(309) – CORPO ESPIRITUAL – III

CORPO ESPIRITUAL 3

         O corpo do pecado só existe nos mortos, por isso Paulo disse à respeito da obra de Cristo: “Ele vos vivificou, estando vós mortos em ofensas e pecados” (Ef. 2:1). E Paulo continua: “O qual se deu a si mesmo por nossos pecados, para nos livrar do presente século mau, segundo a vontade de Deus nosso Pai” (Gl. 1:4). E Paulo revela o resultado da obra de Cristo, dizendo: “Sabendo isto, que o nosso homem velho foi com ele crucificado, para que o corpo do pecado seja desfeito, para que não sirvamos mais ao pecado” (Rm. 6:6). Ora, João disse: “Quem comete pecado é do diabo; porque o diabo peca desde o princípio. Para isto o filho de Deus se manifestou: para desfazer as obras do diabo” (I Jo. 3:8). É bem claro que quem peca, forma e fortalece o corpo do diabo, isto é, Satanás. Esse corpo espiritual maligno do diabo é desfeito por Jesus Cristo em nós, e é criado o corpo espiritual de Cristo. O próprio Jesus explica como surge esse corpo espiritual santo: “Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus. Disse-lhe Nicodemos: Como pode um homem nascer, sendo velho? Porventura pode tornar a entrar no ventre de sua mãe, e nascer? Jesus respondeu: Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer da água e do Espírito, não pode entrar no reino de Deus. O que é nascido da carne é carne, e o que é nascido do Espírito é espírito” (Jo. 3:3-6).

Quais as características do corpo espiritual que Jesus Cristo forma no homem? O homem nascido de novo, que possui corpo espiritual, não se adapta mais a este mundo. Jesus, orando ao Pai, disse:“Agora vou para ti, e digo isto no mundo, para que tenham a minha alegria completa em si mesmos. Dei-lhes a tua palavra, e o mundo os aborreceu, porque não são do mundo, assim como eu não sou do mundo. Não peço que os tire do mundo, mas que os livres do mal. Não são do mundo, como eu do mundo não sou” (Jo. 17:13-16). Com o novo corpo os cristãos só apetecem as coisas celestiais, o que é loucura para os deste mundo. “Ora, o homem natural não compreende as coisas do Espírito de Deus, porque lhe parecem loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente. Mas o que é espiritual discerne bem tudo, e ele de ninguém é discernido” (I Co. 2:14-15). Jesus falou aos discípulos, dizendo: “Se o mundo vos aborrece, sabei que, primeiro do que a vós, me aborreceu a mim. Se vós fosseis do mundo, o mundo amaria o que era seu, mas, porque não sois do mundo, antes eu vos escolhi do mundo, por isso é que o mundo vos aborrece” (Jo. 15:18-19).

