(145) – DEUS SURDO

DEUS SURDO

 

Está escrito que Jeová ouve as orações (Sl. 65:2; Sl. 94:9). Davi era o amado de Jeová, pois isso é o que quer dizer o seu nome. Davi era reto e fiel segundo as palavras do próprio Jeová (I Rs. 11:38; 15:5). Davi, entretanto, cometeu o seu primeiro pecado pois cometeu adultério com Batseba, mulher de Urias, o Heteu (I Sm. 11:1-4). Para não ser desmascarado, pois a mulher engravidou, mandou matar o marido (II Sm. 11:14-17). Jeová odeia os pecadores (Sl. 11:5; 5:5; Am. 9:10), por isso arquitetou um plano contra Davi, o seu amado. O plano começava por matar o filho nascido do adultério com Batseba.“Todavia, porquanto com este feito deste lugar sobremaneira a que os inimigos de Jeová blasfemem, também o filho que te nasceu morrerá. E Jeová feriu a criança que a mulher de Urias dera a Davi, e adoeceu gravemente” (II Sm. 12:14-15). Davi desesperado, jejuou, prostrou-se sobre a terra em oração por sete dias, mas Jeová não ouviu a oração de Davi, e o menino morreu (II Sm. 12-20). Não dá para entender que Jeová seja justo juiz (Sl. 119:137; 145:17). E também, Jeová, na sua lei, escreveu que o filho não morre pelo pai (Dt. 24:16). Como dissemos, não dá para entender que Davi, o pai pecador, foi perdoado, e o filho inocente morreu como castigo em lugar de Davi: Convém lembrar que a cobrança de Jeová foi vingativa e maligna, pois incitou Amnom, primogênito de Davi, que movido por uma paixão anormal estuprou a irmã desonrando-a publicamente. Absalão, também filho de Davi matou a seu irmão por vingança. Joabe, capitão do exército de Davi, matou Absalão contra as ordens de Davi. Por último Jeová entregou dez mulheres de Davi a Absalão, que copulou com elas publicamente para desonrar o Pai. E tudo isto feito por Jeová, que declarou dizendo: “Agora, pois, não se apartará a espada jamais da tua casa, porquanto me desprezaste, e tomaste a mulher de Urias, o Heteu, para que te seja por mulher. Assim diz Jeová: Eis que suscitarei da tua mesma casa o mal sobre ti, e tomarei as tuas mulheres perante os teus olhos,  e as darei a teu próximo, o qual se deitará com elas perante este sol. Porque tu fizeste em oculto, mas eu farei este negócio perante todo o Israel e perante este sol” (II Sm. 12:10-12; 13:1-19; 13:23-29; 16:21-23). É obvio que o pobre Davi orava em todo tempo, enquanto Jeová, surdo às súplicas do seu amado servo, ia destruindo os inocentes e a casa de Davi (Sl. 6:6; 38:1-2). E lemos no Velho Testamento que Jeová é justo  (Sl. 119:137; 145:17). A ira, o ódio, e a vingança, tapavam os ouvidos do deus Jeová, o matador. Considerando que Davi era um pecador confesso, temos de aceitar as suas desgraças, pois Jeová não ouve a pecadores (Jo. 9:31; Sl. 66:18; Is. 1:15; 59:1-2; Sl. 32:5; 51:3-4).

Vamos falar de outro que nunca praticou o mal, esse foi Samuel. “E o mancebo Samuel ia crescendo, e fazia-se agradável, assim para com Jeová como também para com os homens” (I Sm. 2:26). O nome de Samuel significa OUVIR DE DEUS. E Samuel servia a Jeová no templo com um coração limpo, e sendo ainda menino Jeová o chamou pelo nome e lhe fez revelações terríveis (I Sm. 3:1-14). No fim do seu ministério, Samuel, já velho, reuniu o povo, e disse: “Testificai contra mim perante Jeová, a quem tomei o boi, a quem tomei o jumento, e a quem defraudei, a quem tenho oprimido, e de cuja mão tenho tomado presente, e vos restituirei. Então disseram: Em nada nos defraudaste, nem nos oprimiste, nem tomaste coisa alguma da mão de ninguém” (I Sm. 12:3-4). E Samuel era um homem de oração (I Sm. 12:23).

O povo de Israel pediu a Samuel um rei, e Jeová lhe disse: “Ouve a voz do povo, pois não te tem rejeitado a ti, antes a mim me têm rejeitado para eu não reinar sobre eles (I Sm. 8:5-7). E o próprio Jeová escolheu o varão Saul para reinar sobre Israel. E falou a Samuel: “Amanhã a estas horas te enviarei um homem da terra de Benjamim, o qual ungirás por capitão sobre o meu povo Israel, e ele livrara o meu povo da mão dos filisteus. E quando Samuel viu a Saul, Jeová lhe disse: Eis aqui o homem” (I Sm. 9:16-17).

