(219) – PARADOXOS

PARADOXOS

1 – No evangelho de João lemos: “Mas a todos os que o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus; os quais crêem no seu nome; os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do varão, mas de Deus” (Jo. 1:12-13).

Se nenhum homem ou mulher nascido da carne e do sangue e da cópula carnal é filho de Deus, por que Jeová, no Velho Testamento tinha filhos nascidos do sangue, da carne, e da vontade do varão? (Dt. 14:1; 32:18-20; Is. 1:2; 30:9; 63:8).

E eram os filhos da carne gerados pelo próprio Jeová (Ez. 16:20-21; 23:37).

O povo de Deus precisa saber a verdade.

2 – Se Deus não gera os filhos que são nascidos da carne e do sangue e da cópula carnal, como lemos em Jo. 1:12-13, por que Jeová declarou que gerava esses filhos? (Ez. 16:20-21; 23:37).

3 – Se Deus, o Pai, não gera filhos do sêmen humano e do ventre carnal como lemos em Jo. 1:12-13 e I Pd. 1:23 que diz: “Sendo de novo gerados, não de semente corruptível, mas da incorruptível, pela palavra de Deus, viva, e que permanece para sempre”, por que Jeová gerou Isaque na carne? (Gn. 18:10-14; 21:1-2).

4 – Se Jeová é o deus que abre e fecha os ventres das mulheres para terem filhos na carne, e para os não terem, conforme lemos em Gn. 20:17-18; 25:21; 29:31; 30:17; 30:22-23, fica claro que todos os que nascem da carne são nascidos de Jeová. Por que então João afirma que Deus, o Pai, não gera filhos na carne? (Jo. 1:12-13).

5 – Se o reino dividido não subsiste como disse Jesus em Mt. 12:25, por que Jeová dividiu o reino de Israel em dois, nos dias de Roboão, filho de Salomão? E divididos, os reinos começaram a guerrear destruindo-se um ao outro (I Rs. 11:1-12; 14:30; 15:6-7,16,32).

O povo de Deus precisa ser esclarecido.

6 – Os cristãos fiéis precisam conhecer o que está por trás do véu do Velho Testamento (II Co. 3:14).

Se os endemoninhados, isto é, todos os que têm espíritos malignos, são obra de Satanás, e não de Deus, e por isso mesmo o Deus Pai enviou o seu Filho ao mundo para libertá-los, por que Jeová fez Saul, rei de Israel, ficar endemoninhado? (I Sm. 16:14-15; 18:10-11; 19:9-10).

Se Saul, possesso pelo espírito colocado por Jeová queria matar Davi, não era Saul quem queria matar, mas Jeová, o dono do espírito maligno.

7 – Se Deus, o Pai de Jesus quer que todos os homens se salvem, pois é amor e ama a todos (I Tm. 2:3-4; I Jo. 4:7-8; Jo. 3:16-17), a pergunta é a seguinte: Por que Jeová endureceu o coração de Faraó e dos egípcios para depois mandar pragas e pestes, matar todos os primogênitos, e também os exércitos de Faraó no mar? Se Jeová endureceu seus corações, eles não foram culpados, mas sim o próprio Jeová(Ex. 4:21; 7:3; 9:12,34,35; 10:1,20,27; 11:10; 14:4 8).

Há um detalhe tenebroso que aqui registramos: “Israel entrou no Egito e Jacó peregrinou na terra de Cão. E ele multiplicou sobremodo o seu povo Israel, e o fez mais poderoso que os seus inimigos. MUDOU O CORAÇÃO DELES PARA QUE ABORRECESSEM O SEU POVO” (Sl. 105:23-25). A história prova que Jeová só condenou o Egito e Faraó, e nunca  pensou em salvá-los. Isso choca com  I Tm. 2:3-4; 4:10; II Pd. 3:9.

8 – Se Deus, o Pai, não faz acepção de pessoas (Rm. 2:11; At. 10:34), e o próprio Jeová declarou isso na lei (Dt. 10:17), porque Jeová fez tantas acepções entre povos e raças? Moisés o declara: “Para que saibais que Jeová fez diferença entre os egípcios e os israelitas” (Ex. 11:7). “És povo santo a Jeová teu Deus, e Jeová te escolheu, de todos os povos, que há sobre a face da terra, para lhes seres o seu povo próprio” (Dt. 14:2). O Pai de Jesus é Deus de todos os povos. “É porventura Deus somente dos judeus? Não o é também dos gentios? Também dos gentios certamente” (Rm. 3:29). Escolher um e rejeitar outro aleatoriamente é a acepção mais injusta que pode acontecer.

9 – Na lei dada por Jeová no monte Sinai; lemos: “Os pais não morrerão pelos filhos, nem os filhos pelos pais; cada qual morrerá pelo seu pecado” (Dt. 24:16). Novecentos anos mais tarde o profeta Isaías disse: “Preparai a matança para os filhos por causa da maldade de seus pais” (Is. 14:21). O que os cristãos precisam saber é o seguinte: Foi Jeová que falou pela boca de Isaías, ou não? Pois Isaías contradiz a lei de Jeová. E Isaías declara que quem falava pela sua boca era Jeová (Is. 16:13-14; 20:2; 37:21-22; 38:7-8). Jeová tem dois pesos e duas medidas?

