(266) – ELOHIM

ELOHIM

 

A palavra hebraica El, quer dizer deus. O plural da palavra El é Elohim, e quer dizer deuses. El, portanto, é a raiz da palavra Elohim ou Eloah, que também é usada para designar deus no singular. No aramaico bíblico, língua falada pelos judeus após o cativeiro, a palavra deus era Elah, que no plural é Elohim. Não há em toda a Bíblia nenhuma outra palavra para designar deus. Até para os falsos deuses era usada a palavra Elohim (Ex. 18:11).

O tetragrama, ou a palavra Javé, ou Jeová, que é uma tradução do tetragrama (4 letras); é suposição humana. Não há tradução para o tetragrama. Quando lemos a Bíblia, no Velho Testamento, a tradução de João Ferreira de Almeida, no lugar de Javé, colocou Senhor, mas está errado. O tetragrama não se traduz por Senhor. A palavra hebraica Senhor é ADONAY. Davi, no Salmo 110:1, diz: “Disse Jeová ao meu Senhor”. Este Senhor é a palavra ADONAY, que Jesus afirmou ser Ele em Mt. 22:41-45. Por estas palavras de Jesus ficamos sabendo que Ele e Jeová são duas pessoas diferentes. Como o tetragrama não se traduz por deus, Javé, teve de dizer a Moisés: Eu sou deus  (Ex. 3:6). E falou por Isaías que é deus (Is. 44:6; 45:21).

Jesus disse: “Se eu testifico de mim mesmo, o meu testemunho não é verdadeiro” (Jo. 5:31). Ora, Jeová deu testemunho dele próprio. Pela declaração de Jesus Jeová é falso deus. Jesus disse também: “Eu não recebo glória dos homens” (Jo. 5:41). Ora, Jeová recebe glória dos homens, logo é contrário a Jesus (Is. 43:7; 49:3; Jr. 13:11). E disse mais Jesus: “Eu não busco a minha glória. Há quem a busque” (Jo. 8:50). Ora, Jeová buscava a própria glória (Nm. 14:22; Ex. 14:4, 17), logo Jeová é o contrário de Jesus. Jesus termina dizendo: “Quem fala de si mesmo busca a sua própria glória, mas o que busca a glória daquele que o enviou, esse é verdadeiro, e não há nele injustiça” (Jo. 7:18). Com estas palavras, Jesus classificou Jeová, que falava de si mesmo, de injusto e mentiroso. Jesus, humilde, nunca se exaltou a si mesmo, mas buscou a glória do Pai. “Eu glorifiquei-te na terra, tendo consumado a obra que me deste a fazer” (Jo. 17:4).

Elohim foi o Deus que criou todas as coisas, segundo a narrativa bíblica de Gênesis. E criou o homem e a mulher à sua imagem e semelhança (Gn.  1:26-27). Está traduzido Deus no singular, mas está escrito Elohim, isto é, deuses. A tradição religiosa afirma que Elohim, deuses, é a trindade, isto é; o Pai, o Filho, e o Espírito Santo.  Quando lemos: Façamos o homem a nossa imagem e semelhança, é a trindade que está falando. Isso, porém é interpretação, pois está escrito outra coisa, e a Bíblia não é de particular interpretação (II Pd. 1:20).

Se a teologia cristã afirma que Elohim é a trindade criadora de Gn. 1:1, por que no Salmo 8:5traduziram a palavra Elohim por anjos e não por Trindade? Por conveniência, e não para exprimir a verdade, pois Elohim jamais poderia ser traduzido por anjos (Malakim). Deveriam ter traduzido assim: Um pouco menor o fizeste do que Deus, ou, do que a Trindade. Por que alteraram o texto bíblico? Por que puseram anjos? A resposta é simples. Se o leitor lesse: Um pouco menor do que deus o fizeste, ia pensar esse leitor: Deus é um pouco maior do que o homem. Como Jeová declara que os homens são semelhantes aos animais em Eclesiastes 3:18-21, e nesse caso deus seria um pouco maior que os animais. Jeová também declara que os homens são como gafanhotos (Is. 40:22), e neste caso deus seria um pouco maior que os gafanhotos. A pior classificação de Jeová para o homem está no livro de Jó:“Como, pois, seria justo o homem perante Deus, e como seria puro aquele que nasce de mulher? Olha, até a lua não resplandece, e as estrelas não são puras aos seus olhos. E quanto menos o homem, que é um verme” (Jó 25:4-6). Neste caso, sendo o homem um pouco menor do que Deus, Deus seria um pouco maior do que os vermes. Os intérpretes, para proteger o deus do Velho Testamento adulteraram a palavra escrita pelo próprio Deus, e trocaram Elohim (Deus), por Malak (Anjos). Puro interesse. Nós não desmerecemos a Bíblia, pois cremos nela de capa a capa. Apenas não mexemos e não adulteramos a palavra de Deus. Se no original hebraico está escrito que o homem é um pouco menor do que deus, e neste caso, aquele deus é um pouco maior do que o homem, qual é o problema? Jesus desceu a este mundo para revelar um Deus que é infinitamente superior aos homens. Um Deus que não necessita auxílio do homem, pois é Salvador do homem (Jz. 5:23; I Tm. 4:10). O pior é que Jeová afirma que é Elohim (Is. 45:21).

