(383) – PARECE QUE É, MAS NÃO É!

PARECE QUE É, MAS NÃO É!

1.  Na narrativa bíblica da criação, lemos o seguinte sobre a última coisa criada: “E disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme à nossa semelhança; e domine sobre os peixes do mar, e sobre as aves dos céus, e sobre o gado, e sobre toda a terra, e sobre todo o réptil que se move sobre a terra. E criou Deus o homem à sua imagem; à imagem de Deus o criou; macho e fêmea os criou” (Gn. 1:26-27). A teologia milenar afirmava que esse primeiro homem criado foi Adão, que aparece em Gn. 2:7. O grande apóstolo Paulo, diz o seguinte sobre Adão: “Assim está também escrito: O primeiro homem, Adão, foi feito em alma vivente; o último Adão em espírito vivificante. Mas não é primeiro o espiritual, senão o animal; depois o espiritual” (I Co. 15:45-46). Se o primeiro Adão não era espiritual, não era imagem de Deus, pois Deus é espírito (Jo. 4:24). Para ser imagem de Deus, segundo as palavras de Paulo, tinha de ser espírito vivificante, mas Adão era alma vivente como os animais irracionais. O último Adão, isto é, Jesus Cristo, é espírito vivificante, como diz o texto acima, logo, só Jesus Cristo é imagem de Deus. Paulo diz também que o primeiro Adão era imagem do terreno, e Jesus, o último Adão, é imagem do celestial (I Co. 15:49).Se Adão era imagem de deus, era imagem de um deus terreno, portanto deus deste mundo. Paulo diz: “O deus deste século cegou os entendimentos dos incrédulos” (II Co. 4:4). Paulo declara também que Jesus Cristo é a imagem do Deus invisível (Cl.1:15). E na carta aos Hebreus, lemos: “O qual, sendo o resplendor da sua glória, e a expressa imagem da sua pessoa”. (Hb.1:3). A conclusão a que chegamos, é: PARECE QUE O PRIMEIRO ADÃO ERA, MAS NÃO ERA; E OS SEUS DESCENDENTES COM ELE (Rm.5:12).

2.  Em Gn. 2:8-9, lemos que Jeová deus plantou um jardim no Éden, e no centro do jardim a árvore da vida. E ordenou ao homem, dizendo: “De toda a árvore do jardim comerás livremente; Mas da árvore da ciência do bem e do mal, dela não comerás; porque no dia em que dela comeres, certamente morrerás” (Gn.2:16-17). Muito bem; obedecendo a ordem de Jeová, Adão comeria da árvore da vida, mas desobedecendo ficava privado dela, e morreria. Concluímos que a árvore da vida de Jeová era só para os justos e fiéis à sua palavra. Nenhum pecador desobediente pode jamais tomar do seu fruto, e comer(Gn. 3:22-23).

3.  Jesus declarou ser a verdadeira árvore da vida em Jo. 15:1, mas declarou também: “Eu não vim chamar os justos, mas os pecadores, ao arrependimento” (Mt. 9:13). O apóstolo Pedro diz: “Levando ele mesmo em seu corpo os nossos pecados sobre o madeiro” (I Pd. 2:24). E Paulo disse: “Esta é uma palavra fiel, e digna de toda a aceitação, que Cristo Jesus veio a mundo, para salvar os pecadores, dos quais eu sou o principal” (I Tm. 1:15). Paulo, sendo pecador e injusto, comeu da árvore da vida que é Jesus. A árvore da vida que o Pai plantou é para os perdidos, para os pecadores, para as prostitutas, para os homicidas, para os mentirosos, etc. Quem come desta árvore, isto é, quem crê em Jesus, é perdoado por Deus, o Pai, e não morre. A árvore da vida de Jeová não salva a ninguém, nem dá vida a ninguém, porque na Bíblia está escrito que não há nem um justo (Rm. 3:10). Logo, aquela árvore da vida parece que era, mas não era.