10 – Os sacrifícios humanos, tanto de adultos como de crianças eram feitos pelos povos bárbaros para aplacar a ira dos seus deuses. Jeová, na sua lei, condenava tais sacrifícios. “Qualquer que dos filhos de Israel, ou dos estrangeiros que peregrinam em Israel,  der a sua semente a Moloque, certamente morrerá; o povo da terra o apedrejará com pedras” (Lv. 20:2-5). Dar a semente a Moloque era queimar o filho, isto é, fazê-lo passar pelo fogo (Lv. 18:21; II Rs. 16:2-3; 21:6; 23:10; Jr.19:5). Jeová, entretanto, aceitava sacrifícios humanos para aplacar a sua ira. Disse Jeová a Moisés: “Toma todas as cabeças do povo, e enforca-os a Jeová diante do sol, e o ardor da ira de Jeová se retirará de Israel” (Nm. 25:4). A dúvida que assalta quem lê o Velho Testamento é: foram os povos bárbaros que imitaram Jeová, ou foi Jeová que imitou os povos bárbaros.

11 – Lemos em Ex. 15:3 que Jeová é homem de guerra. Era Jeová o deus da guerra dos israelitas, como Marte era o deus da guerra dos romanos. Era chamado Jeová Tzebaot (Senhor dos Exércitos). Sendo, portanto, o deus da guerra tinha um livro secreto, chamado O LIVRO DAS GUERRAS DE JEOVÁ (Nm. 21:14). Nesse livro negro de Jeová estão os nomes das nações odiadas. A essas nações ou tribos, Jeová fazia guerra eterna. A primeira delas foi o Egito, pois 400 anos antes Jeová avisou Abraão que ia guerrear contra (Gn. 15:13-14). A segunda foram os amalequitas. “Jurou Jeová fazer guerra contra os amalequitas de geração em geração” (Ex. 17:16). Duas nações formaram o terceiro grupo. Os moabitas e os amonitas (Dt. 23:3-4).

O novo Testamento tem outra mensagem: Deus não tem adversários e inimigos. É o homem que se faz inimigo de Deus. Então Deus envia o seu Filho unigênito para reconciliar os inimigos e salvar os perdidos. Paulo diz assim: “Se nós, sendo inimigos, fomos reconciliados com Deus pela morte de seu Filho, muito mais estando já reconciliados, seremos salvos, pela sua vida” (Rm. 5:10). Lá no Velho Testamento, Jeová era o inimigo dos homens (Ex. 23:22). E depois se tornou inimigo do seu povo (Lm. 2:1-5; Is. 63:10).

12 – Jeová proíbe os sacerdotes de casar com prostitutas (Lv. 21:13-15). Para Jeová, casar com uma prostituta era profanar a descendência. E mais tarde ordena ao profeta Oséias casar com uma prostituta? O próprio Jeová profanando a descendência de Oséias, o profeta? (Os. 1:1-3) Como fica?

13 – O apóstolo João declara que Deus é luz e nele não há trevas nenhumas (I Jo. 1:5). Jesus também é luz, e onde andava havia luz (Jo. 8:12; 12:46). Com Jeová foi diferente. Onde ele estava havia trevas. Moisés o declara: “E vós vos chegastes, e vos puseste ao pé do monte; e o monte ardia em fogo até o meio dos céus, e havia trevas, e nuvens e escuridão. Então Jeová vos falou do meio do fogo” (Dt. 4:11-12). Se Jeová fosse luz, o monte Sinai ficaria luminoso por causa da sua presença, o que não aconteceu. Jeová é o deus das trevas? (Ex. 20:21; Dt. 5:22-24; Sl. 18:11).

14- Jeová proibiu seu povo de casar com mulheres estrangeiras (Ex. 34:15-16; Dt. 7:1-4; Js. 23:11-13; Ed. 9:1-2). E depois Jeová permitiu essas uniões abomináveis? (Dt. 21:10-14). E depois, se o marido enjoar da mulher Jeová aconselha a deixar ir embora?

15 – “Então disse Jeová a Moisés: Assim dirás aos filhos de Israel: Vós tendes visto que eu falei convosco desde os céus. Não fareis outros deuses comigo; deuses de prata, ou deuses de ouro não fareis para vós. Um altar de terra me farás, e sobre ele sacrificarás os teus holocaustos, e as tuas ofertas pacíficas, as tuas ovelhas, e as tuas vacas; em todo o lugar onde eu fizer celebrar a memória do meu nome, virei a ti, e te abençoarei” (Ex. 20:22-24).

Se foi Jeová que ordenou holocaustos e sacrifícios sobre um altar de pedras, e através desse ritual abençoaria o seu povo, por que em Jr. 7:21-22 lemos que Jeová negou esse ritual dizendo que nunca falou no assunto?

 

autoria: PASTOR OLAVO SILVEIRA PEREIRA

www.verdadesbiblicas.com.br

Deixe uma resposta