Archives

(783) – AS DUAS CRUZES

“E quem não toma a sua cruz, e não segue após mim, não é digno de mim” (Mt. 10:38).

Não há cristianismo do sucesso. Não existe cristianismo da glória, da fama e da prosperidade, da riqueza, dos banquetes.

É tudo mentira de Satanás: “E o diabo, levando-o a um alto monte, mostrou-lhe, num momento de tempo, todos os reinos do mundo. E disse-lhe o diabo: Dar-te-ei a ti todo este poder e a sua glória, porque a mim me foi entregue, e dou-o a quem quero. Portanto, se tu me adorares, tudo será teu. E Jesus, respondendo, disse-lhe: Vai-te, Satanás, porque está escrito: adorarás o Senhor, teu Deus, e só a ele servirás” (Lc. 4:5-8).

Cristianismo se resume numa só palavra: CRUZ. “Porque Cristo enviou-me, não para batizar, mas para evangelizar; não em sabedoria de palavras, para que a cruz de Cristo se não faça vã” (1 Co. 1:17). “Porque os judeus pedem sinal, e os gregos buscam sabedoria; mas nós pregamos a Cristo crucificado, que é escândalo para os judeus, e loucura para os gregos” (1 Co.1:22-23). É escândalo para os judeus porque eles esperavam um Cristo com poder e glória, sentado no trono de Davi: “Ele nos submeterá os povos e porá as nações debaixo dos nossos pés” (Sl.47:3). “Então disse Jesus aos seus discípulos: Se alguém quiser vir após mim, renuncie-se a si mesmo, tome sobre si a sua cruz e siga-me; porque aquele que quiser salvar a sua vida, perde-la-á, e quem perder a sua vida por amor de mim, acha-la-á” (Mt.16:24-25). “Todos os que querem mostrar boa aparência na carne, esses vos obrigam a circuncidar-vos, somente para não serem perseguidos por causa da cruz de Cristo” (Gl.6:12).

Paulo só pregava a cruz de Cristo: “Porque nada me propus saber entre vós, senão a Jesus Cristo, e este crucificado” (1 Co.2:2). “Ó insensatos gálatas! Quem vos fascinou para não obedecerdes à verdade, a vós, perante os olhos de quem Jesus Cristo foi já representado como crucificado?” (Gl.3:1). “Se alguém vier a mim, e não aborrecer a seu pai, e mãe, e mulher, e filhos, e irmãos, e irmãs, e ainda também a sua própria vida, não pode ser meu discípulo. E qualquer que não levar a sua cruz, e não vir após mim, não pode ser meu discípulo” (Lc.14:26-27). 

Em relação à cruz, existem três tipos de cristãos: 

1o) Os inimigos da cruz de Cristo: “Porque muitos há, dos quais muitas vezes vos disse e agora também digo, chorando, que são inimigos da cruz de Cristo. O fim deles é a perdição; o deus deles é o ventre, e a glória deles é para confusão deles mesmos, que só pensam nas coisas terrenas” (Fp.3:18-19). Eles são comilões e lascivos. 

2o) Os amigos da cruz de Cristo, mas também amigos do mundo: “Adúlteros e adúlteras, não sabeis vós que a amizade do mundo é inimizade com Deus? Portanto, qualquer que quiser ser amigo do mundo constitui-se inimigo de Deus” (Tg.4:4). 

3o) “Os que são de Cristo, crucificaram a carne com as suas paixões e concupiscências. Se vivemos no Espírito, andemos também no Espírito” (Gl.5:24-25).

Autoria: Pr. Olavo Silveira Pereira

(782) – CONVERSÃO A IAHWEH

Quando alguém não se converte a Iahweh é tido como inimigo: “Deus é um juiz justo, um Deus que se ira todos os dias. Se o homem não se converter, Deus afiará a sua espada; já tem armado o seu arco, e está aparelhado, e já ele preparou as armas mortais, e porá em ação as suas setas inflamadas contra os perseguidores” (Sl.7:11-13). A justiça de Iahweh é assim: Se o homem se converte torna-se amigo. Se o homem não se converte, Iahweh mata.

No caso de Elias, o profeta, os profetas se Baal se converteram a Iahweh, e diziam: “Só Iahweh é Deus! Só Iahweh é Deus! E Elias lhes disse: Lançai mão dos profetas de Baal, que nenhum deles escape! E lançaram mão deles: e Elias os fez descer ao ribeiro de Quisom, e ali os matou” (1 Rs.18:39-40). Iahweh aprovou a atitude de Elias porque ele não aceita conversão de gentios. Iahweh é um deus tribal.

Jacó foi a Siquem e armou as suas tendas, “e saiu Diná, filha de Léia, que esta dera a Jacó, a ver as filhas da terra. E Siquém, filho de Hamor, heveu, príncipe daquela terra, viu-a, e tomou-a, e deitou-se com ela, e humilhou-a. E apegou-se sua alma com Diná, filha de Jacó, e amou a moça, e falou afetuosamente à moça. Falou também Siquém a Hamor, seu pai, dizendo: Toma-me esta por mulher” (Gn.34:1-4). E Hamor pediu a Jacó a mão de sua filha Diná. Só que havia um problema: Os hebreus eram circuncidados e os de Hamor, heveus, não. Então Hamor convenceu os varões de seu povo a respeito da circuncisão. E todos foram circuncidados: “E aconteceu que, ao terceiro dia, quando estavam com a mais violenta dor, dois filhos de Jacó, Simeão e Levi, irmãos de Diná, tomaram cada um a sua espada, e mataram todo macho” (Gn.34:25). Jacó reprovou a atitude de seus filhos, mas Iahweh não. Jacó falou que os povos iam tomar vingança. E Iahweh mandou um grande terror sobre todos: “E partiram, e o terror de Iahweh foi sobre as cidades que estavam ao redor deles, e não seguiram após os filhos de Jacó” (Gn.35:5). 

No Novo Testamento o Deus, Pai de Jesus Cristo, “enviou o seu Filho, nascido de mulher, nascido sob a lei, para remir os que estavam debaixo da lei, a fim de recebermos a adoção de filhos” (Gl.4:4-5). Esta mensagem é para os judeus.

O Pai também mandou uma mensagem para os gentios: “E disse-lhes: Ide por todo o mundo, e pregai o evangelho a toda criatura. Quem crer e for batizado será salvo, mas quem não crer será condenado. E estes sinais seguirão aos que crerem: em meu nome expulsarão demônios; falarão novas línguas; pegarão nas serpentes; e, se beberem alguma coisa mortífera, não lhes fará dano algum; imporão as mãos sobre enfermos, e os curarão. Ora, o Senhor, depois de lhes ter falado, foi recebido no céu, e assentou-se à direita de Deus. E eles, tendo partido, pregaram por todas as partes, cooperando com eles o Senhor, e confirmando as palavras com os sinais, que se seguiram. Amém!” (Mc.16:15-20).

 

Autoria: Pr. Olavo Silveira Pereira

(781) – O BATISMO DO LADRÃO

Pode alguém ser salvo na última hora como o ladrão da cruz?

Todos dizem que sim, pois Jesus afirmou que o ladrão entraria no paraíso.

Baseados no ladrão, milhões e milhões de pessoas deixam a salvação de suas almas para a última hora. Milhões e milhões de cristãos alimentam a certeza de que Deus não o rejeitará como não rejeitou o ladrão.

O ladrão tem sido um péssimo exemplo. Todos os fracos, todos os carnais, todos os desonestos, todos os impuros e prostituídos, creem que serão salvos na última hora como o ladrão, e permanecem caídos até o fim da vida.

Se dissermos que a santidade é indispensável para a salvação, logo alguém diz: Mas o ladrão foi salvo”. Se afirmarmos que sem as obras a fé é nula logo alguém dirá: “Mas o ladrão nada fez e foi salvo”. Se pregarmos que o batismo é indispensável para a salva­ção, todos respondem: O ladrão não foi batizado e foi salvo”.

Se o ladrão foi salvo sem santidade, sem obras e sem batismo, eu afirmo que ele tem sido um falso profeta e tem lançado milhões no inferno.

A Bíblia diz: Segui a paz e a santificação sem a qual ninguém verá o Senhor” (Hb.12:14). “A fé sem obras e morta” Tg.2:26. “Quem crer e for batizado será salvo” Mc.16:16.

Pedro diz: “…na qual poucas (isto é, oito) almas se salvaram pela água; Que também, como uma verdadeira figura, agora vos salva, o batismo…” (1 Pd.3:20-21).

Se o ladrão foi salvo, não poderia contradizer a Bíblia. Analisemos o texto Bíblico e conheçamos o ladrão para não sermos condenados com os tolos e os formicários.

O ladrão repreendeu o outro ladrão, o que prova que os dois não eram iguais (Lc.23:40). Neste mesmo texto o “bom la­drão” disse: Tu nem ainda temes a Deus?” Vemos que este ladrão tinha temor de Deus, e o temor de Deus é o princípio da sabedoria como lemos no Sl. 111:10. Este “bom ladrão” conhecia a Deus e a Sua palavra, pois a sabedoria vem pela palavra (Sl.119.97-100).

Continuemos a investigar o “bom ladrão”; tinha consciência de culpa e castigo, do bem e do mal, e também da justiça de Deus (Lc.23:41). Porém, a declaração assustadora foi quando defendeu Jesus dizendo: “Este nenhum mal fez”.

Eu já perguntei inúmeras vezes a pessoas conhecidas se podiam afiançar o meu caráter e afirmar que eu não cometi nenhum pecado e todos igualmente negaram. Faça você a experiência e concluirá que o “bom ladrão” era amigo íntimo de Jesus. Para se afirmar que alguém é isento de culpa é necessário um profundo conhecimento. E se o ladrão tinha essa intimidade eu afirmo que era discípulo de Jesus.

Quando o ladrão, olhando para Jesus com ternura e humildade, disse: “SENHOR, lembra-te de mim quando entrares no teu Reino”, podemos ter certeza absoluta que foi o maior dos apóstolos.

EXPLIQUEMOS:

Nicodemos não era discípulo e chamou Jesus de Mestre (Jo.3:2). Os incrédulos O chamavam de “carpinteiro” (Mc.6:3). Os inimigos O chamavam de “Belzebu” (Lc.11:15). Os Príncipes Judeus chamavam-nO “enganador” (Mt.21.63). Somente os discípulos chamavam-no de SENHOR (Mt.26:22 e Lc.6:46).

O ladrão O chamou da maneira que estava habituado a chamar: SENHOR — porque era Seu servo. Agora analisaremos o conhecimento teológico do ladrão: “LEMBRA TE DE MIM QUANDO ENTRARES NO TEU REINO”. Nestas palavras afirmou o ladrão que Jesus não ia morrer na cruz. Nenhum dos apóstolos tinha este conhecimento. Em Mat 26:31 e 56 lemos que quando Judas entregou Jesus, todos os discí­pulos o abandonaram. No Evangelho de Marcos 16:10 a 14 fica mais clara a ignorância e a incredulidade dos discípulos, pois o próprio Jesus lhes lança em rosto sua cegueira.

Só havia um que sabia que Jesus ia ressuscitar, e este foi o “bom ladrão”, discípulo fiel de Jesus. Ele ouviu Jesus dizer que em 3 dias reconstruiria o templo (João 2:19-22). Também ouviu Jesus dizer que ninguém poderia lhe tirar a vida e que tinha poder para a dar e para a tornar a tomá-la (João. 10:17-18). Também ouviu Jesus dizer que quem cresse nunca veria a morte (Jo.8:51). E porque creu nas palavras de Jesus, sabia que não ia morrer na cruz, e que Ele o esperava no Seu Reino Eterno, na glória.

Veja, amigo leitor. O ladrão tinha certeza absoluta que Jesus não iria morrer, que era Rei eterno e que pelos méritos de Jesus entraria nesse Reino com Ele. O ladrão sabia a “doutrina da ressurreição”. Ele ouviu dizer: “Eu sou a ressurreição e a vida” na casa da Lázaro (Jo.11:23). A conclusão que podemos chegar a respeito do ladrão é que ao subir na cruz, não era mais ladrão, tanto que recriminou o outro. Havia mudado de vida quando seguiu a Jesus. E todos que seguiam a Jesus eram batizados (Jo.3:22 e 4:1). Dimas era batizado. Se alguém quiser afirmar que Dimas era ladrão ao subir na cruz, lembre-se que Jesus era inocente e foi condenado como ladrão (Mt.27:13-23).

Nesta passagem, o ladrão Barrabás foi solto, e Jesus morreu cru­cificado em seu lugar. E da mesma maneira que Jesus, na cruz, não era criminoso, Dimas também não era. Estava na cruz porque se entregou voluntariamente para obedecer a Jesus que lhe disse; “Se trouxeres a tua oferta ao altar, e aí te lembrares de que teu irmão tem alguma coisa contra ti, deixa ali no altar a tua oferta e vai reconciliar-te com o teu irmão” (Mt.5:23-24). Dimas, o que tinha sido ladrão e salteador, entregou-se voluntariamente para pagar o que devia ao estado antes da conversão.

Os crentes de hoje não fazem isso. Pecam voluntariamente, são sensuais e mundanos, pensando em arrepender-se na última hora.

O bom ladrão estava preparado para a última hora. Estava tão preparado que cobrou de Jesus a sua salvação dizendo: “LEMBRATE DE MIM”. LEMBRA-TE, na Bíblia, supõe coisas passadas: o Rico, que foi para o inferno e clamou a Abraão, ouviu dele as seguintes palavras: “Filho, lembra-te de que recebeste os teus bens em tua vida, e que Lázaro somente males. Agora este é consolado e tu atormentado” (Lc.16:24).

Também José, ao interpretar o sonho do copeiro de Faraó, afirmando que em três dias ele seria restaurado, lhe disse: “Lembra-te de mim quando fores bem, e que faças menção do meu nome diante de Faraó, e faze-me sair do cárcere”.

Se você, meu caro leitor, não deixar para última hora sua salvação; Se você crer em Jesus Cristo e conhecer Sua Palavra como aquele ladrão conhecia; Se você for batizado como ele foi; Se você pagar as suas dívidas diante do seu próximo e diante do Estado como ele fez, e como Zaqueu fez, então você poderá dizer como o “bom ladrão” a Jesus: “LEMBRA -TE do que eu fiz por ti”. E Jesus te dirá: “Hoje estarás comigo e com o ladrão no paraíso”.

