com que Cristo nos libertou, e não torneis a meter-vos debaixo do jugo da servidão: Eis que eu, Paulo, vos digo que, se vos deixardes circuncidar, Cristo de nada vos aproveitará. E de novo protesto a todo o homem, que se deixa circuncidar, que está obrigado a guardar toda a lei. Separados estais de Cristo, vós que vos  justificais, pela lei; da graça tendes caído” (Gl.  5: 1-4). Se a lei anula a graça de Deus quando é guardada, é lógico que foi dada com esse objetivo por Jeová; pois mo Velho Testamento lemos que a lei é a verdade, mas não é (Sl. 119:142; Ml. 2:6). Lemos também que na lei de Jeová está a justiça de Deus (Sl. 119:142; Is. 51:7). Quando Jesus diz: Conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará; refere-se ao engano da lei de Jeová.
  3. A lei aniquila as promessas de Deus, feitas no Novo Testamento. “Porque, se os que são da lei são herdeiros, logo a fé é vã e a promessa é aniquilada” (Rm. 4:14). Que promessa é aniquilada? “E esta é a promessa que ele nos fez: a vida eterna” (I Jo. 2:25). Outra promessa é o Espírito Santo. “E, estando com eles, determinou- lhes que não se ausentassem de Jerusalém, mas que esperassem a promessa do Pai, que (disse ele) de mim ouvistes. Porque, na verdade, João vos batizou com água, mas vós sereis batizados com o Espírito Santo” (At. 1:4-5). Qual a terceira promessa? “E por isso é mediador dum Novo Testamento, para que, intervindo a morte, para remissão das transgressões que havia debaixo do primeiro testamento, os chamados recebam a promessa da herança eterna” (Hb. 9:15). A lei é tão maligna, que anula três promessas feitas por Jesus. A vida eterna, o recebimento do Espírito Santo e a  herança eterna. Concluímos que a verdade, não está na lei.
  4. A lei foi dada por Jeová para ser contra o homem, e não a favor, isto é, a lei não ajuda, só atrapalha. A lei não é a ajuda que os homens precisam, mas é obstáculo. Disse Moisés, da parte de Jeová: “Tomai este livro da lei, e ponde-o ao lado da arca do concerto de Jeová vosso deus, para que ali esteja por testemunho contra ti”. (Deut.31:26). “Assim pois a palavra de Jeová lhes será mandamento sobre mandamento, mandamento sobre mandamento; regra sobre regra, um pouco aqui; um pouco ali; para que vão, e caiam para trás, e se quebrantem, e se enlacem, e sejam presos” (Is. 28:13). “Pelo que também lhes dei estatutos que não eram bons, e juízos pelos quais não haviam de viver” (Ez. 20:25). “Por isso os abati pelos profetas; pela palavra da minha boca os matei” (Os. 6:5). Quando Jesus diz:“Conhecereis a verdade, e vos libertará”, está revelando que a verdade é que o Pai não é contra, mas a favor dos pecadores doentes, pois pecado é enfermidade da alma. Deus é a favor porque é Pai e ama as suas criaturas, e amou de tal maneira  que deu o seu Filho para salvar todo aquele que crê(Jo. 3:16). É por isso que Jesus disse: “Eu sou o caminho, e a verdade e a vida. Ninguém vem ao Pai, senão por mim” (Jo. 14:6).
  5. A lei de Jeová não aperfeiçoa o homem. “Pois a lei nenhuma coisa aperfeiçoou, e desta sorte é introduzida uma melhor esperança, pela qual chegamos a Deus” (Hb. 7:19). Se a lei ao menos conservasse o homem, teria alguma utilidade, mas a lei corrompe. O apóstolo Paulo afirma isso. “Que diremos pois? É a lei pecado? De modo nenhum; mas eu não conheci o pecado senão pela lei; porque eu não conheceria a concupiscência, se a lei não dissesse: Não cobiçarás. Mas o pecado, tomando ocasião pelo mandamento, obrou em mim toda a concupiscência” (Rm. 7:7-8). E Paulo vai mais longe, dizendo:“Quando estávamos na carne, as paixões do pecado, que são pela lei, obravam em nossos membros para darem fruto para a morte” (Rm.  7:5). O mesmo Paulo fecha o assunto. “Ora, o aguilhão da morte é o pecado e a força do pecado é a lei” (I Co. 15:56). O escritor da carta aos hebreus reduz a lei a nada.“Porque o precedente mandamento é obrigado por causa da sua fraqueza e inutilidade” (Hb. 7:18). A lei, em vez de fortalecer o homem contra o pecado, excita irresistivelmente para pecar. É por isso que Paulo disse: “Veio, porém, a lei para que a ofensa abundasse” (Rm. 5:20). Se Jeová conhecesse a verdade de Jesus Cristo, jamais colocaria o seu povo debaixo da lei. Cristo liberta os homens do jugo da lei e lhes dá o Espírito Santo, que é o único poder capaz de santificá-los, por isso Pedro declarou:

                 “Eleitos segundo a preciência de Deus, em santificação do Espírito, para obediência” (I  Pd. 1:2). E Paulo confirma dizendo: “Mas devemos sempre dar graças a Deus por vós, irmãos amados do Senhor, por vos ter Deus elegido desde o princípio para a salvação, EM SANTIFICAÇÃO DO ESPÍRITO, E FÉ DA VERDADE” (II Tes. 2:13). Existe uma fé que não é a da verdade. É a fé em Jeová e no concerto da lei do velho testamento. É por isso que havia trevas no monte Sinai, quando Jeová, com sua própria boca, anunciava os seus dez mandamentos. “E vós chegastes, e vos pusestes ao pé do monte, e o monte ardia em fogo até ao meio dos céus, e havia trevas, e nuvens, e escuridão. Então vos anunciou ele seu concerto, que vos prescreveu, os dez mandamentos” (Dt. 4:11-13). As trevas fazem parte do reino de Satanás (At. 26:18).

Nós, porém, somos filhos da luz, porque Jesus Cristo é a verdadeira luz que veio a este mundo (Jo. 1:9; 12:46).

JESUS É A VERDADE ; JESUS É A ÚNICA VERDADE.

 

 

Autoria: Pastor Olavo Silveira Pereira

Deixe uma resposta