(239) – A NINGUÉM NA TERRA CHAMEIS VOSSO PAI

239 – A NINGUÉM NA TERRA CHAMEIS VOSSO PAI

 

Jesus Cristo pronunciou a seguinte frase: “A ninguém na terra chameis vosso pai, porque um só é o vosso Pai, o qual está nos céus” (Mt. 23:9). Que é que Jesus está dizendo? Está dizendo que o Deus Pai não pode ser achado na terra. Também não pode ser visto na terra.

Moisés escreveu os primeiros cinco livros da Bíblia, chamados de PENTATEUCO, e são os cinco livros da lei de deus. Nesses livros, deus aparece na terra. A primeira vez aconteceu da maneira seguinte: “E plantou Jeová deus um Jardim no Edem, da banda do oriente, e pôs ali o homem que tinha formado” (Gn. 2:8).

Esse Jardim celestial, porém na terra, era maravilhoso. Era muito bem regado por quatro grandes rios. Havia nesse Jardim todo tipo de árvore frutífera, e árvores odoríferas, e árvores medicinais, e  árvores decorativas. O Jardim era todo ornamentado de flores belíssimas e perfumadas. Bem no meio do Jardim se viam duas árvores diferentes. Uma era a árvore da vida eterna; outra era a terrível árvore da ciência do bem e do mal. E Jeová Elohim encarregou o homem de lavrar e guardar o Jardim. Recebeu, entretanto, uma ordem. Não poderia comer o fruto da árvore da ciência. Se comesse morreria (Gn. 2:8-17). Vendo o homem que todos os animais tinham fêmeas, se sentiu solitário e triste. Jeová Elohim então, de uma de suas costelas formou uma mulher, que logo se apaixonou (Gn. 2:18-25).

A parte incompreensível e estranha nessa história é que Jeová Elohim colocou Satanás no Jardim, junto com Adão e Eva (Ap. 12:9). É estranho esse fato, porque Adão e Eva eram inocentes como crianças e não discerniam entre o bem e o mal, isto é, entre o certo e o errado. Eram tão inocentes que andavam sem roupa e não se envergonhavam. Nenhum pai larga os filhos inexperientes nas mãos de bandidos pra ver o que vai acontecer. A serpente, isto é, Satanás, incitou Eva com blandícias, e esta pegou do fruto proibido, comeu e deu a Adão, que comeu com ela (Gn. 3:1-6). O resultado foi trágico. Eva foi submetida ao sistema machista para ser humilhada e dominada para sempre. Adão foi condenado a duros trabalhos, tendo a natureza como adversária, pois a terra se tornou maldita, e começou a produzir pragas, espinhos e cardos. Adão e sua mulher foram expulsos do paraíso, condenados à morte com os descendentes (Rm. 5:12; Gn. 3:16-23). Para completar, Jeová Elohim fechou para sempre o Jardim do Edem, e pôs Querubins e também uma espada inflamada para guardar o caminho da árvore da vida.

Um deus que expõe os filhos a perigos mortais, sendo eles ignorantes e inexperientes, e vendo-os cair, os condena a trabalhos forçados até a morte, não pode ser chamado de pai, mas de verdugo. Há um detalhe a focalizar. Às tardes, Jeová costumava passear no seu jardim, logo estava na terra, e Jesus foi claro ao dizer: “A ninguém na terra chameis vosso pai” (Mt. 23:9; Gn. 3:8).

Os homens são maus e pecadores, mas cuidam dos filhos e protegem-nos  contra os bandidos, coisa que Jeová não fez (Mt. 7:11).

Passados quase dois mil anos dessa tragédia, Abraão habitava nos carvalhais  de Manre, o amorreu(Gn. 13:18; 14:13). Abraão estava assentado à porta da sua tenda, e apareceram três varões (Gn. 18:1-2). Um deles era Jeová. Os doutores dão uma explicação absurda. Dizem eles que os três varões eram uma teofania, imagem irreal como tela de televisão. O fato é que esses varões lavaram os pés e comeram pão (Gn. 18:4-5). Sara correu a fazer bolos, e  preparou uma vitela assada. Os três varões assentaram com Abraão e comeram até se fartar, coisa que uma  teofania não pode fazer (Gn. 18:6-8).

