(556) – CIDADE DE DEUS – II

CIDADE DE DEUS  2

 

As Escrituras Sagradas falam de obras gloriosas a respeito de Jerusalém. Em primeiro ligar diz a Escritura que Jerusalém é a cidade de Deus, e os povos, os reinos que a oprimiram virão e se prostrarão diante de seus pés, e dirão: Esta é a cidade de Jeová, a Sião do Santo de Israel (Is.60:14).

Salomão disse: “Certamente te edifiquei uma casa para morada, assento para tua eterna habitação” (I Rs.8:13). E as Escrituras Sagradas confirmam as palavras de Salomão: “E alguns dos chefes dos pais, vindo à casa de Jeová, que habita em Jerusalém, deram voluntárias ofertas para a casa de Deus” (Ed.2:68). “E para levares a prata e o ouro que o rei e seus conselheiros voluntariamente deram ao deus de Israel, cuja habitação está em Jerusalém” (Ed.7:15). “Bendito seja Jeová desde Sião, que habita em Jerusalém. Louvai a Jeová” (Sl.135:21).

Jeová profetizou e escolheu o lugar da sua morada mil e seiscentos anos antes: “Tu os introduzirás e os plantarás no monte da tua herança que tu, ó Jeová, aparelhaste para tua habitação, no santuário, ó Jeová, que tuas mãos estabeleceram. Jeová reinará eterna e perpetuamente” (Ex.15:17-18).

Toda esta história da habitação de Jeová em Jerusalém, edificada sobre o monte Sião é desmentida no livro dos Atos dos Apóstolos que diz: “O DEUS QUE FEZ O MUNDO E TUDO O QUE NELE HÁ, SENHOR DO CÉU E DA TERRA, NÃO HABITA EM TEMPLOS FEITOS POR MÃOS DE HOMENS, COMO QUE NECESSITANDO DE ALGUMA COISA” (At.17:24-25 – maiúsculo nosso). E o apóstolo Paulo, para arrematar diz: “Aquele que tem ele só, a imortalidade, e habita na luz inacessível; ao qual nenhum dos homens viu, nem pode ver; ao qual seja a honra, e o poder sempiterno. Amém” (I Tm.6:16).

Voltando à cidade de Deus:

  1. 1.        “Jerusalém está edificada como uma cidade bem sólida” (Sl.122:3)
  2. 2.        “Naquele dia se entoará este cântico em Judá: uma forte cidade temos, a que Deus pôs a salvação por muros e antemuros” (Is.26:1).
  3. 3.        “Há um rio cujas correntes alegram a cidade de Deus, o santuário das moradas do Altíssimo. Deus está no meio dela; não será abalada; Deus a ajudará ao romper da manhã” (Sl.46:4-5).
  4. 4.        “Olha para Sião, a cidade das nossas solenidades; os teus olhos verão a Jerusalém, habitação quieta, tenda que não será derribada, cujas estacas nunca serão arrancadas, e das suas cordas nenhuma se quebrará” (Is.33:20).
  5. 5.        “Os que confiam em Jeová serão como o monte Sião, que não se abala, mas permanece para sempre. Como estão os montes à roda de Jerusalém, assim o SENHOR está em volta do seu povo, desde agora e para sempre” (Sl.125:1-2).

No entanto, Jeová está em volta do seu povo para matar e destruir pois ele disse: “Porque pus o rosto contra esta cidade para mal e não para bem, diz o SENHOR; na mão do rei de Babilônia se entregará, e ele a queimará a fogo (Jr.21:10). “Eis que velarei sobre eles para mal e não para bem; e serão consumidos todos os homens de Judá que estão na terra do Egito à espada e à fome, até que se acabem de todo” (Jr.44:27). “E disse JEOVÁ: Também a Judá hei de tirar de diante da minha face, como tirei a Israel, e rejeitarei esta cidade de Jerusalém que elegi, como também a casa de que disse: Estará ali o meu nome” (II Rs. 23:27).

Enfim, tudo o que Jeová disse de bom sobre Jerusalém era tudo mentira. Jeová nunca guardou o seu povo, nunca preservou a cidade santa. Jerusalém foi destruída por Nabucodonozor, o templo queimado a fogo no ano 587 a.C., foi restaurado por ordem de Ciro, o persa, no ano 438 a.C.. Foi destruída de novo no ano 70 d.C. pelo General Tito, filho de Vespasiano, o povo foi espalhado aos quatro ventos, e só sobrou o muro das lamentações até hoje, a obra prima de Jeová.

 

Autoria: Pastor Olavo Silveira Pereira

Deixe uma resposta