(051) – AS PROMESSAS

Todas as promessas se encontram no Velho Testamento. “Os israelitas, dos quais é a adoção de filhos, e a glória, e os concertos, e a lei; e o culto, e as promessas” (Rm. 9:4). “As promessas foram feitas a Abraão e à sua posteridade” (Gl. 3:16). Foram dois tipos de promessas. As de Jeová se cumpriram no Velho Testamento e as de Jesus Cristo se cumpriram no Novo Testamento. As de Jeová eram temporais e carnais, mas as de Jesus são espirituais e eternas.

Comecemos pelas promessas de Jeová:

  • Foram feitas só para Israel, excluindo os outros povos. “Porque povo santo és a Jeová teu Deus; Jeová teu Deus te escolheu, para que fosses seu povo próprio, de todos os povos que sobre a terra há” (Dt. 7:6). “Quem há como o teu povo Israel, única gente na terra, a quem Deus foi remir para seu povo” (1 Cr. 17:21).
  • Jeová prometeu multiplicar a descendência de Abraão. “Farei a tua semente como o pó da terra; de maneira que se alguém puder contar o pó da terra, também a tua semente será contada” (Gn. 13:6). Esta promessa se cumpriu no Egito, onde os israelitas se multiplicaram. “Aproximando-se porem, o tempo da promessa que deus tinha feito a Abraão, o povo cresceu e se multiplicou” (At. 7:17).
  • Jeová prometeu a Abraão a terra de Canaã como herança eterna. “E te darei a ti, a terra das tuas peregrinações, toda a terra de Canaã em perpétua possessão” (Gn. 17:8).
  • Jeová prometeu estabelecer um reino em Canaã. “E vós me sereis um reino sacerdotal e o povo santo” (Ex. 19:6). E Jeová foi o rei de Israel. “Eu sou Jeová, vosso santo, criador de Israel, vosso rei” (Is. 43:15).
  • As promessas de Jeová, todas, se cumpriram no Velho Testamento: “Palavra alguma falhou de todas as boas palavras que Jeová prometeu à casa de Israel; tudo se cumpriu” (Js. 21:45). Salomão confirma isso em I Rs. 8:56.

O grande problema das promessas de Jeová é que são sim e não. Nada é absoluto. Jeová fazia suas promessas com juramento e as trocava em maldição. Vejamos: “Agora, sacerdotes, este mandamento vos toca a vós. Se o não ouvirdes, e se não propuserdes no vosso coração dar honra ao meu nome, diz Jeová, enviarei maldição contra vós, E AMALDIÇOAREI AS VOSSAS BENÇÃOS, E JÁ AS TENHO AMALDIÇOADO” (Ml. 2:1-2). O que Jeová planta, ele mesmo arranca (Jr. 45:4).

  • Jeová salvou Israel do Egito, e depois os matou no deserto (Jd. 5). As promessas de Jeová eram todas sim e não.
  • Salomão foi predestinado por Jeová. “Eis que o filho que te há de nascer será homem de repouso; porque repouso lhe hei de dar de todos os seus inimigos em redor. Portanto Salomão será o seu nome, e paz e descanso darei a Israel nos seus dias. Este edificará casa ao meu nome, e ele me será por filho, e eu a ele por pai; e confirmarei o trono do seu reino sobre Israel, para sempre” (1 Cr. 22:9-10). No entanto, o reino não foi confirmado para sempre. Salomão pecou e Jeová mudou o que havia prometido. “Pelo que disse Jeová a Salomão: Pois que houve isto em ti, que não guardaste o meu concerto e os meus estatutos que te mandei; certamente rasgarei de ti este reino, e o darei ao teu servo” (1 Rs. 11:11). E dez tribos foram dadas a Jeroboão. Não se cumpriu a promessa de Jeová. Jeová predestinou Salomão e não sabia que ele ia se corromper? O fato é que Jeová promete uma coisa e faz outra.
  • Jeová criou Israel para sua glória. “Mas agora, assim diz Jeová que te criou, ó Jacó, e que te formou, ó Israel: Não temas, porque eu te remi; chamei-te pelo teu nome, tu és meu” (Is. 43:1). “A todos que são chamados pelo meu nome, e os que criei para minha glória; eu os formei” (Is. 43:7). Este povo foi obra das mãos de Jeová. “Não poderei eu fazer de vós como fez este oleiro, ó casa de Israel? Diz Jeová: Eis que, como o barro na mão do oleiro, assim sois vós na minha mão, ó casa de Israel” (Jr. 18:6). E depois, deixando a impressão que falhou na sua obra, Jeová declara: “Chegou o fim sobre o meu povo de Israel; daqui por diante nunca mais passarei por ele” (Am. 8:1). E disse Jeová: “Põe-lhe o nome de Lo-Ami; porque vós não sois o meu povo, nem eu serei vosso Deus” (Os. 1:9). E o próprio Jeová destroi o povo que criou para sua glória. “Pelo que Jeová rejeitou a toda a semente de Israel, e os oprimiu, e os deu nas mãos dos despojadores, até que os tirou de diante da sua presença” (2 Rs. 17:28).
  • Jeová confessa que dá e tira do justo, sem motivo algum  (Jó 1:6-21; 2:1-3). 

