(567) – CRISTO SEGUNDO A CARNE

A Bíblia fala muito sobre o Cristo segundo a carne. Mas vamos definir quem é o “Cristo segundo a carne”. É o Cristo humano e igual a nós, exceto no espírito. É o filho do homem (Mt.17:22). É o Cristo nascido do ventre de Maria (Lc.1:34-35). O apóstolo João diz que o cristão tem de discernir o Cristo segundo a carne do Cristo segundo o Espírito. Depois de discernir, tem que confessar que Cristo veio em carne. Se não confessar está condenado. O texto diz assim: “Amados, não creiais a todo espírito, mas provai se os espíritos são de Deus; porque já muitos falsos profetas se têm levantado no mundo. Nisto conhecereis o Espírito de Deus: Todo espírito que confessa que Jesus Cristo veio em carne é de Deus; e todo espírito que não confessa que Jesus Cristo veio em carne não é de Deus; mas este é o espírito do anticristo, do qual já ouvistes que há de vir, e eis que já está no mundo” (1 Jo.4:1-3).

  1. O Cristo segundo a carne é o Cristo fraco, por isso Paulo diz: “Ainda que foi crucificado por fraqueza, vive contudo pelo poder de Deus. Porque nós também somos fracos nele, mas vivemos com ele pelo poder de Deus” (2 Co.13:4).
  2. O Cristo segundo a carne era o Cristo sujeito às tentações deste mundo. Ele disse aos seus discípulos: “Vós sois os que tendes permanecido comigo nas minhas tentações” (Lc.22:28). “Porque não temos um sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas; porém um que, como nós, em tudo foi tentado, mas sem pecado” (Hb.4:15).
  3. O Cristo segundo a carne foi o Cristo segundo as paixões da carne: ira, furor, jactância, etc.: “E estava próxima a páscoa dos judeus, e Jesus subiu para Jerusalém, e achou no templo os que vendiam bois, ovelhas e pombas, e os cambiadores assentados. E tendo feito um azorrague de cordéis, lançou a todos fora do templo. Também os bois e as ovelhas, e espalhou o dinheiro dos cambiadores, e derrubou as mesas” (Jo.2:13-15).
  4. O Cristo segundo a carne era o Cristo sujeito a pecar: “Ora, pois, já que Cristo padeceu por nós na carne, armai-vos também com este pensamento; que aquele que padeceu na carne, já cessou do pecado” (1 Pd.4:1). 
  5. O Cristo segundo a carne foi o Cristo que temia a morte pelo pecado: “O qual, nos dias da sua carne, oferecendo, com grande clamor e lágrimas, orações e súplicas ao que o podia livrar da morte, foi ouvido quanto o que temia” (Hb.5:7). Davi profetizou que Jesus Cristo só sentaria no seu trono segundo a carne, isto é, sem morte e ressurreição: “Varões irmãos, seja-me lícito dizer-vos livremente acerca do patriarca Davi, que ele morreu e foi sepultado, e entre nós está até hoje a sua sepultura. Sendo pois ele profeta, e sabendo que Deus lhe havia prometido com juramento que do fruto dos seus lombos, segundo a carne, levantaria o Cristo, para o assentar no seu trono” (At.2:29-30). Que podemos entender deste texto? Que Cristo só pertenceu a Israel enquanto viveu em carne. O Cristo crucificado e ressuscitado pertence a toda humanidade.
  6. Paulo disse: “Porque eu mesmo poderia desejar ser separado de Cristo, por amor de meus irmãos, que são meus parentes, segundo a carne, que são israelitas, dos quais é a adoção de filhos, e a glória, e os concertos, e a lei, e o culto, e as promessas; dos quais são os pais, e dos quais é Cristo segundo a carne” (Rm.9:3-5). Neste texto Paulo declara que, por amor aos irmãos, que são israelitas, tinha de separar de Cristo, para poder ajudá-los, e dos israelitas que são os filhos, os concertos, a glória, a lei, o culto e as promessas, e Cristo segundo a carne. Ao separar de Cristo se une aos irmãos e a Cristo segundo a carne. E Paulo diz mais: “Daqui por diante a ninguém mais conhecemos segundo a carne, e, ainda que também tenhamos conhecido a Cristo segundo a carne, contudo agora já não o conhecemos mais desse modo” (2 Co.5:16). Segundo Paulo o Cristo ressuscitado não era mais o Cristo segundo a carne. Paulo se separava do Cristo ressuscitado para se unir ao Cristo segundo a carne. É obvio que para se unir ao Cristo ressuscitado, tem de se separar do Cristo segundo a carne. E Paulo conclui, dizendo: “Assim, meus irmãos, também vós estais mortos para a lei pelo corpo de Cristo, para que sejais doutro, daquele que ressuscitou dentre os mortos, afim de que demos fruto para Deus” (Rm.7:4).

 

Autoria: Pr. Olavo Silveira Pereira

Deixe uma resposta