Autoria: Pr. Olavo Silveira Pereira

(780) – ONIPRESENÇA 2

Dizem que Deus tem três atributos principais: onisciência, onipresença e onipotência.

1. Onipresença: “Esconder-se-ia alguém em esconderijos, de modo que eu não o veja? — diz Iahweh. Porventura, não encho eu os céus e a terra? —  diz o Iahweh” (Jr.23:34). Então, a onipresença coloca Iahweh junto com tudo o que acontece. Quando Bate-Seba se banhava nua em frente ao palácio de Davi, este mandou buscá-la e se deitou com ela. Esse ato de adultério foi feito na presença de Iahweh, porque ele é onipresente (2 Sm.11:2-4).

2. A prova de que Iahweh reprovou o adultério de Davi é que Iahweh matou o filho recém-nascido de Davi (2 Sm.12:19). Quando Davi se deitou com Bate-Seba, Iahweh, o onipresente, estava do lado da cama. Como Iahweh é o Todo-poderoso ‘El Shaddai’, ele poderia impedir tal ato. Como ele não o fez, conclui-se que ele estava aprovando, e é o autor de toda esta tragédia imoral. A onipresença e a onipotência de Iahweh o condenam.

3. Mas, Iahweh não é onisciente, pois não sabia que Israel ia ser infiel a ele durante os quarenta anos da peregrinação no deserto: “E te lembrarás de todo o caminho, pelo qual Iahweh, teu Deus, te guiou no deserto estes quarenta anos, para te humilhar, para te tentar, para saber o que estava no teu coração, se guardarias os seus mandamentos, ou não” (Dt.8:2).

  • Ao condenar o filho de poucos dias, matando-o, cometeu uma grande injustiça, matando o inocente nenê, mas deixando Davi livre. Iahweh não dá valor à vida.
  • Iahweh é co-autor do assassinato de Urias, marido de Bate-Seba, que foi morto a mando de Davi. Deixando Davi livre, Iahweh quebrou a sua própria lei: “Também o homem que adulterar com a mulher do outro, havendo adulterado com a mulher do seu próximo, certamente morrerá o adúltero e a adúltera” (Lv.20:10). Não matando Davi, Iahweh tornou-se cúmplice da morte da criança e da morte de Urias.
  • Bate-Seba deveria morrer, pois, era adúltera. O marido, que era santo, morreu, e Bate-Seba ficou viva. Então, para que Iahweh deu a lei, se ele mesmo não a cumpre? Quando interessa, ele passa por cima da lei, mas quando não interessa, manda apedrejar.
  • Quando Moisés desceu do monte com as tábuas da lei, o povo tinha se corrompido. Então, Moisés quebrou as tábuas da lei, quebrando assim o concerto de Iahweh. Quando Iahweh não cumpriu a lei, Ele desfez o concerto do Velho Testamento. O próprio Iahweh desfez o pacto. Por isso, Cristo é mediador de um novo concerto: “E, por isso, é o mediador de um novo testamento, para que, intervindo a morte para remissão das transgressões que havia debaixo do primeiro testamento, os chamados recebam a promessa da herança eterna” (Hb.9:15). Quando lemos que Cristo é mediador de um novo testamento, isto implica dizer que Ele não é Mediador do Velho Testamento.

4. A morte de Cristo salva pessoas do V. Testamento, porém, não torna legítimo o V. Testamento, porque está escrito que Ele aboliu o V. Testamento: “E não somos como Moisés, que punha um véu sobre a sua face, para que os filhos de Israel não olhassem firmemente para o fim daquilo que era transitório. Mas os seus sentidos foram endurecidos; porque até hoje, o mesmo véu está por levantar, na lição do Velho Testamento, o qual foi por Cristo abolido. E até hoje, quando é lido Moisés, o véu está posto sobre o coração deles. Mas, quando um deles se converte a Jesus, então, o véu se tirará” (2 Co.3:13-16).

Autoria: Pr. Olavo Silveira Pereira

(779) – ONIPRESENÇA 1

“Aquele que tem, ele só, a imortalidade, e habita na luz inacessível; a quem nenhum homem viu nem pode ver: ao qual seja a honra e poder sempiterno. Amém” (1 Tm.6:16). Este Deus não é Iahweh, pois Iahweh foi visto: “E subiram Moisés e Arão, Nadabe e Abiú, e setenta anciãos de Israel, e viram o Deus de Israel, e debaixo dos seus pés havia como uma obra de pedra de safira e como o parecer do céu na sua claridade” (Ex.24:9-10).

Iahweh declara que é visto pelos homens: “E disse: Ouvi agora as minhas palavras: Se entre vós houver profeta, eu, Iahweh, em visão a ele me farei conhecer, ou em sonhos falarei com ele. Não é assim com meu servo Moisés, que é fiel em toda a minha casa. Boca a boca falo com ele, e de vista, e não por figuras, pois ele vê a semelhança de Iahweh; por que, pois, não tivestes temor de falar contra o meu servo, contra Moisés?” (Nm.12:6-8).

Vemos, por estes dois textos, que o apóstolo Paulo não se referia a Iahweh quando declarou que Deus nunca foi visto pelo homem. Na Bíblia, há referência a dois deuses: Iahweh, e o Pai de Jesus Cristo. Moisés era o mediador entre Israel e Iahweh. Jesus é o Mediador entre o Deus Pai e os homens.

Paulo declara também que há um só Mediador ente Deus Pai e os homens: “Porque há um só Deus, e um só mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo, homem” (1 Tm.2:5). Se há um só mediador, há um só Deus. Concluímos, que Iahweh é o deus só de Israel. Ele não era o Deus dos gentios.

O Deus dos gentios foi revelado por Jesus: “Deus nunca foi visto por alguém. O Filho unigênito, que está no seio do Pai, este o fez conhecer” (Jo.1:18). “Disseram-lhe, pois: Onde está teu Pai? Jesus respondeu: Não me conheceis a mim, nem a meu Pai; se vós me conhecêsseis a mim, também conheceríeis a meu Pai” (Jo.8:19).

O Pai, só Jesus sabe quem é: “Tudo por meu pai me foi entregue; e ninguém conhece quem é o Filho, senão o Pai, nem quem é o Pai, senão o Filho, e aquele a quem o Filho o quiser revelar” (Lc.10:22). “Disse-lhes Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida. Ninguém vem ao Pai, senão por mim” (Jo.14:6). “Disse-lhe Felipe: Senhor, mostra-nos o Pai, o que nos basta” (Jo.14:8).

Deus só pode ser visto através de Jesus: “O qual é a imagem do Deus invisível, o primogênito de toda a criação” (Cl.1:15).

Deus está presente na criação através de Cristo. É por isso que Cristo se transfigurou diante dos apóstolos: “E transfigurou-se diante deles; e o seu rosto resplandeceu como o sol, e as suas vestes se tornaram brancas como a luz” (Mt.17:2). “E, estando ele ainda a falar, eis que uma nuvem luminosa os cobriu. E da nuvem saiu uma voz que dizia: Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo: escutai-o” (Mt.17:5). Deus estava dizendo que a partir de Cristo, quem falava era o próprio Deus através de seu Filho; não mais através da lei e dos profetas: ‘escutai-O’.

“E sabemos que já o Filho de Deus é vindo, e nos deu entendimento para conhecermos o que é verdadeiro; e no que é verdadeiro estamos, isto é, em seu Filho Jesus Cristo. Este é o verdadeiro Deus e a vida eterna” (1 Jo.5:20).

Autoria: Pr. Olavo Silveira Pereira

(778) – O GRANDE MÉDICO

1. “É ele que perdoa todas as tuas iniquidades, e sara todas as tuas enfermidades” (Sl.103:3). Quem está falando, é Iahweh. Havia um general na Síria, homem de grande valor, porém leproso. O rei da Síria mandou presentes para Eliseu, o profeta, para que ele fosse curar o general Naamã, pois era leproso. Eliseu mandou um recado ao rei: que Naamã se banhasse sete vezes no rio Jordão. O general Naamã devolveu o recado dizendo que na Síria havia rios melhores do que o rio Jordão. Mas, aconselhado por amigos, resolveu ir até o rio Jordão e banhou-se lá sete vezes. E quando saiu da água, a sua pele estava completamente sã. E Naamã deu presentes a Eliseu, porém Eliseu não os aceitou. Então Geazi, servo de Eliseu, pediu para ele os presentes. E Naamã os deu. E Eliseu falou: “Era isso ocasião para tomares prata, e vestes, e olivais, e vinhas, e ovelhas, e bois, e servos e servas? Portanto, a lepra de Naamã se pegará a ti e à tua semente para sempre. Então, saiu de diante dele leproso, branco como a neve” (2 Rs.5:26-27). Iahweh curou um estrangeiro, Naamã, mas passou a lepra a toda a linhagem de Geazi. Portanto, não é verdade que ele “sara todas as tuas enfermidades” (Sl.103:3).

2. “Iahweh te ferirá com úlceras do Egito, e com hemorroidas, e com sarna, e com coceira de que não possas curar-te” (Dt.28:27). Iahweh disse: ‘de que não possas curar-te’, logo, não tem cura (ler 28, capítulo todo). “E será que, assim como Iahweh se deleitava em vós, e fazer-vos bem e multiplicar-vos, assim Iahweh se deleitará em destruir-vos e consumir-vos; e desarraigados sereis da terra, a qual passas a possuir” (Dt.28:63).

3.“Também Iahweh fará vir sobre ti toda a enfermidade e toda a praga, que não está escrita no livro desta lei, até que sejas destruído” (Dt.28:61). Então, Iahweh não sara todas as enfermidades.

4. Se Iahweh tiver ordenado uma bênção, ele transforma a bênção em maldição: “Se ele fizer o mal diante dos meus olhos, não dando ouvidos à minha voz, então, me arrependerei do bem que tinha dito que faria. Ora pois, fala agora aos homens de Judá, e aos moradores de Jerusalém, dizendo: Assim diz Iahweh: Eis que tenho forjando mal contra vós, e projeto um plano contra vós” (Jr.18:10-11).

5. Se Iahweh dá uma bênção, depois ele amaldiçoa a bênção que ele mesmo deu: “E, agora, ó sacerdotes, este mandamento vos toca a vós. Se o não ouvirdes, e se não propuserdes no vosso coração dar honra ao meu nome, diz Iahweh dos exércitos, enviarei a maldição contra vós, e amaldiçoarei as vossas bênçãos; e já as tenho amaldiçoado, porque vós não pondes isso no coração. Eis que corromperei a semente, e espalharei esterco sobre o vosso rosto, o esterco das vossas festas; e com ele sereis tirados” (Ml.2:1-3).

6. “Ouve, povo meu, e eu te admoestarei: Ah, Israel, se me ouvires! Não haverá entre ti deus alheio, nem te prostrarás ante um deus estranho. Eu sou o Iahweh, teu Deus, que te tirei da terra do Egito; abre bem a tua boca, e ta encherei. Mas o meu povo não quis ouvir a minha voz, e Israel não me quis. Pelo que eu os entreguei aos desejos do seu coração, e andaram segundo os seus próprios conselhos” (Sl.81:8-12).

7. “Eis que velarei sobre eles para mal, e não para bem; e serão consumidos todos os homens de Judá, que estão não terra do Egito, à espada e à fome, até que se acabem de todo” (Jr.44:27). “E isto vos servirá de sinal, diz Iahweh, que eu vos castigarei neste lugar, para que saibais que, certamente, subsistirão as minhas palavras contra vós para mal” (Jr.44:29).

8. “Por isso, Iahweh vigiou sobre o mal, e o trouxe sobre vós; porque justo é Iahweh, nosso Deus, em todas as obras, que fez, pois não obedecemos à sua voz” (Dn.9:14).

Está provado que Iahweh não cura as enfermidades e não perdoa as iniquidades, porque ele vigia o mal. Como ele vigia o mal, ele nem cura e nem perdoa. Porém, aterroriza.

Jesus vigia o bem e não o mal, porque morreu pelos pecadores para salvá-los.

“Ora, àquele que é poderoso para vos guardar de tropeçar, e apresentar-vos irrepreensíveis, com alegria, perante a sua glória,” (Jd. 1:24).

Autoria: Pr. Olavo Silveira Pereira

(777) – SENSUALIDADE

Definição: Tendência a abandonar-se aos prazeres sensíveis.

- Sensualismo: Atitude que consiste em atribuir importância excessiva aos prazeres dos sentidos, volúpia, lubricidade, lúbrico.

- Sensismo: Doutrina que reduz todo conhecimento à sensação, e toda a realidade no objeto da sensação (Epícuro). Epícuro chamava de sensualista. “Comamos e bebamos porque amanhã morreremos” (Is.22:13).

- Sensual: lúbrico, voluptuoso, lascivo. Pessoa sensual ou libertina.

O que a sensualidade fez de Sansão: “E desceu Sansão a Timna; e, vendo em Timna uma mulher das filhas dos filisteus. Subiu e declarou-o a seu pai e a sua mãe, e disse: Vi uma mulher em Timna, das filhas dos filisteus; agora, pois, tomai-ma por mulher. Porém seu pai e sua mãe lhe disseram: Não há, porventura, mulher entre as filhas de teus irmãos, nem entre todo o meu povo, para que tu vás tomar mulher dos filisteus, daqueles incircuncisos? E disse Sansão a seu pai: Tomai-me esta, porque ela agrada aos meus olhos” (Jz.14:1-3). “Mas seu pai e sua mãe não sabiam que isto vinha de Iahweh; pois buscava ocasião contra os filisteus; porquanto, naquele tempo, os filisteus dominavam sobre Israel” (Jz.14:4). E Sansão foi até Timna e um leão rugindo veio sobre ele. Então o Espírito de Iahweh se apoderou de Sansão e ele fendeu o leão de alto a baixo sem nada nas mãos. Mais tarde, Sansão foi ver o corpo do leão que havia matado e viu nele um enxame de abelhas com mel. Sansão casou-se com a mulher e fez um banquete e lhes deu um enigma para adivinhar: “Do comedor saiu comida; e doçura saiu do forte” (Jz.14:14). E eles não conseguiram adivinhar e foram à mulher de Sansão e ela tirou o segredo do marido e lhes revelou. E eles foram a Sansão e declararam: “Que coisa há mais doce do que o mel? E que coisa há mais forte do que um leão? E Sansão lhe disse: Se vós não lavrásseis com a minha novilha, nunca teríeis descoberto o meu enigma” (Jz.14:18). E Sansão abandonou a mulher e se uniu a uma prostituta porque ele era sensual e o sensual não contém domínio próprio (Jz.16:1). “E depois disto, aconteceu que se afeiçoou a uma mulher do vale de Soreque, cujo nome era Dalila” (Jz.16:4). Quando um crente é sensual, Iahweh usa a sensualidade dele. Daí, Dalila entregou Sansão aos filisteus e estes lhe arrancaram os olhos (Jz.16:21). E ele puxava a mó do moinho como um animal. Iahweh usava a sensualidade de Sansão para destruir os filisteus: “E seu pai e sua mãe não sabiam que isto vinha de Iahweh” (Jz.14:4).

