(035) – A CIRCUNCISÃO

Circuncisão é o ato de cortar a membrana externa do órgão genital masculino. O rito era executado com uma faca feita de pedra (Js.5:2-3). Esse pacto de Jeová foi estabelecido inicialmente com Abraão. “Este é o meu concerto, que guardareis entre mim e vós, e a tua semente depois de ti: Que todo macho será circuncidado” (Gn.17:10). A circuncisão era feita ao oitavo dia do nascimento do menino (At.7:8).

O valor que Jeová deu a circuncisão era tanto, que os meninos não circuncidados eram condenados a morte sem piedade. “E o macho com prepúcio, cuja carne do prepúcio não estiver circuncidada, aquela alma será extirpada dos seus povos; quebrantou o meu concerto” (Gn.17:14). A  circuncisão era um concerto eterno (Gn.17:8).

Quatrocentos anos depois do pacto feito com Abraão,  Moisés,  já com  80 anos, apascentava  o rebanho de Jetro, seu sogro, sacerdote de Midian, no sopé do monte de Jeová em Horebe. O anjo de Jeová aparece a Moisés em uma  chama de fogo do meio de uma sarça e convoca para a grande tarefa de libertar o povo de Israel, que estava cativo no Egito. Moisés, então, volta ao Egito, e no caminho Jeová quis matá-lo. O texto é confuso:  “E aconteceu no caminho, numa estalagem, que Jeová o encontrou e o quis matar. Então Zípora tomou uma pedra aguda , e circuncidou o prepúcio de seu filho, e o lançou aos seus pés, e disse: Certamente me és um esposo sanguinário” (Ex.4:24-25). Quem lê o texto não sabe se era o menino ou Moisés que Jeová queria matar. De acordo com o pacto com Abraão em Gn.17:14, parece que era o filho de Moisés e Zípora que Jeová queria matar.

Vamos esclarecer pela escritura o significado da circuncisão. Os circuncidados eram uma casta de eleitos, e eram os únicos dignos de receber de Deus a revelação da Palavra (Rm.3:1-2). Paulo declara que Jesus Cristo foi ministro da circuncisão, por causa da verdade de Deus, para que confirmasse as promessas feitas aos pais (Rm.15:8). Os incircuncisos eram imundos e indignos de entrar em Jerusalém, logo a circuncisão santificava os imundos (Is.52:1). O incircunciso é o que tem coração endurecido e ouvidos fechados para ouvir a palavra de Deus e resiste ao Espírito Santo (At.7:51; Jr.6:10). O incircunciso tem boca pesada para falar. Moisés não queria aceitar a incumbência de Jeová; e se confessava incircunciso de lábios (Ex.6:12,30). O incircunciso de olhos é o malicioso no olhar, ou maligno no olhar. Jó declara que circuncidou os olhos para não cobiçar uma mulher (Jó 31:1). Nas traduções lemos:  “Fiz concerto com os meus olhos”, mas no hebraico está escrito, Brit-Hadashá (circuncidar). Os incircuncisos no órgão genital são os lascivos, voluptuosos, lúbricos, insaciáveis (Cl.2:13).

O problema da circuncisão de Jeová é que era só exterior. Saul, o ungido de Jeová, era circuncidado, mas era rebelde e afrontoso (1 Sm.15:23-24).

Acabe era circuncidado e era perverso (1 Rs.16:30). Davi, o eleito e ungido de Jeová, foi adúltero e homicida (2 Sm.11:2-18). Salomão, filho de Davi e predestinado por Jeová para ser o maior de todos os tempos e o construtor do templo onde habitaria a glória de Jeová, era circuncidado, como seu pai Davi o foi, mas era lúbrico, lascivo e insaciável no sexo, pois teve mil mulheres. Além disso foi o maior  idólatra de todos os tempos, edificando templos a todos os ídolos dos moabitas, amonitas e cananeus (1 Rs.11:1-9). E isso tudo com a grande sabedoria dada por Jeová (1 Rs.3:12).

O apóstolo Paulo, diante dessas realidades contraditórias, declara que aquela circuncisão, tão importante para Jeová, não tinha valor algum. “A CIRCUNCISÃO É NADA E A INCIRCUNCISÃO NADA É” (1 Co.7:19). Aqui Paulo compara a circuncisão com a incircuncisão. Estaria Paulo blasfemando? Olhando para o comportamento dos grandes homens do Velho  Testamento, que eram circuncidados por fora e não por dentro, isto é, na carne e não no espírito, Paulo conclui que aquela circuncisão era nada, e acrescenta: “Porque em  Jesus Cristo, nem a circuncisão, nem a incircuncisão tem virtude alguma” (Gl.5:6). Com isto Paulo insinua que a circuncisão de Jeová, que não operava retidão de coração, não tinha virtude alguma. E se não tinha virtude, por que Jeová matava a criança que não era circundada? Matava por capricho? Por que Jeová dava tamanha importância ao que para Cristo  não tem valor? O grande apóstolo dos gentios dá o seu testemunho pessoal: “Circuncidado ao oitavo dia da linhagem de Israel, da tribo de Benjamim, hebreu de hebreus, fariseu, segundo a lei” (Fl.3:5). E em seguida declara que ao conhecer a Cristo lançou fora todo aquele patrimônio tribal e religioso, e considerou tudo como esterco (Fl.3:8)O grande pacto da circuncisão, feito por Jeová com Abraão e descendentes, considerado por Paulo como esterco? Se Paulo estivesse no Velho Testamento seria fulminado por Jeová, ou apedrejado (Lv.24:10-16). Paulo, porém, estava coberto pelo sangue de Cristo.

