(154) – SALVOS DA IRA

SALVOS DA IRA

 

Jesus Cristo salva o homem da ira de deus ou do diabo? Do diabo não é, pois é sedutor (II Co. 11:14; Lc. 4:5-8). Vemos o exemplo de Adão e Eva (Gn. 3:1-6). Quem castiga com ira é Jeová (Gn. 3:22-24; Sl. 6:1; 38:1-2)“Não vos vingueis a vós mesmos, amados, mas dai lugar a ira, porque está escrito: Minha é a vingança; eu darei a recompensa, diz Jeová” (Rm. 12:19; Dt. 32:35). Ninguém se entrega ao diabo por medo, mas por prazer (II Tm. 2:25-26). Os que se entregam a Jeová, o fazem por medo, por isso está escrito: “O temor de Jeová é o princípio da sabedoria” (Pv. 1:7; 9:10; Sl. 111:10).

O método de Jeová atrair as pessoas é a ameaça. “Jeová é um deus que se ira todos os dias. Se o homem se não converter, Jeová afiará a sua espada; já tem armado o seu arco, e está aparelhado; e já para ele preparou armas mortais, e porá em ação as suas setas inflamadas” (Sl. 7:11-13).

Salvar do diabo é salvar do álcool, do fumo, das drogas, da prostituição, da mentira, da injustiça, da sodomia e do crime. Estas coisas são as obras das trevas (Ef. 5:3-8). Jesus enviou Paulo para: “Abrir os olhos, e das trevas os converter à luz, e do poder de Satanás a Deus” (At. 26:18).

 Jesus livra da ira e da condenação de Jeová os perdidos que o diabo iludiu e seduziu. Os que não aceitam a libertação de Jesus permanecem debaixo da ira de Jeová (Jo. 3:36). Jeová disse: “E com ira e com furor exercerei vingança sobre as nações que não ouvem” (Mq. 5:15). “O que estiver longe morrerá de peste, e o que estiver perto morrerá à espada, e o que ficar de resto e cercado morrerá de fome, e cumprirei o meu furor contra eles” (Ez. 6:12). Jeová guarda a ira, e o furor vai acumulando para uma cruel vingança (Na. 1:2).

A ira de Jeová continua no Novo Testamento: “Aquele que crê no Filho tem a vida eterna; mas aquele que não crê no Filho não verá a vida, mas, a ira de Jeová sobre ele permanece” (Jo. 3:36). “Ninguém de maneira nenhuma vos engane com palavras vãs; porque por estas coisas vem a ira de deus sobre os filhos desobedientes” (Ef. 5:6; Cl. 3:5; I Ts. 2:14-16). A ira de Jeová é eterna, e não dá lugar ao amor. João Batista declarou: “Raça de víboras, quem vos ensinou a fugir da ira futura?” (Mt. 3:7). Os maus entesouram ira para o dia da ira futura (Rm. 2:5). Jesus nos livra da ira futura (I Ts. 1:10). Fica provado que Jesus não livra da ira do diabo, e sim da ira de Jeová.

No Apocalipse lemos sobre a ira: “O tal beberá do vinho da ira de deus, que se deitou, não misturado, no cálice da sua ira; e será atormentado com fogo e enxofre diante dos santos anjos e diante do cordeiro” (Ap. 14:10). Jeová vai pisar com os pés os condenados no lagar da sua ira (Ap. 14:19-20; Is. 63:3-4). No ardor da sua ira, Jeová vai derramar suas pragas, no fim deste mundo (Ap. 15:1; 16:19).

Cristo, na cruz, anulou as maldições da lei, que incluem as pragas da ira, as pestes, etc; mas Jeová vai anular o sacrifício expiatório de Cristo, e voltar com redobrada ira, furor, pestes, pragas, maldições. Se as maldições e pragas de Jeová são mais fortes que a obra de Cristo na cruz, deus não é amor, mas ira e ódio. Como então João afirma que Deus é amor? “Amados, amemo-nos uns aos outros; porque o amor é de Deus. Aquele que não ama não conhece a Deus; porque Deus é amor” (I Jo. 4:7-8). O amor de Deus Pai não alcançou o Velho Testamento. Só havia ira, furor e vingança. Todos estavam mortos e condenados:“Quem crê em Jesus não é condenado; mas quem não crê já está condenado” (Jo. 3:18; Rm. 5:17).

No entanto a ira e o furor de Jeová alcançaram o Novo Testamento. Concluímos que deus não é amor, mas ira. E no fim de tudo, a ira vai triunfar sobre a obra do amor. “E iraram-se as nações, e veio a tua ira, e o tempo dos mortos” (Ap. 11:18; 15:1).

Por que está escrito que Deus é amor? Porque Jesus veio salvar da ira de Jeová. “Logo muito mais agora, sendo justificados pelo seu sangue, seremos por ele salvos da ira” (Rm. 5:9). Concluímos que, se para os salvos por Jesus Cristo, Jeová é amor, e para os não salvos Jeová é ira e furor, deus não tem caridade e tem duas caras. Deus faz acepção. Para os do Velho Testamento reservou ira e vingança. Para os do Novo Testamento, só os salvos gozarão do seu amor; o resto que é quase a totalidade, está debaixo da ira. Deus não é amor; pois só ama a “panela”.

Nós ficamos com João, que declarou que Deus, o Pai, é amor. E porque é amor, amou o mundo, isto é, os pecadores, e enviou o seu Filho para salvá-los (Jo. 3:16-17)“Deus, o Pai, prova o seu amor para conosco, em que Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores” (Rm. 5:8). Deus ama o pecador, e não sente ira por ele, mas compaixão. “Nisto está a caridade, não em que nós tenhamos amado a Deus, mas em que ele nos amou a nós, e enviou seu Filho para propiciação pelos nossos pecados” (I Jo. 4:10).

Jeová é o deus deste mundo, o deus da ira, do furor, da vingança e da destruição e morte (II Co. 4:4).

O Pai não é Deus deste mundo contaminado, podre, tenebroso e cruel, pois o seu reino não é aqui. Paulo sabia disso: “O Senhor Jesus me livrará de toda má obra, e guardar-me-á para o seu reino celestial” (II Tm. 4:18).

Pedro sabia disso: “Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que, segundo a sua grande misericórdia, nos gerou de novo para uma viva esperança, pela ressurreição de Jesus Cristo dentre os mortos, para uma herança incorruptível, incontaminável, e que se não pode murchar, guardada nos céus para vós” (I Pd. 1:3-4). Jesus ensinou isso: “Na casa de meu Pai há muitas moradas; se não fosse assim eu vo-lo teria dito; vou preparar-vos lugar. E, se eu for, e vos preparar lugar, virei outra vez, e vos levarei para mim mesmo, para que onde eu estiver, estejais vós também” (Jo. 14:2-3). E esse reino maravilhoso de Deus, não é reino de ira, mas de amor. “Dando graças ao Pai, que nos fez idôneos para participar da herança dos santos na luz; o qual no tirou da potestade das trevas, e nos transportou para o reino do Filho do seu amor” (Cl. 1:12-13).

Só é cristão e pertence a Cristo, quem crê no Evangelho, e abandonou a ira de Jeová, passando para os braços de Deus Pai, através de Jesus (Jo. 14:6). Quem continua crendo na ira pertence a Jeová e não foi liberto por Jesus, continuando também nas mãos de Satanás.

 

 

Autoria: Pastor Olavo Silveira Pereira

Deixe uma resposta