 

AS PROMESSAS DE JESUS:        

Estas promessas não são terrenas, pois Jesus declarou que seu reino não é deste mundo, e Ele também não (Jo. 18:36; 8:23). 

  • Jesus prometeu a vida eterna. “Aquele que crê no Filho tem a vida eterna” (Jo. 3:36). — Prometeu e deu.
  • Para selar sua promessa, Jesus deu sua vida na cruz. A morte de Cristo reconciliou os homens com Deus de forma irreversível, porque não há mais imputação do pecado. “Isto é, Deus estava em Cristo reconciliando consigo o mundo, não lhes imputando os seus pecados, e pôs em nos a palavra da reconciliação” (2 Co. 5:19). Isso é a graça de Deus Pai. “Porque a graça de Deus se há manifestado, trazendo salvação a todos os homens” (Tt. 2:11).
  • Cristo prometeu o Espírito Santo. “Eis que sobre vós envio a promessa de meu Pai; ficai porem, na cidade de Jerusalém, até que do alto sejais revestidos de poder” (Lc. 24:49). “Quem crê em mim, como diz a escritura, rios de água viva correrão do seu ventre.  E isto disse ele do Espírito que haveriam de receber os que nele cressem; porque o Espírito Santo não existia, por Jesus não ter sido glorificado” (Jo. 7:38-39). Nas traduções lemos “PORQUE O ESPÍRITO SANTO AINDA NÃO FORA DADO mas no grego está escrito que NÃO EXISTIA, logo, o Espírito Santo do Pai não estava no Velho Testamento. O Espírito Santo do Pai é intercessor (Rm. 8:26). É ensinador (Jo. 14:26). É guia (Rm. 8:14; Jo. 16:13). É amor (Rm. 5:5).

O Espírito Santo do Velho Testamento era inimigo e pelejava contra Israel (Is. 63:10). O Espírito de Jeová era guerreiro  (Is. 59:19). Era homicida (Jz. 14:19; 15:14-16). O Espírito de Jeová é o espírito da ira (1 Sm. 11:6). Este espírito de Jeová nada tem a ver com o Espírito Santo prometido por Jesus.

Para terminar, Paulo revela que todas as promessas de Deus Pai são SIM.  “Porque o Filho de Deus, Jesus Cristo, que entre vós foi pregado por nós, NÃO FOI SIM E NÃO; MAS NELE HOUVE SIM. PORQUE TODAS QUANTAS PROMESSAS HÁ DE DEUS, SÃO NELE SIM, E POR ELE O AMEM, PARA A GLÓRIA DE DEUS” (2 Co. 1:19-20).

As promessas de Cristo são superiores as de Jeová. “Mas agora alcançou ele mistério tanto mais exlente, quanto é mediador dum melhor concerto, que está confirmado em melhores promessas” (Hb. 8:6).

Ou os homens ficam com as promessas de Jeová e se tornarão vassalos de Israel (Is. 60:9-12; 61:1-6),  ou aceitam as promessas de Jesus e vão morar na casa do Pai  (Jo. 14:1-4).

 

Autoria: Pr. Olavo Silveira Pereira

Deixe uma resposta