(326) – DRAGÃO – XII

DRAGÃO   12

A restauração de Satanás

                O apóstolo Paulo declarou: “Porque a ardente expectação da criatura espera a manifestação dos filhos de Deus. Porque a criação ficou sujeita à vaidade, não por sua vontade, mas por causa do que a sujeitou, na esperança de que também a mesma criatura será libertada da servidão da corrupção, para a liberdade da glória dos filhos de Deus. Porque sabemos que toda a criação geme e está juntamente com dores de parto até agora. E não somente ela, mas nos mesmos, que temos as primícias do Espírito, também gememos em nós mesmos, esperando a adoção, a saber, a redenção de nosso corpo” (Rm. 8:19-23). Temos nestes cinco versículos alguns pontos a considerar:

1- Se as criaturas esperam a manifestação dos filhos de Deus, até a era apostólica, eles não se manifestaram, isto é, não apareceram, ou não vieram à luz. Como explicar Gn.6:2, onde se lê“Viram os filhos de Deus que as filhas dos homens eram formosas, e tomaram para si mulheres de todas as que escolheram”. Manifestaram-se os filhos de deus quatro mil anos antes de se manifestarem os verdadeiros. Aqueles eram falsos filhos de Deus porque se manifestaram fazendo o mal. Manifestaram-se em luxuria, e os filhos verdadeiros se manifestam libertados da servidão da corrupção, como disse Paulo em Rm. 8:21.

2- Se toda a criação esta sujeita a vaidade, não por sua vontade, mas por causa do que a sujeitou, isto é, Satanás, que é um anjo caído, e Jeová declara o seguinte: “Vede agora que eu, eu o sou, e mais nenhum deus comigo… Ninguém há que escape da minha mão” (Dt. 32:39), e ainda: “Porque o Senhor dos exércitos o determinou; quem pois o invalidará?” (Is. 14:27), e mais: “Ainda antes que houvesse dia, eu sou; e ninguém há que possa fazer escapar das minhas mãos; operando eu, quem impedirá?” (Is. 43:13), Jeová se declara com poder total sobre a criação; e mesmo que houvesse algum outro deus, jamais poderia interferir nos seus propósitos, e foi satã quem sujeitou toda a criação? Está parecendo uma pessoa que afirmou ser faixa preta de kung-fu, e que é arrasador, e um mês depois foi hospitalizado com cinco costelas quebradas. É melhor não falar, do que falar e ser vencido. É vergonhoso (Rm. 8:20).

3- Em Rm. 8:23, Paulo declara que os verdadeiros filhos de Deus, que tem as primícias do Espírito, isto é, sendo habitados pelo Espírito Santo, também gemem carregados, esperando a adoção, isto é, a redenção do seu corpo. O poder da sujeição, e da servidão da corrupção, é tão forte, que os salvos gemem carregados até a ressurreição dos corpos. Isso é problema para quem diz: “Ninguém escapa das minhas mãos”, ou “operando eu quem impedirá?”. O poder da servidão do pecado é tão forte, que os cristãos, cansado de lutar, e depois cair novamente, dizem que é impossível não pecar (I Jo. 1:8-10).Esquecem-se esses cristãos que João fala, mais à frente: “E bem sabeis que ele se manifestou para tirar os nosso pecados; e nele não há pecado. Qualquer que permanece nele não peca; qualquer que peca não o viu nem o conheceu” (I Jo. 3:5-6). Se Cristo não liberta o homem do pecado, esse tal não é nova criatura, e nem nasceu de novo (Jo. 3:3-6; II Co. 5:17).

4- A criação, portanto, está toda sujeita à Satanás: “Sabemos que somos de Deus, e que todo o mundo jaz no maligno” (I Jo. 5:19). Jazer é estar deitado, estar caído, estar morto. Assim está esse mundo. Onde está o poder arrogado por Jeová em Dt. 32:39; Is. 14:27; 43:13? O todo poderoso se dobrou diante de Satã?

5- O Jardim do Édem não era particular de Jeová como parece, pois Satanás tinha livre acesso, e liberdade para ministrar sua doutrina cheio de veneno mortal. A palavra do dragão prevaleceu sobre a palavra de Jeová, pois Satã levou Adão à desobediência, e Jeová não impediu, ou não pôde impedir (Gn. 3:1-6).

