(197) – COERÊNCIA – I

COERÊNCIA-N 1

(LEITO SEM MÁCULA)

 

Não se aceita nos homens a incoerência, pois o homem é racional. Em se tratando de Deus não pode haver incoerência. Quem lê o Novo Testamento, fica maravilhado com o amor de Deus pelos homens. A vida e a obra de Jesus Cristo, seu Filho, se harmonizam de tal maneira com a bondade e misericórdia do Pai, que, sendo o Pai e Filho duas pessoas distintas, a unidade de propósitos é absoluta. A coerência é absoluta e nos encanta. Analisamos trechos do Velho Testamento, e vejamos se a coerência também é absoluta.

De acordo com a lei de Jeová, o esperma humano é imundo. “O homem, quando sair dele a semente da cópula, toda a sua carne banhará com água, e será imundo até a tarde. Também todo o vestido, e toda a pele em que houver a semente da cópula, se lavará com água, e será imundo até a tarde. E também a mulher, com quem o homem se deitar com semente da cópula, ambos se banharão com água, e serão imundos até a tarde” (Lv. 15:16-18). A semente da cópula, isto é, o esperma, é tão imundo, que foi comparado com a lepra por Jeová (Lv. 22:4).

Vejamos a menstruação da mulher. “A mulher, quando tiver fluxo, e o fluxo do seu sangue estiver na sua carne, estará sete dias na sua separação, e qualquer que a tocar será imundo até a tarde. E tudo aquilo sobre que ela se deitar durante a sua separação, será imundo; e tudo, sobre o que se sentar será imundo. E qualquer que tocar a sua cama, lavará os seus vestidos, e se banhará com água, e será imundo até a tarde. E qualquer que tocar alguma coisa, sobre o que ela se tiver  assentado, lavará os seus vestidos, e se banhará com água, e será imundo até a tarde. E  se, com efeito, qualquer homem se deitar com ela, e a sua imundície estiver sobre ele, imundo será por sete dias” (Lv. 15:19-24). “Porém quando for limpa do seu sangue, então se contarão sete dias, e depois será limpa. E ao oitavo dia tomará duas rolas, ou dois pombinhos, e os trará ao sacerdote, à porta da congregação. Então o sacerdote oferecerá um para expiação do pecado, e outro para holocausto; e o sacerdote fará expiação do fluxo da sua imundície perante Jeová” (Lv. 15:28-30). Nós então perguntamos: A menstruação é própria da natureza de todas as mulheres; e é imunda? E a mulher fica imunda sete dias depois que cessa a menstruação? E traz dois pombinhos ou duas rolas para fazer expiação pelo pecado? Qual pecado? A coisa mal explicada vai mais longe. A mulher grávida ficava imunda. Jeová disse a Moisés: “Fala aos filhos de Israel, dizendo: Se uma mulher conceber e tiver um varão, será imunda sete dias, assim como nos dias  da separação da sua enfermidade será imunda. E no dia oitavo se circundará o menino na carne do seu prepúcio. Depois ficará ela trinta e três dias no sangue da sua purificação; nenhuma coisa santa tocará, e não virá  ao santuário até se cumprirem os dias da sua purificação.Mas, se tiver uma fêmea, será imunda duas semanas: depois ficará sessenta e seis dias no sangue da sua purificação. E, quando forem cumpridos os dias da purificação por filho ou por filha, trará um cordeiro de um ano por holocausto, e um pombinho ou uma rola para expiação do pecado” (Lv. 12:2-6). E para completar o assunto, lemos no livro de Jó: “Como pois, seria o homem perante deus, e como seria puro aquele que nasce de mulher?” (Jó 25:4)“Quem do imundo tirará o puro? Ninguém” (Jó 14:4). E lemos também em Malaquias 2:15“E não fez ele somente um, sobejando-lhe o espírito? E por que somente um? Ele buscava uma semente de piedosos; portanto guardai-vos em vosso espírito, e ninguém seja desleal para com a mulher da sua mocidade”. Ora,  se a semente da cópula do homem é imunda e torna a mulher imunda pela cópula. E se também, o sangue da menstruação da mulher é imundo, e torna a mulher imunda sete vezes mais que a semente da cópula, isto é, o esperma. A menstruação é também chamada ovulação, pois nada mais é que organismo feminino lançando fora os óvulos velhos, para produzir outros novos. Pelo mecanismo da cópula o espermatozóide masculino imundo por natureza, fecunda o óvulo imundo da mulher. A criança que nasce, macho ou fêmea, é imundo, sendo o período de purificação da mulher por menino quarenta dias, mas se for menina, serão oitenta dias de purificação, e é feito um sacrifício pelo pecado de haver nascido o filho, pois a criança nascida é imunda. Queremos fazer três observações:

1) Por que o nascimento de uma menina torna a mãe oitenta dias imunda, sendo que, se for menino, só será imunda a mãe por quarenta dias? A mulher é mais imunda que o homem? Incoerência. Jeová fez discriminação entre homens e mulheres.

2) Dar a luz filhos é pecado? Deus criou macho e fêmea, e lhes deu a ordem mais sublime, e abençoando-os. “E criou Deus o homem a sua imagem; à imagem de Deus os criou. E Deus os abençoou, e Deus lhes disse: Frutificai e multiplicai-vos, e enchei a terra” (Gn. 1:27-28). Na narrativa da criação, a procriação é bênção de Deus, e Jeová, na sua lei declara que a procriação é coisa imunda? Incoerência. Parece que Jeová não estava presente no capítulo um de Gênesis. Aliás, o tetragrama (nome de Jeová) só aparece nos capítulos dois e três de Gênesis. O fato é que Jeová exigiu sacrifício para expiar o pecado da mulher dar a luz o filho imundo para Jeová.

3) A semente do marido é imunda; o óvulo da mulher também é imundo e o dobro do tempo. A criança nascida é também imunda, sendo o parto pecaminoso e imundo de tal maneira, que o casal oferece sacrifícios para expiar o pecado, e para purificação, tanto dos pais, como também do bebê recém- nascido.

Neste “show” de imundície, Jeová declara que os filhos são sua herança para o casal? A herança de Jeová é imunda? O texto diz: “Eis que os filhos são herança de Jeová, e o fruto do ventre o seu galardão” (Sl. 127:3). Galardão imundo? Incoerência.

No Novo Testamento, dar à luz filhos é um ato tão sublime, que o apóstolo Paulo afirma que a mulher cristã será salva pelo ato de dar à luz a filhos (I Tm. 2:15). Não há nada mais sublime do que uma mãe dar à luz o filho sonhado, esperado, e enfim nascido.

No livro de Hebreus lemos: “Venerado seja entre todos o matrimônio e o leito sem mácula” (Hb.  13:4).Que é leito sem mácula? É o leito onde não há esperma imundo, nem ovulação imunda, nem filhos imundos, porque Deus, o Pai, é Pai de família, e é o Deus de todas as famílias, mesmo as dos não cristãos. Paulo assim se exprime: “Por causa disso me ponho de joelhos perante o Pai de Nosso Senhor Jesus Cristo, do qual toda a família nos céus e na terra toma o nome” (Ef. 3:14-15). No leito sem mácula não há filhos imundos, mas santos (I Co. 7:12-14). Agora no Novo Testamento encontramos coerência.

 

Autoria: Pastor Olavo Silveira Pereira

Deixe uma resposta