(094) – ESCOLA DE JEOVÁ

Escola é o lugar onde se aprendem coisas boas ou más, úteis ou inúteis, edificantes ou destruidoras. O problema está nos alunos e não nos mestres. Para um aluno mal educado e preguiçoso não há professor bom. Jeová afirma ser quem forma o espírito dentro do homem (Zc.12:1). “É ele que forma o coração de todos eles” (Sl.33:15). O entendimento e a razão estão no espírito. “Na verdade, há um espírito no homem, e a inspiração do Todo Poderoso os faz entendidos” (Jó.32:8). “Eu ouvi a repreensão que me envergonha, mas o espírito do meu entendimento responderá por mim” (Jó.20:3). Jeová, como deus, pelos seus mandamentos e estatutos, e por suas obras e seu exemplo, vai formando o espírito dos que creem.

O coração é a sede dos afetos. Todos os que creem em Jeová, têm seus afetos gerados na matriz que é o próprio Jeová. Todos os homens são gerados em duas regiões.

1. No entendimento pela palavra e pelo conhecimento.

2. No coração são gerados os afetos e as obras.

Quando o espírito, isto é, o entendimento está corrompido, as obras e os afetos são imundos. Quando o entendimento é puro, as obras são edificantes. O entendimento do homem deve governar seus afetos e suas obras. Citamos como exemplo Jesus Cristo. Jesus foi manso e humilde para que aprendêssemos a mansidão e a humildade (Mt.11:29). Jesus renunciou tudo por amor aos perdidos (2 Co.8:9). Jesus, sendo em forma de Deus, humilhou-se a si mesmo e aniquilou-se, sendo obediente até a morte (Fl.2:5-8). Cristo amou a ponto de morrer pelos que amava (Jo.15:13). Jesus só fez o bem e curou os oprimidos do diabo (At.10:38). Jesus nunca pecou nem enganou ninguém como exemplo para nós (1 Pd.2:21-22). Jesus é o modelo perfeito, e Paulo disse: “Sede meus imitadores como eu sou de Cristo” (1 Co.11:1). O apóstolo Paulo define a escola de Jesus com as seguintes palavras: “Revesti-vos, pois, como eleitos de Deus, santos, e amados, de entranhas de misericórdia, de benignidade, humildade, mansidão, longanimidade; suportando-vos uns aos outros, e perdoando-vos uns aos outros; se algum tiver queixa contra o outro; assim como Cristo vos perdoou, assim fazei vós também” (Cl.3:12-13). Segundo o ensinamento de Paulo, Jesus Cristo vai sendo formado dentro do Cristão, isto é, na mente e no coração (Gl.4:19) a ponto de chegarem todos à medida da estatura de Cristo, a varão perfeito (Ef.4:13).

Analisemos a escola de Jeová no Velho Testamento:

1.  Todos os adoradores de Jeová andam atrás do ouro e da prata, pois Jeová é o deus do ouro e da prata (Ag.2:8; Pv.10:22). Esquecem que Jesus foi pobre e reprovou o ouro e a prata (Mt.8:18-20; 6:19-20).

2.  Jeová ensinava a vingança e o ódio. Olho por olho, dente por dente, mão por mão, pé por pé, queimadura por queimadura, ferida por ferida, golpe por golpe” (Ex.21:24-25). Jesus foi contra essa escola da vingança (Mt.5:38-45).

3.  Jeová ensinava a não perdoar com seu exemplo. “E fá-los-ei em pedaços uns contra os outros, e juntamente os pais com os filhos, diz Jeová; não perdoarei, nem pouparei, nem terei deles compaixão, para que os não destrua” (Jr.13:14; Dt.29:20; Js.24:19).

4.  Jeová, com suas obras más, ensinava o mal. “Porque pus o meu rosto contra esta cidade para mal, e não para bem, diz Jeová” (Jr.18:10). “Eis que velarei sobre eles para mal e não para bem, e serão consumidos” (Jr.44:27). Os males com os quais Jeová assolava seu povo eram a espada dos inimigos que ele próprio trazia (Jr.27:5-8). A fome que Jeová mandava era tanta que as mães piedosas assavam e comiam os próprios filhos (Lm.4:10). Jeová profetizou esta maldição na lei (Dt.28:53). A peste podia ser a negra, a bubônica, ou outras que Jeová ficava forjando nas suas vinganças (Dt.28:6).

5.  Jeová é o Deus da guerra, por isso é chamado o Senhor dos Exércitos. Foi Jeová que chamou o rei da Assíria contra Israel. Lemos isso em 2 Rs.17. O rei da Assíria se ensoberbeceu pelas conquistas, e Jeová declara que a Assíria era o machado, e quem manejava o machado era ele, Jeová (Is.10:12-15).  Foi Jeová quem trouxe Nabucodonosor para destruir Judá (Jr.25:9-12). Foi Jeová quem levantou os medos contra a Babilônia, aos quais chamou de santificados, para destruir, matar, violentar mulheres e despedaçar crianças (Is.13:3-18). Foi Jeová quem ensinou Davi a guerrear e a matar (2 Sm.22:35-43).

6.  As maldições de Jeová eram tantas, perto de sessenta, só no livro de Dt.28 — “A maldição de Jeová habita na casa do ímpio, mas a habitação do justo ele abençoa” (Pv.3:33). Ninguém era poupado. Davi, assolado pelas maldições de Jeová, clamou: “Tire de sobre mim a tua praga; estou desfalecido pelo golpe da tua mão” (Sl.39:10). Davi aprendeu a lançar maldições, e amaldiçoou Joabe por ter matado Abner. “Nunca, na casa de Joabe, falte quem tenha fluxo, nem quem seja leproso, nem quem se atenha ao bordão, nem quem caia à espada, nem quem necessite de pão” (2 Sm.3:29). O grande profeta Eliseu, seguiu a escola de Jeová amaldiçoando quarenta e dois meninos, que foram despedaçados por duas ursas (2 Rs.2:23-24). O profeta Jeremias lançou terríveis maldições contra seu povo, pois essa é a espada de Jeová. “Entrega seus filhos a fome e à espada, as mulheres sejam roubadas dos filhos, e fiquem viúvas; e seus maridos e mancebos sejam feridos de morte” (Jr.18:18-21).

7.  Jeová educava para que seus servos não tivessem caridade nem piedade. A Samuel Jeová disse: “Até quando terás dó de Saul havendo-o eu rejeitado?” (1 Sm.16:1). A Jeremias Jeová ordenou dizendo: “Tu pois não ores por este povo, nem levantes por ele clamor ou oração, nem me importunes, porque eu não te ouvirei” (Jr.7:16). Na frente Jeová diz: “Não ores por este povo para bem” (Jr.14:11). Com isto estava incitando Jeremias a amaldiçoar.

Os profetas de Jeová eram todos matadores (Os.6:5). Os grandes líderes foram matadores. Davi foi matador (1 Sm.18:7). Sansão foi um grande matador, Gideão também. Elias foi não só matador, mas ungia os outros para matar (1 Rs.18:40; 19:15-17). Esta é a escola de Jeová: Escola da destruição, do ódio, das maldições, pestes e mortandades.

A escola de Jesus é a escola do amor e do perdão. Os servos de Jesus andam pelos valados, pelas cidades, pelos campos, levando o amor e o perdão do Pai, a salvação aos pecadores e perdidos, curando doentes e libertando os cativos. Cada cristão deve pensar, ponderar e escolher a melhor escola, pois são de autores diferentes. Ou iguais a Jeová ou iguais a Jesus.

Autoria: Pr. Olavo Silveira Pereira

Deixe uma resposta