(072) – A CONDENAÇÃO DA LEI

Em Gn. 3:1-6 lemos a história da queda de Adão e Eva. Quando a serpente derrubou Eva, derrubou juntamente Adão, pois ela deu a ele o fruto maldito. Tiramos disto uma lição. Quando a mulher cai, o homem cai junto, isto é, a mulher determina o comportamento do homem. Não foi assim com Davi, o varão que tinha o coração segundo o coração de Jeová? Batseba se exibiu nua e Davi enlouqueceu, pois só um louco mataria o marido para roubar a mulher. E Batseba destruiu o reino de Israel, pois obrigou Davi a colocar seu filho Salomão no trono de Israel sob juramento, e o reino foi destruído por causa da estupidez de Salomão. Uma mulher derrubou Davi, e Salomão, vendo isto, se uniu a mil? É o cúmulo da falta de sabedoria.

A moral depende da mulher; a virtude deveria ter a forma da mulher; a castidade deveria ser a coroa das mulheres; a modéstia deveria vestir as mulheres; a beleza da mulher deveria ser interior e não exterior. Caiu a mulher, caíram todos os valores morais e caiu a família, como ensinou Paulo em 1 Tm. 5:1-11. Não é opinião nossa, mas de Paulo. O pecado entrou neste mundo pelas mãos de Eva (1 Tm. 2:14). 

- Porque Paulo afirma que foi por Adão, em Rm. 5:12? Por que o comportamento do homem é determinado pela mulher, e deveria ser o contrário.

- Porque a serpente usou a mulher? Por que o homem não cairia sem a mulher, e o diabo sabia disso. Paulo temia que se repetisse o fato. “Mas temo que, assim como a serpente enganou a Eva com a sua astúcia, assim também sejam de alguma sorte corrompidos os vossos sentidos, e se apartem da simplicidade que há em Cristo” (2 Co. 11:3). Este texto prova que a principal causa da queda foi corrupção e não só desobediência. Eva caiu sendo corrompida, e Adão, o alvo de Satanás, caiu em desobediência fatal.

Há um detalhe a considerar. Como não havia lei, o pecado não era imputado, e obviamente não havia condenação, como disse Paulo:  “Porque até a lei estava o pecado mo mundo, mas o pecado não é imputado, não havendo lei” (Rm. 5:13).  A lei foi dada por Jeová no monte Sinai. “Então falou deus todas estas palavras, dizendo: Eu sou Jeová teu deus, que te tirei da terra do Egito. Não terás outros deuses diante de mim. Não farás para ti imagens de escultura…” (Ex. 20:1-4… até o final). E foram falados pela boca de Jeová os dez mandamentos.

A lei de Jeová deu forma ao pecado. Classificou os pecados e deu peso a eles. A lei transformou os homens em réus. A lei trouxe a condenação espiritual dos homens, pois está escrito: “O salário do pecado é a morte” (Rm. 6:23). E João, falando da salvação em Cristo, diz: “Quem crê nele não é condenado; mas quem não crê já está condenado” (Jo. 3:18). Se a lei foi dada por Jeová, quem condena é Jeová. Quem condenou a humanidade no dilúvio foi Jeová (Gn. 6:7; Hb. 11:7). Jeová condenou as cidades de Sodoma e Gomorra (2 Pd. 2:6). Jeová é o deus que condena, e o Pai é o Deus que salva e não condena ninguém. “Porque Deus enviou seu Filho ao mundo, não para que condenasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele” (Jo. 3:17). Paulo declara que Deus é o Salvador de todos os homens, principalmente dos crentes fiéis (1 Tm. 4:10) Ora, Jeová é o condenador de todos os homens, principalmente dos antediluvianos, Sodoma e Gomorra e Israel, logo, não são a mesma pessoa. E, se Cristo fosse Jeová, teria duas caras, dois comportamentos e duas medidas.

Como Jeová não ama os pecadores, antes os aborrece (Sl. 5:5; Ml. 1:3), não conformado com a condenação, acrescentou terríveis maldições para atormentar suas pobres criaturas (Dt. 27:11-26; 28:15-68). Mas graças ao Deus Pai, que Cristo nos resgatou das maldições de Jeová, fazendo-se maldição por nós (Gl. 3:13).

Concluindo o raciocínio. Se a serpente (Satanás) derrubou os homens no jardim do Éden, mas sem condenação, como lemos em Rm. 5:12, e Jeová deu a lei que condena os homens, a serpente e Jeová trabalharam no mesmo sentido, ou trabalharam em conjunto no mesmo projeto. A serpente plantou o alicerce e Jeová construiu em cima, e deu a acabamento. Se Jeová fosse o Pai de Jesus, o Pai teria trabalhado com a serpente. Jeová feriu e matou o seu povo desobediente pelas serpentes, e depois mandou Moisés colocar numa haste uma serpente de bronze. Quem olhasse era curado, isto é, Jeová trabalhou em conjunto com a serpente (Nm. 21:4-9). Jesus, em referência ao fato, disse: “E, como Moisés levantou a serpente no deserto, assim importa que o Filho do homem seja levantado” (Jo. 3:14). Jesus estava dizendo: Jeová salvava pela serpente, isto é, o diabo, nas meu Pai vai salvar por mim: “Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida, ninguém vem ao Pai senão por mim” (Jo. 14:6). Através da serpente os israelitas iam a Jeová, só eu posso levar ao Pai.

Pela fé em Jesus Cristo o homem sai do pecado, da morte e da condenação. Do pecado e da morte que a serpente instituiu, e da condenação da lei, que Jeová instituiu. De um só golpe na cruz, Jesus derrubou o prédio edificado pelo diabo e por Jeová. Cristo, na cruz, resgatou os homens das maldições da lei de Jeová (Gl. 3:13).

A obra foi completa. E Jesus disse: “Eu desci do céu, não para fazer a minha vontade, mas a vontade de meu Pai, que me enviou” (Jo. 6:38).  Se Jesus destrói o que o diabo fez, é contra o diabo, e se destruiu as coisas que Jeová estabeleceu, é contra Jeová. Jeová deu a lei, e Jesus meteu na cruz essa lei com os anjos de Jeová (Cl. 2:14-15). E para que os crentes não andassem na lei, deu uma nova: “Um novo mandamento vos dou; que vós ameis uns aos outros; como eu vos amei a vós, que também vós uns aos outros vos ameis” (Jo. 13:34). Jeová estabeleceu um Testamento com o seu concerto e suas leis. Cristo aboliu esse Testamento Velho estabelecendo um Novo, com melhores promessas (2 Co. 3:14; Hb. 8:6).  Jeová estabeleceu um reino neste mundo (Ex. 19:6; Is. 43:15). Jesus afirmou que seu reino não é deste mundo, pois é um reino celestial (2 Tm. 4:18). Jeová estabeleceu o sacerdócio levítico, e Jesus o mudou. O sacerdócio agora é dos gentios (Hb. 7:12; 1 Pd. 2:9).

Jeová usou Salomão para edificar um templo para habitação do seu nome (Dt. 12:11). E Cristo falou que o templo onde Deus, o Pai, habita é o corpo dos santos (2 Co. 6:16). Jeová condenou os homens à morte eterna, mas Jesus foi condenado em lugar dos homens, e os comprou para Deus Pai (1 Co. 6:20). Ora, Cristo não podia comprar do Pai, para devolver ao Pai, mas comprou de Jeová e não do diabo.

 

Autoria: Pr. Olavo Silveira Pereira

Deixe uma resposta