(188) – LIVRA-NOS DO MAL

LIVRA-NOS DO MAL

 

Jesus nos ensinou a oração do Pai nosso: “Pai nosso, que estás no céu, santificado seja o teu reino, seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu; o pão nosso de cada dia nos dá hoje; e perdoa-nos as nossas dividas;   assim como nós perdoamos aos nossos devedores; e não nos deixes cair em tentação; MAS LIVRA-NOS DO MAL; porque teu é o reino, e  o poder, e a glória, para sempre , amém” (Mt. 6:9-13).

Há um provérbio que diz: “Há males que vem para o bem”. O mal que resulta em bem não é mal. Por exemplo: A pobreza é um mal, mas Jesus disse: “Bem aventurados vós os pobres, porque vosso é o reino de Deus” (Lc. 6:20). E Tiago disse: “Deus escolheu os pobres deste mundo para serem ricos fé, e herdeiros do reino que prometeu aos que o amam” (Tg. 2:5).

Qual o mal que devemos procurar evitar? A tribulação e a angústia? Mas Paulo afirma que as muitas tribulações nos introduzem no reino de Deus (At. 14:22). Os males evitáveis seriam as injúrias e as perseguições? Sobre isto Jesus advertiu, dizendo “Bem-aventurados sereis quando os homens vos aborrecerem, e vos injuriarem, e rejeitarem o vosso nome como mau, por causa do Filho do homem. Folgai nesse dia, e exaltai, porque eis que é grande o vosso galardão no céu, pois assim faziam os vossos pais aos profetas” (Lc. 6:22-23). Há males que só são evitados com a ajuda de Jesus e do Pai. Jesus advertiu dizendo: “Não temais os que matam o corpo e não podem matar a alma; temei antes aquele que pode fazer perecer no inferno a alma e o corpo” (Mt. 10:28). Devemos nos precaver contra o mal que destrói e não no que constrói.

O primeiro mal que destrói  é a corrupção. “Levantai-vos e andai, por que não será aqui o lugar de vosso descanso; por causa da corrupção que destrói; sim, que destrói grandemente” (Miq. 2:10) . Paulo dá uma conotação diferente, quando diz: “E agora digo isso, irmãos; que a carne e o sangue não herdarão o reino de Deus nem a corrupção herda a incorrupção” (I Co. 15:50). Por isso o mesmo Paulo afirma que quem semeia na carne da carne ceifará a corrupção (Gl. 6:8). A boa semeadura, para ser espiritual, só é possível aos que crucificaram a carne para viver somente em espírito (Gl. 5:24-25) .

Destas corrupções podemos escapar pelo conhecimento do Evangelho.  “Graça e paz vos sejam multiplicados, pelo conhecimento de Deus e de Jesus nosso Senhor; visto como no seu divino poder nos deu tudo que diz respeito a vida e piedade, pelo conhecimento daquele que nos chamou  por sua glória e virtude; pelas quais coisas ele nos tem dado grandíssimas e preciosas promessas, para que por elas fiqueis participantes da natureza divina, havendo escapado da corrupção , que pela concupiscência há no mundo” (II Pd. 1:2, 4).A primeira coisa que destrói é a corrupção de costumes. O segundo mal que destrói é o próprio homem. “E iraram-se as nações, e veio a tua ira, e o tempo dos mortos, para que sejam julgados, e o tempo de dares o galardão dos seus servos, os profetas, e aos santos, e aos que temem o teu nome, a pequenos e a grandes e o tempo de destruíres os que destróem a terra” (Ap. 11:18). O homem é o maior predador da terra. Destrói a natureza, destrói os animais, os peixes, as aves, e o próprio homem pelas guerras, pelo crime, pelas drogas, pelo vício, pela cobiça, pela ambição, pelo egoísmo, pelo interesse, etc. . . .