A sensualidade mata. Sansão morreu por causa da sensualidade. Iahweh não curou a sensualidade de Sansão, mas usou-a, sabendo que Sansão ia morrer, ele o expôs às prostitutas. E na prisão, o cabelo de Sansão cresceu, e com o cabelo voltou a sua força. Ele pediu para o levarem entre as colunas do templo de Dagon e ele apoiou as mãos nas colunas e bradou: “Morra eu com os filisteus” (Jz.16:30). E o templo caiu. Sansão não foi liberto da sensualidade.

Davi também era sensual e vendo uma mulher banhando-se, mandou buscá-la e deitou-se com ela. Seu nome era Bate-Seba e ela foi mãe de Salomão. E Salomão destruiu o Reino de Israel (1 Rs.11:1-13). Quando Bate-Seba ficou grávida, foi configurado o adultério do grande rei Davi. Como ele era sensual, para resolver o assunto mandou matar Urias que era o marido de Bate-Seba. “E sucedeu que, pela manhã, Davi escreveu uma carta a Joabe, e mandou-lha por mão de Urias. Escreveu na carta, dizendo: Ponde Urias na frente da maior força da peleja; e retirai-vos de detrás dele, para que seja ferido e morra. Aconteceu, pois, que tendo Joabe observado bem a cidade, pôs a Urias no lugar onde sabia que não havia homens valentes. E, saindo os homens da cidade, e pelejando com Joabe, caíram alguns do povo, dos servos de Davi; e morreu também Urias, o heteu” (2 Sm.11:14-17).

Davi era sensual. Urias não era sensual.

No Novo Testamento é diferente.

“Não sabeis vós que a quem vos apresentardes por servos para lhe obedecer, sois servos daquele a quem obedeceis, ou do pecado para a morte, ou da obediência para a justiça? Mas graças a Deus que, tendo sido servos do pecado, obedecestes de coração à forma de doutrina a que fostes entregues. E, libertados do pecado, fostes feitos servos da justiça. Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna, por Cristo Jesus nosso Senhor (Rm. 6:16-218).

Jesus respondeu: Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer da água e do Espírito, não pode entrar no reino de Deus. O que é nascido da carne é carne, e o que é nascido do Espírito é espírito (Jo.8:32).

E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará (Jo.8:32).

Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres (Jo.8:36).

Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que creem no seu nome; Os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do homem, mas de Deus (Jo. 1:12,13).

Autoria: Pr. Olavo Silveira Pereira

(776) – LIBERTAÇÃO

O homem é escravo da própria carne; é escravo da vontade contaminada: “E viu Iahweh que a maldade do homem se multiplicara sobre a terra, e que toda a imaginação dos pensamentos de seu coração era só má continuamente” (Gn.6:5). O homem é escravo de vícios, de paixões, do mal, etc.

A salvação do homem consiste em libertação: “E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará” (Jo.8:32). Só Jesus pode libertar o homem: “Se pois o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres” (Jo.8:36). Jesus liberta do pecado: “E, libertados do pecado, fostes feitos servos da justiça” (Rm.6:18).

Jesus liberta de Satanás: “Para lhes abrires os olhos, e das trevas os converteres à luz, e do poder de Satanás a Deus; afim de que recebam a remissão dos pecados, e sorte entre os santificados pela fé em mim” (At.26:18). “Quem comete o pecado é do diabo, porque o diabo peca desde o princípio. Para isto o Filho de Deus se manifestou: para desfazer as obras do diabo” (1 Jo.3:8).

Libertação da morte: “que nos salvou, e chamou com uma santa vocação; não segundo as nossas obras, mas segundo o seu próprio propósito e a graça que nos foi dada em Cristo Jesus, antes dos tempos dos séculos e que é manifesta, agora, pela aparição de nosso Salvador Jesus Cristo, o qual aboliu a morte, e trouxe à luz a vida e a incorrupção, pelo evangelho” (2 Tm.1:9-10).

Jesus veio libertar do jugo de Iahweh.

Quando Iahweh deu a lei, colocou um jugo pesado e esse jugo está em Gálatas: “Dizei-me vós, os que quereis estar debaixo da lei; não ouvis vós a lei? Porque está escrito que Abraão teve dois filhos, um da escrava e outro da livre. Todavia o que era da escrava nasceu segundo a carne, mas o que era da livre, por promessa. O que se entende por alegoria; porque estes são os dois concertos. Um, do monte Sinai, gerando filhos para a servidão, que é Agar” (Gl.4:21-24).

Iahweh declara que o jugo dele é servidão: “Vendo, pois, Iahweh que se humilhavam, veio a palavra de Iahweh a Semaías, dizendo: Humilharam-se, não os destruirei; antes, em breve, lhes darei lugar de escaparem, para que o meu furor se não derrame sobre Jerusalém, pelas mãos de Sisaque. Porém serão seus servos, para que conheçam a diferença da minha servidão e da servidão dos reinos da terra” (2 Cr.12:7-8).

Jesus veio para libertar das maldições de Iahweh: “Todos aqueles, pois, que são das obras da lei estão debaixo da maldição, pois está escrito: Maldito todo aquele que não permanecer em todas as coisas que estão escritas no livro da lei, para fazê-las” (Gl.3:10). “Cristo nos resgatou das maldições da lei, fazendo-se maldição por nós, porque está escrito: Maldito todo aquele que for pendurado no madeiro” (Gl.3:13).

Cristo veio para nos libertar do mundo. O apóstolo João declara: “Não ameis o mundo, nem o que no mundo há. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele. Porque tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não é do Pai, mas do mundo. O mundo passa, e a sua concupiscência, mas aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre” (1 Jo.2:15-17).

Autoria: Pr. Olavo Silveira Pereira

(775) – MÁGOA

Quem não tem caridade, não perdoa. “Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e não tivesse caridade, seria como o metal que soa, ou como o sino que tine” (1 Co.13:1).

Anjo não tem caridade! Iahweh disse para Israel: “Eis que eu envio um Anjo diante de ti, para que te guarde neste caminho, e te levar ao lugar que te tenho aparelhado. Guarda-te diante dele, e ouve a sua voz, e não o provoques à ira; porque não perdoará a vossa rebelião; porque o meu nome está nele” (Ex.23:20-21). O anjo de Iahweh não tem caridade, portanto, Iahweh também não tem caridade: “Porque o meu Anjo irá diante de ti, e te levará aos amorreus, aos heteus, e aos ferezeus, e aos cananeus, e aos heveus e aos jebuseus, e eu os destruirei” (Ex.23:23). Onde Iahweh aterroriza, não há caridade: “Enviarei o meu terror diante de ti, desconcertando a todo o povo aonde entrares, e farei que todos os teus inimigos te virem as costas” (Ex.23:27). Onde há lei, não há amor, nem caridade, porque a lei ensina a vingança: “Olho por olho, dente por dente, mão por mão, pé por pé, queimadura por queimadura, ferida por ferida, golpe por golpe” (Ex.21:24-25). “Ouvistes o que foi dito: Amarás o teu próximo, e aborrecerás o teu inimigo. Eu, porém, vos digo: Amai a vossos inimigos, bendizei os que vos maldizem, fazei bem aos que vos odeiam, e orai pelos que vos maltratam e vos perseguem, para que sejais filhos do Pai que está nos céus; porque faz que o seu sol se levante sobre maus e bons, e a chuva desça sobre justos e injustos” (Mt.5:43-45).

Jesus ama, tem caridade e perdoa. Jesus disse: “Portanto, vós orareis assim: Pai nosso, que estás nos céus, santificado seja o teu nome. Venha o teu reino. Seja feita a tua vontade, tanto na terra como no céu. O pão nosso de cada dia dá-nos hoje. Perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós perdoamos os nossos devedores. E não nos induzas à tentação, mas livra-nos do mal; porque teu é o Reino, e o poder, e a glória, para sempre. Amém!” (Mt.6:9-13). Jesus disse: “Porque, se perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai celestial vos perdoará a vós. Se, porém, não perdoardes aos outros as suas ofensas, também vosso Pai não vos perdoará as vossas ofensas” (Mt.6:14-15).

O perdão é tão importante, que se nós não perdoamos, anulamos o sacrifício de Cristo, porque se fecharmos o nosso coração para não perdoarmos, Jesus Cristo morreu em vão.

No livro da ‘História dos Mártires’, lemos o seguinte: Um soldado romano prendeu um cristão que foi condenado à morte na fogueira. Depois, o soldado se converteu e correu onde estava o cristão, e ele estava pendurado num pau e a fogueira embaixo dele já era alta. Daí, o soldado pediu perdão, porque agora ele era cristão também. E o cristão do alto daquela fogueira, disse: “Não perdoo”. E o cristão pediu misericórdia dizendo: “Se você não me perdoar, eu vou para o inferno”. E o cristão, do alto da fogueira gritou: “Eu não te perdoo”. O cristão, ao ser provado, esqueceu-se das palavras de Jesus, que diz: “Se não perdoardes aos outros as suas ofensas, também vosso Pai celestial não vos perdoará as vossas ofensas” (Mt.6:15). Que tragédia! O cristão, sendo queimado, não perdoou, assinando assim a sua sentença de morte eterna.

Pedro perguntou para Jesus: “Senhor, até quantas vezes pecará meu irmão contra mim, e eu lhe perdoarei? Até sete? Jesus lhe disse: Não te digo que até sete, mas até setenta vezes sete” (Mt.18:21-22).

Autoria: Pr. Olavo Silveira Pereira

(774) – CRISTO VEIO EM CARNE

“Porquanto, o que era impossível à lei, visto que estava enferma pela carne, Deus, enviando o seu Filho, em semelhança da carne do pecado, pelo pecado condenou o pecado na carne” (Rm.8:3).

“Porque o que semeia na sua carne, da carne ceifará a corrupção; mas o que semeia no Espírito, do Espírito ceifará a vida eterna” (Gl.6:8). “Porque se viverdes segundo a carne, morrereis; mas, se pelo Espírito mortificardes as obras do corpo, vivereis” (Rm.8:13). “Amados, peço-vos, como a peregrinos e forasteiros, que vos abstenhais das concupiscências carnais, que combatem contra a alma” (1 Pd.2:11). “Porque as obras da carne são manifestas, as quais são: prostituição, impureza, lascívia, idolatria, feitiçarias, inimizades, porfias, emulações, iras, pelejas, dissensões, heresias, invejas, homicídios, bebedices, glutonarias, e coisas semelhantes a estas, acerca das quais vos declaro, como já antes vos disse, que os que cometem tais coisas, não herdarão o Reino de Deus” (Gl.5:19-21). Pois Jesus veio em carne. É por isso que ele foi tentado como nós: “Porque não temos um sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas; porém um que, como nós, em tudo foi tentado, mas sem pecado” (Hb.4:15).

Nos primeiros quatro séculos surgiram nove seitas por causa da carne que são:

1. Docetismo – Os docetas criam que Jesus teve carne aparente. Nasceu e morreu só na aparência.

2. Maniqueismo – Fundado por Manés. Misturou a Bíblia com o budismo. Admitia a coexistência eterna de dois princípios: Bem e Mal. Cristo era só humano. O diabo era só matéria (os albigenses adotaram essa doutrina).

3. Arrianos – Fundada por Arrio. Negavam a divindade de Cristo (300 DC).

4. Sabelianismo ou Monarquianismo – Fundado por Sabélio (260 DC). Criam que foi Deus que morreu na cruz, e não Cristo.

5. Macedonianismo – Nega-se a divindade do Espírito Santo.

6. Eutiques – Pregava que as duas naturezas estavam em Cristo, mas a divina deixou de existir por aniquilamento. Por isso é o pai dos monofisitas (ano 400).

7. Donatistas – Atribuíam a eficácia dos sacramentos ao ministrante. Eram os únicos santos (ano 400).

8. Pelágio – O homem se salvaria pelo esforço próprio. Sem auxílio da graça. Salvação pelas obras.

9. Nestorianismo – Cristo ao nascer era só homem. Não era Theotocos, mas tão só Cristotocos. Maria não era mãe de Deus, mas de um homem.

Todas estas teorias estão enquadradas em 1 Jo.4:1-3: “Amados, não creiais a todo espírito, mas provai se os espíritos são de Deus; porque já muitos falsos profetas se têm levantado no mundo. Nisto conhecereis o Espírito de Deus: Todo espírito que confessa que Jesus Cristo veio em carne é de Deus; e todo espírito que não confessa que Jesus Cristo veio em carne não é de Deus; mas este é o espírito do anticristo, do qual já ouvistes que há de vir, e eis que já está no mundo”.

1. Um Cristo divino que habitou na carne como um templo, não sofreu as contingências da carne.

2. O Cristo divino que habitou na carne, escolheu padecer na carne voluntariamente; sem lançar mão da natureza divina.

3. Um Cristo meio a meio – Meio Deus e meio homem. Em um momento padecia e era tratado como homem. Em outro se revelava como Deus.

4. Fez-se carne totalmente: “O qual, nos dias da sua carne, oferecendo, com grande clamor e lágrimas, orações e súplicas ao que o podia livrar da morte, foi ouvido quanto ao que temia” (Hb.5:7). “De sorte que haja em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus, que, sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus” (Fp.2:5-6). “Mas aniquilou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens; e, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, e sendo obediente até a morte, e morte de cruz. Pelo que também Deus o exaltou soberanamente, e lhe deu um nome que é sobre todo o nome, para que ao nome de Jesus se dobre todo o joelho dos que estão nos céus, na terra, e debaixo da terra, e toda língua confesse que Jesus Cristo é o Senhor, para a glória de Deus Pai” (Fp.2:7-11).

