(541) – DOIS MINISTÉRIOS – XIV

DOIS MINISTÉRIOS 14

São dois ministérios: O da morte e o da vida. O ministério da morte é o ministério da lei, dada por Jeová no monte Sinai, e Paulo diz: “E, se o ministério da morte, gravado com letras em pedras…” (II Co. 3:7). As letras gravadas em pedras são os dez mandamentos (Dt. 9:10; Ex. 31:18).

O ministério da vida é o do Novo Testamento, quando Deus, o Pai, estabeleceu a graça (Tt. 2:11), e a graça aboliu a lei e o pecado, por isso Paulo diz: “Porque o pecado não terá domínio sobre vós, pois não estais debaixo da lei, mas debaixo da graça” (Rm.6:14). E Paulo deixa claro que a força do pecado é a lei, quando diz: “O aguilhão da morte é o pecado, e a força do pecado é a lei” (I Co.15:56).

Qual é a obra de Jesus Cristo? É dupla. Em primeiro lugar, morre em nosso lugar apagando a culpa e a condenação, tornando-nos inocentes diante da cruz. Vejamos os textos que comprovam essa afirmativa:

1)    “Porque primeiramente vos entreguei o que também recebi: que Cristo Jesus morreu por nossos pecados, segundo as Escrituras” (I Co.15:3).

2)    “O qual se deu a si mesmo por nossos pecados, para nos livrar do presente século mau, segundo a vontade de Deus nosso Pai” (Gl.1:4).

3)    “Andai em amor, como também Cristo vos amou, e se entregou a si mesmo por nós, em oferta e sacrifício a Deus, em cheiro suave” (Ef. 5:2).

4)    “O qual por nossos pecados foi entregue, e ressuscitou para a nossa justificação” (Rm. 4:25).

5)    “Esta é uma palavra fiel e digna de toda aceitação, que Cristo Jesus veio ao mundo, para salvar os pecadores, dos quais eu sou o principal” (I Tm.1:15).

6)    “O qual se deu a si mesmo por nós, para nos remir de toda a iniquidade, e purificar para si um povo seu especial, zeloso de boas obras” (Tt. 2:14).

7)    “Levando ele mesmo em seu corpo os nossos pecados sobre o madeiro, para que, mortos para os pecados, pudéssemos viver para a justiça; pelas suas pisaduras fostes sarados” (I Pd. 2:24).

A segunda parte da obra de Jesus é tirar da servidão do pecado. Paulo diz: “Não sabeis vós, que a quem vos apresentardes por servos para lhe obedecer, sois servos daquele a quem obedeceis, ou do pecado para morte, ou da obediência para justiça? Mas graças a Deus que tendo sido servos do pecado, obedecestes de coração à forma de doutrina a que fostes entregues, e libertados do pecado, fostes feitos servos da justiça” (Rm. 6:16-18). “Assim também vós considerai-vos mortos para o pecado, mas vivos para Deus em nosso Senhor Jesus Cristo” (Rm. 6:11). Isto quer dizer que quem vive para pecar está morto para Deus. O apóstolo João diz: “E bem sabeis que ele se manifestou para tirar os nossos pecados; e nele não há pecado. Qualquer que permanece nele não peca; qualquer que peca não o viu nem o conheceu” (I Jo. 3:5-6). Sabem quem leva o cristão a pecar? Satanás! Quem ensinou Adão e Eva a pecar? Foi Satanás. E por isso João diz: “Quem comete pecado é do diabo; porque o diabo peca desde o princípio. Para isto o Filho de Deus se manifestou: para desfazer as obras do diabo” (I Jo. 3:8). Quais são as obras do diabo? ‘O MINISTÉRIO DO PECADO’. João diz mais: “Qualquer que é nascido de Deus não comete pecado; porque a sua semente permanece nele; não pode pecar porque é nascido de Deus” (I Jo.3:9 – maiúsculo nosso). E João repete, dizendo: “Sabemos que todo aquele que é nascido de Deus não peca, mas o que de Deus é gerado conserva-se a si mesmo, e o maligno não lhe toca” (I Jo. 5:18 – maiúsculo nosso). Concluímos que, se o que é nascido de Deus pecasse, Deus e o diabo seriam a mesma pessoa, pois o diabo peca desde o princípio (Jo. 8:44; I Jo. 3:8). Em segundo lugar, quem conserva a si mesmo sem pecar, o maligno não lhe toca. Se o nascido de novo pecasse, Deus geraria pecadores para serem tocados pelo maligno. É por isso que o trono do diabo está na Igreja, porque os nascidos de novo dos nossos dias pecam (Ap. 2:12-14).

Autoria: Pastor Olavo Silveira Pereira

Deixe uma resposta