(771) – LOUCURA

Que vem a ser loucura? Demência, alienação do espírito, insensatez, imprudência, ato irrefletido, diabrura, ataque de loucura, etc.

No Velho Testamento, Jeová ordenou na lei, que, qualquer pessoa que cometesse alguma loucura, fosse apedrejado até a morte. Uma moça solteira perder a virgindade era loucura em Israel. Após o casamento, o marido não achando a mulher virgem, denunciava-a aos anciãos da cidade. Comprovado o fato, era condenada. O texto diz: “Se este negócio for verdade, que a virgindade se não achou na moça, então levarão a moça à porta da casa de seu pai, e os homens da sua cidade a apedrejarão com pedras, até que morra; pois fez loucura em Israel, prostituindo-se na casa de seu pai. Assim tirarás o mal do meio de ti.” (Dt.22:20-21).

Outro caso é o do anátema. Que é anátema? É reprovação, excomunhão, maldição.

Os habitantes de Jericó fecharam as portas aos israelitas, e por isso a cidade e tudo o que havia nela se tornou anátema aos olhos de Jeová (Js.6: 1-2, 17). Jeová fez com que os muros de Jericó caíssem ao som das buzinas e dos gritos do povo. Entraram pois na cidade e passaram ao fio da espada homens, mulheres, velhos e crianças (vs. 20 e 21). O ouro e a prata não eram anátemas, e foram tomados para o tesouro de Jeová (v. 19). Acã pegou uma capa babilônica, duzentos ciclos de prata, e uma cunha de ouro, do peso de cinquenta ciclos, e isto era anátema, punido com a morte para os homens, muito embora não fosse anátema para Jeová (Js.7:20-21). E Acã, e a capa, e a prata, e o ouro, e seus filhos, e suas filhas, e seus bois, e seus jumentos, e suas ovelhas, e sua tenda, e tudo quanto tinha, levaram ao monte de Acor, e o povo os apedrejou e queimou a fogo (vs. 24 a 26). Jeová pegou do anátema, pois não tinha outro maior que o apedrejasse.

E o Pai de Jesus? O Deus que é amor não vai descer ao abismo e usar as táticas de Jeová. A intervenção de Deus Pai foi enviar seu Filho Unigênito para salvar, não só os maus e pecadores, mas os infortunados da sorte (Jo. 9:1-7).

Para entendermos bem o sentido da loucura, temos o caso de Davi, que fugindo do ódio assassino de Saul, entrou na cidade de Aquis, rei de Gate. Os criados de Aquis o reconheceram pela sua fama de matador. Davi então se fez de doido, deixava correr saliva pela barba, e fazia gestos de desequilibrado. Quando os criados de Aquis lhe deram aviso sobre Davi, este disse: — Vocês não veem que este homem está louco? (1 Sm. 21:10-15). — Maior loucura do que esta cometeu Davi naquele adultério escandaloso com Bate-Seba, mulher de Urias, o heteu, um dos seus trinta e sete valentes de guerra (2 Sm. 23:39). Davi viu que a mulher era formosa, e lhe deram aviso de que era a mulher de Urias, mas a concupiscência carnal cega o homem, e o enlouquece (2 Sm. 11:3; Ec. 2:14). E Davi mergulhou nas trevas da sensualidade, e se deitou com Bate-Seba. O louco não pondera as consequências da sua loucura. E assim como Tamar, que para se deitar com Judá pediu o selo, o lenço e o cajado (Gn.38: 16-18), assim também Bate-Seba fez Davi jurar por Jeová, que o filho dela se sentaria no trono de Israel. E Davi jurou sem saber que o fruto daquela loucura iria dividir o reino em dois (1 Rs. 1: 17). É por isso que no livro de Cantares de Salomão, lemos: “Saí, ó filhas de Sião, e contemplai o rei Salomão com a coroa com que o coroou a sua mãe no dia de seu desposório.” (Ct.3: 11). O dia do desposório foi o dia em que ela se entregou a Davi, pois quando Salomão sentou no trono era ainda menino pequeno, e não tinha se entregado a devassidão (1 Rs. 11:1-3). E o reino só foi dividido nos dias do filho de Salomão porque Davi era o eleito de Jeová (vs. 11 e 12).

Amnon era o primogênito de Davi, e a força do pai repousa sobre o primogênito (Dt. 21:15-17; 2 Sm. 3:2). Cortado o primogênito pela morte, acaba a linhagem, a bênção e a força. E por isso quem Jeová expressava a sua vingança matando os primogênitos. E matando Amnon, Jeová estava executando a sua vingança sobre o pecado de Davi, que ele declara haver traspassado (2 Sm. 12:13). Ora, a morte de Amnon se deu pelo fato de ter estuprado Tamar, sua irmã (2 Sm. 13:1-29). Mas foi Jeová que prometeu a Davi prostituir a sua casa (2 Sm. 12:11-12).