5. Vamos sair das divagações e entrar na realidade. Cristo é Deus, e se faz carne no corpo do cristão. Há um momento em que o cristão morre e Cristo se apropria do seu corpo. O cristão morre estando vivo e Cristo passa a viver nele.

“Porque já estais mortos, e a vossa vida está escondida com Cristo em Deus. Quando Cristo, que é a nossa vida, se manifestar, então também vós vos manifestareis com ele em glória” (Cl.3:3-4).

Autoria: Pr. Olavo Silveira Pereira

(773) – O HOMEM

“E formou o Senhor Deus o homem do pó da terra, e soprou em seus narizes o fôlego da vida; e o homem foi feito alma vivente” (Gn.2:7). Vamos analisar as diferenças entre este homem e o de Gn.1:27: “E criou Deus o homem à sua imagem; à imagem de Deus o criou; macho e fêmea os criou” (Gn.1:27). 

1.  O primeiro foi criado do nada (BARÁ, em hebraico). O segundo foi formado do pó da terra (YATSAR, em hebraico).

2.  O primeiro era imagem e semelhança de Deus. O segundo era imagem e semelhança do pó (ADMÁ).

3.  O primeiro foi criado macho e fêmea. O segundo foi formado homem sem mulher.

4.  O primeiro foi liberado para procriar (Gn.1:28). O segundo foi colocado no jardim para cuidar (Gn.2:8).

5.  O primeiro não era alma vivente como os animais. O segundo era alma vivente como os animais (Ec.3:18).

6.  O primeiro não estava ligado a Deus por mandamento. O segundo estava: “E ordenou o Senhor Deus ao homem, dizendo: De toda a árvore do jardim comerás livremente, mas da árvore da ciência do bem e do mal, dela não comerás; porque, no dia em que dela comeres, certamente morrerás” (Gn.2:16-17). 

7.  O primeiro era sujeito à morte como o segundo.

8.  O primeiro não tem registro de descendência. O segundo tem (Lc.3:23-38). Foram 42 gerações até Jesus. E Jesus não descende de antropopitécos, nem do macaco (Mt.1:1-17). Jesus descende de Deus, o Pai! E Deus começou a linhagem de Jesus há seis mil anos atrás. Cristo quando se fez carne, se fez pó: “A minha força se secou como um caco, e a língua se me pega ao paladar; e me puseste no pó da morte. Pois me rodearam os cães; o ajuntamento de malfeitores me cercou; traspassaram-me as mãos e os pés. Poderia contar todos os meus ossos; eles vêem e me contemplam. Repartem entre si as minhas vestes, e lançam sortes sobre a minha túnica. Mas tu, Iahweh, não te alongues de mim; força minha, apressa-te em socorrer-me” (Sl.22:15-19). 

9.  O primeiro foi criado macho e fêmea. O segundo, a mulher foi tirada da costela do homem. E essa mulher é a igreja. A mulher de Adão chamou-se Eva que significa “Mãe de todos os Viventes” (Gn.30:20). A serpente, isto é, Satanás, enganou Eva e ela caiu em transgressão: “E Adão não foi enganado, mas a mulher, sendo enganada, caiu em transgressão” (1 Tm.2:14).

E Paulo declara: “Porque estou zeloso de vós com zelo de Deus; porque vos tenho preparado para apresentar como uma virgem pura a um marido, a saber, a Cristo. Mas temo que, assim como a serpente enganou Eva com sua astúcia, assim também sejam de alguma sorte corrompidos os vossos sentidos, e se apartem da simplicidade que há em Cristo” (2 Co.11:2-3). “E o Deus de paz, esmagará em breve a Satanás debaixo dos vossos pés. A graça de nosso Senhor Jesus Cristo seja convosco. Amém!” (Rm.16:20).

Autoria: Pr. Olavo Silveira Pereira

(772) – A VONTADE DE DEUS

Na oração do ‘Pai Nosso’ está escrito: “Venha o teu Reino. Seja feita a tua vontade, tanto na terra como no céu” (Mt.6:10). Deus quer que a Sua vontade seja feita tanto na terra como no céu; mas a vontade de Deus não é feita na terra:

“Como acima diz: Sacrifício e oferta, e holocaustos e oblações pelo pecado não quiseste, nem te agradaram (os quais se oferecem segundo a lei). Então disse: Eis aqui venho, para fazer, ó Deus, a tua vontade. Tira o primeiro, para estabelecer o segundo. Na qual vontade temos sido santificados pela oblação do corpo de Jesus Cristo, feita uma vez” (Hb.10:8-10). Tirar o primeiro, é tirar os sacrifícios e holocautos que se ofereciam segundo a lei. Estabelecer o segundo é estabelecer o sacrifício de Cristo, feito uma vez na Cruz: “Descobrindo-nos o mistério da sua vontade, segundo o seu beneplácito, que propusera em si mesmo, de tornar a congregar em Cristo todas as coisas, na dispensação da plenitude dos tempos, tanto as que estão nos céus como as que estão na terra” (Ef.1:9-10).

Como o sacrifício da lei não era da vontade de Deus, Ele não estava lá. Então, quem estava lá? Iahweh dos Exércitos. Como Deus não estava lá, Iahweh e Deus não são a mesma pessoa: “Bendito o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o qual nos abençoou com todas as bênçãos espirituais nos lugares celestiais em Cristo” (Ef.1:3).

Por que tantos cristãos vivem sem bênção? Porque não estão nos lugares celestiais! Se o cristão consegue subir nos lugares celestiais, ele recebe imediatamente todas as bênçãos.

“Adúlteros e adúlteras, não sabeis que a amizade do mundo é inimizade contra Deus? Portanto, qualquer que quiser ser amigo do mundo constitui-se inimigo de Deus” (Tg.4:4). A carne é inimiga de Deus: “Portanto o que era impossível à lei, visto que estava enferma pela carne, Deus, enviando o seu Filho em semelhança da carne do pecado, pelo pecado condenou o pecado na carne, para que a justiça da lei se cumprisse em nós, que não andamos segundo a carne, mas segundo o Espírito. Porque os que são segundo a carne inclinam-se para as coisas da carne; mas os que são segundo o Espírito, para as coisas do Espírito. Porque a inclinação da carne é morte; mas a inclinação do Espírito é vida e paz. Portanto a inclinação da carne é inimizade contra Deus, pois não é sujeita à lei de Deus, nem em verdade o pode ser. Portanto, os que estão na carne não podem agradar a Deus” (Rm.8:3-8). Quem anda na carne nunca chegará aos lugares celestiais, e, não chegando, não tem bênção, porque as bênçãos estão nos lugares celestiais. O apóstolo Pedro diz: “Amados, peço-vos, como a peregrinos e forasteiros, que vos abstenhais das concupiscências carnais, que combatem contra a alma” (1 Pd.2:11). “E, agora, digo isto, irmãos: Que a carne e o sangue não podem herdar o Reino de Deus, nem a corrupção herda a incorrupção” (1 Co.15:50).

Sabem quem não está nos lugares celestiais? Iahweh, porque ele é o Deus de toda carne: “Eis que eu sou Iahweh, o Deus de toda a carne. Acaso seria qualquer coisa maravilhosa demais para mim?” (Jr.32:27). “Porque esta é a vontade de Deus, a vossa santificação; que vos abstenhais da prostituição, que cada um de vós saiba possuir o seu vaso (mulher) em santificação e honra, não na paixão da concupiscência, como os gentios, que não conhecem a Deus” (1 Ts.4:3-5).

 

Autoria: Pr. Olavo Silveira Pereira

(771) – LOUCURA

Que vem a ser loucura? Demência, alienação do espírito, insensatez, imprudência, ato irrefletido, diabrura, ataque de loucura, etc.

No Velho Testamento, Jeová ordenou na lei, que, qualquer pessoa que cometesse alguma loucura, fosse apedrejado até a morte. Uma moça solteira perder a virgindade era loucura em Israel. Após o casamento, o marido não achando a mulher virgem, denunciava-a aos anciãos da cidade. Comprovado o fato, era condenada. O texto diz: “Se este negócio for verdade, que a virgindade se não achou na moça, então levarão a moça à porta da casa de seu pai, e os homens da sua cidade a apedrejarão com pedras, até que morra; pois fez loucura em Israel, prostituindo-se na casa de seu pai. Assim tirarás o mal do meio de ti.” (Dt.22:20-21).

Outro caso é o do anátema. Que é anátema? É reprovação, excomunhão, maldição.

Os habitantes de Jericó fecharam as portas aos israelitas, e por isso a cidade e tudo o que havia nela se tornou anátema aos olhos de Jeová (Js.6: 1-2, 17). Jeová fez com que os muros de Jericó caíssem ao som das buzinas e dos gritos do povo. Entraram pois na cidade e passaram ao fio da espada homens, mulheres, velhos e crianças (vs. 20 e 21). O ouro e a prata não eram anátemas, e foram tomados para o tesouro de Jeová (v. 19). Acã pegou uma capa babilônica, duzentos ciclos de prata, e uma cunha de ouro, do peso de cinquenta ciclos, e isto era anátema, punido com a morte para os homens, muito embora não fosse anátema para Jeová (Js.7:20-21). E Acã, e a capa, e a prata, e o ouro, e seus filhos, e suas filhas, e seus bois, e seus jumentos, e suas ovelhas, e sua tenda, e tudo quanto tinha, levaram ao monte de Acor, e o povo os apedrejou e queimou a fogo (vs. 24 a 26). Jeová pegou do anátema, pois não tinha outro maior que o apedrejasse.

E o Pai de Jesus? O Deus que é amor não vai descer ao abismo e usar as táticas de Jeová. A intervenção de Deus Pai foi enviar seu Filho Unigênito para salvar, não só os maus e pecadores, mas os infortunados da sorte (Jo. 9:1-7).

Para entendermos bem o sentido da loucura, temos o caso de Davi, que fugindo do ódio assassino de Saul, entrou na cidade de Aquis, rei de Gate. Os criados de Aquis o reconheceram pela sua fama de matador. Davi então se fez de doido, deixava correr saliva pela barba, e fazia gestos de desequilibrado. Quando os criados de Aquis lhe deram aviso sobre Davi, este disse: — Vocês não veem que este homem está louco? (1 Sm. 21:10-15). — Maior loucura do que esta cometeu Davi naquele adultério escandaloso com Bate-Seba, mulher de Urias, o heteu, um dos seus trinta e sete valentes de guerra (2 Sm. 23:39). Davi viu que a mulher era formosa, e lhe deram aviso de que era a mulher de Urias, mas a concupiscência carnal cega o homem, e o enlouquece (2 Sm. 11:3; Ec. 2:14). E Davi mergulhou nas trevas da sensualidade, e se deitou com Bate-Seba. O louco não pondera as consequências da sua loucura. E assim como Tamar, que para se deitar com Judá pediu o selo, o lenço e o cajado (Gn.38: 16-18), assim também Bate-Seba fez Davi jurar por Jeová, que o filho dela se sentaria no trono de Israel. E Davi jurou sem saber que o fruto daquela loucura iria dividir o reino em dois (1 Rs. 1: 17). É por isso que no livro de Cantares de Salomão, lemos: “Saí, ó filhas de Sião, e contemplai o rei Salomão com a coroa com que o coroou a sua mãe no dia de seu desposório.” (Ct.3: 11). O dia do desposório foi o dia em que ela se entregou a Davi, pois quando Salomão sentou no trono era ainda menino pequeno, e não tinha se entregado a devassidão (1 Rs. 11:1-3). E o reino só foi dividido nos dias do filho de Salomão porque Davi era o eleito de Jeová (vs. 11 e 12).

Amnon era o primogênito de Davi, e a força do pai repousa sobre o primogênito (Dt. 21:15-17; 2 Sm. 3:2). Cortado o primogênito pela morte, acaba a linhagem, a bênção e a força. E por isso quem Jeová expressava a sua vingança matando os primogênitos. E matando Amnon, Jeová estava executando a sua vingança sobre o pecado de Davi, que ele declara haver traspassado (2 Sm. 12:13). Ora, a morte de Amnon se deu pelo fato de ter estuprado Tamar, sua irmã (2 Sm. 13:1-29). Mas foi Jeová que prometeu a Davi prostituir a sua casa (2 Sm. 12:11-12).

O estupro de Tamar foi uma loucura, pois ela disse ao irmão: “Não, irmão meu, não me forces, porque não se faz assim em Israel; não faças tal loucura” (2 Sm. 13:11-12). Ora, Jeová prometeu a Davi que ia prostituir a sua casa como castigo pelo adultério cometido (2 Sm. 12:10 -11). Sendo assim, a loucura de Amnom foi produzida por Jeová. E o que foi um ato de loucura, fica provado pelo fato de Amnom, depois do estupro, odiá-la e expulsá-la como uma prostituta, isto é, quando caiu em si mudou o comportamento. Um homem, dentro da razão não comete atos de loucura, mas fora da razão faz coisas inconfessáveis e vergonhosas. A vingança de Jeová sobre Davi foi levar Amnom a um ato vergonhoso e anormal, para depois inflamar o coração de Absalão, irmão carnal de Tamar, que, para fazer justiça, matou Amnom, e assim cortar a linhagem real de Davi, e acabar com o reino. Depois da morte de Davi, os reis que Jeová colocou no trono de Israel não eram mais da linhagem messiânica. Mas Jeová prometia levantar um da linhagem de Davi para restaurar o trono de Davi (Is. 11:1-4; Sl. 2:6-9). Esse Messias foi também profetizado por Daniel (Dn. 9:24-26). E o Messias nasceu 490 anos depois, e seu nome foi Jesus Cristo (Is. 7:14; Mt. 1:21-23). Paulo testificou dessa verdade (Rm. 1:1- 3). Pedro testificou do Messias (At.2:36; 5:29-31). E Cristo declarou à samaritana que era o Messias esperado (Jo.4:25-26). Mas Jesus Cristo declarou a Pilatos: “O meu reino não é deste mundo” (Jo.18:36). Jesus, o Messias, não aceitou o projeto de Jeová, do mesmo modo que Abraão, o pai da fé, não aceitou a promessa terrena de Jeová (Gn. 12:1- 7; 15: 17- 18). Mas no livro de Hebreus lemos que Abraão, pela fé, não aceitou a promessa de Jeová, mas uma promessa mais sublime, oferecida de graça por Jesus Cristo (Hb. 11:8- 10). Assim se desfez a promessa messiânica de Jeová, prenunciada na morte de Amnom, o primogênito de Davi.

