(352) – SALMO DE LOUVOR – I

SALMO   DE   LOUVOR  1

        O Salmo 136 exalta e louva a benignidade de Jeová. Leiamos:

1- Louvai a Jeová, porque ele é bom; porque a sua benignidade é para sempre;

2- Louvai ao Deus dos deuses, porque a sua benignidade é para sempre;

3- Louvai ao Senhor dos senhores, porque a sua benignidade é para sempre;

4- Aquele que só faz maravilhas, porque a sua benignidade é para sempre;

5- Aquele que com entendimento fez os céus, porque a sua benignidade é para sempre;

6- Aquele que estendeu a terra sobre as águas, porque a sua benignidade é para sempre;

7- Aquele que fez os grandes luminares, porque a sua benignidade é para sempre;

8- O sol para governar o dia, porque a sua benignidade é para sempre;

9- A lua e as estrelas para governar a noite, porque a sua benignidade é para sempre;

10- QUE FERIU O EGITO NOS SEUS PRIMOGÊNITOS, PORQUE A SUA BENIGNIDADE É PARA SEMPRE.

Aqui o salmista certamente errou. Desde quando matar adultos e crianças revela benignidade? Se o Deus revelado por Jesus Cristo quer salvar a todos (I Tm.2:3-4), matar pessoas que Jesus quer salvar, segundo a vontade de Deus Pai, matar os primogênitos do Egito, entre os quais haviam muitas crianças inocentes, não revela benignidade, mas malignidade. E para agravar a situação, foi Jeová que mudou o coração dos egípcios para que odiassem o seu povo (Sl.105:23-25). Sendo assim eles eram vitimas inocentes, e o salmista deveria ter dito“FERIU O EGITO NOS SEUS PRIMOGÊNITOS, PORQUE A SUA MALIGNIDADE É PARA SEMPRE”. E o salmista continua a louvar a malignidade de Jeová, dizendo:

15. Jeová derribou a Faraó com o seu exército no Mar Vermelho, porque a sua benignidade é para sempre;

18. Deu a morte a reis famosos, porque a sua benignidade é para sempre;

19. Siom, rei dos amorreus, porque a sua benignidade é para sempre;

20. E Ogue, rei de Basã, porque a sua benignidade é para sempre. (Sobre Siom, está escrito que Jeová endureceu o seu espírito, e fez obstinado o seu coração. Então Siom se pôs contra Israel, e Jeová o entregou a Israel. Foram destruídas todas as cidades, e mortos a fio de espada homens, mulheres e crianças. E o despojo foi tomado (Dt.2:30-35)). Neste caso deveria estar escrito: “Jeová matou Siom, rei de Hesbom, homens, mulheres e crianças, porque a sua malignidade é para sempre”. Mas, contrariando a todos os princípios da ética, da virtude e da justiça, os salmistas sempre escrevem, quando Jeová comete um crime: LOUVAI A BENIGNIDADE DE JEOVÁ. Segundo esse falso princípio de justiça podemos dizer:

1- Jeová fez de Jerusalém uma fornalha, porque a sua benignidade é para sempre (Is.31:9).

2- Mandou fogo do céu e matou 102 soldados, porque a sua benignidade é para sempre (II Rs.1:9-12).

3- Declarou guerra eterna a Amaleque, porque a sua benignidade é para sempre (Ex.17:16).

4- Incitou Davi a pecar, e por isso matou 70.000 pessoas, porque a sua benignidade é para sempre (II Sm.24:1-15).

5- Fez com que, mortos de fome, os pais comessem os filhos, porque a sua benignidade é para sempre. (Esta era uma das maldições de Jeová“E comerás o fruto do teu ventre, a carne de teus filhos e de tuas filhas, que te der Jeová teu deus, no cerco e no aperto com que os teus inimigos te apertarão” (Dt.28:53)).

6- “As mãos das mulheres piedosas cozeram seus próprios filhos; serviram-lhes de alimento na destruição da filha do meu povo”, porque a sua benignidade é para sempre (Lm.4:10).

7- Tapou os ouvidos dos filhos do sumo sacerdote Eli, para não ouvirem os conselhos do pai, porque os queria matar, porque a sua benignidade é para sempre (I Sm.2:22-25).

