(123) – A CONCUPISCÊNCIA – I

A CONCUPISCÊNCIA – I

 

         Que é concupiscência? No dicionário lemos que concupiscência é GRANDE DESEJO DE BENS OU GOZOS MATERIAIS, APETITE SENSUAL. Vamos ver o que a Bíblia fala sobre a concupiscência.

1.     A concupiscência é um vício próprio da carne e se opõe à obra do Espírito Santo na vida do cristão. O apóstolo Paulo nos exorta dizendo: “Andai em Espírito e não cumprireis a concupiscência da carne, porque a carne cobiça contra o Espírito, e o Espírito contra a carne; e estes opõem-se um ao outro para que não façais o que quereis” (Gl. 5:16-17).

2.     A fonte da corrupção deste mundo é a concupiscência. Ouçamos Pedro: “Jesus nos deu grandíssimas e preciosas promessas, para que por elas fiquemos participantes da natureza divina, havendo escapado da corrupção, que pela concupiscência há no mundo” (II Pd. 1:4).

3.     A concupiscência é coisa vil, e não poderia ser colocada no homem por Deus. “Mortificai pois os vossos membros, que estão sobre a Terra; a prostituição, a impureza, o apetite desordenado, A VIL CONCUPISCÊNCIA, e a avareza, que é idolatria” (Cl. 3:5).

4.     A concupiscência é escarnecedora do próprio Deus. “Nos últimos dias virão escarnecedores, andando segundo as suas próprias concupiscências, e dizendo: Onde está a promessa da sua vinda?” (II Pd. 3:3-4). Os apóstolos predisseram que no último tempo haveria escarnecedores que andariam segundo as suas ímpias concupiscências. “Estes são os que causam divisões, sensuais, que não têm o Espírito” (Jd. 17-19).

5.     A concupiscência é um cativeiro carnal e satânico, e não há no homem condições para se livrar dela. Só Jesus Cristo pode livrar o homem desse poder corruptor. Paulo declarou: “Porque também nós éramos noutro tempo insensatos, desobedientes, extraviados, servindo a várias concupiscências e deleites, vivendo em malícia e inveja, odiosos, odiando-nos uns aos outros” (Tt. 3:3). “Porque deste número são os que se introduzem pelas casas, e levam cativas mulheres néscias carregadas de pecados, levadas de várias concupiscências” (II Tm. 3:6).

6.     A concupiscência faz o pecado reinar sobre nós. “Assim também vós, considerai-vos mortos para o pecado, mas vivos para Deus em Cristo Jesus nosso Senhor. Não reine portanto o pecado em vosso corpo mortal, para lhe obecedecerdes em suas concupiscências, nem tampouco apresenteis os vossos membros ao pecado por instrumentos de iniqüidade” (Rm. 6:11-13).

7.     A concupiscência é assassina da alma, Pedro é quem afirma essa verdade: “Amados, peço-vos como a peregrinos e forasteiros, que vos abstenhais das concupiscências carnais, que combatem contra a alma” (IPd. 2:11). Quando o povo de Israel murmurou contra Jeová pela falta de comida, durante a peregrinação no deserto, o seu deus mandou o maná, e também codornizes. O povo saciou a sua fome, mas diz o texto sagrado que, estando a carne entre os seus dentes, antes que fosse mastigada, se acendeu a ira de Jeová, e os feriu com uma praga mui grande. E o nome daquele lugar se chamou Quibrote-Hataavá, que traduzido é: SEPULCRO DA CONCUPISCÊNCIA (Nm. 11:1-7, 31-35)“Mas cada um é tentado, quando atraído e engodado pela sua própria concupiscência. Depois havendo a concupiscência concebido, dá a luz o pecado; e o pecado, sendo consumado, gera a morte” (Tg. 1:14-15). A concupiscência faz das pessoas sepulcros ambulantes, pois quem a tem está condenado a morte. Se Deus é amor; se Deus é justo; se Deus não quer a morte do homem, não poderia tê-lo criado com a concupiscência assassina. Esta procede de Jeová, que em rebelião alterou a ordem de Deus Pai, e formou o Adão da rebelião, portanto conforme a sua imagem. O último Adão, Jesus Cristo, cria o novo homem, sem concupiscência e à sua imagem santa (Ef. 4:22-24; Cl. 3:9-10).

8.     As coisas imundas da carne estão ligadas a concupiscência. “Os injustos estão reservados para o dia do juízo, para serem castigados; mas principalmente aqueles que segundo a carne andam em concupiscências de imundícia” (II Pd. 2:9-10).