Cristãos! Cuidado com os acessos de loucura. Cuidado com os atos impensados, surgidos do coração doentio (Mt. 15:18-20). Cuidado com as concupiscências carnais (1 Pd. 2:11). Cuidado! Davi confessou que o seu adultério foi uma loucura com consequências irreversíveis e fatais (Sl. 38:1-5). Quem comete atos de loucura é louco, e a Bíblia fala dos loucos que se perdem. Falaremos de um. O rico insensato é louco, pois quem multiplica riquezas é insensato e louco. Um varão era rico, e nada dava ao irmão pobre porque era avarento. E, não tendo onde guardar sua riqueza, destruiu os celeiros velhos, e construiu novos para guardar a riqueza, dizendo a si mesmo: “Alma, tens em depósito muitos bens, para muitos anos; descansa, come, bebe e folga. Mas deus (Jeová) lhe disse: Louco, esta noite te pedirão a alma; e o que tens para quem será? (Lc. 12:13-21). É obvio que o deus que o matou era Jeová, pois o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo enviou o seu Filho para salvar e não para matar (Jo. 3:16-17). E Jesus confirma isso em Lucas 9:51-56. De mais a mais quem dá a riqueza, e a tira, é Jeová (1 Sm.2:7). É Jeová que faz o rico e o pobre, e deste modo, quem enriqueceu o rico insensato foi Jeová (Pv. 22:2; Ec.5:19, 6:2).

É Jeová quem enriquece e é Jeová quem produz os loucos. Moisés declarou aos que não guardam a lei de Jeová: “Jeová te ferirá com loucura, e com cegueira, e com pasmo de coração. E apalparás ao meio-dia, como o cego apalpa na escuridade, e não prosperarás nos teus caminhos; porém somente serás oprimido e roubado todos os dias, e não haverá quem te salve” (Dt. 28:28-29). Mas Jesus cura os loucos e os salva. O endemoninhado gadareno era completamente louco, e Jesus o curou e salvou (Mc. 5:1-15). O pródigo, quando saiu da casa do pai, estava louco, pois o texto diz: “E, tornando em si, disse: Irei ter com o meu pai, e confessarei minha loucura”. E o pai o recebeu gostoso (Lc. 15:11-24).

 

Autoria: Pr. Olavo Silveira Pereira

(770) – INTRIGA NO JARDIM

Adão não estava só. Neste mundo a terra estava cheia, pois quando Caim matou seu irmão, disse a Iahweh: “É maior a minha maldade que a que possa ser perdoada. Eis que hoje me lanças da face da terra, e da tua face me esconderei; e serei fugitivo e errante na terra, e será que todo aquele que me achar me matará. Iahweh, porém, lhe disse: Portanto, qualquer que matar a Caim, sete vezes será castigado. E pôs Iahweh um sinal em Caim, para que não o ferisse qualquer que o achasse” (Gn.4:13-15). Caim fala que havia mais gente quando disse: “todo aquele que me achar me matará”. E Iahweh confirma quando disse: “para que não o ferisse qualquer que o achasse”.

Quando Adão estava sem mulher no paraíso, ele tinha conhecimento de que os outros homens tinham mulheres, e ele andava triste: “Iahweh fez cair um sono pesado sobre Adão, e este adormeceu; e tomou uma das suas costelas, e cerrou a carne em seu lugar. E da costela que Iahweh Deus tomou do homem, formou uma mulher, e trouxe-a a Adão. E disse Adão: Esta é agora osso dos meus ossos, e carne da minha carne; esta será chamada varoa, porquanto do varão foi tomada. Portanto deixará o varão o seu pai e a sua mãe, e apegar-se-á à sua mulher, e serão ambos uma carne” (Gn.2:21-24).

Voltando a Adão e Eva, Iahweh colocou uma serpente no jardim para enganar Eva e ela caiu no conto da serpente, comendo do fruto proibido; pois a serpente era mais astuta que todas as alimárias do campo que Iahweh Deus tinha feito. Iahweh veio passear no jardim e Adão escondeu-se. Iahweh perguntou: “Onde estás? E ele disse: Ouvi a tua voz no jardim e temi, porque estava nu, e escondi-me. E Iahweh disse: Quem te mostrou que estavas nu? Comeste tu da árvore de que te ordenei que não comesses? Então, disse Adão: A mulher que me deste por companheira, ela me deu da árvore, e comi” (Gn.3:9-12).

Então, começou a briga do casamento, pois há 70% de separação nos casamentos. Quem é o culpado? É quem colocou a serpente no jardim, pois ela foi colocada para destruição do casamento: “Quando um homem tomar uma mulher e se casar com ela, então, será que, se não achar graça em seus olhos, por achar nela coisa feia, ele lhe fará escrito de repúdio, e lho dará na sua mão, e a despedirá da sua casa” (Dt.24:1). Portanto, Iahweh é o autor do divórcio. Jesus é contra o divórcio: “Então, chegaram ao pé dele os fariseus, testando-o, e dizendo-lhe: É lícito ao homem repudiar sua mulher por qualquer motivo? Ele, porém, respondendo disse-lhes: Não tendes lido, que, no princípio, o Criador os fez macho e fêmea e disse: Portanto, deixará o homem pai e mãe, e se unirá a sua mulher, e serão dois numa só carne? Assim não são mais dois, mas uma só carne. Portanto, o que Deus ajuntou não separe o homem. Disseram-lhe eles: Então, por que mandou Moisés dar-lhe carta de divórcio e repudiá-la? Disse-lhes ele: Moisés, por causa da dureza dos vossos corações, vos permitiu repudiar vossa mulher; mas, ao princípio, não foi assim. Eu vos digo, porém, que qualquer que repudiar sua mulher, não sendo por causa de prostituição, e casar com outra, comete adultério; e o que casar com a repudiada também comete adultério” (Mt.19:3-9).

O divórcio é legal na terra, mas não é no céu. Portanto, todos os divorciados que se casam novamente são adúlteros no céu. Como Iahweh era destruidor de casamentos, ele colocou a serpente contra a Igreja. Iahweh disse: “E porei inimizade entre ti e a mulher, e entre a tua semente e a sua semente; esta te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar” (Gn.3:15). Mas Paulo revela: “E o Deus de paz, esmagará em breve a Satanás debaixo dos vossos pés” (Rm.16:20). Esmagar a cabeça da serpente, é esmagar a cabeça de Iahweh, pois foi ele quem pôs a serpente contra a Igreja. E mais, quem fundou a Igreja foi Cristo: “Pois também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja, e as portas do inferno não prevaleceram contra ela” (Mt.16:18). Se Iahweh põe a serpente para ferir a Igreja, Iahweh é contra Cristo, e é a favor do inferno.

Autoria: Pr. Olavo Silveira Pereira

(769) – O DEUS VERDADEIRO

1.  Iahweh, o Deus dos hebreus, deu uma herança eterna para a descendência de Abraão: “E te darei a ti, e à tua semente depois de ti, a terra das tuas peregrinações, toda a terra de Canaã em perpétua possessão, e ser-lhes-ei o seu Deus” (Gn.17:8). O Deus Pai revelado por Jesus Cristo tem uma herança para os seus filhos: “Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que, segundo a sua grande misericórdia, nos gerou de novo para uma viva esperança, pela ressurreição de Jesus Cristo dentre os mortos, para uma herança incorruptível, incontaminável, e que se não pode murchar, guardada nos céus para vós” (1 Pd.1:3-4).

2.  Iahweh tem alma; e ele revela que os animais e as bestas feras também tem alma: “Disse eu no meu coração: É por causa dos filhos dos homens, para que Deus possa prová-los, e eles possam ver que são em si mesmos como os animais. Porque o que sucede aos filhos dos homens, isso mesmo também sucede aos animais; a mesma coisa lhes sucede; como morre um, assim morre o outro, todos têm o mesmo fôlego; e a vantagem dos homens sobre os animais não é nenhuma, porque todos são vaidade. Todos vão para um lugar; todos são pó, e todos ao pó tornarão. Quem adverte que o fôlego dos filhos dos homens sobe para cima, e que o fôlego dos animais desce para baixo da terra?” (Ec.3:18-21). “Corrige-te, ó Jerusalém, para que a minha alma não se aparte de ti, para que não torne em assolação e terra não habitada” (Jr.6:8). “E destruirei os vossos altos, e desfarei as vossas imagens do sol, e lançarei os vossos cadáveres sobre os cadáveres dos vossos deuses; a minha alma se enfadará de vós” (Lv.26:30). “Assim, pôs a descoberto as suas devassidões, e descobriu a sua vergonha; então, a minha alma se apartou dela, como já se tinha apartado a minha alma da sua irmã” (Ez.23:18). O Deus Pai, revelado por Jesus, não tem alma, pois é Espírito: “Deus é Espírito, e importa que os que o adoram o adorem em espírito e em verdade” (Jo.4:24).

3.  Deus nunca foi visto por ninguém: “Deus nunca foi visto por alguém. O Filho unigênito, que está no seio do Pai, este o fez conhecer” (Jo.1:18). Iahweh foi visto pelos homens: “E subiram Moisés e Arão, Nadabe e Abiú, e setenta dos anciãos de Israel, e viram o Deus de Israel, e debaixo dos seus pés como que uma obra de pedra de safira e como o parecer do céu na sua claridade (Ex.24:9-10). Iahweh declara que foi visto pelos homens: “E disse: Ouvi agora as minhas palavras; se entre vós houver profeta, eu, Iahweh, em visão a ele me farei conhecer, ou em sonhos falarei com ele. Não é assim com meu servo Moisés, que é fiel em toda a minha casa. Boca a boca falo com ele, e de vista, e não por figuras, pois ele vê a semelhança de Iahweh; por que, pois, não tivestes temor de falar contra o meu servo, contra Moisés?” (Nm.12:6-8).

4“E esta é a mensagem que dele ouvimos, e vos anunciamos: que Deus é luz, e não há nele treva nenhuma” (1 Jo.1:5). Iahweh habita nas trevas: “E o povo estava em pé de longe. Moisés, porém, se chegou a escuridade, onde Deus estava” (Ex.20:21). “Fez das trevas o seu lugar oculto; o pavilhão que o cercava era a escuridão das águas e as nuvens dos céus” (Sl.18:11).

5.  “Este é o que esteve entre a congregação no deserto, com o anjo que lhe falava no monte Sinai, e com nossos pais, o qual recebeu as palavras de vida para no-las dar” (At.7:38). “Vós, que recebestes a lei por ordenação dos anjos, e não a guardastes” (At.7:53). Paulo confirma isto: “Logo, para que é a lei? Foi ordenada por causa das transgressões, até que viesse a posteridade a quem a promessa havia sido feita, e foi posta pelos anjos na mão de um mediador” (Gl.3:19). Portanto, Iahweh é anjo. No Novo Testamento lemos: “Porque isto é bom e agradável diante de Deus, nosso Salvador, que quer que todos os homens se salvem, e venham ao conhecimento da verdade. Porque há um só Deus, e um só mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo, homem” (1 Tm.2:3-5). Moisés foi mediador entre Iahweh e Israel. Jesus é mediador entre Deus Pai e a Igreja. Paulo afirma que só há um mediador. Quem crê que Iahweh é Deus, crê que Moisés é o Mediador. Mas Paulo afirma que há um só Mediador. Assim, ele descarta Moisés como mediador, e descarta Iahweh como Deus, descarta portanto, o concerto do Velho Testamento.

Quem crê em Cristo, tem que rejeitar Moisés.

Autoria: Pr. Olavo Silveira Pereira

(768) – COMUNHÃO

1.   Não há comunhão entre luz e trevas: “Não vos prendais a um jugo desigual com os infiéis; porque que sociedade tem a justiça com a injustiça? E que comunhão tem a luz com as trevas? E que concórdia há entre Cristo e Belial? Ou que parte tem o fiel com o infiel? E que consenso tem o templo de Deus com os ídolos? Porque vós sois templo do Deus vivente, como Deus disse: Neles habitarei, e entre eles andarei, e eu serei o seu Deus, e eles serão o meu povo” (2 Co.6:14-16). “Mas aquele que aborrece a seu irmão está em trevas, e anda em trevas, e não sabe onde deva ir; porque as trevas lhe cegaram os olhos” (1 Jo.2:11). Um adolescente cristão gostava dos vizinhos que eram amigos, e o pai dizia: — Filho não ande com eles porque não são cristãos. — Mas o filho não obedecia. E os amigos o convidaram para passear de carro, e a polícia chegou, e prendeu a todos, pois o carro era roubado. O pai teve um trabalho enorme para libertá-lo. É verdade que não há comunhão entre luz e trevas. Um amigo sai com outro que pertence às trevas, e uma coisa ruim acontece. Biblicamente andar em trevas é não amar o próximo. Não amar é aborrecer.

2.   Não há comunhão entre a morte e a vida. Na parábola do rico e do Lázaro, havia um homem muito rico e um muito pobre, chamado Lázaro. Da mesa do rico não saía nada de bom para o pobre. O rico morreu e foi para o inferno e ele, lá do inferno, chamou a Abraão, dizendo: “Abraão, meu pai, tem misericórdia de mim, e manda a Lázaro que molhe na água a ponta do seu dedo, e me refresque a língua, porque estou atormentado nesta chama. Disse Abraão: Filho, lembra-te de que recebeste os teus bens em tua vida, e Lázaro, somente males; e, agora, este é consolado, e tu, atormentado” (Lc.16:24-25). Se alguém fosse falar, avisar os meus parentes, eles não cairiam aqui, disse o rico. Abraão disse: “Está posto um grande abismo entre nós e vós, de sorte que os que quisessem passar daqui para vós não poderiam, nem tampouco os de lá passar para cá” (Lc.16:26). Não há comunhão entre vivos e mortos. Não há comunhão entre carne e espírito: “Porque a carne cobiça contra o Espírito, e o Espírito, contra a carne; e estes opõem-se um ao outro, para que não façais o que quereis. Mas, se sois guiados pelo Espírito, não estais debaixo da lei” (Gl.5:17-18). “Porque as obras da carne são manifestas, as quais são: prostituição, impureza, lascívia, idolatria, feitiçarias, inimizades, porfias, emulações, iras, pelejas, dissensões, heresias, invejas, homicídios, bebedices, glutonarias, e coisas semelhantes a estas, acerca das quais vos declaro, como já antes vos disse, que os que cometem estas coisas não herdarão o Reino de Deus” (Gl.5:19-21). “Os que são de Cristo, crucificaram a carne com as suas paixões e concupiscências. Se vivemos no Espírito, andemos também no Espírito” (Gl.5:24-25).