Quando Israel saiu do Egito, libertado pelas pragas e pestes de Jeová; foi ao deserto, teve sede e fome, e o povo murmurou contra Jeová, e reclamou aos ouvidos de Moisés e Arão, dizendo: “Quem dera que morrêssemos por mão de Jeová na terra do Egito, quando estávamos sentados junto às panelas de carne e comíamos pão até fartar” (Ex. 16:1-3). E Jeová disse a Moisés: “Eis que eu vos farei chover pão dos céus” (Ex. 16:4). Todas as tardes, quando caía o orvalho, chovia o maná. Mas não podia ser guardado para o dia seguinte, que apodrecia e cheirava mal (Ex. 16:20). No salmo 78 temos uma bela descrição do fato:“E falaram contra deus e disseram: Poderá deus porventura preparar-nos uma mesa no deserto? Eis que feriu a penha, e águas correram dela; poderá também dar-nos pão, ou preparar carne para o seu povo? Pelo que Jeová os ouviu e se indignou, e acendeu um fogo contra Jacó, e furor também subiu contra Israel; porquanto não creram em deus, nem confiaram na sua salvação, posto que tivesse mandado as altas nuvens, e tivesse aberto as portas dos céus, e fizesse chover sobre eles o maná para comerem, e lhes tivesse dado do trigo do céu. Cada um comeu o pão de Elohim; ele lhes mandou comida em abundância. Fez soprar o vento oriental, e choveu sobre eles carne como pó, e aves de asas como a areia do mar” (Sl. 78:19-27). Diz a Bíblia que o povo comeu a se fartar. A comida ainda estava entre os dentes, quando Jeová irado, matou os escolhidos de Israel (Sl. 78:29-31). No verso 25 lemos que comeram o pão de deus (Elohin). A pergunta que fazemos é a seguinte: está escrito que comeram o pão de deus, por que nas Bíblias está escrito que comeram o pão dos anjos? A resposta também é simples. Porque, se pusessem pão de Deus, haveria um choque com a palavra de Jesus, que negou que eles comeram o pão de Deus, dizendo: “Na verdade, na verdade vos digo: Moisés não vos deu o pão do céu; mas meu Pai vos dá o verdadeiro pão do céu. Porque o pão de Deus é aquele que desce do céu e dá vida ao mundo” (Jo. 6:32-33). Mudando para pão dos anjos, o deus Jeová não ficaria comprometido. Os adeptos do deus mau Jeová são capazes de tudo para colocá-lo no lugar do Pai. Está escrito: “Se alguém acrescentar alguma coisa à profecia deste livro, deus fará vir sobre ele as pragas que estão escritas neste livro; e se alguém tirar qualquer palavra do livro desta profecia, deus tirará a sua parte da árvore da vida, e da cidade santa” (Ap. 22:18-19).

Aviso aos navegantes. Davi confiou em Jeová e se deu mal; Israel confiou em Jeová e foi destruído; Jó confiou em Jeová e sofreu como no inferno, pois Jeová muda a bênção em maldição (Ml. 2:2). Jura uma coisa, e depois jura outra em cima do primeiro juramento (Dt. 1:34-35). E Jesus? Jesus deu a vida por aqueles que Jeová amaldiçoou e matou.

 

Autoria: Pastor Olavo Silveira Pereira

Deixe uma resposta