(036) – LEÃO DEVORADOR

O leão é o mais forte dos quadrúpedes do gênero. Vive solitário, e é animal noturno. O seu formidável rugido pode ser ouvido a quilômetros de distância. É considerado o rei dos animais. Vejamos o que a Bíblia fala a seu respeito: “O leão é destruidor”, e na linguagem do profeta Jeremias, simboliza ao rei Nabucodonosor. “Já um leão subiu da sua ramada, e um destruidor das nações; ele já partiu, e saiu do seu lugar para fazer da tua terra uma desolação, afim de que as tuas cidades sejam destruídas, e ninguém habite nelas” (Jr. 4:7). “Irei aos grandes, e falarei com eles; porque eles sabem o caminho de Jeová, o juízo do seu Deus; mas estes de comum acordo quebraram o jugo, romperam as ataduras, por isso um leão do bosque os feriu” (Jr.5:5-6). A figura ou a alcunha de leão cai muito bem na pessoa do rei Nabucodonosor, que era perverso e destruidor, e foi trazido pelo próprio Jeová para escravizar os judeus e outros povos. “E agora eu entreguei todas estas nações na mão do rei da Babilônia, Nabucodonosor, meu  servo” (Jr.27:6). O leão é comparado à serpente, isto é, ao diabo. “Pisarás o leão e o áspide; calcarás aos pés o filho do leão e a serpente” (Sl.91:13). Na profecia contra Judá, lemos: “Peso dos animais do sul. Para a terra de aflição e de angústia (de onde vem a leoa e o leão ,e o basilisco, e o áspide ardente voador) levarão às costas de jumentinhos as suas fazendas, e sobre as corcovas de camelos os seus tesouros, a um povo que de nada lhes aproveitará” (Is.30:6).

O leão é comparado ao dragão. “Filho do homem, levanta uma lamentação sobre Faraó, rei do Egito, e dize-lhe: Semelhante eras a um filho de leão entre as nações, e tu foste como um dragão nos mares…” (Ez.32:2).

Nabucodonosor era leão; Faraó era leão e dragão; leão, dragão e serpente são figuras e variação do diabo. “E foi precipitado o grande dragão, a antiga serpente chamada Diabo e Satanás, que engana a todo mundo” (Ap.12:9).

Leão é símbolo de perversidade. “A minha alma está entre leões, e eu estou entre os filhos dos homens, cujos dentes são lanças e frechas, e cuja língua é espada afiada” (Sl.57:4).

O leão bebe o sangue dos mortos. “Eis que o povo se levantará como leva, e se exaltará como leão; não se deitará até que coma a presa, e beba o sangue dos mortos” (Nm. 23:24). “Abriram contra mim as suas bocas, como um leão que despedaça, e que ruge” (Sl. 22:13). “Salva-me da boca do leão” (Sl.22:21). O leão é astuto. “Arma ciladas em esconderijos, como o leão no seu covil; arma ciladas para roubar o pobre; rouba-o colhendo-o na sua rede”( Sl.10:9).

No Novo Testamento, o Leão é o próprio diabo. “Lançando sobre ele toda a vossa ansiedade; vigiai; porque o diabo, vosso adversário, anda em derredor, bramando como leão, buscando a quem possa tragar” (1 Pd 5:8).

Sendo o diabo o destruidor, o devorador, e figura do diabo, é de estranhar que seja instrumento nas mão de Jeová. Vejamos: O rei Jeroboão fez dois altares com dois bezerros de ouro. Um altar estava em Betel. Quando Jeroboão queimava incenso sobre o altar de Betel, Jeová mandou um profeta predizer contra o altar. Depois, Jeroboão convidou-o a ir a sua casa. O profeta não aceitou em obediência a Jeová, que lhe dissera: “Não comerás e nem beberás água neste lugar, e não voltarás  pelo mesmo caminho.”

O profeta se foi, e um outro profeta mais velho foi ao seu encontro, e convenceu-o a entrar em sua casa e comer, afirmando que recebera mandado de Jeová para convida-lo. O profeta novo creu e aceitou, e ao sair da casa do profeta velho, Jeová mandou um leão, que o matou (1 Rs.12:26-33; 13:1-26). Temos outro caso: Jeová queria repreender o rei Acabe por ter feito aliança com Bene Hadaide, rei dos Siros. Então usou um estratagema, usando um profeta para compor um enigma. O profeta disse a seu companheiro, pela palavra de Jeová: “Então um dos homens dos filhos dos profetas disse ao seu companheiro, pela palavra de Jeová: Ora fere-me. E o homem recusou feri-lo. E ele lhe disse: Porque não obedeceste à voz de Jeová, eis que, em te apartando de mim, um leão te ferirá. E, como dele se apartou um leão o encontrou e o feriu” (1 Rs.20:35-36). Temos um terceiro caso: Depois que Jeová entregou o povo de Israel para serem cativos dos assírios, seu rei trouxe gente de Babel, e de Cuta, e de Ava, e de Hamate e Sefarvaim, e os fez habitar nas cidades de Samaria, em lugar dos filhos de Israel. Esses povos,  habitando em Israel, não temeram a Jeová, pois não o conheciam. Então Jeová mandou leões que mataram alguns deles (2 Rs.17:23-25).

Jeová usou leões para matar os moabitas que escaparam da destruição de Moabe (Is.15:9). A impressão que o leitor da Bíblia tem, é que o leão é o animal de estimação de Jeová, e instrumento predileto de suas matanças inexplicáveis. Se tomar-mos por base a declaração de Pedro, que o leão é o diabo, este mata e destroi sob comando de Jeová. Foi Jeová que deu a ordem para Satanás ferir Jó e sua casa. Mas o que é de estarrecer, é que Jeová se declara leão devorador. Leiamos o texto: “Serei; pois, para eles como leão; como leopardo espiarei no caminho, como urso que tem perdido seus filhos, os encontrarei; e lhes romperei as teias do seu coração; E ALI OS DEVORAREI COMO LEÃO; as feras do campo os despedaçarão” (Os.13:7-8). Jeremias declara: “Tornou-se Jeová como inimigo; devorou Israel, devorou todos os seus palácios, destruiu as suas fortalezas…” (Lm.2:5). “Bramiu o leão, quem não temerá? Falou Jeová, quem não profetizará? (Am.3:8).

Para escapar do leão só há um caminho. Pertencer ao cordeiro. Já viram maior maravilha? Que um cordeiro livre da boca do leão? (2 Tm.4:17).

 

Autoria: Pastor Olavo S. Pereira

Deixe uma resposta