(332) – A AFLIÇÃO

A    AFLIÇÃO

            Jesus disse: “No mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo” (Jo. 16:33). O Senhor está alertando que neste mundo ninguém passa sem sofrer aflições. Sofre aflição quem vê um filho enfermo, ou quando se perde o emprego e falta o pão. Quem deve e não consegue pagar passa muita aflição. Quando alguém é traído por um amigo ou irmão a quem muito ama, a aflição é insuportável. Há, entretanto, um tipo de aflição diferente. É a aflição que um cristão padece por amor a Jesus. Paulo disse a Timóteo, seu filho na fé, e companheiro de ministério“Sofre, pois, comigo, as aflições como bom soldado de Cristo” (II Tm. 2:3). Na carta aos Hebreus, lemos: “Outros experimentaram escárneos e açoites, e até cadeias e prisões. Foram apedrejados, serrados, tentados, mortos ao fio da espada; andaram vestidos de peles de ovelhas e de cabras, desamparados, aflitos e maltratados (dos quais o mundo não era digno), errantes pelos desertos, e montes, e pelas covas e cavernas da terra” (Hb. 11:36-38). Paulo declara que o seu sofrimento foi tanto que chegou a desesperar da vida (II Co. 1:8).

Pois bem, no Velho Testamento quem era o autor das aflições dos fiéis? Muitos, logo vão pensar que é o maligno Satanás, o gênio do mal. Vejamos: Quem afligiu o povo de Israel? O povo de Israel andava em trevas totais (Is. 9:2). O salmista canta, dizendo: “Louvem a Jeová pela sua bondade, e pelas suas maravilhas para com os filhos dos homens, pois fartou a alma sedenta, e encheu de bens a alma faminta; tal como a que se assenta nas trevas e sombra da morte, presa em aflição e em ferro, porque se rebelaram contra as palavras de Deus” (Sl. 107:8-11). É estranho que Jeová bondoso ponha o seu povo em trevas, aflições, e sombra da morte, por causa do pecado. Enche de bens a alma faminta, e depois coloca em trevas e sombra da morte, presa em aflição e em ferro? De um mesmo manancial sai a benção e a maldição? (Tg. 3:10-11). A coisa fica mais clara quando Jeová promete tirar seu povo do jugo e da aflição do Egito, para levá-los a uma terra boa e larga que mana leite e mel (Ex. 3:7-8)O povo, que passou cento e vinte anos escravo, obrigado a praticar idolatria e prostituição, não corresponde, e morre no deserto como castigo, debaixo da vara, da sede, e da fome. No tempo do profeta Isaías, Jeová falou dizendo“Seus príncipes se assombrarão da bandeira, diz Jeová, cujo fogo está em Sião e cuja fornalha em Jerusalém” (Is. 31:9). E Jeová continua: “Eis que te purifiquei, mas não como a prata; provei-te na fornalha da aflição” (Is. 48:10). Uma coisa é certa: O autor das aflições de Israel sempre foi Jeová.

Davi tinha um coração conforme o de Jeová (At. 13:22). E por isso mesmo era querido de Jeová(Sl. 4:3). Então Jeová o escolheu para ser o messias, e com juramento (Sl. 89:3). Pois bem. Davi era um homem aflito. Era tanto a aflição, que em oração Davi clamava, dizendo“A minha alma está perturbada” (Sl. 6:3). “Já estou cansado do meu gemido; toda a noite faço nadar a minha cama, molho o meu leito com as minhas lágrimas” (Sl. 6:6). “O meu espírito se angustia em mim, e o meu coração em mim está desolado” (Sl. 143:4). E Davi orava sem cessar, dizendo: “Lembra-te Jeová, de Davi, e de todas as suas aflições” (Sl. 132:1). Jeová disse a Jeroboão, filho de Nebate“Eu afligirei a semente de Davi, todavia não para sempre” (I Rs. 11:39). Após o adultério de Davi, e do homicídio, Jeová disse a Davi: “Agora, pois, não se apartará a espada jamais da tua casa, porquanto me desprezaste, e tomaste a mulher de Urias, o heteu, para que te seja por mulher” (II Sm. 12:10). “A Urias, o heteu, feristes à espada” (II Sm. 12:9). E Jeová pronuncia a cruel sentença que iria afligir o coração de Davi: “Eis que suscitarei da tua mesma casa o mal sobre ti, e tomarei tuas mulheres perante os teus olhos, e as darei ao teu próximo, o qual se deitará com elas perante este sol” (II Sm. 12:11). Já imaginaram a aflição de Davi vendo o seu primogênito Amnom violentando a irmã Tamar, moça delicada e pura? E depois, Absalão, irmão de Tamar assassina seu irmão Amnom. Mais tarde Absalão promove uma rebelião, e com um exército de revoltosos marcha contra o palácio de seu pai Davi, que foge para não matar o filho; foge deixando dez mulheres em casa. Absalão arma uma tenda no terraço da casa real, e se deita com as dez mulheres de Davi à luz do dia, e diante do povo estupefato. Já imaginaram a aflição de Davi? De onde veio toda esta aflição? De Jeová (II Sm. 12:11-12). Por fim, Joabe, capitão do exército de Davi, mata Absalão.

