(196) – JESUS CRISTO É O MESMO, ONTEM, E HOJE, E ETERNAMENTE

JESUS CRISTO É O MESMO, ONTEM, E HOJE, E ETERNAMENTE

(Heb.13:8)

 

Vamos delinear o caráter sublime de Jesus, e a sua configuração espiritual, através de textos extraídos dos quatro evangelhos, e também das epístolas escritas pelos apóstolos. Os homens que escreveram o Novo Testamento estavam cheios do Espírito Santo, e por isso aceitamos como verdades o que escreveram, pois Pedro disse: “A profecia nunca foi produzida por vontade de homem algum, mas os homens santos de Deus falaram inspirados pelo Espírito Santo” (II Pd. 1:21).

  1. Jesus disse: “Aprendei de mim que sou manso e humilde de coração” (Mt. 11:29). Sabemos que a mansidão e a humildade são virtudes cultivadas com perseverança.
  2. Jesus, sendo rei e Deus, se fez servo de todos. Ele declarou: “O filho do homem também não veio para ser servido, mas para servir” (Mc. 10:45).
  3. Jesus perdoou a todos, tanto pecadores, inimigos e prostitutas. Era perdoador. Perdoou uma mulher adúltera e já condenada ao apedrejamento (Jo. 8:3-11). Perdoou uma meretriz (Lc. 7:36-50). Perdoou os seus algozes (Lc. 23:34).
  4. Jesus era cheio de compaixão para com os pobres e doentes (Mt. 14:14-21). Jesus Cristo sempre foi, é, e será o pão dos pobres e dos pecadores (Mt. 15:29-32).
  5.     O amor com que Cristo amou os perdidos é tão grande, que deu a sua vida para salvá-los. “O qual se deu a si mesmo por nossos pecados, para nos livrar do presente século mau, segundo a vontade de Deus, nosso Pai” (Gl. 1:4).
  6. Sua bondade era tão manifesta, que um jovem judeu e religioso ao extremo lhe disse: “Bom mestre, que bem farei para conseguir a vida eterna? Jesus disse-lhe: Porque me chamas bom? Não há bom senão um só, que é Deus” (Mt. 19:16-17).
  7.  Jesus, com apenas sua presença, transmitia paz e vida. Lázaro, irmão de Maria e Marta, estava doente e morreu. Quando Jesus chegou, Marta lhe disse: “Senhor, se tu estivesses aqui, meu irmão não teria morrido” (Jo. 11:21). Mais tarde, falando da sua partida deste mundo, declarou:  “Deixo-vos a minha paz, a minha paz vos dou; não vo-la dou como o mundo a dá. Não se turbe o vosso coração nem se atemorize” (Jo. 14:27).
  8.   Jesus não se queixava, não se lamentava da sorte, não acusava ninguém, mesmo os que o crucificaram. O profeta Isaías nos disse: “Ele foi oprimido, mas não abriu a sua boca: como um cordeiro foi levado ao matadouro, e como a ovelha muda perante os seus tosquiadores, ele não abriu a sua boca” (Is. 53:7).
  9. Na sua incomensurável piedade não julgava ou condenava ninguém, mesmo os que não o aceitavam. “E, se alguém ouvir as minhas palavras, e não crer, eu não o julgo; porque eu vim, não para julgar o mundo, mas para salvar o mundo” (Jo. 12:47). Tão diferente de Jeová; pois no Salmo sete lemos: “Se o homem se não converter, Jeová afiará a sua espada; já tem armado o seu arco, e está aparelhado. E já para ele preparou armas mortais, e porá em ação as suas setas inflamadas” (Sl. 7:12:13).
  10. Jesus, na sua modéstia, não gostava de aparecer para ser aplaudido. Certa feita disse: “Eu não recebo testemunho dos homens” (Jo. 5:50). Também nestes pontos Jeová era diferente de Jesus, pois criou Israel para sua glória (Is. 43:7; Jr. 15:11). E aceitava também o testemunho de homens (Is. 43:10-12; 44:8).
  11. O Senhor Jesus Cristo não acusava ninguém. “Não cuideis que eu vos hei de acusar diante do pai. Há um que vos acusa, Moisés, em quem vos esperais” (Jo. 5:45). O livro do Apocalipse declara que quem acusa é o diabo (Ap. 12:9-10). No Velho Testamento quem acusava era Jeová, pois acusou Adão e Eva (Gn. 3:16-19). Acusou os Sodomitas (Gn. 13:13). Acusou os antediluvianos (Gn. 6:1-7).Acusou seu povo Israel. (Dt. 32:18-19). Acusou Davi (II Sm. 12:7-
  12. Sendo Juiz, e vendo a maldade dos homens, se fez advogado para tentar salvá-los. “O Pai a ninguém julga, mas deu ao Filho todo o Juízo” (Jo. 5:22). E o apóstolo do amor, João, declarou: “Meus filhinhos, estas coisas vos escrevo, para que não pequeis; e se alguém pecar, temos um advogado para com o Pai, Jesus Cristo, o Justo” (I Jo. 2:1).