6- Como castigo por tamanha maldade, Jeová lançou uma maldição sobre a serpente: “Porquanto fizeste isto, maldita serás mais que toda a besta, e mais que todos os animais do campo; sobre o teu ventre andarás, e pó comerás todos os dias da tua vida” (Gn. 3:14). Acontece que as serpentes não se alimentam de pó, mas de carne. Na linguagem alegórica de Jeová, carne é pó, pois disse a Adão:“No suor do teu rosto comerás o teu pão, até que te tornes à terra; porque dela fostes tomado; porquanto és pó, e em pó te tornarás” (Gn. 3:19). Antes de morrer Adão era pó, e depois de morto voltou ao pó, porque foi feito do pó da terra (Gn. 2:7). E no Salmo 22, Davi declara que pó é a morte:“Tu me pusestes no pó da morte” (Sl. 22:15). Portanto, quando Jeová disse à serpente: “Pó comerás todos os dias da tua vida”, dizia alegoricamente que Satanás se alimenta da morte do homem, pois o seu reino é formado de mortos. Na carta aos Hebreus, lemos: “E, visto como os filhos participam da carne e do sangue, também Jesus participou das mesmas coisas, para que pela morte aniquilasse o que tinha o império da morte, isto é, o diabo” (Hb. 2:14). E o diabo é também o dragão, a antiga serpente, que é Satanás (Ap. 12:9). E se a carne do homem é pó, e pó é a morte, quando Jeová se declara ser o deus de toda a carne, está declarando ser o deus do pó, e da morte (Jr. 32:27).

7- Paulo revela que a Igreja vai pisar a cabeça da serpente: “Em breve, o Deus de paz esmagará Satanás debaixo de vossos pés” (Rm. 16:20). Sendo assim, não é Jesus quem vai cumprir a profecia de Gn.3:15, mas a Igreja, isto é, os santos (Ef. 4:22-24). A explicação de Paulo para a profecia de Gn. 3:15 é Rm. 16:20. O apóstolo João nos revela qual será o destino eterno do diabo e seus aliados: “E o diabo, que os enganava, foi lançado no lago de fogo e enxofre, onde está a besta e o falso profeta; e de dia e de noite serão atormentados para todo o sempre” (Ap. 20:10). E o lago de fogo é a segunda morte: “E a morte e o inferno foram lançados no lago de fogo; esta é a segunda morte” (Ap. 20:14). E o lago de fogo é também o destino eterno de tormento para os homens e mulheres, cujas obras são perversas, e por isso seus nomes não se acham no livro da vida do cordeiro, que tem poder para regenerá-los, mas eles não creram. O texto de João diz: “E aquele que não foi achado escrito no livro da vida foi lançado no lago de fogo” (Ap. 20:15). Podemos entender com certeza de fé, que no novo céu e na nova terra que Jesus Cristo vai criar, não haverá mais morte, nem dor, nem pecado, e nem condenação, e nem pranto e sofrimento (Ap. 21:3-4). Também não haverá falsos profetas, nem bestas, nem ímpios, nem Satanás, que é o dragão, e nem demônios, pois todos estarão no lago de fogo.

Jeová, porém, tinha outros planos. Ele disse“Eis que crio novo céus e nova terra; e não haverá lembrança das coisas passadas, nem mais delas se recordarão. Mas vós folgareis e exultareis perpetuamente no que eu crio; porque eis que crio para Jerusalém alegria e para o seu povo gozo; … e nunca mais se ouvirá nela voz de choro nem voz de clamor” (Is. 65:17-19). E continuando, Jeová diz“Não haverá mais nela criança de poucos dias, nem velho que não cumpra os seus dias; porque o mancebo morrerá de cem anos; mas o pecador de cem anos será amaldiçoado” (Is. 65:20). Esta nova terra de Jeová não condiz com a de Jesus, pois haverá morte, haverá pecadores, e haverá maldições. Sendo assim a nova terra criada por Jeová é igual a velha. E Jeová continua falando sobre o novo céu e a nova terra algo assustador“O lobo e o cordeiro se apascentarão juntos, e o leão comerá palha como o boi; E PÓ SERÁ COMIDA DA SERPENTE” (Is. 65:25). O plano de Jeová é a restauração de Satanás, isto é, a restauração do dragão. No Apocalipse Jesus declara que Satã será lançado no lago de fogo; mas Jeová declara que Satã, o dragão, vai viver para sempre no seu reino, cuja capital é a  Jerusalém da terra, se alimentando dos israelitas que morrem. Com quem está a verdade? Com Jesus, ou com Jeová? Nós da ABIP cremos em Jesus, e não cremos em Jeová.

 

Autoria: Pastor Olavo Silveira Pereira

Deixe uma resposta