(546) – FÉ E LÓGICA

FÉ   E   LÓGICA

Que é lógica? É a ciência que ajuda a raciocinar com justeza. A lógica é, portanto, a ciência do raciocínio, e estuda os processos e as condições do pensamento correto e do conhecimento exato. Existem dois tipos de lógica: a dedutiva e intuitiva. A dedutiva é resultado do conhecimento, e a intuitiva é resultado de uma inspiração ou de uma visão.

PERGUNTA-SE: EXISTE LÓGICA NA FÉ?

  1. “Jesus retirou-se para um lugar longínquo e deserto, mas formou-se uma multidão vinda de cidades próximas. Era já tarde, a hora avançada, e o lugar deserto. Os discípulos disseram a Jesus: É tarde, despede a multidão para que vão pelas aldeias e comprem algo para comer. Jesus lhes disse: Não é correto despedir o povo com fome. Dai-lhes vós de comer. Eles lhe disseram: Nós só temos cinco pães e dois peixes. Jesus lhes disse: Trazei-mos. Jesus então mandou que a multidão sentasse sobre a relva, tomou os cinco pães e os dois peixes e, erguendo os olhos ao céu, os abençoou, e partindo os pães deu aos discípulos, e os discípulos à multidão. E todos comeram, e ainda sobraram doze cestos cheios. E os que comeram foram cinco mil homens, fora mulheres e crianças” (Mt.14:13-21). Este milagre não tem explicação e foge às regras do conhecimento e da lógica. Não existe, portanto, lógica na fé.
  2. “Logo em seguida, Jesus ordenou que os discípulos entrassem no barco, e fossem para outra banda, enquanto despedia a multidão. Despedida a multidão subiu ao monte para orar, até que escureceu. O barco estava já no meio do mar açoitado pelas ondas; porque o vento era contrário. Mas, à quarta vigília da noite, dirigiu-se Jesus para eles, caminhando por cima do mar. Os discípulos assustaram-se, dizendo: É um fantasma. E gritaram com medo. Jesus os acalmou, dizendo: Não temais, sou Eu. Pedro então disse: Se és tu, manda-me ir ter contigo por cima das águas. E ele disse: Vem! E Pedro pulou do barco, e andou por sobre as águas” (Mt.14:22-29). Eu então pergunto: Isso tem lógica? NÃO!
  3. O concerto da lei foi feito com o povo de Israel, que é a linhagem de Isaque, filho de Abraão, depois que saíram do Egito pela mão de Moisés. 1650 anos depois, o apóstolo Paulo revela que aquele fato histórico e real foi uma alegoria. Leiamos o que Paulo escreveu: “Dizei-me os quereis estar debaixo da lei, não ouvis vós a lei? Porque está escrito que Abraão teve dois filhos, um da escrava e outro da livre. Todavia o que era da escrava nasceu segundo a carne, mas o que era da livre, por promessa. O que se entende por alegoria; porque estes são os dois concertos, um, do monte Sinai, gerando filhos para a servidão, que é Agar. Ora, esta Agar é Sinai, um monte da Arábia, que corresponde à Jerusalém, que agora existe, pois é escrava com seus filhos. Mas a Jerusalém que é de cima é livre; a qual é mãe de todos nós” (Gl.4:21-26). Isto está fora da lógica. No Velho Testamento lemos que o concerto da lei foi feito com Israel, e no Novo Testamento lemos que o concerto foi feito com os árabes, pois Ismael, filho de Agar, é o pai dos árabes. Vemos que a fé não casa com a lógica.
  4. Em Gn.1:1-31 lemos a narração dos sete dias da criação. No terceiro dia foram criados todos os tipos de ervas, e de árvores com as respectivas sementes (Gn.1:11-13). O Sol foi criado no quarto dia, e a ciência prova que as plantas transformam o gás carbônico em compostos orgânicos, com a utilização da energia luminosa. Isto é o processo químico mais importante da superfície da terra. Sem o sol não haveria plantas. A linguagem de Deus é alegórica e figurada, logo a erva de Gn.1:11-13não fala de vegetais, mas da humanidade. Isaías declara que os homens são erva (Is.40:6-7). As árvores não são árvores, mas reinos (Ez.31:1-9). O Sol não é Sol, mas o Messias, que surgiria mais tarde. Jesus declarou que o sol do Deus Pai se levanta sobre maus e bons, e a chuva desce sobre justos e injustos (Mt.5:45). E chuva na Bíblia não é chuva da água, mas chuva da palavra de Deus. A lógica da ciência humana não é a verdade da fé. Como faz dois mil anos que a ciência humana insiste em provar que a Bíblia está errada na narrativa da criação, fica provado que, quanto mais culto o homem, mais cego. É por isso que Jesus disse: “Graças te dou, ó Pai, Senhor do céu e da terra, que ocultaste estas coisas aos sábios e entendidos, e as revelaste aos pequeninos” (Mt.11:25).

 

Autoria: Pastor Olavo Silveira Pereira

 

Deixe uma resposta