Gastar-se-iam dezenas de folhas para enumerar as facetas deslumbrantes do caráter de Cristo. Uma coisa, porém, é certa. De acordo com Hebreus 13:8, Jesus jamais mudará; pois é o mesmo ontem, e hoje, e eternamente.

 

Vejamos agora o Jesus Cristo revelado no livro do Apocalipse:

 

  1. O Cristo do apocalipse acusa as pessoas e as condena (Ap. 2:4-5).
  2. Contrariando Lucas 22:31-32, Jesus permite que o diabo aprisione os santos (Ap. 2:10).
  3. Imitando o espírito vingativo de Jeová, mata os filhos de Jezabel, porque esta se prostituía (Ap. 2:20-23; Is. 14:21).
  4. Jesus afirmou que o diabo é ladrão das almas, pois tira a vida não dando chance de arrependimento. E no apocalipse lemos que Jesus vem como ladrão de almas, e não dando mais tempo de vida para conversão ou arrependimento (Ap. 3:1-3). Quem rouba almas é Satã. A palavra ladrão é usada para o fim do mundo, quando Jesus vem sem avisar, é isto o dia do Senhor (I Ts. 5:1-4). O último dia será como ladrão da noite, mas não se trata de roubo de almas.
  5. O apocalipse revela o Jesus iracundo, e não o manso cordeiro. No dia final os homens clamarão. “E diziam aos montes e aos rochedos: Caí sobre nós, escondei-nos, do rosto daquele que está assentado sobre o trono, e da ira do cordeiro; porque é vindo o grande dia da sua ira; e quem poderá subsistir?” (Ap. 6:16-17). Lendo sobre as sete taças da ira de Deus, não encontramos o Deus que é amor, e o Cristo misericordioso. Deus é pai, e o pai sofre quando os filhos perecem (Ap. 16:1-21).
  6. O Jesus que manda não revidar um bofetão; e que manda dar a capa a quem nos tira o vestido(Mt. 5:38-42), volta agora a ensinar a vingança do olho por olho? (Mt. 5:38-42). Jesus deixou de ser o mesmo ontem, e hoje, e eternamente? Não podemos crer nisso.
  7. Jesus ensinou a humildade, o amor à virtude, a renúncia do ego e do mundo. Pelo Apocalipse vai levantar os crentes como tiranos, para reinar sobre a terra com vara de ferro? (Ap. 2:26-27). Pois saibam os cristãos que estes dois versos foram acrescentados, pois não fazem parte do original grego.
  8. O apóstolo João, que os teólogos afirmam ter escrito o Apocalipse, exorta na sua primeira epístola a darem os cristãos a sua vida pelo próximo (I Jo.  3:16). No apocalipse, as testemunhas de Jesus matam (Ap. 11:3-5). E tem poder, dado por Jesus, para ferir a terra com toda as pragas (Ap. 11:6).
  9. João afirma que os cristãos vencem o maligno, e no Apocalipse a besta vence os santos (I Jo. 2:13-14; Ap. 13:7).
  10.  Jesus condenou o olho por olho, isto é, a vingança, e agora adota esse método? (Mt.      5:38-42; Ap. 13:9-10).

 

O Jesus Cristo do Apocalipse não é o mesmo dos evangelhos. Como Jesus Cristo não muda, não é o Cristo do Apocalipse. Todos os comentários bíblicos revelam que no início da Igreja havia certeza de que não foi o Apóstolo João que o escreveu, mas um certo João da Ásia menor. O grego usado por João no seu  evangelho e nas suas três epístolas, é diferente do grego do Apocalipse, pois o escritor do apocalipse conhecia bem o hebraico e muito mal o grego, ao passo que João falava perfeitamente o grego. Na bíblia de Jerusalém, há, na introdução ao Apocalipse, uma explicação convincente sobre o assunto. Jesus, entretanto, falou que surgiriam no fim falsos Cristos, e enganariam a muitos (Mt. 24:4-5; 24:24).

 

Autoria: Pastor Olavo Silveira Pereira

Deixe uma resposta