9.     O Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo é contra a concupiscência. “Para que, no tempo que vos resta na carne, não vivais mais segundo as concupiscências dos homens, mas segundo a vontade de Deus, porque já é bastante que no tempo passado da vida fizéssemos a vontade dos gentios, andando em dissoluções, concupiscências, borrachisses, glutonarias, bebedices, e abomináveis idolatrias” (I Pd. 4:2-3). Sendo o Pai contra a concupiscência, não é ele que entrega os maus às imundícias da concupiscência. O deus que entrega é Jeová, o deus deste mundo: “Pelo que, também, deus os entregou às concupiscências de seus corações, à imundícia, para desonrarem seus corpos entre si” (Rm. 1:24). O Pai quer que todos se salvem, logo não entrega o homem ao mal (I Tm. 2:3-4). No Salmo 81 Jeová afirma que entrega o homem à concupiscência (Sl. 81:12).

10.Se Deus, o Pai, é contra a concupiscência, como ela surgiu no homem? A concupiscência é o fruto da carne, e Jó revela que Jeová vestiu o homem de carne: “DE PELE E DE CARNE ME VESTISTE, E DE OSSOS E NERVOS ME ENTRETECESTE” (Jó 10:11). Paulo revela que a carne e o sangue são corrupção, e a corrupção não herda o reino de Deus Pai (I Co. 15:50). E Jeová se declara o deus de toda a carne em Jr. 32:27.

O apóstolo João faz a seguinte recomendação à Igreja: “Não ameis o mundo, nem o que no mundo há. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele. Porque tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não é do Pai, mas do mundo, e o mundo passa, e a sua concupiscência, mas aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre” (I Jo. 2:15-17). Estas três coisas estão presentes na queda de Adão e Eva. O diabo apenas despertou o mal que já estava no homem, pela tentação. “E vendo a mulher que aquela árvore era boa para se comer (CONCUPISCÊNCIA DA CARNE), e agradável aos olhos  (CONCUPISCÊNCIA DOS OLHOS), e árvore desejável para dar entendimento(SOBERBA DA VIDA), tomou do seu fruto, e comeu, e deu também ao seu marido, e ele comeu com ela” (Gn. 3:6). A concupiscência não surgiu por causa da desobediência, mas ela causou a desobediência, pois Adão e Eva foram formados com a concupiscência corruptora e mortal. A lei que Jeová ordenou a Adão(Gn. 2:16-17) despertou a concupiscência. “Que diremos pois? É a lei pecado? De modo nenhum; mas eu não conheci o pecado senão pela lei; porque eu não conheceria a concupiscência se a lei não dissesse: Não cobiçarás. Mas o pecado, tomando ocasião pelo mandamento, obrou em mim toda a concupiscência” (Rm. 7:7-8). Ora, Jeová deu uma lei a Adão, dizendo: “Da árvore da ciência do bem e do mal, dela não comerás” (Gn. 2:17).  Como Adão e Eva já tinham concupiscência, o mandamento despertou a concupiscência, e a serpente só jogou lenha na fogueira. Jeová queria a morte de Adão e Eva, mas o Pai quer que todos vivam, por isso Jesus disse: “E a vida eterna é esta, que te conheçam, a ti só, por único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste” (Jo. 17:3).

O que complica é que Jeová vestiu Adão de carne concupiscente, e Jesus despe essa vestimenta imunda. “Que, quanto ao trato passado, vos despojeis do velho homem, que se corrompe pelas concupiscências do engano; e vos renoveis no espírito do vosso sentido; e vos revistais do novo homem, que segundo Deus é criado em verdadeira justiça e santidade” (Ef. 4:22-24). Jeová formou um homem com concupiscência carnal e corrupta, e o Pai através de Cristo, despe o homem desse mal, para ser novamente criado sem a carne e a concupiscência de imundícia. Jeová criou o homem para pecar, se corromper, e morrer; Jesus compra esse homem, despe a roupagem mortal, e o cria a sua imagem e semelhança (Cl. 3:9-10). Como fazer para sair das mãos de Jeová para as mãos de Cristo?

1º) Temos de crer em Jesus e ser batizados (Mc 16: 15, 16).

2º) Temos de ser batizados com o Espírito Santo, pois é o Espírito que destrói a concupiscência.

3º) O Espírito Santo nos conduz à cruz com Cristo, onde seremos libertados. “E os que são de Cristo crucificaram a carne com as suas paixões e concupiscências” (Gl.5:24).

A diferença entre a criatura de Jeová e a do Pai é que a do Pai é criada sem a concupiscência, para ser igual a Cristo (Ef. 4:13).

 

Autoria Pastor Olavo S. Pereira

Deixe uma resposta