Jeová deu testemunho de Jó, como varão sincero e reto, temente a deus e desviando-se do mal(Jó 1:6-8). Pois Jeová, tentado por Satanás, entregou Jó para padecer em suas mãos diabólicas, que mataram seus sete filhos e três filhas, e ainda destruíram tudo o que Jó tinha, plantações, rebanhos e edificações. Jó então diz: “Sobrevieram-me pavores; como vento perseguem a minha honra, e como nuvem passou a minha felicidade. E agora derrama-se em mim a minha alma; os dias da aflição se apoderaram de mim” (Jó 30:15-16). E Jó mesmo declara: “Compadecei-vos de mim amigos meus; compadecei-vos de mim, porque a mão de Deus me tocou” (Jó 19:21). Quem afligia os povos que nem o conheciam? O próprio Jeová, pois o salmista disse: “Como expeliste as nações com a tua mão e os plantastes a eles; como afligiste os povos, e a eles os alargaste” (Sl. 44:2).

No Novo Testamento o nome de Jeová desaparece, e entra em cena Satanás como aquele que causa aflições aos cristãos. Cristo avisou os discípulos que no mundo sofreriam aflições (Jo. 16:33). E o apóstolo Pedro revela que essas aflições são causadas por Satanás. Leiamos o texto: “Sede sóbrios; vigiai; porque o diabo, vosso adversário, anda em derredor, bramando como leão, buscando a quem possa tragar. Ao qual resisti firmes na fé, sabendo que as mesmas aflições se cumprem entre vossos irmãos no mundo” (I Pd. 5:8-9).

Incrível, uma função que pertencia a Jeová no Velho Testamento, agora, no Novo Testamento é função de Satanás, e Jeová passa a ser o Pai das misericórdias, e o Deus de toda a consolação (II Co. 1:3)? Se é o mesmo Deus, então ele muda como camaleão; mas, não são a mesma pessoa! E o Espírito Santo, que o Pai enviou por Jesus Cristo é o consolador nas aflições e tribulações (Jo. 14:26). “E o próprio nosso Senhor Jesus Cristo, nosso Deus e Pai, que nos amou, e em graça nos deu uma eterna consolação e boa esperança” (II Ts. 2:16).

É fácil entender que Satanás nos faça passar aflições, e também, se Jeová faz passar por aflições, são iguais entre si, pois duas coisas iguais a uma terceira, são iguais entre si. E o Deus Pai que é amor,(I Jo. 4:8), o Deus filho, que é amor (Jo. 15:13), e o Espírito Santo que é amor, os três, que são um em amor, consolam os que passam por aflições, e jamais são causa de alguma aflição (Rm. 5:5).

“O reino de Deus não é comida nem bebida, mas justiça, e paz, e alegria no Espírito Santo” (Rm. 14:17). “Porque Deus não é Deus de confusão, senão de paz” (I Co. 14:33). “E a paz de Deus, para a qual também fostes chamados em um corpo, domine os vossos corações” (Cl. 3:15). “Ora o mesmo Senhor da paz vos dê sempre paz de toda a maneira” (II Ts. 3:16).

 

Autoria: Pastor Olavo Silveira Pereira

 

Deixe uma resposta