Um destes três varões era Jeová, que mandou chamar Sara e lhe prometeu o filho tão esperado e desejado, pois Sara era estéril. Sara, ao ouvir a promessa riu-se, e disse Jeová a Abraão: “Por que riu Sara? Haveria alguma coisa difícil para Jeová? Eu tornarei a ti no tempo determinado, e Sara terá um filho”(Gn. 18:9-14). Depois disso Jeová começou a falar com Abraão sobre Sodoma e Gomorra, e disse: “O pecado de Sodoma e Gomorra tem se agravado. Descerei agora, e verei se tem praticado o que tenho ouvido” (Gen. 18:20-21). Jeová declarou de viva voz que desceu até Sodoma para ver o que acontecia. Dois problemas graves surgiram. O primeiro é que Jeová não é onisciente, pois ia averiguar para se certificar do que ocorria. O segundo é que desceu à terra, e  por isso não pode ser chamado de pai, pois Jesus falou: “A ninguém na terra chameis vosso pai” (Mt. 23:9). O Pai nunca desceu à terra, pois Jesus também declarou: “NINGUÉM SUBIU AO CÉU, SENÃO O QUE DESCEU DO CÉU” (Jo. 3:13). Só Jesus desceu e só Jesus subiu, logo, o Jeová que desceu e subiu não pode ser chamado de Pai. E não pode ser chamado de pai porque desceu para condenar os sodomitas e gomorritas, e também para destruir suas cidades a fogo (Gn. 19:24-25). Ora, Jesus salva os sodomitas que crêem, e por isso não os destrói para que tenham muitas chances de se converterem. O Pai também não os destrói pois quer que todos se salvem, pois Deus, o Pai, é amor (I Tm. 2:3-4; 4:10; I Co. 6:10-11). Também, se só Jesus subiu e desceu, e ao descer, desceu para salvar e não para condenar, e veio da parte do Pai (Rm. 10:6-13). Qualquer outro que tenha descido e subido, não o fez segundo o projeto de Jesus Cristo, o autor e consumador da fé(Hb. 12:2).

Temos uma terceira vez que Jeová desceu. Foi para dar a lei, quando tirou o povo do Egito e da escravidão do Faraó. O povo foi levado por Moisés, servo  de Jeová,  ao pé do Monte Sinai. O texto diz o seguinte: “O dia em que estiveste perante Jeová teu Deus  em Horebe, quando Jeová me disse: Ajunta-me este povo e eu os farei ouvir as minhas palavras, e aprendê-las-ão, para me temerem todos os dias que na terra viverem, e as ensinarão a seus filhos; e vós vos chegastes, e  vos pusestes ao pé do monte; e o monte ardia em fogo até o meio dos céus, e havia trevas, e nuvens, e escuridão. Então Jeová vos falou do meio do fogo” (Dt. 4:10-12). Depois que Jeová falou ao povo, setenta e quatro pessoas subiram ao monte Sinai,“E viram o Deus de Israel, e debaixo de seus pés havia como uma obra de pedra de safira, e como o parecer do céu na sua claridade. Porém ele não estendeu a mão sobre os escolhidos de Israel; mas viram a Deus, e comeram e beberam” (Ex. 24:9-11).

Se Jeová desceu no monte Sinai e foi visto pelos homens, não pode ser chamado de pai, a não ser que os cristãos se voltem contra Cristo por amor de Jeová.

Numa outra ocasião Moisés lhe disse: “Rogo-te que me mostres a tua glória” (Ex. 33:18). Jeová respondeu: “Todo o que olhar a minha face, morre. Aqui está a fenda de uma rocha. Tu te colocarás na fenda, e eu te cobrirei com a minha mão; tu me verás pelas costas (Ex. 33:18-23).

Jeová afirmou que habita na Jerusalém da terra (Sl. 135:21; Ed. 2:68).

Jeová afirmou que habita no monte Sião (Is. 8:18; Jl. 3:17).

Jeová pretendia fixar residência na terra “E desamparou o tabernáculo em  Siló, a tenda que estabelecera como sua morada entre os homens” (Sl. 78:60).

O Pai, nosso Deus, o Pai de Jesus, nunca esteve na terra, e homem nenhum o viu, ou falou com ele (Jo. 1:18 e I Jo. 4:12, Jo. 5:37). O resto é trevas. Só em Jesus podemos conhecer o Pai (Mat.11:27 e Jo.14:6 a 11).

autoria: PASTOR OLAVO SILVEIRA PEREIRA

ABIP – ASSOCIAÇÃO BÍBLICA INTERNACIONAL DE PESQUISA

Deixe uma resposta