(557) – DOIS MINISTÉRIOS – XXI

DOIS MINISTÉRIOS  21

(II Co.3:7-9)

No Velho Testamento, deus tinha comunhão com as trevas. Quando Jeová deus deu as tábuas da lei com os dez mandamentos, ele falou do meio das trevas (Dt.5:22-24).

No ministério do Novo Testamento não há comunhão com as trevas, e Deus, o Pai, é luz, e não há nele trevas nenhumas (I Jo.1:5; II Co.6:14).

  1.  Jeová habitava no meio dos filhos de Israel (Nm.35:34). E o povo de Israel vivia em trevas totais. O povo clamava, dizendo: “A justiça não nos alcança; esperamos pela luz, e eis que só há trevas; pelo resplendor, mas andamos na escuridão. Apalpamos as paredes como cegos; como os que não têm olhos andamos apalpando; tropeçamos ao meio-dia como nas trevas, e nos lugares escuros somos como mortos” (Is.59:9-10). JESUS desceu a este mundo, e declarou: “Eu sou a luz que vim ao mundo; quem me segue não andará em trevas, mas terá a luz da vida” (Jo.8:12).
  2. Jeová deus, no ministério do Velho Testamento, punha trevas no caminho dos santos. Quem declara isso é Jó: “Sabei agora que Deus é que me transtornou, e com sua rede me cercou. Eis que clamo: Violência! mas não sou ouvido; grito: Socorro! mas não há justiça. O meu caminho ele entrincheirou, e não posso passar; e nas minhas veredas pôs trevas” (Jó.19:6-8). No ministério do Novo Testamento, a missão de Cristo e de seus discípulos é libertar os homens das trevas para a luz. Paulo declara que Jesus o libertou da religião judaica, e o enviou aos gentios, para lhes abrir os olhos, e das trevas os converter à luz, e do poder de Satanás a Deus, para que sejam salvos (At.26:18).
  3. No Velho Testamento quem punha enfermidades malignas era Jeová. Ele mesmo o declara: “Se não tiveres cuidado de guardar todas as palavras desta lei, que estão escritas neste livro, para temeres este nome glorioso e terrível, Jeová teu deus, então Jeová fará maravilhosas as tuas pragas, e as pragas da tua semente, grandes e duradouras pragas, e enfermidades más e duradouras. Também Jeová fará vir sobre ti toda a enfermidade e toda a praga, que não está escrita no livro desta lei, até que sejas destruído” (Dt.28:58-61). No ministério do Novo Testamento Jesus só curava e libertava (Mt.15:29-31). Como o ministério de Jesus era de salvar, curar e libertar, ele passou para os discípulos o mesmo poder (Mc.16:17-18).
  4. Jeová deus era, no Velho Testamento, a fonte de todo espírito perverso e maligno. Jeová odiava o Egito; então derramou no meio deles um perverso espírito: “Onde estão agora os teus sábios? Anunciem-te agora, ou informem-te do que o Senhor dos Exércitos determinou contra o Egito. Loucos se tornaram os príncipes de Zoã, enganados estão os príncipes de Note; eles farão errar o Egito, eles que são a pedra de esquina das suas tribos. Jeová derramou no meio deles um perverso espírito; e eles fizeram errar o Egito com toda a sua obra, como o bêbado se revolve no seu vômito” (Is.19:12-14).

Jeová queria matar o rei Acabe, e colocou um espírito de mentira na boca dos profetas de Israel, e enganado, foi à guerra contra a Síria, e Jeová o matou (I Rs.22:23). Também Jeová reprovou Saul como rei de Israel, e por isso retirou dele o seu bom espírito, e colocou nele um espírito maligno que o atormentava (I Sm.16:14-15); e assim por diante.

No ministério do Novo Testamento Jesus Cristo libertava a todos esses oprimidos de Jeová. No livro de Atos dos Apóstolos, lemos: “Como Deus ungiu a Jesus de Nazaré com o Espírito Santo e com virtude; o qual andou fazendo o bem, e curando a todos os oprimidos do diabo, porque Deus era com ele” (At.10:38). E esse ministério glorioso Jesus passou para os discípulos: “E, indo, pregai, dizendo: É chegado o reino dos céus. Curai os enfermos, limpai os leprosos, ressuscitai os mortos, expulsai os demônios; de graça recebestes, de graça daí” (Mt.10:7-8).

 

Autoria: Pastor Olavo Silveira Pereira

Deixe uma resposta