4.  O mundo, para Jeová, era e é muito importante, pois ele declara: “Trema perante ele, trema toda a terra; pois o mundo se firmará, para que se não abale” (I Cr. 16:30). “Dizei entre as nações: Jeová reina; o mundo também se firmará para que se não abale. Ele julgará os povos com retidão” (Sl. 96:10). Para Jeová, o mundo é tão importante e sublime, que declara: “De Jeová é a terra e a sua plenitude; o mundo e aqueles que nele habitam” (Sl. 24:1). O mundo é tão importante para o homem, que Jeová o fez formoso, e Salomão diz: “Tudo fez formosos em seu tempo; também pôs o mundo no coração deles, sem que o homem possa descobrir a obra que Deus fez desde o princípio até ao fim” (Ec. 3:11). A sabedoria de Jeová diz: “Eu estava com ele e era seu aluno; e era cada dia as suas delícias, folgando perante ele em todo o tempo; folgando no seu mundo habitável, e achando as minhas delícias com os filhos dos homens” (Pv.8:30,31).  Parece que a sabedoria de Jeová se refere às filhas dos homens de Gn. 6:2, que diz: “Viram os filhos de deus que as filhas dos homens eram formosas, e tomaram para si mulheres de todas as que escolheram”.Será este o tesouro oculto de Jeová? Diz Davi: “Dos homens, com a tua mão, Jeová, dos homens deste mundo, cuja porção está nesta vida, e cujo ventre enches do teu tesouro oculto; seus filhos estão fartos, e estes dão os seus sobejos às suas crianças” (Sl. 17:14). Para completar, Jeová diz: “Porque a sua vinha é a vinha de Sodoma e dos campos de Gomorra; as suas uvas são uvas de fel, cachos amargosos teem. O seu vinho é ardente veneno de dragões, e peçonha cruel de víboras. Não está isto encerrado comigo? selado nos meus tesouros?” (Dt. 32:32-34).

5.  Para liquidar com as pretensões deste mundo, Jesus diz: “O mundo me aborrece a mim, porquanto dele testifico que as suas obras são más” (Jo. 7:7). E Paulo diz: “Os que usam deste mundo, como se dele não abusassem, porque a aparência deste mundo passa” (I Co. 7:31). Este mundo é uma aparência? Então quando Jeová falou que o mundo se firmará para que não se abale, está dizendo que a aparência das coisas nunca será abalada? Para Jeová tudo é aparência? O mundo parece que é, mas não é. Para Tiago, a aparência deste mundo de Jeová, não o engana: “A religião pura e imaculada para com DEUS, O PAI, é esta: Visitar os órfãos e as viúvas nas suas tribulações, E GUARDAR-SE DA CORRUPÇÃO DO MUNDO” (Tg. 1:27). Para Paulo, este mundo sempre esteve condenado: “Mas, quando somos julgados, somos repreendidos pelo Senhor, para não sermos condenados com o mundo” (I Co. 11:32). Para João, em relação ao que diz a sabedoria de Jeová: “Folgando no seu mundo habitável, e achando as minhas delícias com os filhos dos homens” (Pv. 8:31), diz: “Não ameis o mundo, nem o que no mundo há. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele” (I Jo. 2:15). E Tiago completa, dizendo: “Adúlteros e adúlteras, não sabeis que a amizade do mundo é inimizade contra Deus? Portanto qualquer que quiser ser amigo do mundo constitui-se inimigo de Deus” (Tg. 4:4).

6.  A carne é a mãe das aparências. Na carne estão as vaidades, na carne está a cobiça do poder e das riquezas. Na carne estão os prazeres sensuais. Na carne estão as concupiscências da imundícia (II Pd. 2:10). Na carne estão as paixões dos pecados, estimulados pela lei de Jeová (Rm. 7:5). Na carne estão: prostituição, impureza, lascívia, idolatria, feitiçarias, inimizades, porfias, emulações, iras, pelejas, dissensões, heresias, invejas, homicídios, bebedíces, glutonarias, e coisas semelhantes a estas, acerca das quais vos declaro, que os que cometem tais coisas não herdarão o reino de Deus (Gl. 5:19-21). Pois Jeová mesmo declara que a carne é só aparência, quando diz a Adão: “No suor do teu rosto comerás o teu pão, até que te tornes à terra; porque dela foste tomado; porquanto és pó, e em pó te tornarás” (Gn. 3:19). Antes de ser formado em carne, Adão era pó. Depois de formado em carne continua sendo pó, apesar da aparência da carne; depois volta a ser pó. Adão era só uma aparência. Assim também todos os carnais, são todos apenas aparência, logo deixarão de ser.

Para deixar de ser aparência, o homem tem de nascer de novo pela fé em Cristo Jesus. Este mesmo declarou: “Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer da água e do Espírito, não pode entrar no reino de Deus. O que é nascido da carne é carne, o que é nascido do Espírito é espírito” (Jo. 3:5, 6).

Interessante, os nascidos só da carne parece que são, mas não são, porque são apenas pó. Mas os que são nascidos do Espírito, que ninguém vê, pois o espírito é invisível, parece que não são, mas estes são eternos com Jesus Cristo.

 

Autoria: Pastor Olavo Silveira Pereira

Deixe uma resposta