A terceira coisa, ou melhor, o terceiro mal que destrói é o ódio e o espírito vingativo de Jeová – muitos pensam que o mal vem de Satanás, mas estão enganados. Satanás é servo e sócio de Jeová. Em II Samuel 24:1 está escrito que a ira de Jeová incitou Davi para enumerar o povo. Em I Cron. 21:1 lemos que foi Satã quem incitou Davi para isso. Se duas pessoas tem o mesmo propósito, desejam o mesmo fim, são iguais no comando, por tanto são sócios. No caso de Jó, Jeová confessa que foi incitado por Satanás sem que houvesse  motivo (Jó 2:3). Davi, incitado por Jeová, pecou menos do que Jeová incitado por Satanás. Não merece confiança um deus que se deixa envolver pelo diabo para fazer o mal(Jó 1:6-21; 2:1-9). Há outro detalhe: Satanás age só com a aprovação de Jeová, conforme estes textos do livro de Jó citados acima. Jesus confirma que o diabo, ou Satanás, que são a mesma pessoa, necessita de uma autorização superior para fazer o mal. “Simão, Simão, eis que Satanás vos pediu para cirandar como o trigo; mas eu roguei (intercedi) por ti. Os apóstolos abandonaram Jesus (Mt. 26:56). Pedro foi o que caiu mais fundo, depois de Judas, pois negou Jesus vergonhosamente (Mt. 26:69, 75).Por isso Jesus rogou por Pedro, para que não apostatasse da fé .

Ora, Deus, o Pai não pode ser tentado pelo mal, como lemos em Tiago 1:13. Sendo assim, não foi o Pai que deu permissão para o diabo cirandar, fato que se consumou quando todos abandonaram Jesus. Foi Jeová que autorizou o diabo, pois a obra de Cristo só se realizaria na cruz. Até a cruz Jeová tinha todo o poder sobre a criação e sobre os homens (Rm. 8:19-23). Diante dessa grande verdade, quando os cristãos oram dizendo: livra-nos do mal, estão pedindo ao Pai, em nome de Jesus, que os livre do mal que Jeová pretende para destruir os homens. Isaías, o profeta, declara que Jeová é o criador do mal e das trevas (Is. 45:7). Também o profeta Amós revela que todos os males vem de Jeová e não de Satã. “Tocar-se-á a buzina na cidade, e o povo não estremecerá? Sucederá qualquer mal a cidade que Jeová não tenha feito? (Am. 3:6). É OBIVIO QUE NA CIDADE DE São Paulo há muitos males. Assassinatos, latrocínios, roubos, assaltos, estupros, maldições, mentiras, chacinas, exploração em todos os níveis; e Jeová declara que todos vem de sua mão poderosa. E tem mais. Jeová planeja males, confessando que não pretende bem algum através destes males. “Por que pus o meu rosto contra esta cidade para mal, e não para bem, diz Jeová” (Jr. 21:10). “Eis que velarei sobre eles para mal, e não para bem, e serão consumidos todos os homens de Judá” (Jr. 44:27). “Portanto, assim diz Jeová: Eis que projeto um mal contra esta geração, do qual não tirareis os vossos pescoços” (Miq. 2:3).

Jesus ensinou-nos a orar, dizendo: Livra-nos do mal de Jeová; pois este é o mal que destrói as nações inteiras. E´ claro que o grande holocausto, onde foram chacinados seis milhões de judeus, foi obra de Jeová e não do Pai, pois do Pai vem só o bem, como lemos em Tg. 1:17. O Pai é amor (Jo. 4:7-8) e o amor não pratica nenhum tipo de mal (Rm. 13:10).

Se fosse Deus Pai o autor dos infernais males que assolam a humanidade, Jesus livraria um cristão de um mal, para depois expô-lo ao mal levando-o a Deus, que forja males o tempo todo? (Jr. 18:10-11). Isto seria um absurdo. Na oração do Pai nosso aprendemos a escapar dos mortais e tenebrosos males forjados por Jeová; e entrarmos na posse dos bens preparados pelo Pai e garantidos através da cruz de Cristo (II Co. 5:19; Ef. 1:3-4).

Alguém poderá perguntar: Jeová ainda é o autor dos males que assolam a humanidade? A resposta é sim, pois Jeová se declara dono deste mundo e dos homens deste mundo (Sl. 24:1).Jesus declara que ele e o Pai não são deste mundo. “Vós sois de baixo, eu sou de cima; vós sois deste mundo, eu não sou deste mundo” (Jo. 8:23; 10:30). Jeová reina sobre este mundo, e os de Cristo não chegam  a um por cento da população mundial. Um outro responderá, dizendo: quem reina sobre este mundo é satanás, e não Jeová, mas satanás declara que recebeu de graça os reinos da terra em Lc. 4:5-8. Ora, nem o Pai nem Jesus dariam os reinos a Satã, pois não são do mundo.

 

 

Autoria: Pastor Olavo Silveira Pereira

 

Deixe uma resposta