O corpo espiritual é algo glorioso e sublime; o cristão está tão cheio do Espírito Santo e de virtude, que Paulo se refere aos cristãos do seu tempo com as seguintes palavras: “Portanto, se já ressuscitastes com Cristo, buscai as coisas que são de cima, onde Cristo está assentado à destra do Pai. Pensai nas coisas que são de cima, e não nas que são da terra; porque já estais mortos, e a vossa vida está escondida com Cristo em Deus. Quando Cristo, que é a nossa vida, se manifestar, então também vós vos manifestareis com ele em glória” (Cl. 3:1-4). Paulo narra uma de suas experiências gloriosas: “Em verdade que não convém gloriar-me; mas passarei às visões e revelações do Senhor. Conheço um homem em Cristo que há catorze anos (se no corpo não sei, se fora do corpo não sei; Deus o sabe), foi arrebatado até o terceiro céu. E sei que o tal homem (se no corpo, se fora do corpo, não sei; Deus o sabe), foi arrebatado ao paraíso; e ouviu palavras inefáveis, de que ao homem não é lícito falar” (At. 22:17; II Co. 12:1-4). Essas maravilhas a que Paulo se refere, só podem ser desfrutadas por aqueles que têm corpo espiritual ativo, pois elas não estão na terra. Aliás, na terra estão as bênçãos do abismo. O patriarca Jacó revelou isso quando abençoou José: “Pelo Deus de teu pai, o qual te ajudará, e pelo Todo Poderoso, o qual te abençoará com bênçãos do céu de cima, com bênçãos do abismo que está debaixo, com bênçãos dos peitos e da madre” (Gn. 49:25). Sabemos que o abismo é o lugar dos mortos (Rm. 10:7). As bênçãos do abismo que José recebeu, foram os favores de Faraó. Mas, como dissemos, as bênçãos de Deus Pai para os santos estão nos lugares celestiais: “Bendito o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o qual nos abençoou com todas as bênçãos espirituais nos lugares celestiais em Cristo” (Ef. 1:3). Os homens deste mundo, que são do abismo, aborrecem e perseguem, e procuram derrubar os que têm um corpo espiritual, pois se sentem inferiorizados. Ao me tornar cristão pela conversão à Cristo, os primeiros frutos do Espírito Santo na minha vida foram: Parei de fumar, parei de beber, e parei de falar palavrões. Os colegas de trabalho passaram a me oferecer cigarros o dia todo, dizendo: Se você é realmente crente, você fuma um, e não fuma mais, pois você agora é diferente. Um outro, para me deixar nervoso e explodir com alguns palavrões, dizia: Maria Madalena foi amante de Cristo. Num jantar de fim de ano, me ofereciam taças de vinho. Eu não bebia. Depois de uma hora havia seis taças à minha frente. Era uma verdadeira guerra sem trégua. Eu lhes falava de Cristo e da salvação, e eles, por todos os meios procuravam me derrubar.

A filha de um autêntico cristão que conheci, aos 15 anos estudava em um dos melhores colégios de São Paulo. A adolescente fora criada dentro dos princípios mais puros do Evangelho. O pai, com prudência e amor instruiu a filha, nas coisas que ia enfrentar no colégio. A adolescente, muito amiga do pai, contou-lhe que as colegas tentavam convencê-la que tinha cabeça feita, e não era livre para ir com elas nas lanchonetes perto do colégio. Convidavam-na também a ir a bailes dizendo que ela não sabia o que estava perdendo. Mas a garota, bem instruída, e admiradora do padrão cristão do pai e da mãe, nada ocultava, e assim não foi seduzida.

A maioria dos cristãos convertidos, teve um passado negro, e este passado formava o corpo do pecado, e constitui um material precioso nas mãos dos velhos amigos para tentar derrubá-lo. Esse corpo do pecado só é desfeito na cruz de Cristo. Leiamos: “Sabendo isto, que o nosso homem velho foi com ele crucificado, para que o corpo do pecado seja desfeito, para que não sirvamos mais ao pecado” (Rm. 6:6). Mas só desfazer o corpo do pecado não é o suficiente, pois Jesus disse: “Quando o espírito imundo tem saído do homem, anda por lugares secos, buscando repouso; e, não o achando, diz: Tornarei para minha casa, donde saí. E, chegando, acha-a varrida e adornada. Então vai, e leva consigo outros sete espíritos piores do que ele, e, entrando, habitam ali” (Lc. 11:24-26).

Há uma necessidade urgente de formar o corpo espiritual. Esse corpo espiritual não cede às tentações de Satanás; não cede às concupiscências da carne, por isso Paulo diz: “Quanto ao trato passado, despojai-vos do homem velho, que se corrompe pelas concupiscências do engano; e vos renoveis no espírito do vosso sentido; e vos revistais do novo homem, que segundo Deus é criado em verdadeira justiça e santidade”

(Ef. 4:22-24).

Autoria: Pastor Olavo Silveira Pereira

Deixe uma resposta