(228) – EU E O PAI SOMOS UM – II

EU E O PAI SOMOS UM – II

 

Jesus declarou em João 10:30: “EU E O PAI SOMOS UM”. Que quer isso dizer? Queria Jesus porventura revelar que Ele, o Pai, e o Espírito Santo são uma só pessoa manifestada em três formas diferentes? Essa doutrina absurda foi inventada por um herege do terceiro século, de nome Sabélio, que não aceitava a doutrina da trindade, isto é, que existem três pessoas: Pai, Filho, e Espírito Santo, conforme ensino do próprio Jesus em Mt. 28:19. Sabélio caiu porque não tinha sustentação bíblica. O Pai não pode ser tentado, (Tg. 1:13), e Jesus foi tentado (Hb. 4:15; Lc. 22:28). Há muitos textos que provam que o Pai e Jesus são duas pessoas distintas (Jo. 11:40-42; At. 7:56; Jo. 20:17; At. 2:36; 5:30-31; 13:27-33). Estes foram alguns textos entre centenas.

Mas que ensinava Jesus, ao dizer: “EU E O PAI SOMOS UM”?  Jesus ensinava que o amor com que nos amou é igual ao amor do Pai (I Jo. 4:8). Jesus ensinava que, Ele e o Pai, desde a eternidade, sempre concordaram e concordam. Ambos querem salvar, e nunca matar. Ambos só querem ajudar e nunca oprimir. Ambos querem absolver e nunca condenar e acusar. O propósito eterno é o mesmo. A bondade e a misericórdia de ambos é eterna e imutável. Diante dessa realidade exposta no Novo Testamento, registramos aqui pontos contraditórios entre Jeová, o deus de Israel no Velho Testamento, e o que Jesus ensinava:

  1. Se só se vai ao Deus Pai através de Jesus Cristo conforme João 14:6, por que Jeová podia ser encontrado sem ser através de Jesus? “Buscar-me-eis, e me achareis, quando me buscardes de todo o vosso coração” (Jr. 29:13;  I Cr. 28:9; II Cr. 15:15; Ed. 8:22; etc).
  2. Se só Jesus conhece o Pai, e só Jesus revela o Deus Pai aos homens, por que Jeová se revelou através de Moisés; e antes de Jesus? “Ninguém conhece o Filho, senão o Pai, e ninguém conhece o Pai, senão o Filho, e aquele a quem o Filho o quiser revelar” (Mt. 11:27; Ex. 3:7-15; Ez. 20:5).
  3. Se aceitarmos Jeová como o Deus e Pai de Jesus, e Jeová deu a lei no Sinai, por que Jesus mudou a lei? Em Ex. 20:1-17 está escrito que Jeová deu os dez mandamentos, e em Hb. 7:12 lemos que a lei foi mudada. E no mesmo capítulo lemos que a lei era fraca e inútil (Hb. 7:18-19). O Filho e o deus do Velho Testamento não eram um, segundo estes textos.
  4. Se só Jesus pode salvar os pecadores (I Tm. 1:15), e essa salvação está vinculada à ressurreição, pois Paulo ensinou que, se Cristo não houvesse ressuscitado, todos os fiéis estariam perdidos para sempre, (I Co. 15:12-18), por que Jeová salvava sem a mediação de Cristo? Disse Jeová: “Eu sou Jeová, e fora de mim não há salvação” (Is. 43:11).
  5. Jesus declarou que a vida eterna estava em conhecer ao único Deus verdadeiro, e também a ele, Jesus, que foi enviado por Deus (Jo. 17:3). Os judeus e os sacerdotes eram fiéis a Jeová e a Torá, e não aceitaram a Jesus; e por isso o mataram na cruz pelas mãos dos soldados romanos. Nos dias de hoje permanecem leais à lei e a Jeová, e não aceitam Jesus. A pergunta é: Eles, conhecendo Jeová, e repudiando Jesus estão salvos? Se estão, como entender At. 4:10-12?
  6. Se o Deus Pai é amor, conforme I Jo. 4:8, por que Jeová era tão vingativo, conforme Na. 1:2, sendo que o amor tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta, conforme I Co. 13:7?
  7. Se Jeová confessa que não conhecia nenhum outro povo, a não ser Israel, conforme Dt. 14:2 e Am. 3:2,  por que chamou a Nabucodonosor, rei da Babilônia, de seu servo e agradável a seus olhos, sendo que Nabucodonosor era cruel, soberbo e tirano? (Jr. 27:1-8; 25:9; 43:10)
  8. Se Jesus, enviado pelo Pai, veio para destruir as obras do diabo, conforme I Jo. 3:8, por que Jeová as apoiava? Porventura, quando Satanás duvidou da fidelidade de Jó, Jeová foi contra? Antes apoiou o propósito maligno de Satã (Jó 1:6-12; 2:1-7). Jesus se colocou contra Satanás em Lc. 22:31-32.
  9. Se Jeová estabeleceu na lei e nos profetas que a vida consistia na observação e obediência à lei(Lv. 18:5; Ez. 20:11, 13 e 21), por que no Novo Testamento está escrito que quem guardar a lei cai da graça e perde a vida? Paulo falou pelo Espírito Santo, dizendo: “De novo protesto a todo o homem, que se deixa circuncidar, que está obrigado a guardar toda a lei. Separados estais de Cristo, vós os que vos justificais pela lei; da graça tendes caído” (Gl. 5:3-4).
  10. Se a justiça do Pai, no Novo Testamento, é Jesus Cristo crucificado por  nós (Rm. 10:4; II Co. 5:21), por que Jeová estabeleceu a lei como base da justiça? “Mas Israel, que buscava a lei da justiça, não chegou à lei da justiçaPor que? Porque não foi pela fé, mas como pelas obras da lei” (Rm. 9:31-32).E Paulo afirma que Israel, que conhecia o padrão de justiça de Jeová, não conheceu a justiça de Deus. Cristo e Jeová não são um (Rm. 10:3; At. 13:39).
  11. Jeová permitia o divórcio por qualquer motivo. “Quando um homem tomar uma mulher, e se casar com ela, então será que, se não achar graça em seus olhos, por nela achar coisa feia (inconveniente), ele lhe fará escrito de repúdio, e lho dará na sua mão, e a despedirá da sua casa” (Dt. 24:1).  Outro caso  está em Dt. 21:10-14. Jesus proibiu o divórcio por qualquer motivo, logo não é um com Jeová (Mt. 19:3-6).
  12. Jeová se declara o deus do ouro e da prata em Ageu 2:8. E por isso mesmo, é o deus que enriquece ou empobrece os homens (I Sm. 2:7; Ec. 5:19). Se é Jeová que dá as riquezas, por que Jesus ordenou aos seus discípulos que não as buscassem? (Mt. 6:19-21).
  13. Jeová enriqueceu a Salomão (I Rs. 3:13). Enriqueceu a Jeosafá (II Cr. 17:5). Enriqueceu Ezequias(II Cr. 32:27). Por que Jesus manda deixar as riquezas? “Qualquer de vós, que não renuncia a tudo quanto tem, não pode ser meu discípulo” (Lc. 14:33). Um moço rico quis, seguir a Jesus e este lhe disse: “Vai, vende tudo quanto tens, dá aos pobres, depois vem, e segue-me” (Mt. 19:16-22). Um outro, muito rico, quis construir celeiros maiores, mas Jesus lhe disse: “Louco, hoje lhe pedirão a alma, e o que tens para quem será?” É claro que quem deu a riqueza, cobrou a alma (Lc. 12:16-21).
  14. O conceito de riqueza de Jeová era inteiramente material, pois era o ouro e a prata que nós usamos neste mundo. E era este o tesouro de Jeová guardado no Templo de Salomão (Js. 6:18-19; I Rs. 7:51; etc). Por que Jesus anula este conceito de riqueza e estabelece outro conceito em Mt. 6:19-21? Jesus e Jeová não são um.
  15. Jeová deu a sua medida para o amor, na Lei, “Amarás, pois a Jeová teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu poder” (Dt. 6:5). “Amarás ao teu próximo como a ti mesmo” (Lv. 19:18). Jesus estabeleceu outro padrão, dizendo: “Um novo mandamento vos dou: que vos ameis uns aos outros como eu vos amei a vós” (Jo. 13:34). O amor com que Jesus ama os homens é tão imenso, divino e glorioso, que coloca o mandamento de amar o próximo como a si mesmo no pó, de tão inferior que é. O padrão de Jeová é carnal e humano, mas o padrão de Jesus é espiritual e divino. Jesus e Jeová têm conceitos diferentes.
  16. Jeová amava mais a si mesmo do que aos homens, e disse que, porque Israel não foi fiel, derramou o seu furor sobre eles no Egito, e fez isso porque se amava (Ez. 20:8-9). Essa é a medida do amor de Jeová. A medida do amor do Senhor Jesus Cristo é outra, pois amando mais aos homens perdidos do que a si mesmo, deu a sua vida na cruz para salvá-los. Qual o amor maior? Uma coisa é certa. Jeová nem pode ser Jesus, e nem pode ser o Deus Pai.

Autoria: PASTOR OLAVO SILVEIRA PEREIRA

Deixe uma resposta