O estupro de Tamar foi uma loucura, pois ela disse ao irmão: “Não, irmão meu, não me forces, porque não se faz assim em Israel; não faças tal loucura” (2 Sm. 13:11-12). Ora, Jeová prometeu a Davi que ia prostituir a sua casa como castigo pelo adultério cometido (2 Sm. 12:10 -11). Sendo assim, a loucura de Amnom foi produzida por Jeová. E o que foi um ato de loucura, fica provado pelo fato de Amnom, depois do estupro, odiá-la e expulsá-la como uma prostituta, isto é, quando caiu em si mudou o comportamento. Um homem, dentro da razão não comete atos de loucura, mas fora da razão faz coisas inconfessáveis e vergonhosas. A vingança de Jeová sobre Davi foi levar Amnom a um ato vergonhoso e anormal, para depois inflamar o coração de Absalão, irmão carnal de Tamar, que, para fazer justiça, matou Amnom, e assim cortar a linhagem real de Davi, e acabar com o reino. Depois da morte de Davi, os reis que Jeová colocou no trono de Israel não eram mais da linhagem messiânica. Mas Jeová prometia levantar um da linhagem de Davi para restaurar o trono de Davi (Is. 11:1-4; Sl. 2:6-9). Esse Messias foi também profetizado por Daniel (Dn. 9:24-26). E o Messias nasceu 490 anos depois, e seu nome foi Jesus Cristo (Is. 7:14; Mt. 1:21-23). Paulo testificou dessa verdade (Rm. 1:1- 3). Pedro testificou do Messias (At.2:36; 5:29-31). E Cristo declarou à samaritana que era o Messias esperado (Jo.4:25-26). Mas Jesus Cristo declarou a Pilatos: “O meu reino não é deste mundo” (Jo.18:36). Jesus, o Messias, não aceitou o projeto de Jeová, do mesmo modo que Abraão, o pai da fé, não aceitou a promessa terrena de Jeová (Gn. 12:1- 7; 15: 17- 18). Mas no livro de Hebreus lemos que Abraão, pela fé, não aceitou a promessa de Jeová, mas uma promessa mais sublime, oferecida de graça por Jesus Cristo (Hb. 11:8- 10). Assim se desfez a promessa messiânica de Jeová, prenunciada na morte de Amnom, o primogênito de Davi.

Cristãos! Cuidado com os acessos de loucura. Cuidado com os atos impensados, surgidos do coração doentio (Mt. 15:18-20). Cuidado com as concupiscências carnais (1 Pd. 2:11). Cuidado! Davi confessou que o seu adultério foi uma loucura com consequências irreversíveis e fatais (Sl. 38:1-5). Quem comete atos de loucura é louco, e a Bíblia fala dos loucos que se perdem. Falaremos de um. O rico insensato é louco, pois quem multiplica riquezas é insensato e louco. Um varão era rico, e nada dava ao irmão pobre porque era avarento. E, não tendo onde guardar sua riqueza, destruiu os celeiros velhos, e construiu novos para guardar a riqueza, dizendo a si mesmo: “Alma, tens em depósito muitos bens, para muitos anos; descansa, come, bebe e folga. Mas deus (Jeová) lhe disse: Louco, esta noite te pedirão a alma; e o que tens para quem será? (Lc. 12:13-21). É obvio que o deus que o matou era Jeová, pois o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo enviou o seu Filho para salvar e não para matar (Jo. 3:16-17). E Jesus confirma isso em Lucas 9:51-56. De mais a mais quem dá a riqueza, e a tira, é Jeová (1 Sm.2:7). É Jeová que faz o rico e o pobre, e deste modo, quem enriqueceu o rico insensato foi Jeová (Pv. 22:2; Ec.5:19, 6:2).

É Jeová quem enriquece e é Jeová quem produz os loucos. Moisés declarou aos que não guardam a lei de Jeová: “Jeová te ferirá com loucura, e com cegueira, e com pasmo de coração. E apalparás ao meio-dia, como o cego apalpa na escuridade, e não prosperarás nos teus caminhos; porém somente serás oprimido e roubado todos os dias, e não haverá quem te salve” (Dt. 28:28-29). Mas Jesus cura os loucos e os salva. O endemoninhado gadareno era completamente louco, e Jesus o curou e salvou (Mc. 5:1-15). O pródigo, quando saiu da casa do pai, estava louco, pois o texto diz: “E, tornando em si, disse: Irei ter com o meu pai, e confessarei minha loucura”. E o pai o recebeu gostoso (Lc. 15:11-24).

 

Autoria: Pr. Olavo Silveira Pereira

Deixe uma resposta