(121) – A CRIAÇÃO DO MAL

A CRIAÇÃO DO MAL

 

        No livro do profeta Isaías está escrito que Jeová é o criador do mal e das trevas (Is. 45:7). Que é criar trevas? É produzi-las onde antes havia luz. Jeová revelava aos profetas, seus servos, todos os seus projetos e segredos. Os profetas eram, portanto, a luz do povo hebreu. Quando Jeová fechou os olhos dos profetas, e derramou sobre eles o espírito do sono, para que, tendo os olhos fechados não pudessem entender as visões e as Escrituras, Jeová criou o mal, pois antes não estavam de olhos fechados, mas agora conduzem o povo pelas trevas e sem rumo. O povo também teve os olhos fechados, e os ouvidos tapados, pelo próprio Jeová; assim, um cego, guiando outro cego, ambos cairão no abismo (Mt. 15:14). Leiamos as ordens de Jeová a Isaías. “Engorda o coração deste povo, e endurece-lhe os ouvidos, e fecha-lhes os olhos; não venha ele a ver com os seus olhos, e a ouvir com os seus ouvidos, e a entender com o coração, e a converter-se, e a ser sarado” (Is. 6:10). “Porque Jeová derramou sobre vós, um espírito de profundo sono, e fechou os vossos olhos, os profetas; e vendou as vossas cabeças, os videntes, pelo que toda a visão vos é como as palavras de um livro selado que se dá ao que sabe ler, dizendo: Ora, lê isto; e ele dirá: Não posso porque está selado. Ou dá-se o livro ao que não sabe ler, dizendo: Ora, lê isto; e ele dirá: Não sei ler” (Is. 29:10-12).

Uma pessoa, crendo em Jesus Cristo, será salva (Mc. 16:15-16). “Disse-lhes Jesus: A luz ainda está convosco por um pouco de tempo; andai enquanto tendes luz, para que as trevas vos não apanhem, pois quem anda em trevas não sabe para onde vai. Enquanto tendes luz, crede na luz, para que sejais filhos da luz. E ainda que tinha feito tantos sinais diante deles, não criam nele; para que se cumprisse a palavra do profeta Isaías, que diz: Senhor, quem creu na nossa pregação? e a quem foi revelado o braço do Senhor? Por isso não podiam crer, pelo que Isaías disse outra vez: Cegou-lhes os olhos, e endureceu-lhes o coração, afim de que não vejam com os olhos, e compreendam no coração, e se convertam, e eu os cure” (Jo. 12:35-40). Ora, o povo, vendo os sinais que Jesus fazia, ia se converter e ser salvo, mas porque Jeová os cegou, e lhes endureceu o coração, não creram, e foram todos condenados ao inferno. É assim que Jeová sabe criar mal onde antes havia o bem. E hoje, na Igreja, Jeová continua sua obra de cegar as pessoas, para que sejam condenadas. “O deus deste século cegou os entendimentos dos incrédulos, para que lhes não resplandeça a luz do Evangelho da glória de Cristo, que é a imagem de Deus.” (II Co. 4:4).

Analisemos outro mal, criado por Jeová. Uma pessoa só é criminosa depois de praticar um crime; também só se torna mau quando pratica o mal, pois antes de praticá-lo não poderia ser chamado de mau. Lemos na Bíblia que Jeová mudou o coração dos egípcios para que aborrecessem Israel. Se Jeová não mudasse o coração deles, não aborreceriam, logo não eram maus. “Israel entrou no Egito, e Jacó peregrinou na terra de Cão. E ele multiplicou sobremodo o seu povo, e o fez mais poderoso do que os seus inimigos. MUDOU O CORAÇÃO DELES PARA QUE ABORRECESSEM O SEU POVO” (Sl. 105:23-25). Se eram maus e odiosos, não era preciso mudar seus corações. O ódio partia do coração daquele deus sanguinário e odioso. Os egípcios foram, portanto, os instrumentos do seu ódio. A prova disso é que, alguns dias depois, odiou seu próprio povo, quando pecaram. E por que pecaram? Porque lhes faltou comida e água. Então lhes deu comida e água, mas os matou quando comiam (Sl. 78:29-31). Prometeu então abençoar os filhos, dando-lhes Canaã por herança (Nm. 14:29-33). Jeová sabe criar o mal.

Toda a geração dos filhos que entraram em Canaã passou, e os netos, isto é, a terceira geração, diz a Escritura, não conhecia a Jeová (Jz. 2:10). Mas tudo o que aconteceu estava escrito (Ex. 34:27; Dt. 31:24; Js. 8:32; 24:26). Nós, os cristãos, conhecemos a Deus pelas Escrituras. Eles tinham o início das Escrituras, portanto conheciam. Por que está escrito que não conheciam? Porque não sentiram na pele o furor vingador e impiedoso de Jeová. O livro dos Juízes relata como ficaram conhecendo: quando deixaram a Jeová: “Eles deixaram a Jeová, e serviram a Baal e a Astarote, pelo que a ira de Jeová se acendeu contra Israel, e os deu nas mãos dos roubadores, e os roubaram, e os entregou na mão dos seus inimigos ao redor, e não puderam mais estar em pé diante dos seus inimigos. Por onde quer que saiam, a mão de Jeová era contra eles para mal” (Jz. 2:13-15).

Passemos a outro mal que Jeová deus criou com sua sabedoria. No primeiro livro dos reis de Israel, no capítulo onze, temos a história completa da corrupção de Salomão: sua sensualidade desmedida, sua apostasia e idolatria. Jeová, como castigo, dividiu o reino de Israel em dois (I Rs. 11:29-35). Ficou a Tribo de Judá com Roboão, filho de Salomão, e dez tribos com Jeroboão, filho de Nebate, e houve guerra entre Roboão e Jeroboão por todos os dias (I Rs. 14:30). Morreu Roboão e seu filho Abião sentou no trono. E houve guerra entre Abião e Jeroboão, por todo o tempo (I Rs. 15:7). Baasa conspirou contra Jeroboão e o matou, e também toda a sua descendência (I Rs. 15:28). Também morreu Abião em Judá, e seu filho Asa começou a reinar (I Rs. 15:8). E houve guerra entre Asa e Baasa por todos os seus dias (I Rs. 15:32).

Quando Jeová dividiu o reino, estava criando o mal, isto é, a guerra entre os dois povos irmãos. Foi Salomão que pecou e deveria ser punido. O reino nada tinha a ver com o pecado de Salomão. Também Jeová anuncia que pretendia restaurar o reino de Israel, para nunca mais serem duas nações. Se o projeto final era ser um só reino, ao dividi-lo em dois, criou um mal desnecessário e inútil (Ez. 37:21-22).

Autoria Pastor Olavo S. Pereira

 

Deixe uma resposta