(594) – OS DOIS MINISTÉRIOS 30

 

“Mas quero lembrar-vos, como a quem já uma vez soube isto, que, havendo Jeová salvo um povo, tirando-o da terra do Egito, destruiu depois os que não creram” (Jd.5).

Jeová tirou do Egito aproximadamente dois milhões de pessoas. Todos incrédulos; Jeová queria que todos cressem nele, mas todos só conheciam as pragas do Egito, como poderiam crer nele? Eles só o temiam e não o amavam. Como não amavam, permaneciam fiéis à idolatria do Egito. Daí Jeová os levou ao monte Sinai para dar a lei. Moisés subiu ao monte por quarenta dias. Eles, que eram formados na idolatria do Egito, fizeram um bezerro de ouro, réplica do boi Apís, um dos deuses do Egito. Moisés desceu do monte e encontrou o povo em festim descontrolado. Então Jeová ordenou uma matança. Antes de dar ou estabelecer a lei Jeová quebrou o concerto. Daí o povo endureceu, porque acharam os deuses do Egito melhores do que Jeová, e Jeová também endureceu porque é deus antropomórfico, que reage como reage o homem (Ex.32:25-29).

Jeová queria obrigar o povo a crer pela violência: “Jeová é um juiz justo, um Deus que se ira todos os dias. Se o homem não se converter, Jeová afiará a sua espada; já tem armado o seu arco, e está aparelhado; e já para ele preparou as armas mortais, e porá em ação as suas setas inflamadas contra os perseguidores” (Sl.7:11-13).

Jesus porém disse: “E, se alguém ouvir as minhas palavras, e não crer, eu não o julgo; porque eu vim, não para julgar o mundo, mas para salvar o mundo” (Jo.12:47).

Continuamos provando que Jeová quer converter pela violência: “Por isso, também vos dei limpeza de dentes em todas as vossas cidades, e falta de pão em todos os vossos lugares; contudo, não vos convertestes a mim, disse Jeová. Além disso, retive de vós a chuva, faltando ainda três meses para a ceifa; e fiz chover sobre uma cidade, e sobre outra cidade não fiz chover; sobre um campo choveu, mas o outro, sobre o qual não choveu, se secou. E andaram vagabundas duas ou três cidades, indo à outra cidade para beberem água, mas não se saciaram, contudo vos não convertestes a mim, diz Jeová. Feri-vos com queimadura e com ferrugem; a multidão das vossas hortas, e das vossas vinhas, e das vossas figueiras, e das vossas oliveiras foi comida pela locusta, contudo não vos convertestes a mim, disse Jeová. Enviei a peste contra vós, à maneira do Egito; os vossos jovens matei à espada, e os vossos cavalos deixei levar presos, e o fedor dos vossos exércitos fiz subir ao vosso nariz; contudo, não vos convertestes a mim, disse Jeová. Subverti alguns dentre vós, como Jeová subverteu a Sodoma e Gomorra, e vós fostes como um tição arrebatado do incêndio; contudo, não vos convertestes a mim, disse Jeová” (Am.6:6-11). Israel ficou mais endurecida ainda.

“Mas, vindo a plenitude dos tempos, Deus enviou seu Filho, nascido de mulher, nascido sob a lei, para remir os que estavam debaixo da lei, a fim de recebermos a adoção de filhos” (Gl.4:4-5). Mas o povo de Israel endurecido crucificou a Cristo (At.2:36; 5:31; 13:27). “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. Porque Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que condenasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele” (Jo.3:16-17). “Mas Deus prova o seu amor para conosco, em que Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores” (Rm.5:8).

Deus enviou seu Filho ao mundo para revelar o seu amor pelos homens, e Cristo morreu na cruz em nosso lugar, para provar que Deus Pai é amor.

Ele não tem setas inflamadas para matar, mas ele cura as enfermidades, limpa a lepra, dá vista aos cegos e ressuscita os mortos através de Cristo. Deus se revelou em carne através de Cristo para se tornar mais íntimo aos homens. Deus é Pai de amor.

 

Autoria: PASTOR OLAVO SILVEIRA PEREIRA

Deixe uma resposta