(553) – DOIS MINISTÉRIOS – XX

DOIS   MINISTÉRIOS   20

No ministério do Velho Testamento vigorava a lei de Jeová, isto é, os dez mandamentos. No ministério do Novo Testamento Jesus deu uma nova lei, isto é, a lei do amor: “Um novo mandamento vos dou: Que vos ameis uns aos outros; como eu vos amei a vós, que também vós uns aos outros vos ameis” (Jo.13:14).

No Velho Testamento não havia grandes povos como hoje. Havia patriarcas que comandavam as famílias, e quando crescia muito, viravam tribos que lutavam umas com as outras. Eram todos guerreiros. Havia dois tipos de tribos: as nômades e as sedentárias. As sedentárias se fixavam num vale fértil; onde havia muita água e terra para plantio, e pastagens para gado bovino e caprino. As tribos nômades habitavam em tendas, eram selvagens e ferozes, e saqueavam as tribos sedentárias, roubando tudo. Nesse quadro onde imperava a lei do mais forte, o povo de Israel, ou melhor, os descendentes de Jacó eram escravos dos egípcios, os anjos escolheram a linhagem de Jacó, e o chefe deles apareceu a Moisés(Ex.3:2-7). O apóstolo Paulo declara que era um anjo (Gl.3:19). Estêvão, o primeiro mártir, confirma isso dizendo: “Vós, que recebestes a lei por ordenação dos anjos, e não a guardastes” (At.7:53).

Vejamos o que diz a Escritura sobre a lei de Jeová: “A lei de Jeová é perfeita, e refrigera a alma; o testemunho de Jeová é fiel, e dá sabedoria aos símplices” (Sl.19:7). “Os preceitos de Jeová são retos, e alegram o coração; o mandamento de Jeová é puro, e ilumina os olhos” (Sl.19:8). “Desvenda os meus olhos, para que veja as maravilhas da tua lei” (Sl.119:18). “Todos os teus mandamentos são verdade” (Sl.119:86). “A tua justiça é uma justiça eterna, e a tua lei é a verdade” (Sl.119:142). “Atendei-me, povo meu; nação minha, inclinai os ouvidos para mim; porque de mim sairá a lei, e o meu juízo se estabelecerá como luz dos povos” (Is.51:4). “Ouvi-me, vós que conheceis a justiça, vós, povo, em cujo coração está a minha lei” (Is.51:7). “O mandamento é uma lâmpada, e a lei uma luz” (Pv.6:23).

Vamos ver o que o ministério do Novo Testamento fala sobre a lei do Velho Testamento:

  1. As tábuas de Jeová são o ministério da morte (II Co.3:7-8). Ninguém se salva.
  2. A lei é um véu que cega o entendimento do homem (II Co.3:14-16).
  3. Os que seguem a lei de Jeová não dão frutos para Deus. Paulo diz: “Assim, meus irmãos, também vós estais mortos para a lei pelo corpo de Cristo, para que sejais doutro, daquele que ressuscitou dentre os mortos, afim de que demos fruto para Deus, porque, quando estávamos na carne, as paixões do pecado, que são pela lei, obravam em nossos membros para darem fruto para a morte” (Rm.7:4-5).
  4. A lei está velha e amarra os crentes: “Mas agora estamos livres da lei, pois morremos para aquilo em que estávamos retidos; para que sirvamos em novidade de Espírito, e não na velhice da letra” (Rm.7:6).
  5.  A lei não produz homens livres, mas só escravos sem capacidade de pensar por si. Paulo diz:“Dizei-me os quereis estar debaixo da lei, não ouvis vós a lei? Porque está escrito que Abraão teve dois filhos, um da escrava e outro da livre. Todavia o que era da escrava nasceu segundo a carne, mas o que era da livre, por promessa, o que se entende por alegoria; porque estes são os dois concertos, um, do monte Sinai, gerando filhos para a escravidão, que é Agar. Ora, esta Agar é Sinai, um monte da Arábia, que corresponde à Jerusalém que agora existe, pois é escrava com seus filhos. Mas a Jerusalém que é de cima é livre; a qual é mãe de todos nós” (Gl.4:21-26).
  6. A lei separa de Cristo: “Estai firmes na liberdade com que Cristo nos libertou, e não torneis a meter-vos debaixo do jugo da servidão. Eis que eu, Paulo, vos digo que, se vos deixardes circuncidar, Cristo de nada vos aproveitará. E de novo protesto a todo homem que se deixa circuncidar, que está obrigado a guardar toda a lei. Separados estais de Cristo, vós os que vos justificais pela lei: da graça tendes caído” (Gl.5:1-4).

Está bem claro que o ministério do Novo Testamento é contra a lei do Velho Testamento, porque a lei anula a graça de Deus e a obra libertadora de Cristo.

 

Autoria: Pastor Olavo Silveira Pereira

Deixe uma resposta