3.   Não há comunhão entre mundo e a Igreja, porque o mundo jaz no maligno: “Sabemos que somos de Deus, e que todo o mundo jaz no maligno” (1 Jo.5:19). “Não ameis o mundo, nem o que no mundo há. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele. Porque tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não é do Pai, mas do mundo. E o mundo passa, e a sua concupiscência; mas aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre” (1 Jo.2:15-17). “Adúlteros e adúlteras, não sabeis que a amizade do mundo é inimizade contra Deus? Portanto, qualquer que quiser ser amigo do mundo constitui-se inimigo de Deus” (Tg.4:4).

Autoria: Pr. Olavo Silveira Pereira

(767) – NINGUÉM ESCAPA 2

“Vede, agora, que eu, eu o sou, e mais nenhum deus comigo; eu mato e eu faço viver; eu firo e eu saro; e ninguém há que escape da minha mão” (Dt.32:39).

“Porque Iahweh dos exércitos o determinou: quem pois o invalidará? E a sua mão estendida está; quem, pois, a fará voltar atrás?” (Is.14:27).

“Ainda antes que houvesse dia, eu sou; e ninguém há que possa fazer escapar das minhas mãos; operando eu, quem impedirá?” (Is.43:13).

“Esconder-se-ia alguém em esconderijos, de modo que eu não o veja? — diz Iahweh. Porventura não encho eu os céus e a terra? — diz Iahweh” (Jr.23:24).

“Vi Iahweh, que estava em pé sobre o altar, e me disse: Fere o capitel, e estremeçam os umbrais, e faze tudo em pedaços sobre a cabeça de todos eles; e eu matarei à espada até o último deles; o que fugir dentre eles não escapará, nem o que escapar dentre eles se salvará. Ainda que cavem até o inferno, a minha mão os tirará dali; e, se subirem ao céu, dali os farei descer. E, se se esconderem no cume do Carmelo, buscá-los-ei, e dali os tirarei; e, se se ocultarem aos meus olhos no fundo do mar, ali darei ordem à serpente, e ela os morderá. E, se forem para o cativeiro diante de seus inimigos, ali darei ordem à espada para que os mate; e eu porei os meus olhos sobre eles para mal, e não para bem” (Am.9:1-4).

Adão não escapou, e ele nem conhecia a Iahweh. E também, nenhum de seus descendentes escapou: “Pelo que, como por um homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado, a morte, assim também a morte passou a todos os homens, por isso que todos pecaram” (Rm.5:12).

“Era, porém, Eli já muito velho, e ouvia tudo quanto seus filhos faziam a todo o Israel, e de como se deitavam com as mulheres que em bandos se ajuntavam à porta da tenda da congregação. E disse-lhes: Por que fazeis tais coisas? Porque ouço de todo este povo os vossos malefícios, não, filhos meus, porque não é boa fama esta que ouço; fazeis transgredir povo de Iahweh. Pecando homem contra homem, os juízes o julgarão; pecando, porém, o homem contra Iahweh, quem rogará por ele? Mas não ouviram à voz de seu pai, porque Iahweh os queria matar” (1 Sm.2:22-25).

Uzá também não escapou: “E, chegando à eira de Nacom, estendeu Uzá a mão à arca de Deus e segurou-a, porque os bois a deixavam pender. Então, a ira de Iahweh se acendeu contra Uzá, e Deus o feriu ali por esta imprudência; e morreu ali, junto à arca de Deus” (2 Sm.6:6-7).

Nem Jesabel, mulher de Acabe, rei de Israel, escapou da ira de Iahweh (2 Rs.9:30-37).

Nem o grande rei Davi escapou da ira de Iahweh. Davi cometeu um adultério com Bate-Seba, mulher de Urias, o heteu. Por castigo, Iahweh matou o seu filho recém-nascido e Davi havia orado a Iahweh durante sete dias, sem comer nem beber. Nem Davi escapou. Ler 2 Sm.12:10-25.

     Os justos de Israel também não escaparam. “E veio a mim a palavra de Iahweh, dizendo: Filho do homem, dirige o rosto contra Jerusalém, e derrama as tuas palavras contra os santuários, e profetiza contra a terra de Israel. E dize à terra de Israel: Assim diz Iahweh: Eis que sou contra ti, e tirarei a minha espada da bainha, e exterminarei do meio de ti o justo e o ímpio. Por isso que hei de exterminar do meio de ti o justo e o ímpio, a minha espada sairá da bainha contra toda carne, desde o sul até o norte. E saberá toda carne que eu, Iahweh, tirei a minha espada da bainha; e nunca mais voltará a ela” (Ez.21:1-5). “As mãos das mulheres piedosas coseram seus próprios filhos; serviram-lhe de alimento na destruição da filha do meu povo” (Lm.4:10).

Autoria: Pr. Olavo Silveira Pereira

(766) – NINGUÉM ESCAPA 1

“Esconder-se-ia alguém em esconderijos, de modo que eu não o veja? – diz Iahweh. Porventura não encho eu os céus e a terra? – diz o Iahweh” (Jr.23:24).

“Vi Iahweh, que estava em pé sobre o altar, e me disse: Fere o capitel, e estremeçam os umbrais, e faze tudo em pedaços sobre a cabeça de todos eles; e eu matarei à espada até o último deles; o que fugir dentre eles não escapará, nem o que escapar dentre eles se salvará. Ainda que cavem até o inferno, a minha mão os tirará dali; e, se subirem ao céu, dali os farei descer. E, se se esconderem no cume do Carmelo, buscá-los-ei, e dali os tirarei; e, se se ocultarem aos meus olhos no fundo do mar, ali darei ordem à serpente, e ela os morderá. E, se forem para o cativeiro diante de seus inimigos, ali darei ordem à espada para que os mate; e eu porei os meus olhos sobre eles para o mal, e não para o bem. Porque Iahweh, Iahweh dos Exércitos, é o que toca a terra, e ela se derrete, e todos os que habitam nela chorarão; e ela subirá toda como o grande rio e se submergirá como Egito” (Am.9:1-5).

Ninguém escapa porque Iahweh Deus é El Shaddai, todo poderoso, “que visita a maldade dos pais nos filhos até a terceira e quarta geração daqueles que o aborrecem” (Ex.20:5).

“Se te elevares como águia e puseres teu ninho entre as estrelas, dali te derribarei, diz: Iahweh” (Ob.1:4). “Porventura não sabes tu que desde a antigüidade, desde que o homem foi posto sobre a terra, o júbilo dos ímpios é breve, e a alegria dos hipócritas, apenas um momento? Ainda que a sua altura suba até o céu, e a sua cabeça chegue até as nuvens, como o seu próprio esterco perecerá para sempre; os que o viam dirão: Onde está?” (Jó.20:4-7).

Adão e Eva, não escaparam (Gn.3:1-6). “E a Adão disse: Porquanto deste ouvidos à voz de tua mulher, e comeste da árvore de que te ordenei, dizendo: Não comerás dela, maldita é a terra por causa de ti; com dor comerás dela todos os dias da tua vida. Espinhos, e cardos também, te produzirá, e comerás a erva do campo. No suor de teu rosto, comerás o teu pão, até que te tornes à terra; porque dela foste tomado; porquanto és pó, e em pó te tornarás” (Gn.3:17-19).

Abel não escapou: “se levantou Caim contra o seu irmão Abel, e o matou” (Gn.4:8). Nem o justo escapa.

Nadabe e Abiú, também não escaparam: “E os filhos de Arão, Nadabe e Abiu, tomaram cada um o seu incensário, e puseram neles fogo, e puseram incenso sobre ele, e trouxeram fogo estranho perante a face de Iahweh, o que lhes não ordenara. Então, saiu fogo de diante de Iahweh, e os consumiu; e morreram perante Iahweh” (Lv.10:1-2).

Os filhos de Judá não escaparam: “Judá, pois, tomou uma mulher para Er, o seu primogênito, e o nome dela era Tamar. Er, porém, o primogênito de Judá, era mau aos olhos de Iahweh, pelo que Iahweh o matou” (Gn.38:6-7). Daí, era tradição em Israel, que o irmão mais novo entrasse na mulher do defunto e o primeiro filho que nascesse dela, pertenceria ao defunto (Dt.25:6). E o irmão mais novo era Onã, que quando ele entrava na mulher do defunto, derramava a semente na terra, para não dar semente a seu irmão (Gn.38:9). “E o que ele fazia era mau aos olhos de Iahweh, pelo que também o matou” (Gn38:10).

Autoria: Pr. Olavo Silveira Pereira

(765) – O JUIZ 2

No Velho Testamento, Iahweh Deus, é o juiz. Iahweh falou a Abraão e disse: “O clamor de Sodoma e Gomorra se tem multiplicado, e porquanto o seu pecado se tem agravado muito, descerei agora, e verei se, com efeito, têm praticado segundo este clamor que é vindo até mim” (Gn.18:20-21). Ora, Ló, sobrinho de Abraão, morava em Sodoma com sua mulher e suas duas filhas. Dois anjos enviados por Iahweh disseram a Ló: “tira teus familiares deste lugar, porque nós vamos destruir este lugar” (Gn.19:12-13). Abraão, que amava Ló, disse a Iahweh: “Se, porventura, houver cinquenta justos na cidade, destrui-los-ás também, e não pouparás o lugar por causa dos cinquenta justos que estão dentro dela? Longe de ti que faças tal coisa, que mates o justo com o ímpio; que o justo seja como o ímpio, longe de ti seja. Não faria justiça o Juiz de toda a terra?” (Gn.18:24-25). Iahweh é o juiz de toda a terra.

No Novo Testamento temos um Deus que não é juiz, pois, deu ao Filho todo juízo (Jo.5:22). Iahweh continua julgando. Ele diz ao profeta Ezequiel: Filho do homem, dirige o rosto contra Jerusalém, e derrama as tuas palavras contra os santuários, e profetiza contra a terra de Israel. E dize à terra de Israel: Assim diz Iahweh: Eis que sou contra ti, e tirarei a minha espada da bainha, e exterminarei do meio de ti o justo e o ímpio” (Ez.21:2-3). Portanto, Iahweh é deus injusto, pois foi ele quem criou Israel: “A todos os que são chamados pelo meu nome, e os que criei para minha glória; eu os formei, sim, eu os fiz” (Is.43:7).

1.   Vejamos se Iahweh é justo ou injusto: Iahweh fez um rico e outro pobre: “O rico e o pobre se encontraram; a todos os fez Iahweh” (Pv.22:2).

2.   “Iahweh empobrece e enriquece; abaixa e também exalta” (1 Sm.2:7).

3.   Iahweh odeia e ama: “Eu vos amei, diz o Iahweh, mas vós dizeis: Em que nos amaste? Não foi Esaú irmão de Jacó? disse Iahweh; todavia amei a Jacó e aborreci a Esaú, e fiz dos seus montes uma assolação, e dei a sua herança aos dragões do deserto” (Ml.1:2-3).

4.   Iahweh faz um vaso para honra e outro para desonra: “Mas, ó homem, quem és tu, que a Iahweh replicas? Porventura, a coisa formada dirá ao que a formou: Por que me fizeste assim? Ou não tem o oleiro poder sobre o barro, para da mesma massa fazer um vaso para honra e outro para desonra?” (Rm.9:20-21). Iahweh fabrica os maus para matar: “Iahweh fez todas as coisas para os seus próprios fins, e até o ímpio para o dia do mal” (Pv.16:4). “Iahweh prova o justo, mas a sua alma aborrece o ímpio e o que ama a violência” (Sl.11:5). “Sobre os ímpios fará chover laços, fogo, enxofre e vento tempestuoso; eis a porção do seu copo” (Sl.11:6).

5.   “Preparai a matança para os filhos, por causa da maldade de seus pais, para que não se levantem, e possuam a terra, e encham o mundo de cidades” (Is.14:21). Quem mata o inocente em lugar do criminoso, é injusto. Assim é Iahweh: “Os pais não morrerão pelos filhos, nem os filhos, pelos pais; cada um morrerá pelo seu pecado” (Dt.24:16).

6.   “A casa e a fazenda são a herança dos pais; mas de Iahweh vem a mulher prudente” (Pv.19:4). “Cova profunda é a boca das mulheres estranhas; aquele contra quem o Iahweh se irar, cairá nela” (Pv.22:14).

7.   Diz Salomão: “Causa que a minha alma ainda busca, mas não a achei; um homem entre mil achei eu, mas uma mulher entre todas, esta não achei” (Ec.7:28).

8.   “O que acha uma mulher acha uma coisa boa, e alcançou a benevolência de Iahweh” (Pv.18:22). Portanto, Salomão não alcançou benevolência de Iahweh.

9.   Iahweh falou a Davi: “Quando teus dias forem completos, e vieres a dormir com teus pais, então, farei levantar depois de ti a tua semente, que procederá de ti, e estabelecerei o seu reino” (2 Sm.7:12). “Este edificará uma casa ao meu nome, e confirmarei o trono do seu reino para sempre. Eu lhe serei por pai, e ele me será por filho; e, se vier a transgredir, castigá-lo-ei com varas de homens, e com açoites de filhos de homens” (2 Sm.7:13-14).

 

Autoria: Pr. Olavo Silveira Pereira

(764) – DISPENSAÇÕES 2

São sete as dispensações:

1ª)  A primeira é a dispensação edênica, da inocência: durou desde a criação do homem até ser expulso do Éden: “E formou Iahweh Deus homem do pó da terra, e soprou em seus narizes o fôlego da vida; e o homem foi feito alma vivente” (Gn.2:7). “Iahweh Deus, pois, o lançou fora do jardim do Éden, para lavrar a terra de que fora tomado. E, havendo lançado fora o homem, pôs querubins do oriente do Jardim do Éden, e uma espada inflamada que andava ao redor, para guardar o caminho da árvore da vida” (Gn.3:23-24). O caminho da árvore ficou fechado quatro mil anos; desde o Éden até a crucificação de Jesus.