Saul tinha qualidades boas. Saul era bom, mais que todos (I Sm. 9:2) (Em algumas Bíblias lê-se que era belo, mas no original hebraico esta escrito BOM). Saul cuidava do pai e não queria vê-lo aflito (I Sm. 9:5). Saul ia encontrar-se com Samuel e queria levar algum presente, revelando com isso respeito (I Sm. 9:7).  Saul era humilde, pois quando Jeová, por sorteio, escolheu a tribo de Benjamim, e por sorteio a família de Matri, e dela tomou Saul filho de Cis, não o acharam, pois estava escondido (I Sm. 10:20-22).Saul não tinha espírito guerreiro pois era manso e tratava dos bois. Naás, rei amonita, afrontou a Israel, e prometeu arrancar o olho direito de todos os de Jabes-Gileade. Os anciãos puseram-se a chorar de desespero. Saul voltava do lambo, atrás dos bois, e contaram-lhe sobre a afronta de Naás. Como Saul era manso, o espírito de Jeová se apoderou de Saul, e encheu-se de grande ira, pois o espírito de Jeová é o espírito de ira (I Sm. 11:1-6).

Pois foi o próprio Jeová que mudou o coração de Saul (I Sm. 10:6). Saul deixou de ser manso, humilde, submisso ao pai, bom, obediente a Jeová e honrando o seu profeta. Saul começou a rebelar-se exacerbando suas funções. Ofereceu sacrifícios a Jeová, coisa que só Samuel podia fazer (I Sm. 13).Desobedeceu a ordem de Jeová (I Sm. 15). Encheu-se de ódio contra Davi (I Sm. 18:7-11). Quando Saul se achava cercado pelos filisteus, orou a Jeová, que não lhe respondeu (I Sm. 28:1-6). Se Saul fez o mal foi porque Jeová lhe mudou o coração, e depois vira o rosto? As maldades que Saul iria fazer, Jeová falou antes de acontecer (I Sm. 8:9-18).  Jeová então revela o seu plano de vingança contra Israel, por ter pedido um rei. Quando o rei que eu puser sobre vós vos oprimir, clamareis a mim, mas eu não ouvirei a vosso oração (I Sm. 8:18). Samuel pôs-se a orar por Samuel, pois sabia que Jeová poderia mudar seu coração para o primeiro estado, mas Jeová lhe disse: “Ate quando terás dó de Saul havendo-o eu rejeitado? (I Sm. 16:1).

O terceiro caso é o de Jeremias, profeta escolhido por Jeová desde o ventre (Jr. 1:4-10). “Antes que te formasse no ventre te conheci, e antes que saísses da madre, te santifiquei; às nações te dei por profeta” (Jr. 1:5). O profeta Jeremias tinha intimidade com Jeová; que lhe disse: “Clama a mim e responder-te-ei, e anunciar-te-ei coisas grandes e firmes que tu não sabes” (Jr. 33:3).  Jeremias profetizou durante o cativeiro babilônico por causa da apostasia de Judá. Até os profetas e sacerdotes se corromperam. Então Jeremias se põe a orar pelo seu povo, mas Jeová lhe diz: “Não ores por este povo, nem levantes por ele clamor ou oração, nem me importunes, porque eu não ouvirei” (Jr. 7:16; 11:14). E disse mais: “Não ores por este povo para bem, pois vou consumi-los pela espada, pela fome e pela peste” (Jr. 14:11-12).  Jeová só aceitava oração para o mal. Mas disse a Jeremias que ouviria a oração (Jr. 33:3). Foi inútil a oração do santo Jeremias. Jeová disse: “Fa-los-ei em pedaços uns contra os outros, e juntamente os pais com os filhos, diz Jeová; não perdoarei nem pouparei, nem terei deles compaixão para que os não destrua” (Jr. 13:14).

Uma coisa é certa. O Sl.65:2 não fala a verdade: “Ó tu que ouves as orações.” Não ouviu a de Jeremias, nem a de Samuel e nem a de Moisés (Jr. 15:1-2).

Os Judeus estão no muro das lamentações orando ao deus surdo. Jesus entretanto disse: “Tudo o que pedirdes em meu nome eu o farei para que o Pai seja glorificado no Filho” (Jo. 14:13-14). “Pedi, e dar-se-vos-á; buscai, e encontrareis; batei, e abrir-se-á, porque aquele que pede, recebe, e o que busca acha, e ao que bate, abrir-se-lhe-á” (Mt. 7:7-8). Quem pede? O pecador.

 

Autoria: Pastor Olavo S. Pereira

Deixe uma resposta