(179) – O DEUS DE TODOS

O DEUS DE TODOS

 

Deus tem de ser de todos ou não é deus. Se todos pecaram e foram destituídos da glória de Deus, não é justo ser de um grupo de destituídos, condenando outro grupo de destituídos (Rm. 3:23). Deus que faz acepção entre condenados deixa muito a desejar. Vamos, portanto, provar biblicamente, que o verdadeiro Deus e Pai de Nosso Senhor Jesus Cristo, é Deus de todos; maus e bons, justos e injustos, mortos e vivos, pecadores e santos, Judeus e gentios, etc.

  1. Deus ama a todos. “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho Unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. Porque Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que condenasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele” (Jo. 3:16-17).Deus ama o pecador antes de se converter a Cristo. “Mas Deus prova o seu amor para conosco, em que Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores” (Rm.5:8). Ora, Jeová odiava os pecadores, logo não é o Deus de todos. “Jeová prova o justo, mas a sua alma aborrece o ímpio” (Sl. 11:5-6). “Chegará o estrondo até a extremidade da terra, porque Jeová tem contenda com as nações, entrará em juízo com toda a carne; os ímpios entregará a espada, diz Jeová” (Jr. 25:31).
  2. O Pai é Deus de Israel e dos gentios. “E´ porventura Deus somente dos judeus? E não o é também dos gentios? Também dos gentios o é certamente (Rm. 3:29). Jeová era deus exclusivo de Israel. “Filhos sois de Jeová vosso deus; não vos dareis golpes, nem poreis calva entre vossos olhos por causa de algum morto, porque és povo santo a Jeová teu deus, e Jeová te escolheu, de todos os povos que há sobre a face da terra, para lhe seres povo próprio” (Dt. 14:1-2). “E ser-me-eis santos, porque eu, Jeová, sou santo, e separei-vos dos povos para sedes meus” (Lv. 20:26).
  3. O Deus Pai é por todos igualmente. “Um só Deus e Pai de todos, o qual é sobre todos e por todos” (Ef. 4:6). Jeová era só por Israel pois revelou ser inimigo de Faraó e de todo o Egito ferindo-o com dez pragas destruidoras para salvar somente a Israel (Ex. 7 a 14), sendo só por Israel condenou os cananeus à destruição. “Porquanto de Jeová vinha,  que os seus corações endurecessem , para saírem ao encontro de Israel na guerra, para os destruir totalmente, para se não ter piedade deles, mas para os destruir a todos, como Jeová tinha ordenado.” ( Js. 11:20).
  4. A graça de Deus é para todos. “Porque a graça de Deus se é manifestada , trazendo salvação a todos os homens” (Tt. 2:11). Ora, onde há lei não há graça, pois  Paulo diz: “Porque o pecado  não terá domínio sobre vós , pois não estais debaixo da lei, mas debaixo da graça” (Rm. 6:14). Em outras palavras, Paulo está dizendo que o pecado tem domínio sobre os que estão debaixo da lei, e não sobre os que estão debaixo da graça. Ora, Jeová deu a lei, e onde vigora a lei não existe graça. Jeová excluiu a graça ao dar a lei  no monte Sinai, e pela lei condenou o povo que salvou do Egito, por isso que todos os que saíram do Egito morreram no deserto, logo Jeová não é deus de todos .
  5. Jesus é salvador de todos, pois salva os justos e também os pecadores. Como biblicamente não há nenhum justo, consideraremos os homens bondosos, mansos e caridosos como justos. O Centurião Cornélio, da côrte italiana, era piedoso e temente a deus com toda sua casa, e orava, e dava esmolas aos pobres. Jesus mandou Pedro evangelizá-lo (At. 10:1-6). Sobre os pecadores, lemos: “Cristo morreu por nossos pecados segundo as Escrituras” (I Co. 15:3). E Jesus disse: “Porque eu não vim para chamar os justos, mas os pecadores ao arrependimento” (Mt. 9:13). Paulo declarou que Jesus veio ao mundo para salvar os pecadores (I Tm. 1:15). Jeová, ao contrário de Jesus, não salva os pecadores … “Todos os pecadores do meu povo morrerão à espada” (Am. 9:10). “A alma que pecar, essa morrerá.” (Ez. 18:4).