2ª)  A segunda dispensação, da consciência ante diluviana: desde a queda do homem até o dilúvio, cerca de 1.656 anos. Os homens expulsos do Éden, conhecedores do bem e do mal, podiam seguir a direção do próprio coração. Mas corromperam-se a tal ponto que: “E viu Iahweh que a maldade do homem se multiplicara sobre a terra, e que toda a imaginação dos pensamentos de seu coração era só má continuamente. Então arrependeu-se Iahweh de haver feito o homem sobre a terra, e pesou-lhe em seu coração. E disse Iahweh: Destruirei de sobre a face da terra, o homem que criei, desde o homem até o animal, até ao réptil, e até à ave do céu; porque me arrependo de os haver feito” (Gn.6:5-7).

3ª)  A terceira dispensação foi a pós diluviana, do governo humano; desde o dilúvio até depois da dispersão na Torre de Babel: “Por isso se chamou o seu nome Babel, porquanto ali confundiu Iahweh a língua de toda a terra, e dali os espalhou Iahweh sobre a face de toda a terra” (Gn.11:9).

4ª)  A quarta dispensação, a patriarcal da família; desde a chamada de Abraão até ao êxodo do Egito: “Ora, Iahweh disse a Abraão: Sai-te da tua terra, e da tua parentela, e da casa de teu pai, para a terra que te mostrarei” (Gn.12:1); “Subiu, pois, Abrão do Egito para a banda do sul, ele, a sua mulher e tudo o que tinha, e com ele Ló” (Gn.13:1).

Satanás tinha feito fracassar quatro vezes o plano de Deus acerca dos homens:

  1. a) pela queda no Éden,
  2. b) pelo dilúvio,
  3. c) pela dispersão em Babel,
  4. d) pelo cativeiro no Egito.

5ª)  A quinta dispensação, da lei; desde o Monte Sinai até o Calvário: “Havendo riscado a cédula que era contra nós nas suas ordenanças, a qual de alguma maneira nos era contrária, e a tirou do meio de nós, cravando-a na cruz” (Cl.2:14).

6ª)  A sexta dispensação, da Igreja, da graça: “Porque a lei foi dada por Moisés; a graça e a verdade vieram por Jesus Cristo” (Jo.1:17). Desde a crucificação até a apostasia da Igreja, e a segunda vinda de Cristo: “E, como foi nos dias de Noé, assim será também a vinda do Filho do Homem. Porquanto, assim como, nos dias anteriores ao dilúvio, comiam, bebiam, casavam e davam-se em casamento, até o dia em que Noé entrou na arca, e não o perceberam, até que veio o dilúvio, e os levou a todos, assim será também a vinda do Filho do Homem” (Mt.24:37-39).

7ª)  A sétima dispensação do Reino, da plenitude dos tempos: “de tornar a congregar em Cristo todas as coisas, na dispensação da plenitude dos tempos, tanto as que estão nos céus como as que estão na terra” (Ef.1:10). O Reino prometido a Davi.

Autoria: Pr. Olavo Silveira Pereira

(763) – O INEXPLICÁVEL 2

1)  Deus é amor: “Amados, amemo-nos uns aos outros, porque o amor é de Deus; e qualquer que ama é nascido de Deus e conhece a Deus. Aquele que não ama não conhece a Deus; porque Deus é amor” (1 Jo.4:- 8). Iahweh aborrece os ímpios: “Iahweh prova o justo, mas a sua alma aborrece o ímpio e o que ama a violência” (Sl.11:5). “Sobre os ímpios fará chover laços, fogo, enxofre e vento tempestuoso; eis a porção do seu copo” (Sl.11:6-7). Se ele limitasse o seu ódio sobre os ímpios, poderíamos até aceitar; mas, ele aborreceu o seu próprio povo: “Deus ouviu isto e se indignou; e sobremodo aborreceu a Israel, pelo que desamparou o tabernáculo em Siló, a tenda que estabelecera como sua morada entre os homens, e deu a sua força ao cativeiro, e a sua glória, à mão do inimigo, e entregou o seu povo à espada, e encolerizou-se contra a sua herança” (Sl.78:59-62). Iahweh não conhece o amor, porque “A caridade é sofredora, é benigna; a caridade não é invejosa; a caridade não trata com leviandade, não se ensoberbece, não se porta indecência, não busca os seus interesses, não se irrita, não suspeita mal; não folga com a injustiça, mas folga com a verdade, tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. A caridade nunca falha” (1 Co. 13:4-7).

2)  “Falou-lhes, pois, Jesus outra vez, dizendo: Eu sou a luz do mundo; quem me segue não andará em trevas, mas terá a luz da vida” (Jo.8:12). Iahweh deu a lei no meio das trevas: E sucedeu que, ouvindo a voz do meio das trevas e vendo o monte ardendo em fogo, vos achegastes a mim, todos os cabeças das vossas tribos e vossos anciões” (Dt.5:23). Iahweh não conhece a luz porque quando terminou de dar a lei ao povo, Moisés chegou-se à escuridão onde Iahweh estava (Ex.20:21). Inexplicável!

3)  “Ninguém, sendo tentado, diga: De Deus sou tentado; porque Deus não pode ser tentado pelo mal e a ninguém tenta” (Tg.1:13).

a) Iahweh tentou Abraão dizendo: “Abraão! E ele disse: Eis-me aqui. E disse: Toma agora o teu filho, o teu único filho, lsaque, a quem amas, e vai-te à terra de Moriá; e oferece-o ali em holocausto sobre um das montanhas, que eu te direi” (Gn.22:1-2). “Então, disse: Não estendas a tua mão sobre o moço e não lhe faças nada; porquanto agora sei que temes a Deus” (Gn.22:12). Iahweh não sabia que Abraão o temia. É inexplicável!

b) “Contudo, no negócio dos embaixadores dos príncipes de Babilônia, que foram enviados a ele a perguntarem acerca do prodígio que se fez naquela terra, Iahweh o desamparou, para tentá-lo, para saber tudo o que havia no seu coração” (2 Cr.32:31). É inexplicável!

c) “E te lembrarás de todo o caminho pelo qual Iahweh teu Deus te guiou no deserto estes quarenta anos, para te humilhar, para te tentar, para saber o que estava no teu coração, se guardarias os seus mandamentos ou não” (Dt.8:2). Nos seminários teológicos de todo o mundo diz-se que Deus tem três atributos principais: Onisciência, Onipresença e Onipotência. Só que Iahweh não possui nenhum desses atributos! É inexplicável!

4)  “E eis que, aproximando-se dele um jovem, disse-lhe: Bom mestre, que bem farei, para conseguir a vida eterna? E ele disse-lhe: Por que me chamas bom? Não há bom, senão um só, que é Deus” (Mt.19:16-17). Deus é tão bom: “Porque a graça de Deus se há manifestado, trazendo salvação a todos os homens” (Tt.2:11). Deus é tão bom “que quer que todos os homens se salvem, e venham ao conhecimento da verdade” (1 Tm.2:4).

Iahweh é tão mau que “sucederá qualquer mal à cidade que Iahweh não o terá feito?” (Am.3:6). “Porque pus o meu rosto contra esta cidade para mal e não para bem, diz lahweh; na mão do rei da Babilônia se entregará, e ele a queimará a fogo” (Jr.21:10). Iahweh é tão mau que deu ordem a Jeremias dizendo: “Tu, pois, não ores por este povo, nem levantes por ele clamor nem oração; porque não os ouvirei no tempo em que eles clamarem a mim, por causa do seu mal” (Jr.11:14). “Portanto, assim diz Iahweh dos Exércitos, Deus de Israel: Eis que darei de comer alosna a este povo, e lhe darei a beber água de fel” (Jr.9: 15). “Disse-me mais Iahweh: Não rogues por este povo para bem” (Jr. 14: 11). É inexplicável!

Disse Jesus: “Ninguém tem maior amor do que este: de dar alguém a sua vida pelos seus amigos” (Jo.15: 13).

 

 

Autoria: Pr. Olavo Silveira Pereira

(762) – A IMAGEM 2

 

“E disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança; e domine sobre os peixes do mar, e sobre as aves dos céus, e sobre o gado, e sobre toda a terra, e sobre todo o réptil que se move sobre a terra. E criou Deus o homem à sua imagem; à imagem de Deus o criou; macho e fêmea os criou” (Gn.1:26-27). “…e havia trevas sobre a face do abismo” (Gn.1:2).

João, o apóstolo, diz assim: “E a condenação é esta: Que a luz veio ao mundo, e os homens amaram mais as trevas do que a luz, porque as suas obras eram más” (Jo.3:19).

A treva é o mal, e o abismo é o inferno: “E tu dizias no teu coração: Eu subirei ao céu, e, acima das estrelas de Deus, exaltarei o meu trono, e, no monte da congregação me assentarei, da banda dos lados do norte. Subirei acima das mais altas nuvens e serei semelhante ao Altíssimo. E, contudo, serás levado ao inferno, ao mais profundo do abismo” (Is.14:13-15). O deus que criou o inferno e o mal antes de criar o homem, no hebraico, é Elohim (deuses). Então poderia ter criado o homem, o CÉU e o BEM, em lugar do INFERNO e o MAL. E ainda criou a SERPENTE. Vamos definir a serpente: “E foi precipitado o grande dragão, a antiga serpente, chamada o diabo, e Satanás, que engana a todo o mundo; ele foi precipitado na terra, e os seus anjos foram lançados com ele” (Ap.12:9). E, como se não bastasse derrubar o homem, ainda vaticinou, isto é, predisse o futuro da igreja, dizendo: “E porei inimizade entre ti e a mulher, e entre a tua semente e a sua semente; esta te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar” (Gn.3:15).

O apóstolo Paulo, nos revela esse mistério: “E o Deus de paz, esmagará em breve a Satanás, debaixo de vossos pés. A graça de nosso Senhor Jesus Cristo seja convosco. Amém!” (Rm.16:20). “Então, disse o Senhor Deus (isto é, Iahweh Elohim): Eis que o homem é como um de nós, sabendo o bem e o mal” (Gn.3:22). Se o homem foi condenado por conhecer o bem e o mal, o deus que o condenou se tornou igual ao homem, por conhecer o bem e o mal. Quando Deus fala “como um de nós”, está dizendo que conhece o bem e o mal.

Há um Deus que só conhece o bem e há outro conhece o bem e o mal. É fácil localizar o Deus que conhece o bem e o mal, pela Bíblia: “Porque pus o meu rosto contra esta cidade para mal, e não para bem, diz Iahweh; na mão do rei de Babilônia se entregará, e ele a queimará a fogo” (Jr.21:10). “Eis que velarei sobre eles para mal, e não para bem; e serão consumidos todos os homens de Judá, que estão não terra do Egito, à espada e à fome, até que se acabem de todo” (Jr.44:27). O fim da história do homem é: “Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus” (Rm.3:23).

Essa é a plenitude dos tempos: “Mas, vindo a plenitude dos tempos, Deus enviou o seu Filho, nascido de mulher, nascido sob a lei” (Gl.4:4). Cristo veio fazer uma nova criação, porque a primeira está falida: “Mas os seus sentidos foram endurecidos; porque até hoje, o mesmo véu está por levantar, na lição do Velho Testamento, o qual foi por Cristo abolido” (2 Co.3:14). “Doutra maneira, necessário lhe fora padecer muitas vezes desde a fundação do mundo; mas, agora, na consumação dos séculos, uma vez se manifestou, para aniquilar o pecado pelo sacrifício de si mesmo” (Hb.9:26). “… que nos salvou, e chamou com uma santa vocação; não segundo as nossas obras, mas segundo o seu próprio propósito e a graça que nos foi dada em Cristo Jesus, antes dos tempos dos séculos, e que é manifesta, agora, pela aparição de nosso Salvador Jesus Cristo, o qual aboliu a morte, e trouxe à luz a vida e a incorrupção, pelo evangelho” (2 Tm.1:9-10).E bem sabeis que ele se manifestou para tirar os nossos pecados; e nele não há pecado. Qualquer que permanece nele não peca; qualquer que peca, não o viu e nem o conheceu” (1 Jo.3:5-6). “… que, quanto ao trato passado, vos despojeis do velho homem, que se corrompe pelas concupiscências do engano. E vos renoveis no espírito do vosso sentido, e vos revistais do novo homem, que, segundo Deus, é criado em verdadeira justiça e santidade” (Ef.4:22-24). “Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é: as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo” (2 Co.5:17). “A lei e os profetas duraram até João; desde então é anunciado o Reino de Deus, e todo homem emprega forças para entrar nele” (Lc.16:16).

O Reino de Deus não faz parte deste mundo. O que faz parte deste mundo é o inferno: “Mas a justiça que é pela fé diz assim: Não digas em teu coração: Quem subirá ao céu (isto é, a trazer do alto a Cristo)? Ou: Quem descerá ao abismo (isto é, a tornar a trazer dentre os mortos a Cristo)?” (Rm.10:6-7).

Autoria: Pr. Olavo Silveira Pereira

(761) – PRIMOGENITURA

O que é primogenitura? É direito de sucessão; isso, no Velho Testamento: “Quando um homem tiver duas mulheres, uma a quem ama e outra a quem aborrece, e a amada e a aborrecida lhe derem filhos, e o filho primogênito for da aborrecida, será que no dia em que fizer herdar a seus filhos o que tiver, não poderá dar a primogenitura ao filho da amada, adiante do filho da aborrecida, que é o primogênito. Mas ao filho da aborrecida reconhecerá por primogênito, dando-lhe dobrada porção de tudo quanto tiver, porquanto aquele é o princípio da sua força; o direito da primogenitura seu é” (Dt.21:15-17).