Jeová era o Deus dos circuncidados, e os circuncidados, no Novo Testamento eram uma casta maligna. Diz Paulo: “Guardai-vos dos cães, guardai-vos dos maus obreiros, guardai-vos da circuncisão” (Fl.3:2). “Porque há muitos desordenados, faladores, vãos e enganadores, principalmente os da circuncisão” (Tt.1:10). Para  Paulo, quem circuncidasse deixaria de pertencer a Cristo (Gl.5:2). A respeito de Deus Pai de Jesus, Paulo revela: “É porventura Deus somente dos Judeus? E não o é também dos gentios? Também dos gentios certamente. Deus é um só, que justifica pela fé a circuncisão, e por meio da fé a incircuncisão” (Rm.3:29-30). Mas Jeová era Deus só dos judeus e da circuncisão (Gn.17:13). 

 

Autoria: Pastor Olavo S. Pereira

2 thoughts on “(035) – A CIRCUNCISÃO

  1. Tenho uma dúvida, se Jesus e Jeová são oponentes, e a Lei pelo que me parece, segunda às explicaçães dos amados não passa da manipulação de Jeová é Jesus veio liberar os judeus e nós desta tirania, porque então Jesus foi circuncidado ao oitavo dia, já que a circuncisão era um ato sem sentido ou pior um ato de um ser sanguinário (Jeová) porque o Pai não alertou a Maria ou a José para não circuncidar o menino? Lucas 2
    E porque o apóstolo Paulo circuncida Timóteo? Atos 16. 1-3.

    • Convinha que Jesus Cristo cumprisse toda lei de jeová para provar que ela era ineficaz e inútil:

      (Mateus 3:14,15) Mas João opunha-se-lhe, dizendo: Eu careço de ser batizado por ti, e vens tu a mim?
      Jesus, porém, respondendo, disse-lhe: Deixa por agora, porque assim nos convém cumprir toda a justiça. Então ele o permitiu.

      (Mateus 5:17-20) Não cuideis que vim destruir a lei ou os profetas: não vim abrogar, mas cumprir.
      Porque em verdade vos digo que, até que o céu e a terra passem, nem um jota ou um til jamais passará da lei, sem que tudo seja cumprido.
      Qualquer, pois, que violar um destes mandamentos, por menor que seja, e assim ensinar aos homens, será chamado o menor no reino dos céus; aquele, porém, que os cumprir e ensinar será chamado grande no reino dos céus.
      Porque vos digo que, se a vossa justiça não exceder a dos escribas e fariseus, de modo nenhum entrareis no reino dos céus.

      Jesus cumpriu a lei e provou a ineficácia da lei, e também pagou com o seu sangue, para nos comprar de Jeová, porque foi Jeová que estabeleceu na sua lei que a vida e a alma estão no sangue :

      (Efésios 2:13-19) Mas agora em Cristo Jesus, vós, que antes estáveis longe, já pelo sangue de Cristo chegastes perto.
      Porque ele é a nossa paz, o qual de ambos os povos fez um; e, derrubando a parede de separação que estava no meio,
      Na sua carne desfez a inimizade, isto é, a lei dos mandamentos, que consistia em ordenanças, para criar em si mesmo dos dois um novo homem, fazendo a paz,
      E pela cruz reconciliar ambos com Deus em um corpo, matando com ela as inimizades.
      E, vindo, ele evangelizou a paz, a vós que estáveis longe, e aos que estavam perto;
      Porque por ele ambos temos acesso ao Pai em um mesmo Espírito.
      Assim que já não sois estrangeiros, nem forasteiros, mas concidadãos dos santos, e da família de Deus;

      (Hebreus 7:11-19) De sorte que, se a perfeição fosse pelo sacerdócio levítico (porque sob ele o povo recebeu a lei), que necessidade havia logo de que outro sacerdote se levantasse, segundo a ordem de Melquisedeque, e não fosse chamado segundo a ordem de Arão?
      Porque, mudando-se o sacerdócio, necessariamente se faz também mudança da lei.
      Porque aquele de quem estas coisas se dizem pertence a outra tribo, da qual ninguém serviu ao altar,
      Visto ser manifesto que nosso Senhor procedeu de Judá, e concernente a essa tribo nunca Moisés falou de sacerdócio.
      E muito mais manifesto é ainda, se à semelhança de Melquisedeque se levantar outro sacerdote,
      Que não foi feito segundo a lei do mandamento carnal, mas segundo a virtude da vida incorruptível.
      Porque ele assim testifica: Tu és sacerdote eternamente, Segundo a ordem de Melquisedeque.
      Porque o precedente mandamento é abrogado por causa da sua fraqueza e inutilidade
      (Pois a lei nenhuma coisa aperfeiçoou) e desta sorte é introduzida uma melhor esperança, pela qual chegamos a Deus.

      (Romanos 4:14) Porque, se os que são da lei são herdeiros, logo a fé é vã e a promessa é aniquilada.

      A questão de Paulo e da circuncisão de Cristo estão explicadas na sua outra pergunta…

      Atenciosamente,
      Abner Pereira Dancuart.

Deixe uma resposta