(070) – O DEUS VENCIDO

Pode Deus ser vencido? Mas Deus é Todo Poderoso, é o criador e sustentador de todas as coisas. Todas as coisas existem e subsistem pela sua providência divina. A Escritura deixa claro nas entrelinhas que Deus, o Pai, foi vencido. Lucas conta no seu Evangelho a história de um mau filho que exigiu do pai a sua parte da herança e tendo recebido tudo, partiu para uma terra distante onde gastou tudo numa vida dissoluta. Ficando na miséria, procurou trabalho. O único que conseguiu foi o de apascentar porcos. Naquela situação de penúria, tomou a resolução de voltar à casa paterna e confessar seus pecados. O pai, que nunca deixou de amar o filho, passava os dias e as noites em oração, na esperança de rever o filho querido. Quantas noites em claro, quanta aflição. Um dia, estando à tarde olhando a estrada, notou que alguém vinha. Era tão diferente do filho que partiu. Agora com marcas de sofrimento, roupa surrada, andando curvado. O coração do pai adivinhou, e lançou-se o pai na estrada ao encontro do filho, vencido pelo amor. Lançou-se ao pescoço do filho em demonstração de alegria e carinho. Recolheu o filho amado, e ordenou um grande banquete (Lc. 15:11-24).

Esta história, ou parábola contada por Jesus, e registrada no Evangelho de Lucas, é apenas uma gota diante do oceano de amor do Deus Pai.

Pois bem. Quem realmente ama, será sempre vencido pelo amor, mas quem não ama será sempre vencido pelo ódio e pelo furor destruidor.

Jeová se declara o deus da ira, pois fica irado todos os dias, uma ira que não cessa (Sl. 7:11). Jeová se declara o deus da guerra, isto é, está sempre pronto para guerrear (Ex. 15:3; 1 Sm. 17:47). Jeová se declara o deus do furor e da vingança: “Jeová é deus zeloso e que toma vingança; Jeová toma vingança e é cheio de furor; Jeová toma vingança contra os seus adversários, e guarda ira contra os seus inimigos” (Na. 1:2). Jeová confessa que a sua ira arde até o mais profundo do inferno (Dt. 32:22). Jeová aborreceu o seu povo Israel, isto é, odiou com ódio homicida (Sl. 78:59; I Jo. 3:15). Adiante de Jeová não vai o amor, mas a peste (Hc. 3:5). Parece que o amor não encontra espaço no caráter do deus das maldições (Dt. 28:15-68). Estes atributos de Jeová não cativavam o seu povo. As manifestações freqüentes de furor e violência de Jeová contra o seu povo, os condicionou a aceitar qualquer deus, pois nenhum seria pior. Uma das vinganças de Jeová era matar os filhos pelos pecados dos pais (Is. 14:21). Essa forma injusta de punir os pais matando os filhos inocentes levou o povo a divulgar um provérbio que ofendeu fundo a Jeová: “Os pais comeram uvas verdes e os dentes dos filhos se embotaram” (Jr. 31:29; Ez 18:2-3). O que mais revoltava o povo era Jeová se deleitar em destruir o povo com pragas e pestes (Dt. 28:61-63). Quem ama não se deleita em destruir o que ama. Quem recorre ao mal para combater o mal foi vencido pelo mal. Jeová reclamou e acusou o mal do seu povo: “Ai da nação pecadora, do povo carregado de iniquidades da semente de malignos, dos filhos corruptores; deixaram a Jeová; blasfemaram do santo de Israel, voltaram para traz” (Is. 1:4). Qual foi o método usado por Jeová para tentar corrigir e educar seu povo? Porque Jeová dos exércitos, que te plantou, pronunciou contra ti o mal pela maldade da casa de Israel e da casa de Judá” (Jr. 11:17). Neste texto Jeová declara literalmente que o remédio para o mal é o mal, contrariando o Novo Testamento que diz: “A NINGUÉM TORNEIS MAL POR MAL” (Rm. 12:17). Como deus pode fazer aquilo que proíbe nas criaturas? Que incoerência! Jeová confessou que não planejava bem algum a seu povo: “Porque pus o meu rosto contra esta cidade para mal e não para bem, diz Jeová” (Jr. 21:10). Jeová passava o tempo nas regiões celestiais e no seu divino trono planejando males: “Fala agora aos homens de Judá, e aos moradores de Jerusalém, dizendo: Assim diz Jeová : Eis que estou forjando mal contra vós, e projeto um plano contra vós. Convertei-vos pois agora cada um do seu mau caminho” (Jr. 18:11). Se Jeová tivesse prometido um bem qualquer a seu povo, e este fizesse o mal, Jeová declara que se arrepende do bem prometido, para executar o mal (Jr. 18:10). Jeová velava o mal, para se cumprir nos mínimos detalhes: “Eis que eu velarei sobre eles para mal e não para bem” (Jr. 44:27). O profeta Daniel disse: “Por isso Jeová vigiou sobre o mal, e o trouxe sobre nós” (Dn. 9:14). E mais: Jeová reivindica para si todo o mal feito debaixo do céu sem deixar nada para Satanás: “SUCEDERÁ QUALQUER MAL A CIDADE E JEOVÁ NÃO O TERÁ FEITO? (Am. 3:6). “De quem alguém é vencido, do tal faz-se também servo” (2 Pd. 2:19).

A grande verdade é que Jeová é um deus vencido pelo mal e não pelo amor. O maior é vencido pelo mal do menor. Deus medindo-se com o homem por baixo. Os homens não tem solução para o crime, então constroem penitenciárias. Jeová criou o inferno. Sentir-se provocado pelo inferior é tornar-se inferior. Andar contra os contrários e ser vencido pelos que são contra (Lv. 26:40-41). O mal, usado como arma para reprimir o mal, é a multiplicação do mal.

Paulo dá a formula pra vencer o mal: “NÃO TE DEIXES VENCER DO MAL, MAS VENCE O MAL COM O BEM” (Rm. 12:21). O mal só pode ser vencido pelo bem, e o Deus Pai aplicou esse remédio: “Deus prova o seu amor para conosco, em que Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores” (Rm. 5:8).

 

Autoria: Pr. Olavo Silveira Pereira

One thought on “(070) – O DEUS VENCIDO

  1. O mal a si mesmo destrói. É melhor ser vencido pelo amor.
    Não havia pensado antes, realmente o Pai foi vencido por tamanho amor. Jeová foi criado perfeito até que foi encontrado nele o mal. Já Satanás foi criado mal. O Pai não sabia que Yahweh se tornaria mal porque Deus Pai é luz e não há trevas nenhuma.

Deixe uma resposta