Sarai era mulher de Abraão e Agar era uma escrava trazida do Egito. Sarai era estéril e disse a Abraão: “Eis que Iahweh me tem impedido de gerar; entra, pois, a minha serva; porventura terei filhos dela. E ouviu Abrão a voz de Sarai” (Gn.16:2). Escravos não têm direitos. Só passaram a ter direitos depois da abolição. Como Agar ficou muito importante por ter o filho, Sarai a afligiu e lançou fora a mãe e o filho (Gn.16:1-6). Daí, com 90 anos Sarai teve um filho que se chamou Isaque, que quer dizer riso, tamanha foi a alegria de Sarai. Sarai morreu com 127 anos. Daí, Abraão casou-se novamente com Quetura e teve seis filhos: “Porém Abraão deu tudo o que tinha a Isaque” (Gn.25:6). Porque Isaque era seu primogênito, Isaque casou-se com Rebeca e teve dois filhos: Esaú e Jacó, gêmeos, com a idade de 60 anos. Esaú era varão perito na caça e Jacó era varão simples e apegado à mãe: “E amava Isaque a Esaú, porque a caça era do seu gosto; mas Rebeca amava a Jacó” (Gn.25:28). Esaú voltou cansado do campo e Jacó tinha cozido um guisado e Esaú pediu para comê-lo. E Jacó disse: “Vende-me, hoje, a tua primogenitura. E disse Esaú: Eis que estou a ponto de morrer de fome, e para que me servirá logo, a primogenitura? Então, disse Jacó: Jura-me hoje. E jurou-lhe, e vendeu a sua primogenitura a Jacó” (Gn.25:31-33). “E ninguém seja fornicador ou profano, como Esaú, que, por um manjar vendeu o seu direito de primogenitura. Porque bem sabeis que, querendo ele ainda herdar a bênção, foi rejeitado, porque não achou lugar de arrependimento, ainda que com lágrimas, o buscou” (Hb.12:16-17). Rúbem, primogênito de Israel, perdeu a primogenitura por praticar incesto com a mãe: “Quanto aos filhos de Rúbem, o primogênito de Israel porque ele era o primogênito, mas, porque profanara a cama de seu pai, deu-se a sua primogenitura aos filhos de José, filho de Israel; para assim não ser contado na genealogia da primogenitura” (1 Cr.5:1).

No Novo Testamento a primogenitura caiu. Surgiu Cristo, e plantou um novo conceito de primogenitura: “E Ele é a cabeça do corpo da igreja; é o princípio e o primogênito dentre os mortos, para que em tudo tenha a preeminência, porque foi do agrado do Pai que toda a plenitude nele habitasse” (Cl.1:18-19).

O que é primogênito dos mortos? É o que ressuscita para a vida eterna. Cristo foi o primeiro homem que saiu da morte para a vida. E os que creem nele vão ressuscitar na carne como Ele ressuscitou e vão ser chamados de irmãos de Cristo: “Porque os que dantes conheceu, também os predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho, a fim de que ele seja o primogênito entre muitos irmãos” (Rm.8:29). “Mas chegastes ao monte de Sião, e à cidade do Deus vivo, à Jerusalém celestial, e aos muitos milhares de anjos, à universal assembléia e Igreja dos primogênitos, que estão inscritos nos céus, e a Deus, o juiz de todos, e aos espírito dos justos aperfeiçoados; e a Jesus, o Mediador de uma nova aliança, e ao sangue da aspersão, que fala melhor que do que o de Abel” (Hb.12:22-24).

Explicando melhor: Para fazer parte dos primogênitos dos mortos, não pode esperar morrer para ressuscitar. Tem que morrer antes da morte, para ressuscitar antes da ressurreição. Então, há muitos que fazem isso: “Portanto, se já ressuscitastes com Cristo, buscai as coisas que são de cima, onde Cristo está assentado à destra de Deus. Pensai nas que são de cima, e não nas que são da terra; porque já estais mortos, e a vossa vida está escondida com Cristo em Deus. Quando Cristo, que é a nossa vida, se manifestar, então, também vós vos manifestareis com ele em glória” (Cl.3:1-4).

Autoria: Pr. Olavo Silveira Pereira

(760) – O REINO DE DEUS 6

1.   No Velho Testamento aparece o nome Iahweh sete mil vezes e no Novo Testamento, nenhuma vez. Por que? Vamos descobrir. O livro de Salmos cita muitas vezes Iahweh como rei: “Porque o reino é de Iahweh, e ele domina entre as nações” (Sl.22:28). “Iahweh se assentou sobre o dilúvio; Iahweh se assenta como Rei perpétuamente” (Sl.29:10). Iahweh, com o dilúvio, destruiu todas as nações. Se ele não fosse rei, não poderia destruí-las. Por isso ele diz: “De Iahweh é a terra e a sua plenitude, o mundo e aqueles que nele habitam” (Sl.24:1). Então, “Consome-os na tua indignação, consome-os de modo que não existam mais, para que saibam que Deus reina em Jacó até os confins da terra” (Sl.59:13). Iahweh declara que os povos devem morrer, e o único povo favorecido, é o de Jacó: “Iahweh reina; está vestido de majestade; Iahweh se revestiu e cingiu de fortaleza; o mundo também está firmado e não poderá vacilar” (Sl.93:1). Neste salmo, ele afirma que o mundo não vai vacilar: “Iahweh reina. Regozije-se a terra, alegrem-se as muitas ilhas” (Sl.97:1). “Iahweh reina; tremam as nações. Ele está entronizado entre os querubins; comova-se a terra” (Sl.99:1). Neste salmo, Iahweh declara que ele reina sobre Israel e sobre as nações: “Iahweh reinará eternamente; o teu Deus, ó Sião, é de geração em geração. Louvai a Iahweh” (Sl.146:10). Os profetas citam Iahweh como rei: “Quem te não temeria a ti, ó Rei das nações? Pois isso só a ti pertence; porquanto, entre todos os sábios das nações e em todo o seu reino, ninguém há semelhante a ti” (Jr.10:7). “Eu sou Iahweh, vosso Santo, o Criador de Israel, vosso Rei” (Is.43:15). “Quão grandes são os seus sinais, e quão poderosas, as suas maravilhas! O seu reino é um reino sempiterno, e o seu domínio, de geração em geração” (Dn.4:3). Iahweh se declara rei: “Vivo eu, diz o rei, cujo nome é Iahweh dos Exércitos, que, certamente, como o Tabor entre os montes, e como o Carmelo junto ao mar, assim ele virá” (Jr.46:18). “Moabe está destruída, e subiu das suas cidades, e os seus jovens escolhidos desceram à matança, diz o Rei, cujo nome é Iahweh dos Exércitos” (Jr.48:15).

2.   “E o diabo, levando-o a um alto monte, mostrou-lhe, num momento de tempo, todos os reinos do mundo. E disse-lhe o diabo: Dar-te-ei a ti todo este poder e a sua glória, porque a mim me foi entregue, e dou-o a quem quero. Portanto, se tu me adorares, tudo será teu. E Jesus, respondendo, disse: Vai-te, Satanás, porque está escrito: Adorarás ao Senhor, teu Deus, e só a ele servirás” (Lc.4:5-8). Não está bem claro o texto. Iahweh disse que vai reinar eternamente e no texto acima, o diabo oferece a Jesus, todos os reinos deste mundo, que estão em suas mãos. Por outro lado, Iahweh diz: “De Iahweh é a terra e a sua plenitude, o mundo e aqueles que nele habitam” (Sl.24:1). Não há nenhum texto que diga que Iahweh passou a Satanás os reinos deste mundo. Jesus vai esclarecer: “Trouxeram a Jesus, então, um endemoninhado cego e mudo; e, de tal modo o curou, que o cego e mudo falava e via” (Mt.12:22). “E toda a multidão se admirava e dizia: Não é este o Filho de Davi? Mas os fariseus, ouvindo isso, diziam: Este não expulsa os demônios senão por Belzebu, príncipe dos demónios. Jesus, porém, conhecendo os seus pensamentos, disse-lhes: Todo reino dividido contra si mesmo é devastado; e toda cidade ou casa dividida contra si mesma não subsistirá. E, se Satanás expulsa a Satanás, está dividido contra si mesmo; como subsistirá, pois, o seu reino?” (Mt.12:23-26). Jesus acaba de afirmar que os reinos deste mundo são o reino de Satanás. É por isso que o Novo Testamento não fala nenhuma vez o nome de Iahweh. O rei, agora, é Satanás. E, se no Velho Testamento o rei é Iahweh, e no Novo Testamento o rei é Satanás, o reino está dividido. Não vai subsistir como disse Jesus. Acontece que Iahweh e Satanás andam de mãos dadas, porque Amós diz: “Andarão dois juntos, se não estiverem de acordo?” (Am.3:3). No livro de Jó está escrito que Iahweh entregou Jó na mão de Satanás, a conselho do mesmo Satanás: “E disse Iahweh a Satanás: Eis que tudo quanto tem está na tua mão; somente contra ele não estendas a tua mão. E Satanás saiu da presença de Iahweh” (Jó 1:12). Quando Satanás feria Jó, ele dizia que era Iahweh. Então, Satanás e Iahweh são a mesma pessoa para Jó: “Sabei agora que Iahweh é que me transtornou, e com sua rede me cercou” (Jó 19:6). Iahweh e Satanás são a mesma pessoa e Iahweh continua reinando sobre o mal.

Autoria: Pr. Olavo Silveira Pereira

(759) – O REINO DE DEUS 5

1.   O Novo Testamento anuncia graça total. Que é graça total? É o favor de Deus para todos, isto é, graça é perdão para todos: “Meus filhinhos, estas coisas vos escrevo para que não pequeis; e, se alguém pecar, temos um Advogado para com o Pai, Jesus Cristo, o justo. E ele é a propiciação pelos nossos pecados, e não somente pelos nossos, mas também pelos de todo mundo” (1 Jo.2:l-2). “Porque isto é bom e agradável diante de Deus, nosso Salvador, que quer que todos os homens se salvem, e venham ao conhecimento da verdade” (1 Tm.2:3-4). Deus é diferente de Iahweh, que matou todos os homens no dilúvio. Deus ama os pecadores, pois Jesus disse: “E aconteceu que, estando ele em casa sentado à mesa, chegaram muitos publicanos e pecadores e sentaram-se juntamente com Jesus e seus discípulos. E os fariseus, vendo isso, disseram aos seus discípulos: Por que come o vosso mestre com os publicanos e pecadores? Jesus, porém, ouvindo, disse-lhes: Não necessitam de médico os sãos, mas sim os doentes. Ide, porem, e aprendei o que significa: Misericórdia quero e não sacrifício. Porque eu não vim a chamar os justos, mas os pecadores ao arrependimento” (Mt.9:10-13). “Porque para isto trabalhamos e lutamos, pois esperamos no Deus vivo, que é o Salvador de todos os homens, principalmente dos fiéis” (1 Tm.4:10). Tudo isto que dissemos, é graça total.

2.   No Reino de Deus não há graça total. “Não sabeis que os injustos não hão de herdar o Reino de Deus?” (1 Co.6:9). Para entrar no Reino de Deus temos que dar conta dos nossos Por isso Paulo diz: “De maneira que cada um de nós dará conta de si mesmo a Deus” (Rm.14:12). “Porque todos devemos comparecer ante o tribunal de Cristo, para que cada um receba segundo o que tiver feito por meio do corpo, ou bem ou mal” (2 Co.5:10). “Não erreis: Deus não se deixa escarnecer; porque tudo o que o homem semear, isso também ceifará. Porque o que semeia na sua carne, da carne ceifará a corrupção; mas o que semeia no Espírito, do Espírito ceifará a vida eterna” (G1.6:7-8). “Porque as obras da carne são manifestas, as quais são: prostituição, impureza, lascívia, idolatria, feitiçarias, inimizades, porfias, emulações, iras, pelejas, dissensões, heresias, invejas, homicídios, bebedices, glutonarias e coisas semelhantes a estas, acerca das quais vos declaro, como já antes vos disse, os que cometem tais coisas não herdarão o Reino de Deus. Mas o fruto do Espírito é: caridade, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança. Contra essas coisas não há lei” (G1.5:19-23). “E, agora, digo isto, irmãos: Que a carne e o sangue não podem herdar o Reino de Deus, nem a corrupção herda a incorrupção” (1 Co. 15:50). Para herdar o Reino de Deus, não se pode viver segundo a carne porque: “Se viverdes segundo a carne, morrereis; mas, se pelo Espírito mortificardes as obras do corpo, vivereis, porque todos os que são guiados pelo Espírito de Deus, esses são filhos de Deus” (Rm.8:13-14). Para ficar livre da carne, tem de crer em Cristo e morrer para a carne e ser sepultado: “De sorte que fomos sepultados com ele pelo batismo na morte; para que, como Cristo ressuscitou dos mortos, pela glória do Pai, assim andemos nós também em novidade de vida. Porque se fomos plantados juntamente com ele na semelhança da sua morte, também o seremos na da sua ressurreição; sabendo isto: que o nosso velho homem foi com ele crucificado, para que o corpo do pecado seja desfeito, afim de que não sirvamos mais o pecado. Porque aquele que está morto está justificado do pecado. Ora, se já morremos com Cristo, cremos que também com ele viveremos” (Rm.6:4-8). Todo esse processo se resume no Novo Nascimento do qual Jesus disse: “Na verdade, na verdade te digo que quem não nascer de novo, não pode ver o Reino de Deus. Disse-lhe Nicodemos: Como pode um homem nascer, sendo velho? Porventura pode tomar a entrar no ventre de sua mãe, e nascer? Jesus respondeu: Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer da água e do Espírito, não pode entrar no reino de Deus. O que é nascido da carne é carne, e o que é nascido do Espírito é espírito. Não te maravilhes de te ter dito: Necessário vos é nascer de novo” (Jo.3:3-7). Quando o homem nasce de novo não é mais carne. É espírito. Daí, Paulo diz: “Portanto, se já ressuscitastes com Cristo, buscai as coisas que são de cima, onde Cristo está assentado à destra de Deus. Pensai nas coisas que são de cima, e não nas que são da terra; porque já estais mortos, e a vossa vida está envolvida com Cristo em Deus. Quando Cristo, que é a nossa vida, se manifestar, então, também vós vos manifestareis com ele em glória. Mortificai, pois, os vossos membros que estão sobre a terra: a prostituição, a impureza, o apetite desordenado, a vil concupiscência, e a avareza, que é idolatria” (Cl.3:1-5).

Os que vivem na carne fazem parte da igreja, mas não fazem parte do Reino de Deus, “porque a carne e o sangue não herdam o Reino de Deus e nem a corrupção herda a incorrupção” (1 Co. 15:50).

Autoria: Pr. Olavo Silveira Pereira