8- Jeová falou ao seu povo idólatra: “Porque um fogo se acendeu na minha ira, e arderá até o mais profundo do inferno, e consumirá a terra com a sua novidade, e abrasará os fundamentos dos montes. Males amontoarei sobre eles, as minhas setas esgotarei contra eles. Exaustos serão de fome, comidos de carbúnculo e de peste amarga; e entre eles enviarei dentes de feras, com ardente peçonha de serpentes do pó. Por fora devastará a espada, e por dentro o pavor; ao mancebo, juntamente com a virgem, assim à criança de mama, como ao homem de cãs;”  porque a sua benignidade é para sempre (Dt.32:22-25).

9- O salmista disse: “Tu vendes por nada o teu povo, e não aumentas a tua riqueza com o seu preço”, porque a tua benignidade é para sempre (Sl.44:12).

10- Jeová declara-se o autor de todo e qualquer mal que possa acontecer a uma cidade, porque a sua benignidade é para sempre (Am.3:6).

11- Fica forjando males contra seu povo, e tenta convertê-los com ameaças terríveis e não com amor, porque a sua benignidade é para sempre (Jr.18:11).

12- Lançou sobre o seu povo as monstruosas maldições da lei, porque a sua benignidade é para sempre (Dt.27:15-26, 28:15-68; Gl.3:10).

13- Destruiu a humanidade no dilúvio antes do tempo, porque a sua benignidade é para sempre (Jó 22:15-16).

14-  Jeová põe espírito malignos nas pessoas a quem aborrece e rejeita, porque a sua benignidade é para sempre (I Sm.16:14-15).

15-  Irado contra seu povo, assim falou: “Eis que eu encherei de embriaguez a todos os habitantes desta terra, e aos reis da estirpe de Davi, que estão assentados no seu trono, e aos sacerdotes, e aos profetas, e a todos os habitantes de Jerusalém. E fá-lo-eis em pedaços uns contra os outros, e juntamente os pais com os filhos, diz Jeová; não perdoarei nem pouparei, nem terei deles compaixão, para que os não destrua”, porque a sua benignidade é para sempre (Jr.13:13-14).

 16- E disse mais Jeová: “Eis que eu sou contra ti, e tirarei a minha espada da bainha, e exterminarei do meio de ti o justo e o ímpio. E, por isso que hei de exterminar do meio de ti o justo e o ímpio, a minha espada sairá da bainha contra toda a carne, desde o sul até o norte;”, porque a sua benignidade é para sempre (Ez.21:3-4).

 17- Jeová envia espírito de mentira para enganar os profetas, quando quer matar alguém, porque a sua benignidade é para sempre (I Rs.22:19-23).

18- Jó, entregue por Jeová na mão de Satanás, disse: “Porque as frechas do Todo poderoso (El Shaday) estão em mim, e o seu ardente veneno o bebe o meu espírito; os terrores de Jeová se armam contra mim”, porque a benignidade de Jeová é para sempre (Jó 6:4).

 19- “Cova profunda é a boca das mulheres estranhas; aquele contra quem Jeová se irar, cairá nela”, porque a benignidade de Jeová é para sempre (Pv.22:14).

 20- Quando Israel pecou em Baal Peor, Jeová mandou Moisés enforcar todos os cabeças das dez tribos, diante do sol, e só assim o ardor da sua ira se retirou de Israel, porque a benignidade de Jeová é para sempre (Nm.25:4).

21- Um bando de meninos chamou Eliseu de careca; este os amaldiçoou, e Jeová mandou duas ursas, que despedaçaram quarenta e dois deles, porque a benignidade de Jeová é para sempre (II Rs.2:23-24).

22- Ordena seu povo a não ter piedade dos povos de Canaã, como ele não tem piedade, porque a benignidade de Jeová é para sempre (Dt.7:2). Ensina a não ter piedade do irmão que pecou, porque a sua benignidade é para sempre (Dt.13:6-10). Proibiu Jeremias de orar pelo seu povo a quem amava, porque a benignidade de Jeová é para sempre (Jr.7:16).

 23- Jeová ordena a não ter piedade, porque ele, Jeová, não tem piedade de ninguém, porque a benignidade de Jeová é para sempre (Ez.5:11; 7:4, 9, 8:18)Jeová não tem piedade das crianças, porque a sua piedade é para sempre. Isaias diz: “Preparai a matança para os filhos por causa da maldade de seus pais” (Is.14:21). Mas Jesus disse: “Deixai vir a mim as criancinhas, e não as impeçais, porque delas é o reino de Deus” (Mt.19:13-14).

 

Autoria: Pastor Olavo Silveira Pereira

Deixe uma resposta