  6. O sacrifício de Cristo é válido para todos os homens deste mundo desde Adão até hoje. “Jesus Cristo é a propiciação pelos nossos pecados, e não somente pelos nossos, mas também pelos de todo mundo” (I Jo. 2:2). Os sacrifícios da lei de Jeová eram só para Israel, pois eram realizados no tempo de Salomão conforme a lei. “Um altar de terra me farás, e sobre ele sacrificarás os teus holocaustos, as tuas ofertas pacíficas, as tuas ovelhas, as tuas vacas; em todo lugar, onde eu fizer celebrar a memória do meu nome, virei a ti, e te abençoarei” (Ex. 20:24). Logo se vê que Jeová não é deus de todos.
  7. O Evangelho da salvação é para todos, por isso o mandato de Jesus foi: “Ide por todo o mundo e pregai o Evangelho a toda criatura. Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado” (Mc. 16:15-16). O plano de Jeová era outro: restaurar Israel e o trono de Davi, e as nações subindo de ano em ano para adorarem o rei: Jeová dos Exércitos em Jerusalém. Se alguma nação não subir para adorar Jeová, não haverá chuva como castigo. E se a família dos egípcios não subir, virá sobre ela a praga de Jeová, e isto para todas as nações (Zc. 14:16-19). Seria a supremacia de Israel sobre os outros povos, pois Jeová é o deus só de Israel e não de todos.
  8. O reino de Deus Pai é no Céu e não na Terra “O Senhor me livrará de toda má obra, e guardar-me-á para o seu Reino celestial” (II Tm. 4:18). Esta foi a palavra de Paulo; agora a de Pedro: “Bendito seja o Deus Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que, segundo a sua grande misericórdia, nos gerou de novo para uma viva esperança, pela ressurreição de Jesus Cristo dentre os mortos, para uma herança incorruptível, incontaminável, e que se não pode murchar, guardada nos céus para vós” (I Pd.1:3-4). A herança de Jeová é na terra e só para os predestinados. “E que direis se deus querendo mostrar a sua ira, e dar a conhecer o seu poder, suportou com muita paciência os vasos da ira, preparados para perdição, para que também desse a conhecer as riquezas da sua glória nos vasos da misericórdia que para a glória já dantes preparou” (Rm. 9:22-23). Por aqui se vê que Jeová não é salvador de todos como o Pai, como lemos em I Tm. 4 :10 .
  9. O sol do Pai nasce para todos os homens, bons e maus, e a sua chuva desce para justos e injustos (Mt. 5:44-45). O sol de Jeová é para os seus predestinados que vão pisar os outros. “Mas para vós, que temeis o meu nome, nascerá o sol da justiça, e salvação trará debaixo das suas asas; e saireis, e crescereis como bezerros do cevadouro, e pisarei os ímpios, porque se farão cinza debaixo de vossos pés” (Ml. 4:2-3). Jeová não é o pai de todos.
  10. O Deus Pai do nosso senhor Jesus Cristo, é Deus de todos porque a sua vontade é  que todo aquele que vê o Filho, e crê nEle, tenha a vida eterna  e seja ressuscitado (Jo. 6:40). Jeová, em contrário, disse a Moisés: “Não poderás ver a minha face, porquanto homem nenhum verá a minha face, e viverá” (Ex. 33:20).

Comparando cuidadosamente o Velho com o Novo Testamento, poderemos achar dezenas de textos que revelam que Jeová é o deus só de Israel, e que o Pai é o Deus de todas as nações, sem fazer diferença entre uma nação e outra como Jeová faz. Leia Ex. 11:7, onde Jeová confessa que faz diferenças entre Israel e o Egito, prejudicando este e favorecendo aquele. E por que? Porque Jeová não é o deus de todos  os homens como é o Pai.

 

Autoria: Pastor Olavo Silveira Pereira

Deixe uma resposta